João Paulo II e Medjugorje.

Da entrevista de Dom Paolo Hnilica, bispo eslovaco e amigo íntimo de João Paulo II, à revista alemã “Pur” de dezembro de 2004 (via Vatican Insider):

Dom Hnilica, o senhor falou com o Papa [João Paulo II] sobre os acontecimentos de Medjugorje?

Cardeal Stanislaw Dziwisz e João Paulo IIHnilica: Eu visitei o Santo Padre em 1984. Nos encontramos em Castel Gandolfo, sua residência de verão, e conversamos sobre a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, que realizei na Catedral da Assunção em Moscou, em 24 de março daquele ano, como Nossa Senhora de Fátima pediu. Quando contei este fato ao Santo Padre, ele ficou muito comovido e disse: “A Virgem Maria o levou até lá sob sua proteção”. Respondi: “Não, Santo Padre, Ela me levou em seus braços”. Então ele me perguntou o que eu pensava sobre Medjurgorje e se eu já estivera lá. Disse a ele que o Vaticano me aconselhara a não ir. O Papa olhou para mim e disse: “Vá a Medjugorje discretamente, como o senhor foi a Moscou. Quem pode impedi-lo?”. O Papa não me autorizou oficialmente a ir, mas encontrou outra solução. Ele me mostrou um livro sobre Medjugorje escrito por Rene Laurentin. Começou a ler alguns capítulos e observou que as mensagens de Medjugorje estão intimamente relacionadas às de Fátima. “Medjugorje é a continuação de Fátima. A Senhora aparece pela primeira vez em países comunistas por causa dos problemas que vêm da Rússia”, disse o Papa, que já tinha abraçado isso como uma missão de seu pontificado. Entendi a conexão. Após falar com o Papa, visitei Medjugorje incógnito três ou quatro vezes. Mas o bispo de Mostar me escreveu uma carta na qual pedia que eu não visitasse mais Medjugorje e que, se eu recusasse, escreveria ao próprio Papa. Parece que alguém lhe informou sobre minha visita. Porém, não havia motivo para temer o Santo Padre”.

O senhor teve alguma outra oportunidade de falar com o Papa sobre Medjugorje?

Hnilica: Sim. Falamos sobre Medjugorje em 1º de agosto de 1988. Um grupo de médicos de Milão, que examinou as crianças, veio visitar o Papa em Castel Gandolfo. Um dos médicos comentou que o bispo de Mostar prejudicou seus trabalhos. O Papa disse: “Como ele é o bispo daquela região, os senhores têm de respeitá-lo”. Então continuou em tom cordial: “Mas ele responderá diante de Deus caso esteja agindo injustamente”. O Papa então pensou por um instante e disse: “O mundo hoje perdeu o sentido do sobrenatural, isto é, o sentido de Deus. Mas muitas pessoas o redescobrem em Medjugorje através da oração, do jejum e dos sacramentos”. Este é para mim o mais forte e explícito testemunho sobre Medjugorje. O que impressionou mais especial e profundamente é que os médicos que estavam lá disseram “Non constat de supernaturalitate”, enquanto o Papa, pelo contrário, reconhecera muito antes que os eventos acontecendo em Medjugorje são realmente sobrenaturais. Através de várias fontes, o Papa chegou à conclusão de que lá se pode experimentar Deus…

Em 1991, dez anos após a primeira mensagem “Paz, Paz, Paz”, quando a guerra irrompeu na Croácia, encontrei-me novamente com o Papa e ele me perguntou: “Como o senhor pode explicar as aparições de Medjugorje enquanto a guerra flagela a Bósnia?” Realmente, a guerra era horrível. Respondi: “Parece que estamos na mesma situação com relação a Fátima. Se a Rússia tivesse sido consagrada ao Imaculado Coração de Maria, a 2ª Guerra Mundial e a disseminação do comunismo e do ateísmo poderiam ter sido evitados. Santo Padre, após o senhor ter consagrado a Rússia ao Imaculado Coração de Maria em 1984, muitas mudanças ocorreram na Rússia e o comunismo começou a cair. Nossa Senhora em Medjugorje advertiu que a guerra irromperia se não nos convertêssemos. Ninguém levou estas mensagens a sério. Talvez, se os bispos da antiga Iugoslávia tivessem aceitado mais seriamente estas mensagens, isso não tivesse acontecido. Mas é claro que isso não significaria um pleno reconhecimento da Igreja ao fato das aparições continuarem até hoje”. Então o Papa disse: “Então, Dom Hnilica, é verdade que o meu ato de consagração ao Imaculado Coração de Maria foi eficaz?” Respondi: “Certamente foi! O único problema é quantos bispos realmente realizaram aquele ato de consagração junto com o Santo Padre”.

Por que isso é tão importante?

Hnilica: Isso expressa a colegialidade da Igreja, em outras palavras, é a unidade dos bispos com o Papa que dá à consagração um significado mais profundo. Em 1978, quando Karol Wojtyla foi eleito Papa, eu o cumprimentei, mas imediatamente disse que algo ficaria faltando em seu pontificado caso ele não consagrasse a Rússia juntamente com todos os bispos. Ele disse: “Se o senhor convencer os bispos, faço isso amanhã”. Assim, após a consagração de 24 de março de 1984, ele me perguntou quantos bispos haviam concelebrado comigo. Como não pude responder à questão, o Papa disse: “Todo bispo tem que preparar sua diocese, todo padre a sua comunidade, todo pai a sua família, pois Nossa Senhora disse que os leigos devem se consagrar ao Seu Coração”.

20 Comentários to “João Paulo II e Medjugorje.”

  1. A Irmã Lúcia testemunhou repetidas vezes, em declarações amplamente divulgadas, que as cerimónias de Consagração de 1982 e de 1984 não eram o suficiente para honrar o pedido de Nossa Senhora, porque, em nenhuma dessas ocasiões, nem a Rússia fora mencionada nem houve participação do episcopado de todo o Mundo.

    Os diários da Irmã Lúcia registam que em Rianjo (Espanha), em Agosto de 1931, ao falar do reiterado adiamento dos Seus ministros para a Consagração da Rússia, Nosso Senhor lhe disse: «Participa aos Meus ministros que, dado seguirem o exemplo do Rei de França na demora em executar o Meu mandato, tal como a ele aconteceu, assim o seguirão na aflição.»

    Jesus disse-lhe ainda: «Não quiseram atender ao Meu pedido!… Como o rei de França, arrepender-se-ão, e fá-lo-ão, mas será tarde.» Em que medida será tarde, e quanto mais o Mundo e a Igreja terão de sofrer – isso depende daqueles que mantêm a Mensagem de Fátima sob custódia e controlam todo o acesso à última testemunha, ainda viva, dos Seus recados vindos do Céu.

    E, em alguma medida, depende também de cada um de nós fazer por desmascarar e por se opor à fraude que está a ser perpetrada no Mundo, pondo em sério perigo milhões e milhões de almas, e ameaçando a Paz e a segurança de nações inteiras.

    http://www.devilsfinalbattle.com/port/ch14.htm

  2. Ao meu ver ‘nossa senhora de Medjugorje’ seria mais uma psicologa barata ou diretora espiritual do que realmente uma aparição da Verdadeira Virgem Maria cujo objetivo seria nos trazer uma mensagem celestial, como foi em Fátima e em outras aparições reconhecidas e de curta duração. Vão se falando cada vez mais dessas supostas aparições e esquecendo das verdadeiras.São mensagens vazias e superficiais, indignas de qualquer ato extraordinário de alguém vindo da corte celeste a nos visitar, ainda mais a Virgem Santíssima.

  3. Isso é tudo que os defensores de Medjugorje precisavam: – o Papa Beato a favor deles. Mesmo depois dos escândalos sexuais envolvendo uma vidente e um padre (hoje reduzido ao estado laical graças ao malvado Bento XVI); mesmo depois dos escândalos financeiros; mesmo depois das mentiras e re-mentiras notoriamente veiculadas, ainda assim se acredita em Medjugorje, só que agora com as bençãos do Santo Beato. Esta seita na Igreja não é a Igreja!

  4. Eduardo, a opinião de João Paulo II poderá muito bem ser revista pela comissão instituída por Bento XVI. E aí sim, de forma definitiva! Rezemos…

  5. Sem contar, ainda, que certa coisas ditas por “nossa senhora de Medjugorje’ VAI DE ENCONTRO A DOUTRINA CATÓLICA DE SEMPRE.

  6. O Papa levando a sério Medjugorje? Sinceramente, um católico tradicionalista…, não tem tempo a perder com aparições como esta…pelo amor de Deus…. rs… Ah sim, o Papa João Paulo II, pra variar. Consagraram a Rússia? E o tempo de paz? Tomara que este Papa tenha se salvado, porque sinceramente… fora atrás de fora, fora atrás de fora…
    Sancte Michael Archangele, defende nos in praelio! São José, livrai a Igreja desta terrível crise!

    Foi esta “aparição” que disse?

    “Não se pode ser cristão sem respeitar os outros, sejam eles muçulmanos ou ortodoxos… Em Deus não há divisões nem tantas religiões. Fostes vós a criar as divisões no mundo.

    Olha que conversa mais fiada, é para enganar os católicos de ceb’s? Deus os livre!

  7. Engraçado como algumas pessoas que comentam aqui se acham os donos da verdade, com que direito podem dizer que uma aparição é verdadeira ou não? com que poder? acaso as supostas fraquezas de um vidente é motivo pra invalidar uma aparição? Acaso ja exista alguem nesse mundo 100% convertido que nunca mais irá cair?
    quanta bobagem, quanto extremismo xiita! quem esta de pé cuidado pra não cair… Isso vale pra todos! inclusive videntes, santos, beatos, tradicionais, carismaticos etc.

  8. No dia 19 de abril de 1998, o editor do Schwarzer Brief enviou documentação sobre Medjugorje ao Cardeal Ratzinger, incluindo 14 citações de vários livros sobre Medjugorje, de pessoas como René Laurentin e Bispo Paulo Hnilica, nas quais se passa a impressão de que o Papa e o Cardeal Ratzinger repetidas vezes reconheciam a autenticidade das aparições. Em resposta, o Cardeal Ratzinger escreveu, no dia 22 de julho de 1998: “Obrigado por enviar o memorando de Claus Peter Clausens. Eu o conheço muito bem como o editor do Schwatzer Brief. Apenas posso dizer em resposta que as citações que apóiam Medjugorje, que foram atribuídas a mim a ao Santo Padre, foram tiradas do ar.” [frei erfunden sind] O testemunho de Ratzinger torna claro que ele discutiu o assunto com o Papa. Em 10 de agosto, Clausen enviou este documento ao bispo de Mostar. Mesmo antes disso, muitas autoridades no assunto haviam alertado Roma contra o reconhecimento de Medjugorje. A maioria deles antes apoiavam Medjugorje, e agora vieram a reconhecer as manipulações de bastidores dos Franciscanos ao longo dos anos. Um crítico foi a Medjugorje 21 vezes.

    Um fotógrafo alemão anunciou ter observado e fotografado os Franciscanos no ato de fabricar as mensagens. Quando foi visto olhando dentro da sacristia, ele foi ameaçado por um vidente e um padre. Mais tarde, um motorista de táxi lhe disse que qualquer um que se opusesse a Mdejugorje seria morto. Em março de 1998, esse fotógrafo escreveu ao Schwatzer Brief: “Depois que o bispo interveio com os Franciscanos como resultado de meu testemunho, o núcleo dos manipuladores Tomislav Vlasic, Slavko Barbaric, e Tomislav Pervan anunciaram que eu não era mais bem-vindo lá.” Ivan, o vidente, se aproximou do fotógrafo alemão mais tarde “e fez um gesto que indicava eu sua garganta seria cortada” se ele continuasse. O mesmo fotógrafo, que estava familirizado com todos os diretores de Medjugorje, também escreveu sobre o caso Manda-Vlasic, que achou interessante como um caso de hipnose. Padre Vlasic tinha um filho com Manda Kozul que agora vive na Alemanha. “É como se Medjugorje fosse entrar em colapso logo. Gostaria de me confrontar com Marija [Pavlovic Lunetti] com a evidência que tenho acumulado diante de testemunhas. Mas, como você sabe, é um pouco arriscado agora.”

    http://www.montfort.org.br/old/perguntas/medjugorje.html

  9. “Santo Padre, após o senhor ter consagrado a Rússia ao Imaculado Coração de Maria em 1984, muitas mudanças ocorreram na Rússia e o comunismo começou a cair.” Como assim? Por que então rezamos para que o Papa consagre a Rússia ao Imaculado Coração de Maria?

    “Se o senhor convencer os bispos, faço isso amanhã”. O bispo deveria ter dito: O papa é sua santidade, não eu! Os bispos devem obediência ao Romano Pontífice. Por que não usou dessa autoridade legítima?

    “Todo bispo tem que preparar sua diocese, todo padre a sua comunidade, todo pai a sua família, pois Nossa Senhora disse que os leigos devem se consagrar ao Seu Coração”. Sim santo padre! Ainda mais agora que o senhor permitiu que esse progressismo se alastrasse drasticamente.

  10. Vinicius,

    Mostre-me com evidências concretas e sem “romantismo piedoso” que houve uma só aparição da Virgem onde os videntes não viveram de forma incontestável em odor de santidade!

    Todos os videntes até hoje foram santos: Nossa Senhora do Rosário para São Domingos de Gusmão. N. Sra. Monte Carmelo para São Simão Stock. N. Sra do Rosario de Fatima para os Beatos Jacinta e Marta. N. Sra de Lourdes para Santa Bernadete etc, etc, etc. Medjugorje para videntes (todos) que praticaram escandalos financeiros e uma que se engravidou de um padre.

    Esse argumento da fraqueza humana é conversa fiada de quem tem excessivo respeito humano. Os santos videntes também eram fracos como os mentirosos videntes de Medjugorje, estes sim e todos eles pecadores públicos com abuso contra o dinheiro dos fiéis enganados e escandalos financeiros (crime) e escandalos sexuais. Coitadinhos não? Pobrezinhos videntes perseguidos!

  11. Frases itneressantes:
    “Disse a ele que o Vaticano me aconselhara a não ir.” Oras… Quem é o Vaticano? “Alguém” acima do Papa?

    “…’Quem pode impedi-lo?’. O Papa não me autorizou oficialmente a ir, mas” Uma ora diz que ninguém pode impedi-lo… de certa forma: autoriza! Depois diz que não autorizou, mas… Se era uma viagem sigilosa, como tantas que são autorizadas pelo Papa… pq não autorizou esta?

    “Se o senhor convencer os bispos, faço isso amanhã”… mais uma vez uma estranha falta de autoridade.

    Não tenho a pretensão de julgar ninguém – como os demais aqui, pois todos estão apenas exercitando a retórica. Apenas analiso fatos e frase. O resultado não é entusiasmante…

    Se um Papa está no inferno ou no Céu só saberemos no dia do Juízo Universal, onde tb nosso destino será claro a todos.

  12. Vinicius, com todo respeito, o que você escreveu é patético. Pena que você não se dá conta disso. Você seguiu todo o itinerário de católicos almofadinhas que não se dão conta de estarem seguindo fábulas inventadas por homens ou… videntes…

    Que nos achamos donos da verdade.
    Com que direito ousamos dizer o que dissemos..
    Que pecabilidade não é motivo de descrédito (atenção, que nem usamos esse argumento, assim fosse nenhuma aparição seria verdadeira, pois todos somos pecadores)
    Para finalizar, toda sua tolerância, do alto de sua infalibilidade, nos chama de extremistas xiitas.

    Só mesmo calando as vozes adversárias e ridicluarizando-as para tranformar uma falsa aparição em verdadeira. Pois todos os santos e santas, beatos e beatos, místicos e místicas, e aparições e ‘aparições’ passaram pelos mais rigorosos julgamentos antes de serem aprovados. Diferentemente do que ocorre nas últimas décadas.

  13. Aparição em Paris (N. Sra. das Graças – 1830): vidente irmã Catarina Labouré.

    Aparição em La Salette (1846): vidente Maximin entrou para o seminário, e vidente Mélanie nas Irmãs da Providência

    Aparição em Lourdes (1858) – vidente Bernardete Soubirous entrou para a Congregação das Irmãs da Caridade.

    Aparição em Fátima (1917): vidente Lúcia de Jesus se tornou irmã carmelita.

    Aparição em Akita (1973): vidente Irmã Agnes Sasagawa Katsuko.

    Aparição em Medjugorje (1981): Todos os “videntes” casados e com filhos. Adquiriram inúmeros bens materiais com recursos provenientes da exploração turística da aparição. Além das mensagens controversas, em que dizem que Deus conduz todas as religiões, há relatos de que em uma das vezes “Nossa Senhora” apareceu como um demônio, e logo voltou a forma conhecida de uma bela jovem, pelo que se desculpou com o vidente.

    Eu não posso julgar uma aparição como falsa. Mas a prudência me manda não acreditar em qualquer coisa. Ainda mais na confusão em que vivemos.

    Aos que ainda tem dúvidas, peço que leiam o Diálogo de Santa Catarina com Deus, onde o Senhor lhe diz que o demônio pode enganar as pessoas de diversas formas, inclusive com falsas aparições.

  14. Eu não acredito. Pelo pouco que sei, essa Nossa Senhora que “aparece” não é nada católica hehehhee… Aí fica difícil de acreditar.

  15. Até onde sei, os Papas não se pronunciaram oficialmente sobre Medjugorje.
    O Bispo de lá já condenou.
    Agora, é estranho demais uma “aparição” durar + 30 anos !!
    E mais, os diretores espirituais suspensos,… investigados…….
    Creio que não mereça mais crédito !

  16. Senhores,

    Calma! Quando o papa João Paulo II fez essas declarações ainda não havia um estudo sério sobre a questão de Medjugorje, Aliás, nessas ocasiões o papa apenas expressou sua opinião pessoal sobre as aparições e o fez de forma privada. Vamos para com essa mania de querer criticá-lo em tudo.

  17. Em relação a videntes há o caso dos videntes de La Sallete que após as aparições não deram um bom testemunho de vida cristã. Maximin e Melania tiveram problemas com o clero e ele se tornou um vendendor de vinhos e dizem que alcoolatra. Melania fugiu do convento. E as Aparições de Sallete foram aprovadas. Creio que Nosso Senhor quando disse no santo Evangelho para os judeus Eles tem Moisés e os profetas que os escutem deixou bem claro que a revelação necessaria para nossa Salvação já está nas Sagradas escrituras e tradição apostolica. Portanto crer ou não crer em aparições, mesmo da Virgem não são ncessarias à salvação. Mesmo que os papas as aprovem e as recomendem.

  18. Não cabe a nós julgar se a aparição é verdadeira, para isso foi instituída uma comissão do vaticano. O que interessa agora é verificar os frutos de Medjugorje e eles são grandes, ainda que existam alguns frutos amargos (como o padre que abusava de fiéis). Mas em todo meio há trigo e joio e este ou outros escândalos não invalidam as supostas aparições. Vale a pena esperar e se for de Deus permanecer-se-ão os frutos e se não, eles cairão no esquecimento; o que não podemos é lutar contra Deus. Ademais, se for de Deus o anunciado milagre/sinal de Medjugorje acontecerá como aconteceu em Fátima. Aguardemos e não julguemos antes do tempo.
    http://www.catolicosconservadores.wordpress.com

  19. Continuidade de Fátima? Fala sério! Sempre buscam uma “continuidade” carismática para abafar as mensagens originais de Fátima aos pastorinhos. Mas se não colam, dá-se-lhes uma interpretação diferente, uma “hermenêutica” diferente para as mesmas.

  20. O mais curioso é ver brigando pessoas que concordam! hehe

    Há uma imagem de Cristo em Medugorje da qual mina água e ninguém sabe de onde vem tal água. Peritos do Vaticano foram chamado lá e também não entenderam.

    A mãe de um amigo se curou de um câncer bem sério ao ir a pé para Medugorje da casa dela algumas vezes.

    Também não acredito nas aparições baseado em todas as evidências.

    Mas os fatos que eu citei, principalmente o segundo, são interessantes para pensarmos que, apesar de tudo, Deus se aproveita das situações, de maneira que entenderemos somente se Ele permitir…