Comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé sobre o encontro entre a Congregação para a Doutrina da Fé e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X.

Sala de Imprensa da Santa Sé – Tradução: Fratres in Unum.com| Em 14 de setembro de 2011, na sede da Congregação para a Doutrina da Fé, teve lugar um encontro entre Sua Eminência Reverendíssima, o Cardeal William Levada, Prefeito desta Congregação e Presidente da Comissão Pontifícia Ecclesia Dei, Sua Excelência Dom Luis Ladaria, s.j., Secretário desta Congregação, e Monsenhor Guido Pozzo, Secretário da Comissão Pontifícia Ecclesia Dei, com Sua Excelência Dom Bernard Fellay, Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, e os Senhores Padres Niklaus Pfluger e Alain-Marc Nély, Assistentes Gerais da Fraternidade.

Após a súplica dirigida em 15 de dezembro de 2008 pelo Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X à Sua Santidade, o Papa Bento XVI, o Santo Padre tomou a decisão de levantar a excomunhão dos quatro bispos sagrados por Dom Marcel Lefebvre e de abrir, ao mesmo tempo, colóquios doutrinais com a Fraternidade, a fim de superar as dificuldades e os problemas de ordem doutrinal, e chegar à superação da ruptura existente.

Obedecendo à vontade do Santo Padre, uma comissão mista de estudos, composta de peritos da Fraternidade Sacerdotal São Pio X e peritos da Congregação para a Doutrina da Fé, reuniu-se por oito vezes para encontros que tiveram lugar em Roma, entre o mês de outubro de 2009 e o mês de abril de 2011. Estes colóquios, cujo objetivo era expor e aprofundar as dificuldades doutrinais essenciais sobre temas controversos, atingiram o seu objetivo, que era esclarecer as respectivas posições e as suas motivações.

Tendo em conta as preocupações e as instâncias apresentadas pela Fraternidade Sacerdotal São Pio X a propósito do respeito da integridade da fé católica em face da “hermenêutica da ruptura” do Concílio Vaticano II em relação à Tradição — hermenêutica mencionada pelo Papa Bento XVI em seu discurso à cúria romana de 22 de dezembro de 2005 –, a Congregação para a Doutrina da Fé toma por base fundamental para a plena reconciliação com a Sé Apostólica a aceitação do Preâmbulo Doutrinal que foi entregue durante o encontro de 14 de setembro de 2011. Este preâmbulo enuncia alguns dos princípios doutrinais e os critérios de interpretação da doutrina católica necessários para garantir a fidelidade ao Magistério da Igreja e o sentire cum Ecclesia, deixando, ao mesmo tempo, abertos a uma legítima discussão o estudo e a explicação teológica de expressões ou de formulações específicas presentes nos textos do Concílio Vaticano II e do Magistério que o seguiu.

Durante a mesma reunião, foram propostos alguns elementos em vista de uma solução canônica para a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, que seguiria a eventual e esperada reconciliação.

17 Responses to “Comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé sobre o encontro entre a Congregação para a Doutrina da Fé e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X.”

  1. Agora só nos resta rezar e esperar.

  2. A meu ver, a situação já está selada. O Santo Padre está decidido a encerrar esta questão de uma vez por todas e não aceitará levar a coisa em banho maria.

    Todos os rumores dos últimos dias parecem ter se concretizado (viva os blogs!): um documento entregue como preâmbulo doutrinal, como disse o Tornielli e uma abertura a uma “legítima discussão” sobre os textos do CVII e magistério posterior, como disse o jornalista do Le Figaro.

    A Santa Sé trata Dom Fellay por “Sua excelência”, ao contrário do que alguns aqui no Brasil se negam a fazer… e também não fala mais em volta à Igreja, ou plena comunhão, mas simplesmente de “dificuldades e os problemas de ordem doutrinal” a serem superados a fim de se chegar a uma “reconciliação”. Ou seja, foram ultra precisos.

    E no mais, o tom do comunicado é muito positivo. Os colóquios atingiram seu objetivo, também contrariando o que alguns, movidos por rixas, chamaram de “fracasso”. E mais, a Santa Sé diz ter em conta a preocupação e as instâncias apresentas pela FSSPX contra a ruptura pós CVII.

    Ou seja, está tudo mais ou menos engatilhado. Vamos agora esperar a resposta da FSSPX.

  3. O que será que consta nesse Preâmbulo Doutrinal?

  4. Que o Espírito Santo ilumine a mente de Dom Fellay.
    Mas de fato a rapidez neste processo todo se deve ao medo oculto de um próximo papa, progressista ou modernista que não olhe para a FSSPX com tão bons olhos quanto Bento XVI. Se isso acontecesse a fraternidade estaria condenada a mais uma era de esquecimento.

  5. Bom , espero que tudo termine bem pra FSSPX .
    Não tem lógica nenhuma ela ser excluída da Igreja por não aceitar as inovações de um concílio que não foi dogmatico nem se expressou definitivamente .
    No mais a FSSPX aceita todos os concilios dogmaticos e infaliveis e está muito mais em comunhão com a Igreja que muitos bispos e cardeais .
    Bom se eles forem excluídos da Igreja será a pior INJUSTIÇA ja cometida contra um grupo de sacerdotes que amam a tradição da Igreja muito mais do que muitos aí que dizem estar em comunhão com o Papa e todos sabemos que não passam de traidores.

  6. Pelo visto Dom Fellay não cedeu à pressão dos grupos Williamson.

    Rezemos para que o Superior Geral da FSSPX persista em sua determinação respondendo positivamente. Assim teremos um poderoso exército que combaterá em pé de igualdade com a raça modernista.

    Cavaleiros da Fraternidade, preparem-se para o combate.
    Como Daniel na cova dos leões,
    Como pastores entre lobos
    Assim estará a FSSPX
    Por amor a Deus…
    Por amor a Igreja
    Por amor as almas.

  7. Agora ficamos curiosos com o teor do tal “Preâmbulo doutrinal”. Rezemos, rezemos.

    Achei o comunicado positivo, apesar de suscinto, como era de se esperar. Roma admite que os textos do concílio estão abertos à discussão (o que os modernistas sempre fizeram para o lado deles até agora).

    Bom penso que vão ter que rebolar um bocado para dar uma interpretação católica para alguns trechos de docs do Concílio, mas voilá. Rezemos para que o Espírito Santo ilumine às partes envolvidas e se chegue a uma solução canônica que seja benéfica para toda a Igreja. Penso especialmente nos seminários e capelas, que poderão ser um fermento na massa.

  8. Congratulemo-nos por mais este passo em direcção à unidade, que Deus Nosso Senhor nos ajude a todos os católicos de diferentes carismas a não sermos nunca factores de divisão.

  9. Da-lhe plena comunhãoo!! uhuhuuu ;D

  10. Caríssimos,

    Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

    A Santa Sé estará numa situação muito difícil se a Fraternidade não aceitar, por qualquer razão, este tal Preâmbulo. Isto porque, em que pese ser de todo legítimo que a Igreja exija a máxima correição doutrinária de um grupo para abrigá-lo em seu seio, ela deixaria de fora justamente o grupo mais ortodoxo de todos, mantendo, dentro de seus muros, inúmeros movimentos e ordens religiosas que, há muito, já deixaram para lá esta estória atrasada de “ortodoxia”.

    A inconsistência, neste cenário, seria gigantesca. Qualquer problema doutrinário que a Fraternidade possa ter (e eu, particularmente, me refiro a um certo viés sedevacantista de parte de seus membros) é infinitamente menos grave do que os desvios doutrinários patentes hoje apresentados por grupos como a RCC, o Neocatecumenato e os Focolares, bem como pela quase totalidade das ordens e congregações religiosas.

    Por isto, ouso dizer que se a Santa Sé apresentou este Preâmbulo como “conditio sine qua non” da regularização canônica, provavelmente o apresentou sabendo que nele nada existe que possa provocar um não da Fraternidade.

    Aguardemos a prossigamos rezando a Deus para que esta chance de ouro não se perca.

    Alexandre.

  11. Interessante comunicado: desapareceu a expressão-fetiche “plena comunhão”, usada em seu lugar uma desprovida de cariz teológico “plena reconciliação”.

    O “reconhecimento pleno do Concílio Vaticano II e do Magistério dos Papas” posteriores a ele, que em 2009 era “condição indispensável”, agora está aberto a uma “legítima discussão”.

    Isso são fatos. Resta saber o que está contido nesse “Preâmbulo Doutrinal”. Ao menos o problema está posto em termos doutrinais, como a FSSPX sempre desejou, e não pastorais.

    Neste dia da Exaltação da Santa Cruz, peçamos a Deus também a exaltação da Santa Madre Igreja, para que a doutrina católica resplandeça em sua integridade diante dos olhos dos homens.

  12. É o reality show da tradição católica

  13. Lanço um comentário do blog Infocaotica:

    “Dicho preámbulo establece algunos principios doctrinales y criterios de interpretación de la doctrina católica, necesarios para garantizar la fidelidad al Magisterio de la Iglesia y el “sentire cum Ecclesia”, dejando abierto, al mismo tiempo, a una discusión legítima, el estudio y la explicación teológica de expresiones o formulaciones particulares presentes en los documentos del Concilio Vaticano II y del Magisterio sucesivo.”

    Los textos son impecables, el mal está en las interpretaciones, es lo que con diversas formulaciones hemos leído en Infocatolica y en el resto del aparato comunicacional neocon. Y sin embargo, lo que hemos resaltado del comunicado de la Santa Sede demuestra lo contrario: hay una discusión legítima de las expresiones presentes en los documentos del Magisterio. Se nos perdonará la insistencia: documentos, no comentarios teológicos, ni interpretaciones privadas.

  14. Ah! Se os modernistas da cúria romana fossem tão zelosos e escrupulosos assim em suas declarações conjuntas com os hereges, com os judeus e infiéis!
    Mas, não! Esses fariseus, esses doutores da lei, esses escribas parecem tão zelosos somente quando se trata de “restaurar a unidade da Igreja” quando se trata de verdadeiros católicos.
    Que a justiça divina fulmine essa raça de viboras!
    João

  15. Ação de Deus: em 2007 é publicado o motu próprio libertando a Missa Tridentina
    Reação do Mundo: em 2008, crise econômica abala a Economia Mundial
    Ação de Deus: em 2009, levantamento das excomunhões da FSSPX
    Reação do mundo: em 2010, revoltas populares na Europa e no Oriente Médio; colapso da economia Americana
    Ação de Deus: em 2011, a Santa Sé relativiza a autoridade do CVII e se dispõe a concordar com os críticos do Concílio
    Reação do Mundo: ?

  16. Pax et Bonum,

    “esses fariseus”, “doutores da lei”, “escribas”, “Que a justiça divina fumine essa raça de viboras!”…

    Parabens sr. João, ou deveria dizer SENHOR JESUS?

Trackbacks