Neste 3 de novembro, na Basílica de São Pedro, a missa “extraordinária” é a missa normal.

Uma missa “extraordinária”? Uma missa normal!

Por Summorum Pontificum Observatus, 3 de novembro de 2012 | Tradução: Fratres in Unum.comEm preparação à celebração que acaba de ser concluída na Basílica de São Pedro, o Cardeal Cañizares havia, então, explicado ao vaticanista Andrea Tornielli, ponderando suas palavras: “é uma maneira de mostrar às pessoas que é normal usar o missal de 1962”. Para quem conhece o funcionamento da Cúria Romana, tal ato do Prefeito da Congregação para o Culto Divino na Basílica do Papa não poderia deixar de ser, de uma forma ou outra, inspirado, como assinala a mensagem do Papa, em francês, lida no início da cerimônia.

Missa Pontifical celebrada na Basílica de São Pedro pelo Cardeal Cañizares.

Missa Pontifical celebrada na Basílica de São Pedro pelo Cardeal Cañizares. Foto: Rinascimento Sacro.

Às 14:30, a longa procissão de confrarias, clero e fiéis, que partiu de San Salvatore, do outro lado do Tibre, atravessando a Ponte Sant’Angelo, depois de ter subido toda a Via della Conciliazione, passava as portas da Basílica vaticana para se juntar à multidão de fiéis que já estava em seu interior. E às 15 horas, visivelmente radiante, o Prefeito do Culto Divino iniciou a Missa Pontifical sob a Cátedra de São Pedro, diante de uma assistência de cerca de duas a três mil pessoas em torno da Cátedra de São Pedro, além da multidão atrás das divisórias e de um numerosíssimo clero secular e religioso. Como em outras cerimônias desta peregrinação Summorum Pontificum [cuja entrevista de apresentação foi publicada em português com exclusividade pelo Fratres in Unum], um dos pontos mais marcantes foi a presença maciça de sacerdotes diocesanos e seminaristas provenientes de diversas de Universidades Pontifícias, ou vindos para a ocasião da França, Estados Unidos, Inglaterra, etc.

Entre os prelados romanos que assistirão a cerimônia (Mons. Perl, Mons. Pozzo, que acabava de ser nomeado Arcebispo nesta manhã, Monsenhor Agostini, cerimoniário pontifício, etc.), a presença mais marcante era aquela, quase oficial, da Comissão Ecclesia Dei, com o seu Vice-Presidente, Dom Di Noia, ladeado por seus colaboradores e presidindo os membros do clero. Padre Almir de Andrade, [brasileiro] membro da Comissão, impecavelmente conduziu a cerimônia, auxiliado por um sacerdote diocesano, Pe. Cuneo. O sacerdote assistente foi Mons. Ferrer, vice-secretário da Congregação para o Culto Divino; o diácono, Pe. Barker, Vigário da paróquia pessoal [em Roma] dedicada à liturgia tradicional; o subdiácono, Pe. Reginal-Marie, da Fraternidade São Vicente Ferrer, sendo os outros ministros escolhidos dentre os seminaristas dos colégios romanos o dos cleros diocesanos.

Tudo visava a dar a entender que, partindo de uma situação de “privilégio” concedido, estamos agora a caminho — mesmo se ainda muito longe do objetivo — de uma situação normal, o extraordinário de ontem devendo se integrar pouco a pouco, passo a passo, nas paróquias, nas dioceses, nos movimentos de juventude, ordinariamente na vida da Igreja.

Procissão se aproxima da Basílica de São Pedro. Foto: The Remnant.

Procissão se aproxima da Basílica de São Pedro. Foto: The Remnant.

É o que o próprio Cardeal Cañizares enfatizou no final de sua homilia (muito espiritual), detendo-se sobre um tema que lhe é caro: o Motu Proprio é a pacificação da Igreja consigo mesma, com a sua Tradição, cujo eixo é a liturgia romana tradicional. Quando o “ministro da liturgia” de Bento XVI evoca com muita delicadeza a “iluminação” que a Constituição Sacrosanctum Concilium deve trazer a uma e a outra forma do Rito Romano, isso não significa dizer que, se ontem o Concílio foi explicado pela liturgia de Paulo VI, hoje ele pode também ser relido com o auxílio – para não dizer dizer com o filtro – da liturgia dita de São Pio V?

A emoção que contagiou os assistentes da Missa de 3 de novembro vinha da consciência de ver brotar essa revolução copernicana. O Cardeal recordou os objetivos da peregrinação: ação de graças e apoio à intenção do Santo Padre, comunhão “afetuosa” do povo Summorum Pontificum com o Pai Comum.

Anúncio da celebração do Papa que selará esta passagem da missa “extraordinária” à missa normal?

18 Comentários to “Neste 3 de novembro, na Basílica de São Pedro, a missa “extraordinária” é a missa normal.”

  1. Infelizmente nem todos pensam assim. Tomei conhecimento que os Carmelitas Tradicionais de Atibaia estão sendo desalojados pelo bispo de Bragança Paulista, que deu um prazo de 6 meses para desocupação. Peço oração de todos, para que eles arrumem um local apropriado para se instalarem, pois ao que parece nenhuma diocese no Brasil quer acolhe-los.

  2. Bom mesmo é quando houver a Missa do Galo na forma de sempre, com exibição na Rede Glo[bo]bo.
    Aí eu quero ver a cobra fumar!

  3. José é verdade isso. Os carmelitas eremitas tradicionalistas de Atibaia vão ser despejados, e realmente ele (o bispo) deu um prazo, tive conversando com uns freis e um de seus postulantes, realmente é uma situação muito dificil para eles, eles precisam de nossa oração… quanta perseguição a missa tradicional, mas a causa do despejo pelo que ouvi falar foram os arautos do evangelho que estão querendo comprar o terreno do bispo… bom, rezemos por eles para que eles encontrem um lugar bom, com um bispo que apoie eles, que frei Thiago consiga atravessar esses caminhos para melhor.

  4. José, não acredito que o Bispo de Bragança Paulista deu um prazo de 06 meses para religiosos deixarem a diocese! Misericórdia, custa acreditar que isso ocorre na Igreja de Deus, um Bispo expulsando leigos inteiramente consagrados a Deus, para a sua glória e para o bem das almas, principalmente as da diocese onde estão. Cor Iesu Sacratissimum, miserere nobis. Flos Carmeli, ora pro nobis.

  5. Pois é, Tiago, nesta semana ja não haverá missas pois eles vão procurar um local.Evandro; não acredito que seja por isso, pois a pessoa me comunicou, até se propôs a conseguir um local em Bragança. O problema é que o bispo é que não aceita.

  6. Não sou adepto da Dialética Hegeliana mas é incrível como a história apresenta paralelos inesperados. Nos anos que se seguiram à morte de Pio XII, Henri de Lubac, Rhaner, Congar e todos os progressistas a serviço da “Aliança Européia” saíram do armário e começaram pouco a pouco a se posicionar nos postos-chaves, como num tabuleiro de xadrez. Ao mesmo tempo, vozes de resistência se intensificavam à medida que os progressistas iam ganhado espaço nos seminários, nas faculdades católicas e na mídia. A situação que se delineia hoje parece ser exatamente igual a dos anos 60 só que no caminho inverso….tradicionalistas ganhando espaço nas ações da Santa Sé acompanhado de protestos dos progressistas “em plena comunhão”.
    No sonho de D. Bosco, um Papa acompanhado de uma multidão se afasta de Roma por “duzentos levantares de Sol” e neste tempo, a Terra cobriu-se de trevas e de mortos . As trevas só cessaram quando o Papa retornou a Roma. Sugestivo….

  7. Se realmente for como o José está dizendo o bispo de Bragança Paulista está de parabéns , ele está fazendo muito bem o papel do diabo em perseguir os filhos de Deus . Que vergonha !!

  8. “a mensagem do Papa, em francês, lida no início da cerimônia”
    Opa, eu quero dar uma lida nessa! Alguém já está disponibilizando a tradução ou tem link dela no original?

  9. José, bom, foi algo que ouvi deles e de pessoas ligadas a eles, e ainda por cima, nã querendo fofocar, mas até local fora da Diocese eles andam procurando, até daquela administração apostólica já pensaram, mas que també será dificil, pois a posição deles é um pouco melhor do que a da administração. E pela informação de próprios é por causa dos arautos do evangelho que querem comprar o terreno, oferenco um bom preço a diocese, o porque não sei… mas com tantos lugares eles querem logo o mosteiro, por causa de que? Não sei, e eles também não sabem, o que podemos supor mas sem uma confirmação.

  10. Que absurdo.!! Alguém poderia denunciar a proibição ao Vaticano? Tentar nunca é demais.

  11. Por qual motivo o bispo está agindo assim?

  12. Não é o assunto específico do post porém o Frates poderia buscar mais informação a respeito dos carmelitas. Situação triste dos grupos que buscam a tradição pois é só dar uma olhada em volta pra ver que quanto mais bagunçado e desrespeitoso é o grupo, mais incentivo se tem…….

  13. É, tem padres por ai que ficam tentam enfiar na cabeça dos tradicionalistas que o concilio Vaticano II é bom, e que os modernistas que aproveitaram e alteraram e bla bla ficam tentando apagar a mancha negra do concilio que estragou a Igreja.

    3 mês atras conheci um padre muito ”piedoso” o unico da diocese que usa todos os paramentos sacerdotais na missa vamos dizer era um ”santo”. na ultima conversa que tive com ele falando que eu não iria para seminário onde os seminaristas estudam junto com leigos (com certeza protestantes também) na puc pois ele no tempo que estava aqui(pois ele estuda no Vaticano) tentava me empurrar pra dentro do ”seminário” por não ter conseguido ele tem ódio fermente por mim, bom à ultima das conversas que tive com ele. ele me disse e dai e dai? eu estudei lá…e falei mas não é certo seminaristas estudando com leigos.. e ele, e dai Jesus não era LEIGO? fiquei espantado com tal resposta,pois Jesus é Sumo-Sacerdote e Deus Encarnado e Filho de Deus não um mero leigo..
    E no evangelho do mesmo dia caiu a pergunta quem era Jesus Mt 16,15.. com maior cara de pau Ele disse UM LEIGO… e encerrou a homilia e aparentemente pelo rosto saiu resmungando com ele mesmo.

    Anseio pela missa tridentina mas em minha diocese não há e nem adianta pedir porque os padre são tudo secularizado e liberais… se algum dia um vier a celebrar aqui sera um escândalo pois tudo o que é bom e segundo ao que a igreja pede aqui é escândalo ate ser ordenado de batina é.. Uma vez um diácono transitório infelizmente abriu a boca antes de ser ordenado.. ele falava que os padre se vestiam falavam e celebravam como protestantes e que deviam se corrigir-se e dentre outras coisas… os padre se juntarem e impediram ordenação sacerdotal dele..Não há cuidado e zelo na catedral de minha cidade toda suja tintura. sem santo na maior parte dos lugares que era pra ter o pároco investiu 70 mil na reforma da casa das irmas, em vez da catedral e fica falando que não tem dinheiro pra reforma da catedral da pra acreditar? é só um dos exemplos do buraco que minha diocese ta.

    infelizmente a Tridentina mais próxima fica a 200 km e não tenho condições de ir lá.

    Pax

  14. Ana Maria: Na gravação da homilia do frei que eu recebi, ele deu a entender que o bispo quer que eles tirem o habito e mudem o modo de vida. Talvez queira que eles usem botas e calças jeans, frequentem academia etc. Por enquanto o unico local que eles conseguiram foi no Paraguai.

  15. José, obrigada por responder.

  16. “Tudo visava a dar a entender que, partindo de uma situação de “privilégio” concedido, estamos agora a caminho — mesmo se ainda muito longe do objetivo — de uma situação normal, o extraordinário de ontem devendo se integrar pouco a pouco, passo a passo, nas paróquias, nas dioceses, nos movimentos de juventude, ordinariamente na vida da Igreja.”
    Queira Deus que assim seja. Mas, se esse dia esta’ distante na Europa, aqui no Brasil a coisa e’ muito pior. Pois, se depender dos nossos padres cantores, da renovacao carismatica e de muitos dos nossos Bispos, a maioria esmagadora dos fieis brasileiros nunca sentira’ sequer o odor de incenso de uma Missa Romana Tradicional. E’ comum vermos membros do nosso clero debocharem publicamente desse santo rito. Triste, mas e’ verdade.
    Tudo seria diferente se nossos Bispos apoiassem a Missa Romana Tradicional. Mas, eles nao a querem. Na realidade, eles a detestam.
    Desde o Motu Proprio Summorum Pontificum, de 2007, iniciamos um longo periodo de guerra liturgica, que nao tem data para terminar. Deve demorar ainda algumas decadas, antes de termos a Missa Tridentina rezada e valorizada por uma parcela significativa de Bispos, padres e fieis no Brasil. Um tal dia vira’, conforme esperamos pela fe’, mas e’ possivel que ja nao estejamos aqui para ver.

  17. Caríssimos, SM! Rezemos pelos Carmelitas Eremitas, ramos masculino e feminino, que tanto bem tem feito às almas sedentas de Deus, inclusive a minha.
    O que acontece em Atibaia se deve, em boa parte, às intrigas de alguns padres, a perseguição à liturgia tradicional e a outros interesses escusos.
    Quem apoiou o início do mosteiro foi o então bispo diocesano de Bragança. Dom Bruno Gamberini, falecido arcebispo de Campinas – SP. Se a “ordem de despejo” não aconteceu antes foi porque Bragança é diocese sufragânea de Campinas. Com o falecimento de Dom Bruno acabaram-se de vez os “impedimentos”. Não acredito que o atual arcebispo (empossado em abril deste ano) vá querer se “indispor” com Dom Sérgio. Espero que esteja enganado! Infelizmente, no meio clerical, a política parece prevalecer sobre a salvação das almas. E quantas estão em jogo!
    Creio que a sugestão do leitor acima é boa, de fato, seria muito interessante que o Frates publicasse um artigo sobre o caso. Sabemos que este apostolado tem uma enorme projeção e poderia ser uma “ferramenta” para ajudar a impedir tamanha injustiça! Juntos somos fortes. Abraço fraterno a todos!