“Alto lá!” ou “Agora vai?”. Vaticano criará comissão para acompanhar a construção das novas igrejas

IHU – Uma equipe para dizer “alto lá!” às igrejas-garagens, a essas arquiteturas atrevidas que correm o risco de desnaturalizar muitos espaços modernos de culto católico. E para promover um canto que ajude verdadeiramente a celebração da missa. Nas próximas semanas, será criada, anexa à Congregação do Culto Divino, a “Comissão para a arte e a música sacra para a liturgia”. Não se trata de um simples escritório, mas de uma verdadeira equipe que terá a tarefa de colaborar com as comissões encarregadas de avaliar os projetos de construção de novas igrejas nas dioceses, assim como de aprofundar o tema da música e do canto que acompanham a celebração.

Crise? Que crise? A diocese de Orange, EUA, acaba de comprar a antiga igreja protestante "Christal Cathedral" por uma pechincha: 57 milhões de dólares.

Crise? Que crise? A diocese de Orange, EUA, acaba de comprar a antiga igreja protestante "Christal Cathedral" por uma pechincha: 57 milhões de dólares.

A reportagem é de Andrea Tornielli e está publicada no sítio Vatican Insider, 21-11-2011. A tradução é do Cepat.

O cardeal Antonio Cañizares Llovera, Prefeito para o Culto Divino, de acordo com Bento XVI, considera este trabalho como “muito urgente”. A realidade é evidente: nos últimos anos, as igrejas foram substituídas por construções que parecem mais salões multiuso que igrejas. E muitas vezes, os arquitetos, inclusive os mais famosos, não partem do que é a liturgia católica para fazer seus projetos e acabam fazendo construções de vanguarda que se parecem com tudo menos com uma igreja. Cubos de cimento, caixas de vidro, formas arriscadas, espaços confusos nos quais, uma vez dentro, se percebe tudo menos o sentido do sacro e do mistério, onde o tabernáculo está meio escondido e, às vezes, é preciso procurá-lo como se fosse um tesouro, ou onde as imagens sacras quase não têm lugar. A nova comissão, cujo regulamento será redigido nestes dias, dará indicações precisas às dioceses, ocupando-se apenas da arte para a liturgia, não da arte sacra em geral, assim como da música e do canto para a liturgia. Contará com os poderes jurídicos da Congregação para o Culto.

Como é do conhecimento de todos, em 27 de setembro passado, Bento XVI, com o Motu Proprio Quaerit Semper, havia transferido para a Rota Romana (que é o tribunal da Santa Sé) a competência sobre duas matérias com as quais se ocupava até então a Congregação para o Culto. A primeira delas tem a ver com a nulidade da ordenação sacerdotal que, como acontece com o matrimônio, pode ser anulado por causa de vícios de matéria ou de forma, de consenso ou de intenção, tanto por parte do bispo que ordena como por parte do clérigo que é ordenado. A segunda matéria é a dispensa nos casos de matrimônio contraídos, mas não consumados. Práticas que ocupavam bastante o dicastério de Cañizares.

No Motu Proprio, o Papa explicava que: “Nas circunstâncias atuais, pareceu conveniente que a Congregação para o Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos se dedique principalmente a dar um novo impulso à promoção da Sagrada Liturgia na Igreja, segundo a renovação desejada pelo Concílio Vaticano II a partir da Constituição Sacrosactum Concilium”. O dicastério deve, pois, dedicar-se “a dar um novo impulso à promoção da Sagrada Liturgia na Igreja”, sobretudo com o exemplo. Desde este ponto de vista, com respeito aos projetos iniciais, parece afastar-se cada vez mais a ideia de uma “reforma da reforma” litúrgica (expressão usada pelo próprio Ratzinger quando era cardeal), e prevalece, ao contrário, um projeto de amplas dimensões que, sem propor a introdução de modificações na missa, se ocupe em favorecer a “ars celebrandi” e a fidelidade aos pareceres e às instituições do novo missal.

Vale a pena, de fato, recordar que os abusos litúrgicos, verificados nas últimas décadas e que, em certo sentido, se converteram em uma prática comum, são levados a cabo em dissonância com as normas estabelecidas pela reforma litúrgica de Paulo VI. Assim, não é a reforma que deve ser retocada, mas é preciso aprofundar, e em alguns casos recuperar, o significado da liturgia bem celebrada. Por isso, a Congregação para o Culto pretende promover um trabalho de formação a partir de baixo, que envolva os sacerdotes, religiosos e catequistas. Seguindo o exemplo e o magistério de Bento XVI, teria que favorecer a recuperação do sentido do sagrado e do mistério da liturgia.

Alguns textos litúrgicos devem ser revisados, porque estão velhos, como o caso do Ritual da Penitência, publicado em 1974. Durante os anos que se seguiram, chegaram uma instrução apostólica, um motu proprio, o novo Código de Direito Canônico e o Novo Catecismo. Uma atualização, neste e em outros casos, terá que levá-la a cabo. A ideia na qual estava trabalhando o cardeal Cañizares é a de reafirmar o primado da graça sobre a ação humana, da necessidade de abrir espaço à ação de Deus na liturgia com respeito ao que se dá à criatividade humana. As ocasiões para refletir sobre estes temas serão muitas. No próximo ano, 2012, completam-se os 50 anos do Concílio Vaticano II e, no ano seguinte, se celebrarão os 50 anos do primeiro texto conciliar aprovado: a Constituição da Liturgia, a Sacrosanctum Concilium.

21 Comentários to ““Alto lá!” ou “Agora vai?”. Vaticano criará comissão para acompanhar a construção das novas igrejas”

  1. Aproveitando que Bento Gonçalves (RS) é a terra do vinho, construíram uma igreja em forma de pipa:

    http://www.pbase.com/andremendonca/image/28419956

    Certa vez, em visita a cidade, perguntei ao taxista se essa igreja era católica. Ele deu um suspiro, e confirmou:
    -infelizmente…

  2. Acho a Cristal Cathedral muito mais simbólica e católica que a Catedral de Los Angeles.

  3. Acho a protestante Cristal Cathedral bem mais católica do que a Catedral de Brasilia Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer , se não me engano comunista.

  4. Construção herege ser mais Católica é o fim do mundo…

  5. Exatamente, Niemeyer é comunista, mas mora numa mansão no Rio de Janeiro.
    E não somente a Catedral de Brasília, mas boa parte dos templos na capital são um “LIXO” arquitetônico.
    Tudo tombado como “Patrimônio histórico da humanidade”.
    A teimosia do IPHAN é tanta que impediram o GDF de construir uma mureta de proteção no canteiro central do eixo rodoviário (vulgo “eixão”, que corta a Asa Sul e a Asa Norte) por que o sr. Niemeyer deu “piti” pra não alterar o projeto inicial de seu lixo. Essa mureta era justamente para evitar as colisões frontais que ocorrem com frequência no Eixão. Quando vocês lerem ou assistirem notícias de acidente grave com tantos mortos no eixão de Brasília, isso ocorre justamente por conta da ausência de um canteiro central a separar as duas “mãos” da rodovia.

  6. E sem falar da nova catedral de BH…

    Agora achei interessante a seguinte frase: “Alguns textos litúrgicos devem ser revisados, porque estão velhos, como o caso do Ritual da Penitência, publicado em 1974″. Se um ritual de menos de 40 anos é velho… bem fico com as palavras que se não falha a memória seriam de Dom Lefebvre (não consegui achar a fonte) ao então Cardeal Ratzinger (Papa Bento XVI): “Em pouco tempo vosso concílio também será papel velho”. É uma pena que não consegui localizar onde se encontra esta frase (ou algo semelhante, temo ser traído pela memória), mas vem bem ao caso.

  7. É difícil, ouso dizer que a Igreja nunca passou por uma período tão conturbado em sua história, porque a crise é interna!

  8. E a catedral de BH? Será que podem barrar a construção? Ainda dá tempo.

  9. Imagina o que dizer então de nova de BH, ou então do Sputnik de Maringá e por ai vai…..

  10. Amigos,

    Eu sou Arquiteto e afirmo sem medo: Oscar Nyemeier sempre foi comunista.Ele agiu com profissionalismo em ter aceito fazer o projeto.Trabalho é trabalho.Cabeira à Igreja ( como agora está fazendo) ou aos rensponsáveis por contratá-lo fiscalizar o seu projeto.

    De fato muitos templos Católicos no Brasil são horriveis!E ninguém fiscaliza???

    Em Cristo,

  11. O balde virado do Rio que o diga.

  12. Conta outra.

    O Vaticano não acompanha a formação dos seus futuros padres, quanto mais de construção de igrejas.

  13. Que coisa horrorosa essa construção protestante. Como é que católicos compram um negócio desses?

    Bem que podiam abortar a construção daquela catedral de BH.Outra coisa horrorosa é aquele galpão imenso que o Padre Marcelo Rossi está acabando de construir.

    Fiquem com Deus.

    Flavio.

  14. Já era hora…
    Em Floripa tem uma que parece um galpão: http://g.co/maps/cg2dm
    Miserere, Domine!

  15. Às vezes que essas igrejas são feitas assim mesmo para escracharem com nossa Fé. Como se a ideologia do arquiteto triunfasse sobre a religião verdadeira ao impor suas aberrações aos fiéis que utilizarão aquele edifício.

  16. Corrigindo: Faltou o verbo “penso” depois de “às vezes”.

  17. A arte religiosa exige artistas inspirados pela fé e pelo amor

    Daí que, o artista sem fé, ou arredio de Deus com a sua alma e com a sua conduta, de maneira alguma deve ocupar-se de arte religiosa; realmente, não possui ele aquele olho interior que lhe permite perceber o que é requerido pela majestade de Deus e pelo seu culto. Nem se pode esperar que as suas obras, destituídas de inspiração religiosa – mesmo se revelam a perícia e uma certa habilidade exterior do autor -, possam inspirar aquela fé e aquela piedade que convêm à majestade da casa de Deus; e, portanto, nunca serão dignas de ser admitidas no templo da igreja, que é a guardiã e o árbitro da vida religiosa.

    Ao invés, o artista que tem fé profunda e leva conduta digna de um cristão, agindo sob o impulso do amor de Deus e pondo os seus dotes a serviço da religião

    Encíclica de Pio XII

    Só mesmo em tempos pós conciliar um ateu e comunista como Niermayer é confiado para fazer igrejas.

  18. osires costa
    novembro 24, 2011 às 1:58 pm

    Conta outra.

    O Vaticano não acompanha a formação dos seus futuros padres, quanto mais de construção de igrejas.

    Um dos melhores comentários do ano!!!

  19. A cadetral do Rio de Janeiro é uma das construções mais horrorosas que já vi, do prédio mesmo nada se salva, tudo é de um mal gosto incrível. Deveria ser completamente demolida para construção de uma nova. E sabem o que dá mais indignação? Não longe dela fica a catedral presbiteriana: arquitetonicamante muito católica por dentro e por fora. Como podemos ter chegado a esse ponto?

  20. Bem, vejamos pelo lado bom… A outrora casa de heresias protestantes vai se tornar, feia ou não, uma casa de Deus.

    Agora, a catedral mais feia de todas é a do Rio. Sério, eu prefiro ir nas missas na Candelária ou na Antiga Sé do que naquela bacia virada de cabeça para baixo. Rogo a Deus que dom Orani caia na real e comece a fazer uma campanha para a construção de uma nova catedral. De preferência sem Niemayer.

  21. A Igreja católica não pode perder sua ecencia parabnes ao Prefeito para o Culto Divino antes tarde do que nunca.