Comunicado da Casa Geral da Fraternidade São Pio X.

Por DICI | Tradução: Fratres in Unum.com

Na quarta-feira, 13 de junho de 2012, Dom Bernard Fellay, Superior Geral da Fraternidade São Pio X, acompanhado do Primeiro-Assistente Geral, Padre Niklaus Pfluger, foi recebido pelo Cardeal William Levada, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, que lhe entregou a avaliação de seu dicastério sobre a Declaração doutrinal apresentada pela Fraternidade em 15 de abril de 2012, em resposta ao Preâmbulo doutrinal entregue em 14 de setembro de 2011 pela Congregação [para a Doutrina] da Fé.

Durante este encontro, Dom Fellay escutou as explicações e precisões do Cardeal Levada, ao que apresentou a situação da Fraternidade São Pio X e expôs as dificuldades doutrinais que apresentam o Concílio Vaticano II e o Novus Ordo Missae. O desejo de esclarecimentos suplementares poderia derivar em uma nova fase de discussões.

Ao final desta longa reunião de mais de duas horas, Dom Fellay recebeu um esboço de documento propondo uma Prelazia Pessoal, no caso de um eventual reconhecimento canônico da Fraternidade São Pio X. Durante o encontro não se discutiu a situação dos outros três bispos da Fraternidade.

Após esta reunião, expressou-se o desejo de que se continue o diálogo que permitirá chegar a uma solução para o bem da Igreja e das almas.

Menzingen, 14 de junho de 2012.

7 Comentários to “Comunicado da Casa Geral da Fraternidade São Pio X.”

  1. Minha impressão pelo que tenho lido é que essas conversações ainda vão longe.

    Fiquem com Deus.

    Flavio

  2. Pelo o que eu entendi, pode haver um acordo canônico prático, iniciada uma nova fase de discussões, ou nenhum acordo prático e somente nova fase de discussões, para um posterior acordo canônico depois de um doutrinal.

  3. Flávio, há meses tive a mesma impressão que você, mas se for para ter a FSSPX com seus quatro Bispos juridicamente integrados na Igreja, sem que ela abandone a guerra empreendida por Monsenhor Lefebvre contra os erros do último concílio e da Missa Nova, então terei toda a paciência, ainda que apenas meus netos, bisnetos vejam essa regularização.
    Será ótimo ter a FSSPX como prelazia pessoal a atuar nas dioceses independentemente dos Bispos comuno-mondernistas e atacando os erros do concílio.

  4. Engraçado!!!! antes do CVII todos sabiam qual era a doutrina católica de sempre. Após a chegada da primavera conciliar desaprenderam com o passar do “tempo”.

  5. Eu duvido que haja um acordo por agora. O problema é que a depender dos próximos papas essa regularização pode demorar alguns séculos ainda…

  6. D. Fellay não recusa “a priori” as conversações com a Santa Sé (seria espírito sedevacantista). Outrossim, não aceita o “reconhecimento canônico” sem antes resolver totalmente as dificuldades doutrinais atinentes ao CVII e ao NOM. Conclusão: humanamente falando teremos “discussões doutrinárias” ainda por muito tempo.
    No meu fraco pensar, seria bom que os outros três bispos estivessem unidos ao Superior até o fim.

  7. Eu já não duvido de um acordo, mas caso Sua Excelência voltar atrás e não aceitar,estará evidenciando um conflito ou desiquilíbrio psico-espiritual significativo. Creio ser atitude sensata a de consultar primeiramente a Deus, e depois os seus opositores, os outros três bispos, mesmo contra sua vontade. É só um comentário, acho que Dom Fellay deverá fazer exatamente, ordenadamente, deste jeito ou algo parecido.