Foto da semana.

Forma extremamente ordinária: Padre Hélio Marcos da Silva Rosa, da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, celebra missa em Cardoso Moreira, RJ, no “Cerco de Jericó”.

Fonte: Paróquia São José.

32 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Com Altar girl e tudo!
    dalhe acordo!

  2. Tirando é claro o evento bíblico, o que seria um “Cerco de Jericó”?

  3. Vem coisa pior de Campos. Quem viver, verá! Quanto a foto: esse padre estudou em La Reja?

  4. Estudou em La Reja e foi ordenado por Dom Lefebvre! Era considerado um dos mais “firmes” na antiga União Sacerdotal São João Maria Vianney… o tempo passa, o tempo voa…

  5. Quero ver algum puxa-saco do D. Rifan dizer que essa foto não pode ir parar no “Salvem a Liturgia!”…Com padres acordistas desse nível fica difícil defender a hermenêutica da continuidade.

  6. Nada demais. Ele foi formado para celebrar na forma extraordinária, mas acaso existe alguma impedição canônica para que ele celebre no rito novo?

  7. Ehhhh, Campos!
    Quem te viu, quem te vê!
    E depois ainda tem a cara de pau de dizer que nada mudou depois do acordo.
    Cadê os acordistas agora para defender a “plena comunhão” ?
    Se é para a FSSPX ganhar um carimbo de ‘PLENA COMUNHÃO’ e se transformar nisso daí, prefiro que ela não o faça.
    Pelos frutos os conhecereis…

  8. Why Am I Not Surprised?!?!?
    Diga me com quem tu andas…

  9. O curioso é quem se escandaliza com isso não se escandaliza com outras coisas bem piores, como dizer que o Papa é herege ou que a Igreja é governada por anticristos.

  10. Corrijam-me se estiver errado, mas parece-me que ele está no melhor estilo [i]Novus Ordo way of mass[/i]…I.e.: Cade o amito? Cade a estola? Cade a casula?

  11. “…Por fim, Meu Imaculado Coração triunfará”

  12. Com direito a co-celebrante!!!

  13. Cai mácara, cai o pano, e cai o véu da santidade. Só não cai o desamor. Ab homine iniquo et doloso erue me.

  14. É o Fim da Tradição em Campos! Triste fim…

  15. Não conheço o padre da foto, mas é muito julgamento público de um sacerdote com base numa foto… Não acham não? Não sei, mas tenho a impressão de que há algo errado em sair “detonando” um sacerdote (e toda uma Administração Apostólica) na internet assim. Por exemplo, já vi aqui textos calorosos sobre o Padre Leonardo Holtz (e nem entro no mérito do debate, não é o ponto), mas nunca vi ninguém aqui reclamando do fato de ele celebrar Missas novas, nem muito menos de também usar meninas como como acólitas, nem de celebrar sem casula, e todas essas eram coisas muito habituais em sua paróquia na Tijuca. Digo isso sem a menor pretensão de sugerir que ele estivesse errado, mas de tentar entender essa estranha benevolência com os “amigos” e essa disposição para apedrejar os “inimigos”. Aliás, é estranha essa disposição para procurar “inimigos”.

    E que Deus proteja a Administração Apostólica São João Maria Vianney. Há lá excelentes sacerdotes, que se sacrificam muito pela Igreja, que são constantes na Fé e suportam heroicamente todo tipo de dificuldade, inclusive a tristeza de serem alvo de maledicência em blogs. Todo contato que tive com a Administração Apostólica foi com sacerdotes que merecem o título de discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo, homens que seguem o Seu exemplo.

    Vejo com tristeza a postura deste blog.

  16. A. Carlos
    O cerco de Jericó surgiu na Polônia e inspira-se na narrativa bíblica constituindo-se de sete dias e seis noites consecutivos de recitação do Santo Rosário diante do Santíssimo Sacramento solenemente exposto, interrompida apenas pela Missa. Os da RCC gostam muito, mas não se restringe a estes. em Anápolis é comum ter paróquias que têm cerco de Jericó anual e mesmo mensal, como evento paroquial com escala de todos os grupos, pastorais e movimentos. Penso, avaliando a biografia, que São Pedro Julião Eymard daria seu aval, desde que tirados os abusos carismáticos. Como se vê, o que menos tem no cerco é Bíblia e o que mais tem é Rosário diante do Santíssimo.
    Uma explicação clara está no endereço http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2008/03/13/voce-sabe-como-surgiu-o-cerco-de-jerico/

    Marcos,
    ele está sem amito e sem casula, mas não sem estola, que é branca com detalhes prateados, embora pouco perceptível.
    Penso que o padre seja coerente com a posição da Administração Apostólica, que usa o rito tridentino por preferência e não por condenação da nova forma. Celebrando fora das paróquias da Administração, é claro que segue o uso determinado pelo bispo responsável pela mencionada paróquia.

    Não tive neste comentário intenção de avaliação moral ou disciplinar do presbítero, nem mesmo da materialidade dos atos, nem dos participantes do evento.

    Feliz Páscoa a todos (e a todas)!

  17. Há um padrão curioso neste blog que considero interessante colocar em evidência.

    Faça um levantamento rápido do número de comentários por tipo de matéria e entenderemos o perfil de quem o visita com freqüência. Vamos lá:

    POST: Post com foto de sacerdote da Adm Apostólica celebrando Missa em condições supostamente desaprováveis;
    TIPO: Polêmica, julgamento público;
    COMENTÁRIOS: 11 em 3 horas

    POST: No princípio era o Verbo, sermão do Papa
    TIPO: espiritualidade
    COMENTÁRIOS: 1 em 8 horas

    Continue o levantamento. Não vai demorar muito para notar que a prática comum por aqui é ser muito ágil na hora de apontar o dedo e opinar em polêmicas, mas de não fazer muito esforço na hora de comentar algo de relevância espiritual, nem mesmo a Via Sacra de Dom Castro Mayer, um personagem querido pelo público habitual do site. Isso dá a péssima impressão de que tem gente que fica em casa atualizando o RSS ávido por um suposto erro para criticar, com mais disposição para murmurar e maldizer do que para acolher com gratidão textos sobre espiritualidade, ensinamentos proveitosos do magistério e etc.

    Não posso, é claro, atribuir a culpa disso apenas ao autor do blog, mas certamente criou-se aqui um ambiente bastante “venenoso”.

  18. Sto Agostinho ensina-nos que a perseverança final é a maior das graças: não é simplesmente um acumulado, mas é a culminação, o coroamento, o acabamento, na ordem da graça, de um dom extraordinário da fortaleza. De que adianta “ter estudado em La Reja” ser “ordenado por D. Lefebvre” e fazer esse papelão?!…
    São os novos tempos de “tolerância” e permissividade que estragam qualquer dom…

  19. Campos, trai Dom Antônio de Castro Mayer !!

  20. Carlos, e seu espírito de crítica para com os críticos? Antes de nos criticar, você deveria explicar o que este sacerdote está fazendo e assim mostrar que nossa crítica está errada.

    Fiz um levantamento rápido e vi que você nunca (ou quase nunca) comentou por aqui. Só posso crer que você fica de olho no RSS aguardando algo que atinja as suas convicções para aí poder vir aqui lançar suas críticas. Que espírito crítico! Nenhum comentário seu em posts “edificantes’… Amigo, tira a trave do teu olho…

    E, antes de qualquer outra crítica, por favor, explique-nos o que um sacerdote de uma administração apostólica totalmente livre de outros bispos, cujo “entendimento” com a Santa Sé previa apenas uma regulamentação jurídica e não uma mudança doutrinal ou litúrgica, como propalou a quatro ventos o então pe. Fernando Rifan, está fazendo, primeiramente, celebrando o Novus Ordo. Depois, explique-nos o que ele faz com uma coroinha-menina, sem amito e sem casula. Isso é já a reforma da reforma?

    Para não dizer que esse padre era considerado um dos mais rígidos, como disse um outro leitor aí acima…

    Mudar não é o problema, claro. Todos nós mudamos com o tempo. Até o Lula mudou, não é? Mas então que ele se explique, dê motivos claros para isso. Antes de condenar quem tirou a foto ou mesmo quem a divulga, lamente o fato do tal padre se dar ao luxo de fazer um papelão litúrgico desses. Ele não era diocesano, como o pe. Leonardo Holtz a quem você criticou (tira a trave do teu olho…). Ele não está obrigado a fazer isso, ao contrário dos padres diocesanos. Ele fez porque quis e aí está toda a maldade do ato. Caso contrário, se ele foi constrangido, que venha a público esclarecer! Se não foi, não reclama daqueles que simplesmente se escandalizam com tal mudança de postura sem a mínima dignidade de vir a público esclarecer como de tradicionalista se transformou em defensor da letra do Concílio para pouco mais adiante ser um propulsor do malfadado “espírito” condenado pelo Magistério Vivíssimo (!!!) através de liturgias “produtos banal do instante” cujos abusos chegam ao “limite do suportável”, como disse alguém que você deve conhecer. É assim que Campos pretende promover um retorno à dignidade do culto?

    E olha que até hoje tenho um email de Dom Fernando gravado, no qual ele condenada os críticos (tal como você faz) ao dizer que pe. Hélio celebrava na CAtedral de Campos a missa antiga com as adaptações aceitas em seu tempo também por Dom Antonio de Castro Mayer. A mentira tem perna curta! Dom Fernando, o Lula de Campos?

  21. Não dá para ver direito.
    Mas a foto revela reminiscências de boa escola.
    Na Santa Missa o padre mantem juntos os dedos indicador e polegar depois da Consagração até a Ablução mostrando um cuidado com a Santa Eucaristia,Paulo VI aboliu esse gesto, que tinha muita força contra os que combatiam o dogma da Transubstanciação.
    Na foto, o padre parece ter esse cuidado mas curiosamente matem os dedos juntos à frente do cálice e não atrás do mesmo.
    Geralmente um padre do Novus Ordo, quando negocia, ou melhor, quando reza uma Motu Missa , acaba atropelando tal cuidado.Um vício que vem de escola modernista e fica praticamente impossível de se livrar quando se reza as duas missas.

  22. Qual foi o problema da foto? Ele não pode celebrar nesse rito?o Papa não celebra nesse rito?

  23. Dom Rifan já deixou claro que a Missa Nova é católica e válida. Não há o que estranhar na foto. A Administração Apostólica é um espaço criado para quem é atraido pela liturgia tradicional por uma questão de temperamento, gosto, ou seja, puramente atraído pelos sentidos.

    Campos não deveria mais trazer revolta, porque hoje em dia sequer se preocupa em enganar os frouxos. Faz o que combatia de forma pública, para quem quiser ver. Campos (e pelo visto as demais comunidades Ecclesia Dei, em maior ou menor grau) estão distantes da causa da FSSPX tanto quanto o céu está distante da Terra.

  24. Heitor, o Papa não celebra a forma brasileira do rito ordinário brasileiro não. Em Roma não há coroinhas-meninas, nem missa sem casula, sem amito… este rito que o pe. Hélio está celebrando deve ser um rito próprio, muito particular.

  25. não devemos pençar apenas em nossos gostos. Que mal há em celebrar a Missa Nova, se dissermos que ela é má consequentemente dizemos que a Mãe Igreja é má, dando a seus amados filhos um alimento que não os poderia sustentar, a Missa é Missa seja na Forma Ordi ou Extraord, seja pelo Pe Marcelo, Pe Hélio, D Fellay ou o Papa.
    AHHHH… se não insitassemos a separação. É de conhecimento de todos em Campos que Pe. Hélio muito antes dos “acordos” embora pertencesse a União tambem celebrava a “Missa Nova”. Deviamos juntar forças mas em vez disso queremos que tudo seja como na época o exilio. Dom Lefebvre passou, Dom Mayer tambem. A “Tradição” já é grande mas só não é maior porque temos pessoas que vivem a idade média e essas pessoas não são do clero nem das Ecclesia Dei nem a FSSPX, mas Julgadores do que seria a Tradição.

    Se disse alguma coisa que não concordam, azar. Sempre venho a este blog, mas a muito tempo tenho notado que ele gosta de fincar suas opnioes goela abaxo.

  26. É isso aí Edivaldo, todo mundo tem que se unir em torno do que você acha correto e parar de ficar icriandoa divisão. Boa idéia! Para que discutir? Você já deixou tudo tão claro!

  27. Cris,

    Você não sabe ler, isso dificulta nossa conversa. Eu não critiquei o Padre Leonardo Holtz, deixei isso totalmente claro em meu comentário, eu só fiz uma descrição do que acontecia em sua paróquia, fatos que garanto que ele mesmo não negaria. Recebi o perdão de Deus por intermédio do Padre Leonardo mais de uma vez, eu não seria leviano em vir apedrejá-lo publicamente. O que levantei foi a diferença de tratamento dado aos dois padres. Padre Leonardo era diocesano e, como tal, era obrigado a celebrar o rito novo e, é de se esperar, que sofresse alguma pressão para celebrá-lo em português. Mas ele não era de modo algum obrigado a usar meninas como acólitas, não era obrigado a não usar batina (pelo menos não por Dom Orani), não era de jeito algum obrigado a cantar durante a Missa, não era obrigado a não usar os paramentos, tanto que há mais de um padre na mesma diocese que usa sempre os paramentos, que não usa meninas acólitas e etc… São fatos, o que levou o Pe. Leonardo a agir assim nem eu nem ninguém aqui pode julgar, principalmente sem ouví-lo . É o mesmo benefício que eu peço para o padre da Adm Apostólica, mas que poucos aqui estão disposto a consentir.

    Eu visito este site uma vez a cada seis meses, por isso não me verá comentando muito por aqui. E minha posição é bem diferente da de quem vem apedrejar padres publicamente, pois eu estou justamente reclamando disso. Não tenho trave no meu olho nesse caso, apesar de provavelmente ter para muitas outras coisas.

    E mais: por mais que não seja um site estritamente jornalístico, a publicação da foto funciona como forma de imprensa, de jornalismo, concorda? Como tal, deveríamos pensar em boas práticas:

    1 – Creditar o autor da foto ou a fonte da foto e so publicá-la com autorização de ambos;
    2 – Procurar os envolvidos para ouví-los ANTES de publicar o conteúdo;
    3 – Não expor o rosto de crianças em situações potencialmente controversas. Como essa foto está aqui com o objetivo evidente de causar controvérsia, a exposição da criança pode até ser considerada CRIME.

    Ou seja, o site exige do sacerdote um postura em suas atividades que próprio site não tem nas dele. Exigem dos outros aquilo que não fazem.

    Um cordial abraço

    • Sr. Carlos, que postura este site exigiu do sacerdote? Releia o post: há apenas a descrição de um fato retratado na imagem. Nada mais. Acho que há mais de uma pessoa por aqui que não sabe ler…

      Talvez em sua andança semestral pelo blog, você tenha percebido que nós sempre fazemos questão de citar nossas fontes; por isso estamos certos de sua compreensão com relação a esse nosso lapso, do qual pedimos desculpas e que acabamos de corrigir.

      Se tiver mais alguma dúvida, por favor nos contate por email: fratresinunum@gmail.com. Aproveite, por caridade, para nos enviar a tipificação do que pode nos ser imputado como crime.

  28. Não é uma reclamação ao Fratres, mas o mais chato é que pelo que anda os comentários, o editor deste blog, tido por incitador do crime contra menores e fraudador da ética joranalística, será obrigado a fechar os comentários. Direito dele é claro, eu faria o mesmo.

    Moderem o que escrevem pessoal.

  29. Acho melhor que este “jornaleco” da web católica passe a trazer notícias dos ursinhos carinhosos e das meninas super poderosas. Assim não desagradará eventuais leitores e terá liberdade editorial.

  30. Rafael Gomes,

    Altar Girl foi sensacioooooonal!!! :-D