Bispos estão assustados com queda do número de católicos. Praticantes não passam de 7 milhões.

Por José Maria Mayrink, Agência Estado

Aparecida – Ainda na expectativa dos dados coletados pelo Censo de 2010, os 335 bispos que participam da 50ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) estão assustados com a queda do número de católicos, cuja percentagem caiu de 83,34% para 67,84% nos últimos 20 anos. Esses números serão ainda mais assustadores de acordo com as informações coletadas pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), na previsão do padre jesuíta Thierry Lienard de Guertechin, do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento (Ibrades), organismo vinculado à CNBB.

Padre Thierry apresentou ao episcopado um quadro das religiões baseado em levantamento da Fundação Getúlio Vargas e das Pesquisas de Orçamentos Familiares do IBGE, resultado de entrevistas com 200 mil famílias realizadas antes do censo. “Com certeza, há algumas distorções que espero serem corrigidas pelas estatísticas do IBGE, que ouviu cerca de 20 milhões de brasileiros”, disse o diretor Ibrades.

Os dados até agora disponíveis subestimam a queda da porcentagem de católicos e o crescimento de igrejas evangélicas pentecostais. “Perdemos o povo, porque, se o número absoluto de católicos cresce, caíram os números relativos, que dizem a verdade“, alertou o cardeal d. Cláudio Hummes, ex-prefeito da Congregação do Clero no Vaticano e ex-arcebispo de São Paulo. “Não basta fazer uma bela teologia em pequenos grupos, se os católicos que foram batizados não são evangelizados“, disse o cardeal na missa dos bispos, na manhã desta sexta-feira, na Basílica de Aparecida. Lembrando que o papa Bento XVI está preocupado com a perda da fé ou descristianização em todo o mundo, a começar pela Europa, d. Cláudio afirmou que “é preciso começar pelo começo” no esforço para garantir a perseverança dos católicos e reconquista daqueles que abandonaram a Igreja.

De acordo com os dados apresentados pelo padre Thierry, os evangélicos representam 21,93% da população, enquanto 6,72% declaram não terem religião e 4,62% dizem praticar religiões alternativas. Em sua avaliação, essas porcentagens teriam de ser analisadas com mais rigor, porque refletem um quadro confuso na denominação das crenças. O termo católico aparece em sete igrejas, incluindo a Igreja Católica Romana, enquanto os evangélicos são identificados com mais de 40 denominações. O grupo mais numeroso depois dos católicos é o da Assembleia de Deus, com 5,77%. “O número de seguidores de Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, que aparece com 1% nas pesquisas é na realidade maior”, estima padre Thierry. Ele alerta também para outro fator de distorção, que é a multiplicidade da prática religiosa, as pessoas ouvidas nas pesquisas declaram terem uma religião, mas frequentam mais de uma igreja. Isso ocorre com evangélicos e também com espíritas que se dizem católicos.

A prática religiosa pelos batizados é outra coisa que preocupa dos bispos. Os católicos praticantes – aqueles que vão à missa, recebem os sacramentos e participam da comunidade – são apenas 5%, ou cerca de 7 milhões num universo estimado em pouco mais de 130 milhões de fiéis. Entre os evangélicos, a porcentagem é maior. Padre Thierry dá valor relativo ao alto índice de católicos nas últimas décadas do século 19, quando a sua participação na população ultrapassava 99%. É bom lembrar a perseguição sofrida na época pelas religiões afro-brasileiras e os preconceitos sofridos pelos protestantes, diz o diretor do Ibrades. Ao recuar ainda mais na formação religiosa do povo brasileiro, padre Thierry lembra os cristãos-novos ou judeus convertidos à força ao catolicismo, que também eram perseguidos.

Tags: ,

47 Responses to “Bispos estão assustados com queda do número de católicos. Praticantes não passam de 7 milhões.”

  1. Primavera sem flores!

  2. A coisa seria fácil de se resolver… se começassem a atrair os jovens e os que abandonaram a Igreja pela beleza da liturgia e da Tradição milenar, certamente pouco a pouco retornariam os católicos desviados.

    Uma vez ouvi de um integrante dos Arautos do Evangelho que eles estão abarrotados de vocações, de jovens querendo entrar em seus seminários, enquanto as dioceses estão com deficiência de seminaristas. Isso é fácil de ser explicado. O jovem ama a beleza e a Tradição, então a pergunta que faço é: Por que não a Igreja não retorna como era antes? Sua beleza arquitetônica no interior das igrejas, beleza na Liturgia, a piedade e a solenidade nas Missas, vida de oração e disciplina.. O belo atrai!!

    Certamente este é apenas um início.. mas pode ser o começo das coisas. Será que não enxergam que essa teologia da libertação enraizada ainda dentro dos seminários não funciona? Essa desgraça que tem corrompido a fé e a piedade dos nossos fiéis precisa sair daqui urgentemente!

  3. Concordo com o Ricardo .

  4. Viva Monsenhor Lefebvre!!!!!!!!!!!!!!
    Viva Dom Mayer!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Santo Subito!!!!!!!!!!!

    Seita do CVII, que não converte ninguém. Sete milhões? Espero que esse número caia mais ainda, pois, muito pior do que os fiéis apostatarem para o indiferentismo é frequentarem é professarem a fé maldita ensinada pelo famigerado e fraudado concílio vaticano II com ares de Fé Verdadeira. Pior do que o lobo é o lobo em pele de cordeiro.

  5. Completando…

    Esse é um dos motivos pelo qual, o Papa Bento XVI deveria excomungar esse CVII. O episcopado brasileiro idolatra o CVII, pra CNBB o CVII é superior ao Papa. Já que é assim, então que ela declare logo seu cisma, se afunde junto com o fracasso do CVII e se preserve a Verdadeira Fé Católica sem a podridão desse concílio.

  6. Eu me recuso a frequentar uma igreja, que só pensa em ECOLOGIA!!

  7. Tomara que esse numero caia mais ainda! Quem sabe assim nossos bispos não acordam e vejam que é necessário voltar a tradição de 2000 deixando de lado o sentimentalismo barato.
    Dom Marcel Lefebvre já nos havia dito que isso aconteceria!

  8. Parabéns socilistas/comunistas da teologia da libertação, parabéns CNBB & CIA, olha que maravilha!!!…, depois de tantos anos, finalmente estão chegando lá!!!…
    Sinceramente, é muitíssimo melhor que um comunista se declare um ateu de vez, doque ficar corrompendo a Igreja por dentro, tomora que os comunistas na Igreja se declrem de vez, cada vez mais, e esses 7 milhões ainda precisam diminuir múito, porque ainda tem múito comunista, ateu e falso Católico na Igreja, cho que mais da metade.

  9. Notem que a RCC perdeu um pouco de seu prestígio entre os jovens, isso porque Bento XVI não faz nenhuma referência honrosa a ela como fazia seu predecessor. Porém, a teologia da libertação ainda mantém uma certa preferência por culpa da CNBB. Estão conseguindo transformar os católicos em ativistas naturalistas.

  10. Os senhores Bispos precisam acordar pra realidade… enquanto a Igreja no Brasil insiste em ser comunista, a falsa “espiritualidade libertadora”, o Catolicismo vai amargar com esse êxodo…
    As pessoas estão com sede de Deus… e buscam nas seitas heréticas um alívio para as dores imediatas…
    É preciso uma EVANGELIZAÇÃO verdadeira… CATÓLICA e APOSTÓLICA nesse país!
    Muitas dioceses insistem em ser apenas ONG’s… a Igreja é muito mais que uma ONG ou Partido Político… é a Comunidade da Salvação! Bispos, acordem!

  11. Assustados nada, essa era a intenção desde o princípio.

    São uns farsantes comunistas infiltrados na Igreja, não me venham com essa de “assustadinhos” não!

  12. Quem acha que eles estão assustados é o autor da materia e muito provavelmente falou em tom deboche.
    Se estivessem assustados NÃO fechariam seminário para abrir pousada e n fariam culto ecumênico na reunião deles que seria, teoricamente, para analisar assuntos Católicos. Estão falando de eleições municipais, reforma agrária….

  13. A queda do número de católicos seria muito maior se não houvesse o Concílio Vaticano II e a Reforma Litúrgica. Antes todos os brasileiros eram católicos por falta de opção, pois não haviam tantas religiões para escolher e as poucas que haviam eram restristas a grupos étnicos e não eram missionárias. Se a missa hoje continuasse a ser em latim e com o padre virado de costas para o povo a debandada dos católicos para outras religiões evangélicas teria sido muito maior. As pessoas não estão atrás de belas liturgias em latim nem de tradições, mas estão procurando uma igreja que fale sua língua, buscam uma fé que os ajude a resolver seus problemas e que participe de sua vida. Antigamente quando a missa era em latim 99% dos que frequentavam a missa iam por obrigação ou falta de opção já que a maioria ficava rezando o terço durante as celebrações por não compreender nada. As coisas mudaram muito em nossa sociedade e a Missa Tridentina é inviável para as massas. Os católicos que preferem a missa tridentina constituem um grupo muito pequeno dentro o catolicismo: segundo as estatísticos oficiais apenas 0,001% do total de católicos. Muitos deixam o catolicismo por falta de acolhimento por parte do clero. Quantas vezes ouvi relatos de pessoas que foram pocurar atendimento com padres( connfissões, aconselhamento, etc.) nas secretarias das paróquias e foram barrados pela secretárias dizendo que o padre não podia atendê-los por estar ocupado ou outra desculpa, quando na verdade se trata de má vontade. Eu mesmo ao procurar um padre para confissão fui despachado pelo mesmo o qual me disse que havia chefado em uma hora não oportuna e que o mesmo estava muito ocupado ( ocupado de não fazer nada, pois era um f dia de semana no fim da tarde).Os evangélicos em geral, sempre estão disponíveis e prontos para o atendimento. O que a Igreja Católica necessita para voltar a crescer no Brasil é encontrar uma maneira de entrar em comunhão com o povo , seus anseios e suas necessidades reais.

  14. Que tristeza ver comentários de católicos que se regozijam com a crise e a apostasia da Santa Igreja. Não foi Lefebvre, mas o próprio Cristo que nos alertou sobre a grande apostasia do fim dos tempos e como o ‘pequeno resto’ deveria se comportar. É fácil destacar os lobos em pele de ovelha (e como são muitos!), mas quão grave pecado é se alegrar com a perda das almas tão amadas pelo Pai. Quanta insensatez bradar os remos e não se estar no barco. A insensatez dos que julgam dominar a Verdade deveriam lembrar das palavras de Cristo que, da mesma forma que se revelou Caminho, Verdade e Vida, estabeleceu até a sua Volta Gloriosa uma só Igreja, edificada em Pedro. Que os católicos de tempos tão difíceis como os atuais vivam profundamente as palavras de Jesus: ‘Quem não está a meu favor, está contra mim, e quem não ajunta comigo, dispersa.’ (Lc 11, 23). E que se cale nas bocas e nas palavras o que não vem de Cristo.
    http://www.sendarium.com

  15. Devemos ser um pouco mais cutelosos nas nossas conclusões. Essa redução no percetual de católicos no total da população se deve sobretudo à queda do preconceito com relação às demais religiões. Durante muito tempo – tenho 60 anos – todos se diziam católicos, e às escondidas iam para sessão de Camdomblé, Espíritas, Umbanda. Hoje isso não mas existe.
    Por outro lado, falando aqui do Brasil, houve uma perda de foco no trabalho e sobretudo na formação dos nossos sacerdotes. Fico, muitas vezes impressionado, com o desprepara e até com a falta de vontade de alguns sacerdotes. As homílias são de baixíma qualidade, não empolgam a assistência, não obedecem a liturgia, não preparam a missa com esmero. Eu frequento uma igreja no domingo que durante todo o ano o canto de entrada é sempre o mesmo: ” Como Zaqueu, quero subir, o mais alto que eu puder..” Se é Páscoa, se é Tempo Comum, se é Sexta-Feria da Paixão, é sempre: ” Como Zaque…” E então a assistência participa burocraticamente da cerimônia e volta para casa com a consciência em paz. Se no mesmo dia, porém, perguntar para qualquer um que esteve presente na missa qual foi a primeira leitura, a resposta vai ser a seguinte: ” Não sei !”. E aqueles que sabem, não entenderam a mensagem. O sacerdote, em sua homilía, explicou alguma coisa ? Nâo. O sacerdote fez a Palavra entrar no coração dos fiéis ? Não.
    Sou de formação católica, e graças à Igreja hoje estou aqui: minha gestação foi muito complicada, com risco de morte para mim e para a minha mãe, e ela não aceitou de forma nenhuma o aborto, por essa prática ser contra os princípios: da minha Igreja” como dizia ela. Fiquei, entratanto, muito e muitos anos afastado da Igreja, e voltei a coisa de uns 15 anos atrás. Quem me trouxe de volta foi o querido e saudoso Padre Léo, que fez entrar a Palavra de Deus no meu coração.
    Gosto muito e me emociono com os Arautos do Evangelho, mas precisamos entender – e sobretudo explicar – que a Santa Missa não é um espetáculo e seguir a Cristo é ver coisa muito feia, é sofrer perseguições, é sofre, e muito, com o sofrimento dos desvalidos, dos pequeninos. É beijar um leproso, é pegar no colo um aidético, é buscar um caído na cracolândia, é acolher e levar para casa um travesti – como Padre Léo fazia – e é também amar o Irmão Sol, a Irmã Lua, o Irmão Lobo, como o querido São Francisco: primeiro “ecologista” que se tem notícia !.

  16. Isso é culpa do próprio clero, se você fizer uma pesquisa verá que a indiferença religiosa reina, a maioria dos “católicos” acreditam que todas as religiões levam a Deus, há uma imensa dessacralização, hoje as pessoas vão nas igrejas com roupas comuns do dia a dia, as musicas tocadas durante a liturgia não se diferem em quase nada das musicas seculares, o uso do vernáculo também descraviza, a posição e comportamento dos padres, etc … Além da constante protestantizarão das igrejas católicas.
    Orá se todas as religiões levam a Deus e os católicos ficam imitando protestantes sempre, o que prenderá a pessoa na Igreja Católica ? Se é para ouvir musicas agitadas, vernáculo etc é muito mais conveniente a pessoa ir para a Assembleia de Deus, lá eles fazem tudo isso de forma muito melhor.
    Acrescenta-se a isso as igrejas que ficam prometendo prosperidade aqui neste mundo como a IURD , em quanto a igreja católica promete salvação eterna a IURD tem um apelo muito mais humano , ela te promete dinheiro, prosperidade, paz e amor na sua família, etc …
    E pior de tudo é ver que quanto mais a Igreja Católica perde fieis, mais o clero insiste em imitar protestantes, dessacralizar a liturgia, etc …
    Se o clero quer que as pessoas voltem a Igreja primeiro de tudo ele teria que desfazer os preconceitos contra esta, as pessoas tem que voltar a ter orgulho do passado histórico da Igreja, deve-se haver mais sacralização, e principalmente deve-se combater o inderantismo religioso, as pessoas devem entender que fora da Igreja não há salvação, e que todas as outras religiões levam ao inferno .

  17. Francisco de Mello e Silva
    abril 21, 2012 às 12:51 pm

    A queda do número de católicos seria muito maior se não houvesse o Concílio Vaticano II e a Reforma Litúrgica. Antes todos os brasileiros eram católicos por falta de opção, pois não haviam tantas religiões para escolher

    Vc tem toda razão. Se n fosse o CVII ninguém teria coragem de dizer que há outras religiões, fazer cultos ecumênicos e papas dizendo que há Deus em outras religiões. Assis III se n fosse CVII n existiria.

  18. Primavera sem flores![2]

    É algo incontestável, não há como contra argumentar que o número de Católicos iria de fato diminuir… a população, o povo, a sociedade em geral tem sede de Deus, e aqueles que deveria fornecer a Água Viva, simplesmente fecham a torneira, e forçam as almas a buscarem água em poça suja. Enquanto as almas se corrompem e desviam-se (ou permanecem desviadas), muitos padres ao invés de pastorearem, deixam suas ovelhas à deriva em meio a tantos predadores. Culpa do Concílio? Não, culpa dos padres que deixaram de ser padres pela brecha do Concílio. A Igreja está cheia de sacerdotes infiéis e hereges, que nem na Igreja se encontram, se encontram sim aqui fora, no mundo, no pecado, em busca de satisfazer a carne com toda a impureza. O Concílio foi o estopim para todos esses acontecimentos, de fato, mas ele sozinho, não corrompe a fé de quem deveria edificar, para isso, precisa do consentimento. E eu não consinto.

    A Igreja indubitavelmente não é o que podemos dizer, a certo modo, uma democracia, mas nós não podemos nos calar se grande parte do clero escolhe Barrabás, ninguém deve pensar que uma “abolição conciliar” mudará a mentalidade das pessoas, muito pelo contrário, a população sedenta está contaminada, e para torna-las católicas novamente, devemos retornar às primeiras das primeiras raízes. Que São Paulo agora, interceda por nós, na conversão dos PAGÃOS, que só assim são, por falta de quem dê o testemunho.

    Que os ramos curem-se das pragas, para a primavera florescer.

  19. Concordo em parte com o Francisco. Há falta de acolhimento dos padres. Conheço muitas histórias de pessoas que necessitaram de atenção e de aconselhamento de um sacerdote e não obtiveram, mas o acolhimento de pastores evangelicos.
    Há grande dificuldade de encontrar um padre (em especial, os diocesanos), para se fazer confissão ou direção espiritual.
    Acho que a missa tridentina tem grande riqueza espiritual. Mas o povo precisa também de missas na sua língua, e o sacerdote tem que falar a língua dos seus fiéis.

  20. Caros, sem identidade católica, os católicos vão embora. Simples assim. E pra achar identidade católica, só olhando para 2000 anos de fé, de dogmas, de expressão e de sentimento religioso. Minha Igreja é a da bateria ou é a Igreja dos santos e dos mártires?

  21. Francisco, “As pessoas não estão atrás de belas liturgias em latim nem de tradições, mas estão procurando uma igreja que fale sua língua, buscam uma fé que os ajude a resolver seus problemas e que participe de sua vida.” É verdade, que tal uma missa “coco” no litoral, uma missa “crioula” no Rio Grande do Sul, e uma missa “afro” na Bahia “terra de todos os santos”, e claro, uma missa “sertarneja” pro interior, “uma igreja que fale a sua língua”, para um Brasil multicultural, uma Igreja poliglóta, depois reclamam que o povo ta virando ateu e protestante…, se não fosse pelos sacramentos, seria melhor sair mesmo.

  22. Francisco, infelizmente você está contaminados pelas heresias de Leonardo Boff. Toda denominação religiosa que tenta “falar língua do povo” está fadada à falência, e isso acontece mesmo com os protestantes, que também não estão lá crescendo também, eles também estão em crise. O povo não quer uma Igreja humana que fale a sua língua, o povo que uma Igreja Divina e que ensine a falar a língua de Deus, que é o seu ensinamento. Ora, se fosse para ter uma Igreja humana, ela não seria necessária, bastava um partido político, uma discoteca, ou clube de piscinas, a praia, ou um sindicato para satisfazer as necessidades naturais do homem (vocês deve ter se esquecido que o homem tem necessidades sobrenaturais).

  23. A mensagem do evangelho,é muito simples.Qual era o modelo de igreja,das comunidades primitivas? pode ser romantismo,sentimentalismo….mas também descreve muito bem,como eles viviam.Jesus falou a língua do povo,viveu como eles;a igreja para ser fiel à Jesus,deve estar com o povo.Parece que os protestantes entenderam muito bem isso.

  24. E esse negócio de dizer que os protestantes são mais acolhedores é uma grande demagogia. Não raro, as pessoas dizem que as seitas protestantes são mais acolhedoras porque os pastores protestantes “passam a mão na cabeça” e são coniventes e condescendentes com o pecado dessas pessoas, enquanto que o Padre que dá o corretivo necessário condenando a conduta pecaminosa é visto como um carrancudo, conservador e desumano. É mais cômodo: “Ah Padre, eu cometi adultério, eu cometi aborto, eu desvie dinheiro pública”, e o Padre: “Não tem problema, meu filho, isso não é pecado”.
    Com certeza essa não é a Igreja de Cristo.

  25. Essa é realmente atriste realidade teórica. Na prática, eu digo para vocês, é ainda pior. Há quase cinco anos faço missões todos os anos durante a Semana Santa – missões de porta-a-porta promovida pelo Regnum Christi. Uns 80% de todos os católicos visitados não sabem o básico da fé cristã, que seja, porque Jesus Cristo ressuscitou.

    Como foi dito, a maioria se diz católico, de fato, mas estão a um passo das seitas, seja pela proximidade, seja pelo não-acolhimento da Igreja Católica, seja por simplesmente não saberem porquê são católicos. É como eu digo, a maior evangelização que esses bispos podem promover se chama catequese. Catequese tradicional!

  26. Repito o que disse lá em cima e fico com o Papa Bento XVI: a crise de fé que temos hoje se deve antes à uma crise litúrgica! As pessoas não estão deixando a Igreja porque ela não fala a língua delas, mas sim porque está perdendo cada vez mais sua identidade católica! Crise litúrgica, minha gente! Abram o olho e vamos parar de achar que é a Igreja que tem que ficar mundana pra atrair o povo. Parem com essa bobagem!

  27. São “divertidos” certos comentários. Como tripudiam com a verdade.
    Que diminuiu o número de católicos nominais, isto é fato. E vem diminuindo
    anos após ano.
    Que a TL/modernismo/progressismo detonou a Igreja, também.
    Agora, qual o percentual de católicos nominais da década de 70 que frequentava
    a Igreja ? (Quem de vocês viveu essa época ? )
    Mais que agora, bem provável. Mas qual o percentual ?
    Eu não sei. Mas posso garantir-lhes que o número de católicos “não-praticantes”
    também era grande.
    Atribuir a queda ou debandada APENAS aos equívocos internos da Igreja e ignorar
    as mudanças que ocorreram na sociedade nestes últimos 50 anos é leviandade.
    O que tem quer ser ressaltado, é que além da péssima formação que vem sendo
    dada aos católicos, também a influência e o “peso” da Igreja na sociedade diminuiu,
    por ações que independeram dela.

    Querer atribuir todos os males atuais ao CV II é mero refrão de um radicalismo tosco,
    e que, espero em breve, torne-se inexpressivo.

  28. Ah é?… La nordeste tem um ditado que eu gosto muito. É que quando as galinhas estão “chocando” elas se levantam do ninho para fazer sua “necessidade fisiológica”, e após fazer se espanta e sai “gritando”. Ou seja: Os bispos modernistas fazem igual fazem as “galinhas chocas” . (Pra não dizer outra coisa…) “Fazem a caca e se espantam com o resultado!”

  29. Vanderley, não conheço nenhum estudo específico para a Igreja no Brasil, mas este relativo à Igreja nos EUA responde aos seus questionamentos: http://www.montfort.org.br/old/veritas/ken_jones.html

    Creio que possa ser aplicado perfeitamente à Igreja no ocidente como um todo. Um trecho que me chamou a atenção:

    PERGUNTA: Eis uma nova objeção: algumas pessoas dizem podem dizer que você está fazendo um argumento post hoc, ergo propter hoc – apenas por que algo aconteceu após o Concílio não significa que foi causado pelo Concílio. Você tem uma resposta para isto?

    RESPOSTA: Eis minha resposta: Por várias décadas antes do Concílio, a Igreja na América estava em meio a um período de crescimento sem precedentes. Imediatamente após o Concílio, que foi convocado para renovação da Igreja – para fazer os números melhorarem mais ainda – fomos atingidos por um tremendo declínio em cada área. A correlação é patente demais para negar.

  30. Leigos estão resignados com desaparecimentos de bispos. Membros da CNBB que não estão excomungados latae sententiae não passa de ½ dúzia.

    Por eu mesmo.

    Ainda na expectativa de dados coletados pela Congregação para a Doutrina da Fé, alguns leigos conscientes estão esperando o ET sentado, digo, a substituição dos comunistas membros da C.’.N.’.B.’.B.’. excomungados latae sententiae por apoiar partido ou divulgar diretamente a doutrina comunista. Esses números serão ainda mais assustadores, de acordo com um blogueiro, que em vez de trabalhar se dedica a ler outros blogs escritos por outros leigos sem direção espiritual.

    O blogueiro assevera que do episcopado atual subsistem apenas os sagrados pelo antigo ordo, anterior a 1970. “Com certeza, há algumas distorções, pois os Bispos Thuc, Lefebvre, Mendez sagraram bispos que não têm jurisdição”.

    Os dados até agora disponíveis subestimam a existência de movimentos desintegradores, como a União Eclesioprivatista do Eu Sozinho e a Federação de Leigos do Facebook que, como são vagabundos, não pagam imposto nem dão espórtulas/óbolo pra Igreja.

    De acordo com os dados do blog, os bispos com sagração válida em nada diferem dos vétero-católicos, pois carecem de jurisdição regularmente conferida por um Papa, sendo preciso REcomeçar do INÍCIO, demonstrando ter um mínimo de vocabulário.

    A prática religiosa pelos bispos é outra coisa que preocupa. Parlamentares protestantes propõem agora uma emenda constitucional para proteção da vida desde a sua concepção, contra o aborto. São cristãos que resgatam laivos de catolicismo, pois em 1995 foi a CNBB sugeriu a elaboração de tal PEC, só porque fazia oposição ao governo.

    É bom lembrar a opressão sofrida nesta época. Quem vai em motu missa é chamado de sedevacantista* pelos boiolas, de herege pelos sedevacantistas, taxado de opositor político pela FSSPX e de esquisitão pelos paroquianos. Ao recuar ainda mais na deformação religiosa da população (que não forma um povo) brasileira lembra dos cabalistas novos, ou neopagãos, convertidos à força ao pan-espiritismo, para não serem perseguidos.

    *sinônimo de kpeta para os baitolas

  31. Seminários precisam ter uma equipe treinada de psicólogos para impedir a entrada de homossexuais e não-vocacionados. Em alguns dos maiores seminários do país, se tivermos 10% de heterossexuais e vocacionados é muito. Sim, em alguns casos não chegamos nem a 10% disso. Não estou exagerando. Muitos aqui sebem disso.

  32. essa história de que na Igreja primitiva, a mesma se aproximava do povo falando a sua linguagem, é uma inverdade e uma grande bobagem, pois quando eu conheci o rito Siríaco-Aramaico de Antioquia, que se ninguém sabe aqui, foi o primeiro rito da Igreja, sendo formulado por São Tiago Apóstolo e depois utilizado por São Pedro em sua Sé em Antioquia e por seus sucessores desta Sé, percebi que já naquela época procuravam ritualizar de forma bem rígida seu culto a Deus, mesmo com as perseguições da época, para não tornarem o culto blasfemo, como assim ocorre hoje na dita missa de Paulo VI. E é bom que saibam que naquela época os Apóstolos e os primeiros Padres da Igreja eram bem enérgicos, muito mais do que os pseudo-pastorecos protestantes e os padres modernistas de hoje. Convém lembrar que o próprio Cristo disse no Evangelho que não veio trazer a paz mas a espada. E todos os ritos da Igreja como o Copta-Alexandrino, o Caldeu, o Bizantino e o próprio Latino-Romano (exceto o de Paulo VI que tem como base a Ceia de Lutero) tem base e fundamento no Rito Siriaco-Aramaico de Antioquia.

  33. Prezado Marcelo, gostaria que por gentileza me informasse onde está escrito que Jesus “não veio trazer a paz mas a espada”. Pois tal informação é contrária a tudo que estudei até hoje sobre a vida de Cristo.

  34. “Perigosíssimos” FRATRES;
    Ah, não se preocupem!
    Todos eles estão em plena comunhão…
    A religião ecumênica mundial está preparada… Afinal, como diz o “mega evento conciliar” todos os caminhos levam a Deus!
    Até mesmo o new beato JP, com seus “encontros ecumênicos” em Assis I, II, III e ao infinito e avante, já demonstrou que todos amam ao mesmo Deus!
    Até devemos rezar e obedecer tanto ao papa quanto ao “superior” da FSSPX que estão celebrando um “Acordo”!
    Afinal é mais gente na plena comunhão da religião universal, com elementos de todas elas, riquíssima, por sianl, sem nenhuma daquelas coisas ridícules de antigamente!
    Como disse o Francisco de Melo, se a Igreja continuasse como Ela era, não teria quase ninguém!
    Muito bem!
    Parabéns!
    Isso é a verdadeira e plena comunhão!
    Ah, mas ainda tem o mínimo do mínimo, gente que ainda prefere “aquela” velha Igreja, bem antiquada, vivendo em pleno séc. XXI, gente que “passou pela Universidade e a Universidade não passou por ela” (como disse uma das “insolências da CNB do B, um grande fã da “marvada”)…
    Esses antiquados defendem coisas absolutamente antigas, criadas por um tal Jesus, que eles insistem chamar de Cristo, ofendendo os “irmãos mais velhos na fé”, os filhos do islam, os filhos de Shiva, e os filhos da…
    Essa gente reacionária quer que em pleno séc. XXI se reze em latim, de costas, que se ensine que somente quem é Católico será salvo, que Cristo é Rei, que Maria é virgem antes, durante e depois do parto, que Maria é Corredentora do infeliz gênero humano, que existem anjos e pior que tudo isso, que existe inferno e que muitos serão condenados a irem pra lá!
    Essa gente doente acredita que devam existir Seminários, insistem na castidade(em pleno séc. XXI – com toda a liberdade sexual), pregam que a mulher deva ser mulher, vestir-se e apresentar-se como tal, são radicalmente contrários ao aborto e ao homossexualismo!
    Ah, que povinho ultrapassado!
    Ainda bem que veio o Concílio Vaticano II e que acabou com toda essa coisa ultrapassada e retrógrada, colocando-nos em plena comunhão com o mundo, adorando ao homem-deus, livres e desimpedidos, onde toda forma de amar vale a pena!
    É muito bom ser católico do concílio Vaticano II !
    Sou feliz por ser católico do Concílio Vaticano II !
    Ah, uma perguntinha: o que é ser católico?
    Ah, ia me esquecendo, em que os católicos do concílio Vaticano II acreditam?
    Deve ser na obediência à consciência…
    Se bem que inexiste consciência…
    Enfim, os católicos do Concílio Vaticano II acreditam no SER HUMANO, este ser repleto de dignidade, de liberdade e de consciência!
    Este SER HUMANO que em seus momentos de delírio criou deus à sua imagem e semelhança…
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    É de rir, para não dizer que é de chorar…
    Hummm, ainda prefiro ser da turminha do mínimo do mínimo…
    Pelo menos essa turminha do mínimo do mínimo tem NO QUÊ acreditar, uma vez que essa turminha tem EM QUEM ACREDITAR:
    NOsso Senhor JESUS CRISTO, que esmagará a cabeça da velha serpente!

  35. Caríssimos irmãos, Pax Domini sit semper vobiscum.

    A estatística diz que são 7 milhões de católicos praticantes? Está errado. São 7 milhões de frequentadores dominicais da Missa. Tiremos desse número aqueles que são esquerdistas (excomungados), apoiam o aborto (excomungados também), que não aceitam integralmente a Sã Doutrina (hereges, portanto, excomungados). A coisa tá preta. É uma verdadeira apostasia silenciosa.
    Sobram apenas os católicos bem formados e firmes na fé (olha, isso é pé-de-cobra); católicos que buscaram alguma formação por conta própria; e católicos pessimamente formados que crêem na Igreja só pela Graça (pessoas sinceras, mas que são presas fáceis para as seitas). Desses três eu me enquadro no segundo grupo, pois abandonei a Igreja por muitos anos e vivi como agnóstico, virei protestante e acabei voltando à Igreja porque nada me satisfazia; precisava de respostas às minhas dúvidas e só a doutrina católica foi capaz de me mostrar O CAMINHO.
    É por ter passado pelo caminho das pedras, sem ter um católico esclarecido, bem formado, que me ajudasse a compreender a grandeza da Igreja e do que é ser católico, que eu faço este apelo: A maioria dos católicos conservadores, de boa formação, juntam-se em grupos, meio que isolados, nessa luta mais do que justa pelo retorno da sacralidade litúrgica e pela Missa Tradicional, no que sou totalmente favorável, e acabam por desaparecer das paróquias onde só se celebra o Novus Ordo, deixando assim de influenciar aqueles de pouco conhecimento ou converter os “católicos hereges” que, na sua maioria, só precisariam de um pouco de esclarecimento para se ajustarem. Vocês deixam de ser fermento no meio da massa e o povo católico precisa de EXEMPLOS.
    Sei que a luta de vocês é justa; também é minha, pelo menos em oração. Contudo, creio que começar com pequenas coisas como por exemplo, engajamento na catequese ou em pastorais de liturgia, já seria de grande ajuda. Não se pode esperar grandes mudanças repentinas, mas quando os bons exemplos aparecem, tendem a se multiplicar pois não é obra humana. Educando os católicos da maneira correta os frutos certamente aparecerão, mas no tempo de Deus. Ensine-se novamente o respeito ao que é sagrado, os belíssimos simbolismos do gestuário da Missa, ensine-se a comungar com a devida reverência; quando os católicos perceberem os tesouros que perderam, a Missa Nova se tornará muito mais católica e a celebração da Missa Tradicional não vai ser um horizonte tão distante porque o senso do sagrado voltará a ser uma bússola para o povo.
    Anseio pela oportunidade de assistir a Missa Tridentina e, para falar a verdade, pelo amor que passei a nutrir pela liturgia bem celebrada, confesso que não me sinto à vontade com o que fazem na celebração da Missa; muitas vezes só vou por Jesus Eucarístico e para cumprir o preceito dominical. Meu sacerdote, certa vez, convidou-me para ser catequista de um grupo de jovens; disse não, pois não me achei capacitado para tal. Fiquei com dor na consciência mas também achei que seria irresponsabilidade de minha parte assumir um grupo de catequese sem uma preparação adequada. Pensei comigo: Se meu Padre me convidou, sabendo de minhas deficiências, realmente a situação é desesperadora. Não precisamos de leigos engajados, mas de BONS LEIGOS ENGAJADOS.

    Espero que essa mensagem possa, com a Graça de Deus, contribuir em algo.
    Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo os abençoe.

  36. Prezado Marco Túlio

    A citação que você cobra é esta:
    “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada.” (São Mateus 10,34)
    Não culpo você por desconhecer este versículo tão verdadeiro e politicamente incorreto. Existe atualmente um bando de cretinos travestidos de católicos, ensinando uma “religiãozinha açucarada”, onde não se pode dizer A Verdade pois ela é ofensiva para quem crê em “outras verdades”; bem diferente do Catolicismo que é a Religio Vera e, sendo assim, tem por missão ser intransigente no seu ensinamento.
    Só um conselho: Se você não conhece determinada citação (pelo visto nem o texto dos Evangelhos), pesquise antes de rasgar as vestes. Tenha mais cuidado quando postar um comentário para evitar passar vergonha.

    Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo te abençoe.

  37. Prezado Marco Tulio,

    Essa frase de Jesus está no Evangelho segundo S. Mateus, cap. 10, versículo 34:

    Não penseis que vim trazer paz à terra! Não vim trazer paz, mas sim, a espada.

    E continua assim nos versículos seguintes:

    35. De fato, eu vim pôr oposição entre o filho e seu pai, a filha e sua mãe, a nora e sua sogra;
    36. e os inimigos serão os próprios familiares.
    37. Quem ama pai ou mãe mais do que a mim, não é digno de mim. E quem ama filho ou filha mais do que a mim não é digno de mim.
    38. E quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.
    39. Quem buscar sua vida a perderá, e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará.

  38. Vinha avó que foi professora de catecismo conseguiu converter todos seus filhos ao espiritismo. A unica coisa que esta heresia modernista faz é converter os outrora católicos em qualquer outra religião, porque ir na igreja pra ficar ouvindo falar de pobre, reforma agrária, ecologia não dá. Era muito melhor quando a católica ensinava do purgatório, do inferno, do paraíso, dos mandamentos e sacramentos, dentre outras verdades absolutas.

  39. Marco Tulio,

    Não julgeis que vim trazer paz á terra,não vim trazer-lhe paz,mas espada.

    São Matheus,10-34. (A Biblia Sagrada contendo Velho e Novo Testamento traduzida em português segundo a vulgata latina por Pe. Antonio Pereira de Figueiredo/Pág.581.)

    Fiquem com Deus.

    Flavio.

  40. O vanderley(4:53) n citou meu nome, mas fez o comentário dele sobre a minha postagem de 1:10.

    Resposta: Tosco e leviano é jogar piada.
    N tenho culpa se há pessoas que n tem raciocínio rápido e muito menos n estudam antes de sair comentando por aí. A queda do número de Católicos, a queda das vocações, a péssima formação dos sacerdotes, os absurdos liturgico que se veem por aí, a mudança na estrutura familiar, mudança de comportamente em geral, a perda da credibilidade da Igreja entre outras coisas, são resultados de um plano comuna maçom para destruir a Igreja de dentro para fora! E esse plano teve seu apogeu no CVII.
    Negar isso é que é ser leviano. Agora, se o conhecimento é só de net e n for de livros, é ser leviano ao quadrado!
    Inexpressivo espero que se torne essa síndrome de plena comunhão pirar sem saber do que outro fala.
    Ao menos para entender que o divertimento foi nulo!

  41. Marco Tulio,

    Segundo o testemunho de Mateus 10, 34

    “Não penseis que vim trazer paz à Terra; não vim trazer a paz, mas a espada.”

  42. Felipe Leão parabéns pelo comentário, também sou da turma do mínimo graças a Deus, é de chorar ler certos comentários, mostra de fato a atual situação da Igreja, pessoas que só pensam em seus próprios umbigos uma Igreja que adotou o Homem como Deus, o Homem é o centro de tudo, por isso lemos certos comentários desastrosos, mas o que fazer ? continuemos a rezar para que Deus retire as escamas das vistas de quem pode e deve mudar as coisas.

  43. Não se preocupe, CNBB! Quando não houver mais ovelhas católicas de verdade, vocês podem ir para a igreja universal do Edir Macedo (lá tem gado bovino manso e obediente às imbecilidades). Ou preferem ir para a Igreja Católica Brasileira, a falsa? Insistam no CVII: transformarão os 7 milhões restantes em comunistas, ecologistas, gayzistas,feministas, sindicalistas, líderes comunitários, ativistas afros, carismáticos histéricos protestantes, sociólogos marxistas, invasores de terras, etc, ou seja, imbecis de todas as cores (vermelhos, verdes, rosas, etc.). Expulsem os jovens para as drogas, o crime e a promiscuidade sexual, já que nada é pecado, não há devoção, nem catequese, nem ascetismo, nem penitência, nem liturgia bela. Deixem os velhinhos acomodados, as mulheres em busca de sentimentos fortes, pentecostais atrás de antidepressivos da agitação carismática, comunistas furiosos da TL, ecologistas e feministas sentados nos bancos das capelas sem serem incomodados. Jesus pregou o comodismo e o acordo com o erro? Saiam também da Igreja: sem vocês, clero modernista, ela se sairá bem melhor!

  44. Ana, não fiz comentário direcionado a você ou a qualquer pessoa.
    Não adianta vir com agressão pessoal e barata para o meu lado.
    Já disse para outro aqui(mas o Ferreti moderou):
    Só aceito “ad hominem ” pessoalmente !

  45. (espero que Ferreti tenha permitido o comentário anterior)

    Falei no coletivo. Tem muitas coisas que concordo mas chega a ser
    inadmissível ver pessoas que tenham acesso a informações
    e conhecimento, estarem repetindo “ad infinitum” o mesmo “mantra”.
    Você e muitos não viveram essa época.
    Acusam a Igreja de coisas que não são responsabilidades dela nem do CV !!.

    Em momento algum disse que não tem problemas na Igreja ou que tenham
    causas internas. Leia direito.

    Querem impingir ao CV II toda as mudanças ocorridas no mundo nos
    últimos 50 anos é radicalismo tosco e boçal, sim. Gostem ou não. É disso que falei.

    Já que estuda tanto devia saber que o INFERNO luta contra a Igreja
    há 2.000 anos. Não apenas antes ou após o CV II. Nem por causa dele.

    Só que a promessa Dele é que ” o inferno não prevalecerá”.
    Nisso eu creio. Em teoria da conspiração, não.
    Por isso não sou sedevacantista ou assemelhado.
    Esta é a grande diferença. Ou creio em Jesus Cristo ou
    então o inferno prevaleceu. E, repetindo, creio NELE !!!

Trackbacks