O Caminho Neocatecumenal e a Reforma da Reforma da Reforma da…

Cristo Rei - Kiko Argüello - 1960.

Cristo Rei - Kiko Argüello - 1960.

 Se usa um espelho de vidro para olhar a face;

e se usam obras de arte para olhar a própria alma.

(G. Bernard Shaw)

Por Francesco Colafemmina | Tradução: Gederson Falcometa, cuja gentileza agradecemos.

A noticía de hoje [sexta-feira, 20] deixou muitos católicos sem palavras. A dizer, o verdadeiro processo de definitiva aprovação e integração do Caminho Neocatecumenal no interior da Igreja já estava em ato há muitos anos. O movimento Neocatecumenal, apesar da agressividade e do sectarismo dos seus adeptos, é considerado por numerosos homens da Igreja um instrumento para a “nova evangelização”, um verdadeiro recurso para a Igreja do futuro. Me permito duvidar em mérito, especialmente porque o Caminho tem uma estética pessoal – a nova estética (mesma coisa que no orwelliano 1984) em óbvio contraste com a estética católica, mas eu sei: o meu parecer não conta nada. Chegamos à questão da “liturgia” neocatecumenal aprovada. Alguns dizem: “não foi aprovada a liturgia neocatecumenal, mas só algumas cerimônias não estritamente litúrgicas”. É verdade, mas alguns pontos devem ser esclarecidos.

Igreja Neocatecumenal.

Igreja Neocatecumenal.

Antes de tudo, não existe uma liturgia neocatecumenal. Existe um aparato litúrgico neocatecumenal feito de particulares práticas litúrgicas e aparelhos cenográficos, mas este aparato — estes ornamentos, estes cantos e danças, que desmoronam em verdadeiros e próprios abusos litúrgicos — persiste em livros litúrgicos da Igreja Católica. Repito: não existe uma liturgia própria, mas uma maneira singular de viver a liturgia.

Está “maneira singular” se insere no interior do assim dito “caminho de iniciação cristã” e se explica – no estatuto – através três celebrações essenciais: a celebração penitencial, a da palavra e a eucarística. A tais “celebrações” se acrescentam outras que seguem o percurso iniciatico do neocatecumeno. Ora, são estas “celebrações” que teriam obtido a aprovação da Congregação para o Culto Divino. A responsabilidade é, portanto, toda do Cardeal Cañizares que alterna periodicamente ataques franceses a retirada espanhola, tímida abertura à reforma da reforma que constantemente abortam ou permanecem nos jornais ou na ilusão de algum fiel.

Acrescento que está escrito nos Estatutos (art. 14, 3) “Na celebração da Eucaristia nas pequenas comunidades seguem-se os livros litúrgicos aprovados do Rito Romano, com exceção das concessões explícitas da Santa Sé. No que concerne à distribuição da Santa Comunhão sob as duas espécies, os neocatecúmenos a recebem em pé, permanecendo em seu lugar”.

A questão é que, apesar das boas intenções, o rito não se realiza nestes termos. Mesmo depois da aprovação do Estatuto, os Neocatecumenais fazem o que lhes dá na cabeça. Na verdade, as prescrições do Estatuto são constantemente violadas e posso confirmá-lo por experiência própria. Portanto – o Papa que, apesar do controle de sua Cúria intrometida e anárquica, tem ainda idéias claras – considerou oportuno acrescentar algumas notas de roda-pé sobre o sentido da liturgia como momento de comunhão não sectária, mas universal, da Igreja entendida como Corpo Místico. Palavras que entram no ouvido de Kiko e saem pelo de Carmen…

Duas observações pessoais:

Primeiro: como pode o Cardeal Canizares consentir ainda hoje que se destruam os altares antigos, que se disserte sobre onde colocar um ambão ou como eliminar balaustres, e depois deixar a possibilidade a um grupo carismático de celebrar a Missa a seu gosto? Como se pode, não digo ignorar, o exemplo do Santo Padre que colocou no centro do altar o Crucifixo, mas chegar a aprovar as “celebrações” de quem no lugar do Crucifixo no centro do altar põe a sagrada Menorah? Cañizares outrora era chamado de “o pequeno Ratzinger”. Acredito que hoje se possa continuar a chamá-lo somente de “o pequeno”…

Altar Católico.

Altar Católico.

Altar neocatecumenal.

Altar neocatecumenal.

Segundo: como simples católico, me indigna saber que o rito milenar da Igreja, aquela que simplesmente é definida como Missa em latim, seja ainda um tabu para muitos Bispos, enquanto hoje se autorizam pseudo-celebrações fundadas sobre um diretório catequético aprovado faz um ano e composto de 12 Volumes, mas secretos! Como é possível que a Igreja mantenha ainda em segredo catequeses de um movimento carismático que se diz “católico”, ou seja, universal? Me preocupa, portanto, uma Igreja que aprova movimentos esotéricos. Pessoalmente prefiro uma Igreja exotérica, aberta a todos mas igual para todos.

15 Comentários to “O Caminho Neocatecumenal e a Reforma da Reforma da Reforma da…”

  1. Enquanto o trabalho para reerguer o edifício caído é lento e difícil, e peço a Deus que o próximo Papa continue o trabalho de Ratzinger, o trabalho para derrubar o que ainda está de pé está a todo fervor.

  2. A culpa é do papa. Bento XVI é o papa, e é debaixo de sua autoridade que estas coisas estão acontecendo. Será que Bento XVI quer a multiplicação dos sedevacantistas? Porque convenhamos, ele parece caprichar para que isso ocorra.

  3. Pois é, esse neocatecumenato é nada mais que esoterismo dentro da Igreja. Mas Nosso Senhor não ensinou coisas secretas, ensinou tudo às claras!

  4. “…e peço a Deus que o próximo Papa continue o trabalho de Ratzinger…”

    Please ,Thiago! Não peça uma coisa dessas!! Já chega! Peçamos um Papa de acordo com a doutrina católica e não variante com ela.

  5. O Thiago disse Ratzinger. Se eu falo Woytila ou Ratzinger me chamam de sedevacantista. Engraçada lógica dos plena!

  6. SENHOR, QUE TUDO VÊS E TUDO SABES,INTERVÉM EM TUA IGREJA, E FORMA VISÍVEL PALPÁVEL E NOTÓRIA, POIS, TEUS FILHOS, ESTÃO SOFRENDO MUITO, COM AS CHAMADAS REFORMAS, QIUE, NA VERDADE, NOS ESTÃO LEVANDO PARA TÃO LONGE DE TI! NÓS, QUE QUEREMOS FICAR CONTIGO, PERMANECEMOS NO NOSSO LUGAR, CLAMANDO A TUA MISERICÓRDIA! MAS, A MASSA, O POVO CATÓLICO, SENHOR, POR QUEM JESUS DEU SUA VIDA E QUER QUE TODOS SEJAM SALVOS?! ACASO ELE ACHARÁ FÉ, NA TERRA?! SOMENTE TU PODES AGIR! E TU QUERES AGIR! DÁ-NOS A SANTA SABEDORIA PARA REZAR COMO CONVÉM, DANDO VOS A LIBERDADE PARA TIRAR A NOSSA LIBERDADE E ATUAR EM VOSSA IGREJA, POR AMOR DE JESUS E PELAS MÃOS AMOROSAS DE MARIA, VOSSA E NOSSA MÃEZINHA, AMÉM E AMÉM.

  7. Thiago
    janeiro 23, 2012 às 12:02 pm

    Enquanto o trabalho para reerguer o edifício caído é lento e difícil, e peço a Deus que o próximo Papa continue o trabalho de Ratzinger, o trabalho para derrubar o que ainda está de pé está a todo fervor.
    Isso mesmo se próximo papa for igual ao Ratzinger vai terminar de derrubar rapidinho o que está de pé na Igreja.

  8. O Neocatecumenato conduz seus neo-catecúmenos para a Fé católica ou para a “fé” do mega-evento (cf. D. Opperman)?

  9. Ao ver esta mesa, lembro-me da ceia judaica…
    Como os “kikps” são conservadores! Querem conservar uma tradição que nem é deles!
    Que feio!
    Que triste!
    Depois, nós é que somos “tradicionalistas”!!!
    Os membros do Caminho Neocatecumenal buscaram símbolos litúrgicos na sinagoga, enquanto desprezam os Símbolos Católicos…
    O pior é saber que esta ceia é um ritual que se celebra para esperar a “vinda do Messias”…
    Pobres “kikos”, não tem nada de seu…
    Copiam coisas que nem sabem o significado…
    Talvez esperam que “seu” messias venha…
    Ah, mas ele já veio…
    O messias Kiko, um arremedo triste, um fantoche do inimigo das almas, um embusteiro, que engana e ilude, tal qual o mestre de seu mestre Bugnini: o pai da mentira, Satanás!
    Será que o Papa conhece alguns dos “secretos segredos” do Caminho?
    Não sabemos…
    O que sabemos é que devem ser segredos que estão muito bem guardados…
    Impublicáveis…
    Como tudo aquilo que é de seu pai: trevas e escuridão… Ocultismo e esoterismo…
    “Celebram” fechados, ocultos… Mistéééééérioooooo….
    Os “iluminados”, os “Sábios”, os verdadeiros adoradores…
    Que coisa mais misteriosa…
    Têm que viver na escuridão, no mundo oculto nas brumas de um aparato “católico”…
    Afinal, eles têm medo da Luz, temem a Verdade… Daí seus “segredos secretíssimos”…
    Pois, já se disse d’Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida:

    “Era a luz verdadeira, que ilumina todo o homem que vem a este mundo.
    (…) e o mundo não O conheceu.
    Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam.
    (…) e nós vimos a Sua Glória, Glória como de Unigênito do Pai, cheio de Graça e de Verdade.”

    S. João I, 1-14 – conhecidíssimo dos Católicos, uma vez que é o Último Evangelho, que se lê no final da Missa. (da Missa Católica – na missa conciliar/ protestantizada este último Evangelho “foi abolido”! – claro, eles se “ofuscam” diante da luz de Cristo!)

    É, “perigosíssimos” amigos deste FRATRES, é a abominação da desolação!

    Substitui-se Cristo Rei por um desenho pueril, de extremo mau gosto, e pior, chamam de “arte”…
    Substitui-se o Altar por uma mesa…
    Substitui-se a Cruz, Trono da Misericórdia por um candelabro estranho à cultura ocidental…
    Substitui-se o Sacrifício do Cordeiro de Deus por um teatrinho mambembe…
    Substitui-se Deus pelo ser humano…

    Já que os “kikos” se identificam tanto com os “irmãos mais velhos”, (creio que os irmãos mais velhos de José, filho de Jacob) lembrem-se que estes “irmãos mais velhos” tentaram iludir seu velho pai…
    Hoje, tentam iludir o Papa, mas amanhã, no tempo da penúria, da fome, irão buscar alimento para saciar sua fome onde ainda resta uma esperança, e ouvirão dizer como na História Sagrada: “Ite ad Ioseph” – Ide a José” ou melhor: “Ide à Igreja!” (tal qual no passado – José salvou o reino do Faraó da fome – atualmente – São José salvará aqueles que guardam a Fé que receberam dos Apóstolos!)
    Ide àqueles que guardaram a Fé!
    Ide àqueles que não se misturaram com o gentio, àqueles que ainda cumprem o Sacrifício, único alimento da Alma que busca a Deus!
    Ide àqueles que não venderam sua Fé e nem iludiram a seu Pai!
    Ide àqueles que são leais, que estão na luz e praticam aquilo que é da luz, publicamente!
    É… Diante de tudo isso é que vejo que precisamos rezar mais e nos formar!
    Força “cumpanheiros”!
    Temos muita luta pela frente!
    Seremos os Novos Cristeros, os Novos Vendeanos!
    Senhor, tende piedade de nós!
    Senhor, tende piedade de Tua Igreja!
    Senhor, livrai-nos da apostasia!

    Viva Cristo Rei!

  10. Pois é meus caros…
    É a profecia de La Sallete se cumprindo.

  11. Aí Pedro,
    Creio que o tal “caminho” não conduz a lugar algum, uma vez que estão imersos num mundo de trevas…
    Bem, eles devem imaginar-se no “concílio das maravilhas”, junto aos preguiçosos “pastores mitrados” que ainda que percebam as ovelhas se dispersando, os lobos a dilacerar o que resta do rebanho, nossa, que cansaço… Nem se dignam a levantar a voz e chamar as ovelhas… Deixam-nas cair nos abismos, perder-se e ser devoradas pelos lobos vorazes…
    Estes “pastores” ficam tão “emocionados com o “mega hiper ultra vitaminado evento conciliar” que continuam no seu “mundinho mágico”, a CNB do B, esperando que o Homem de Lata tenha um coração e que possa salvar a linda “Alice no concílio das maravilhas”…(Quem será este Homem de Lata??? O Boff? O Betto? O Joãozinho, o Zezinho, o Huguinho ou o Luizinho? Será o Costinha? o Héder? o Bugnini? Ou será o Fábio? Não, esse último pertence a outros contos… Mais bonitos… Lindossssss…
    Há exceções na CNB do B, porém, e infelizmente, poucas, muito poucas… Podemos contá-las numa mão e ainda sobrarão muitos dedos…
    Pedro, o pior que o leão deles é bem diferente daquele do livro da Alice… No livro, o leão era covarde, bem isso é bem semelhante, porém, ele tinha caráter, coisa que a maioria desses senhores, não tem.
    Aí a gente grita: “Acorda, Alice, você não está no concílio das maravilhas… Você está preguiçosamente deitada no olho do furacão”…
    E aparecem os “cãodidatos” que ficam cheios de raivinha da gente…
    Pedro, lembre-se:
    O pior cego é aquele que não quer enxergar…
    Abração, “perigosíssimo cumpanheiro”!

  12. Quanta ignorância! Fico pasmo por notar que ainda existam católicos que se deixam levar por tanta idiotice, sim digo idiotice, pois não há outra palavra para definir a atitude de pessoas que tem a coragem de se por contra o chefe da Igreja. Me diga caro autor, o que você vê ao entrar em uma igreja católica aleatória? Acaso vê uma cruz no centro do altar? Realmente a vê lá? Não, peço por gentileza, verifique bem. Verificou? Ótimo, pois agora respondo a minha própria pergunta: Não se vê altares com uma cruz em seu centro. Salva excessão você more no Vaticano ou qualquer outra cidade de histórico cristão, com isso entenda mais de 1000 anos de Igreja formada naquele lugar. Pois bem, se nas citadas igrejas tradicionais não se encontra cruz em cima do altar, mas somente na parede atrás dele, e isso se tivermos sorte, pois já testemunhei a várias igrejas que nem isso possuíam, estando no lugar, uma imagem de Maria, e veja bem, não tiro os méritos dela, mas lá deveria estar uma cruz. Bom, acredito que você concorde comigo, caro autor. Então há de concordar também que se temos que por fogo em algo, esse algo certamente não é determinado movimento, mas sim nos fieis que insistem em ser tão toscos que sequer conhecem sua igreja e por isso corroboram com comportamentos anti litúrgicos em tantas igrejas e movimentos.

  13. Menos mal que nosso querido Papa abre o ano da Fe.

  14. Prezado Wayner;
    Concordar com o sr, bem, isso para minha consciência Católica se mostra impossível!
    Porém, creio que o senhor não está sozinho nesse seu posicionamento.
    Há alguns teólogos que acompanham essas mesmas idéias, o que mostra que o sr. não seria tão “inovador” quanto imagina!
    Caso o senhor se interesse, deveria ler e acompanhar esses teólogos que antes que o sr. assim pensasse, eles já o fizeram!
    Não que eu despreze suas idéias, (das quais me me permito discordar), porém, esses teólogos já alardeavam os mesmos ideais, sem “maria” e com apenas a cruz ao centro, inclusive ateando fogo “nos toscos que sequer conhecem sua igreja”, tal qual o senhor e eles tão bem e profundamente conhecem !
    Esses teólogos são João Calvino e seus comparsas, que destruíram as supetrsticiosas e ultrapassadas crenças Católicas pelas inovadoras crenças heréticas e antropocêntricas.
    Ah, quase me esquecia, sr. Wayner, a Basílica de São Pedro do Vaticano, tal qual atualmente a conhecemos, não possui 1.000 anos, mas sim, pouco mais de 580 anos, se muito antiga… Ela substituiu uma outra, constantiniana que ali estava. Porém, não possui 1.000 anos que o sr. afirma, certo?
    Lutero fizera quase a mesma afirmação, porém, sem o lapso de tempo qual o sr.
    Assim, prezado Sr. Wayner, creio que o senhor poderia se unir a esses senhores, uma vez que seus ideais são tão comuns e, que um dia, na eternidade, caso continue com estes mesmos pensamentos, se reunirá com eles e o pai comum, um velho senhor, ecumênico e parlapatão chamado Lúcifer.