Na Alemanha, católicos convidam protestantes para celebrar ecumenicamente os 500 anos da Reforma.

Lubeck (Rádio Vaticano) – O Comitê Central dos Católicos Alemães (ZDK) convidou ontem os protestantes para celebrar de forma ecumênica o quinto centenário da Reforma a ser festejado em 2017. O convite foi feito durante a realizaçãodo Sínodo da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), realizado na cidade de Lubeck.

Falando no Sínodo protestante, o presidente do comitê católico, Alois Glück destacou que “cada vez é mais evidente que existem muito mais coisas em comum do que coisas que separam as duas Igrejas, e que existe uma vontade de continuar a crescer juntos”, refere a Agência Sir. Gluck falou ainda sobre os grandes desafios dos cristãos atualmente, entre os quais “a necessidade da transmissão da fé” e “a nova intolerância em relação às religiões na aparência de uma ideologia secular agressiva”.

Também o presidente do Conselho dos protestantes, Nikolaus Schneider, criticou a difusão de comportamentos críticos e agressivos em relação às religiões, como aquela recente polêmica em relação à cincuncisão. Por outro lado, Schneider destacou as “numerosas atividades sobre a base dos recentes acordos firmados entre a Conferência episcopal alemã e o Conselho dos Católicos em preparação às comemorações em 2017. (JE)

Leia também: Cardeal Koch sobre os 500 anos da Revolução Protestante: “Não podemos comemorar um pecado”.

Tags:

21 Comentários to “Na Alemanha, católicos convidam protestantes para celebrar ecumenicamente os 500 anos da Reforma.”

  1. 1517 – Início da “reforma” protestante (Encontro da Imagem de Nossa Senhora da IMACULADA CONCEIÇÃO “Aparecida” no Brasil);
    1717 – Surgimento oficial da maçonaria;
    1917 – Início da revolução russa (Aparição da Santíssima Virgem Maria em Fátima, alertando-nos contra os erros da Rússia e pedindo a consagração do mundo ao Imaculado Coração).

    O Sagrado Coração de Jesus, através de Santa Margarida Maria Alacoque, havia pedido, 100 anos antes da maldita revolução francesa, a consagração da França a Ele – os reis franceses não o fizeram e a monarquia francesa acabou.

    O Imaculado Coração de Maria pedia a consagração do mundo e nenhum papa, infelizmente, a fez adequadamente ainda. Em 2017, completar-se-ão 100 anos da Aparição de Fátima e do pedido não atendido… o que será que acontecerá com essa sociedade ateia do século XXI?

    Sugiro as leituras: “A conjuração anticristã” (Monsenhor Henri Delassus) e “O derradeiro combate do demônio” (Padre Paul Kramer).

  2. Vejam como eles se amam. Não é lindo!!!!!

  3. Deus precisa agir no mundo porque as coisas estão indo de mal a pior .. e a impressão que tenho é que o número de inimigos é muito maior do que o número daqueles que procuram ser fiéis à Igreja . Eu sinceramente não vejo outra solução a não ser que Deus intervenha em favor da Igreja , senão a coisa vai ficar muito feia , ainda pior do que já está .. sem querer ser sensacionalista.

  4. Chega a ser asqueroso isso.

  5. Bela atitude!!

  6. Crescer juntos? Tá de brincadeira? Tem que cortar o mal é pela raiz! Ecumenismo só se for para dizer aos hereges que fora da Igreja não há salvação. Isso é ecumenismo.

  7. A festa é dos protestantes e os católicos que convidam para celebrar?!?!?!?!

    Seria cômico se não fosse trágico!

  8. Comemorar um pecado????

    As vezes acho que são feitas certas declarações só pelo prazer pequeno de ser do contra…

  9. Sabia que, mais cedo ou mais tarde, iria acontecer uma vergonheira dessas. Só não sabia que seria tão cedo. Deus queira que o papa, seja lá quem o for em 2017, não tema em dizer sem retoques as incômodas verdades sobre a mais engenhosa obra do diabo, operada no seio da cristandade. Que diga sem retoques, por mais que soe desagradável aos ouvidos afetados dos irenistas.

  10. O fato de 500 anos de reforma é para chorar….

  11. Gabriel, desculpe mas Nossa Senhora Aparecida foi achada em 1717.

  12. Na hora que vier o castigo, vai dançar todo o mundo. E em 2017, penso que o baile vai começar!

  13. FRATRES?
    Que é isso “cumpanheiros”???
    Deixem eles chamarem seus irmãos separados, são todos apóstatas e herejes.
    Lembrem-se, “um gambá cheira o outro!”
    Só não podem deixar de convidar para seu “convívio fraterno”:
    * A Maçonaria;
    *Os comunistas;
    *Os ateus;
    Senão, seu pai comum, o velho parlapatão, o diabo, vai ficar muito triste…
    Ah, no final das celebrações será que vão apresentar um show do Fávio de Mel ou a “aeróbica do senhor” ???
    Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
    Diante de tudo isso, aquela perguntinha:
    ESSA IGREJA CONCILIAR É SÉRIA?
    Depois fico com aquela dúvida:
    É COM ESSA GENTE QUE O MONS FELLAY QUER ESTAR EM PLENA COMUNHÃO???
    Nooooooooooossaaaaaaaaaaa…
    Ah, o mais bonito será contemplar D. Rifan durante a celebração do 5º centenário da “reforma luterana”, nas cãomemorações da CNB do B…
    FRATRES, desculpem-me, mas não dá pra dizer outra coisa senão:
    Dá-me alma$$$$$$$$$$$…
    Rir pra não chorar.
    Boa semana a todos.

  14. Deus abençoe cada vez mais o encontro de irmãos. “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado”. “E nisto reconhecerão que sois meus discipulos. Parabéns, sobretudo nesse momento em que o sínodo sobre a nova evangelização, convocado pelo papa Bento XVI, apontou nas discussões um ponto forte: ecumenismo e diálogo inter-religioso. Repito: “nisto, no amor, reconhecerão, que sois meus discípulos”.

  15. hummm… entendo. O resultado dessas atitudes, que já duram algumas décadas, realmente está aí pra todos verem, um país “cristianíssimo” a Alemanha dos ecumaníacos. Reunião de “católicos” e luteranos” na Alemanha deve ter a mesma média de idade dos encontros dos veteranos de guerra nos EUA.
    Ninguém pensa com lógica nesse grupo? Com certeza o objetivo não é converter ninguém, nem protestante, já que não precisa; nem de qualquer outro grupo, já que para os olhos de quem não conhece os detalhes não faz sentido entrar numa religião que assume como bom o seu esfacelamento.

  16. A reflexão é enxergar o ponto que chegamos.
    Não é para fazer piada.
    O problema é um grupo de católicos alemães fazendo média diante de algo que dividiu a Igreja.
    Uma coisa seria rezar pela unidade dos Cristãos. Fazer uma vigília, jejuns, em comum. Mas nunca celebrar.
    Isso é para chorar.
    Acho necessário pedir sempre perdão a Deus por essa divisão.
    O corpo de Cristo está partido…
    Triste…

  17. É verdade, Hélio! Muito obrigado! Sabia que havia uma relação com o final “17” e me confundi entre 1517 e 1717. Eu acho incrível como o Céu, representado por Sua e Nossa Rainha, sempre se manifesta quando o mundo está às vésperas de um acontecimento terrível para as almas!
    Que o papa do ano de 2017, a exemplo dos papas pré-Vaticano II, diga, às claras, que o protestantismo é heresia e exerça o verdadeiro ecumenismo: convidar, de coração e com os braços abertos, os hereges e pagãos a entrarem no Único Rebanho do Senhor, que é a Igreja Católica Apostólica Romana! SALVE MARIA!

  18. Como é que é? Os católicos estão chamando os protestantes para comemorar juntos o aniversário de quinhentos anos da Reforma feita por Lutero? Que absurdo é esse? Que loucura é essa? É como se meu pai fosse duramente agredido, açoitado com chicote, despojado de seus bens, tivesse sua autoridade contestada, e depois eu chamasse o agressor do meu pai para alegremente comemorarmos juntos o aniversário da agressão ocorrida. Que tipo de filho seria eu? Péssimo! Amaria não meu pai, mas o agressor. O que esses católicos alemães estão fazendo é a mesma coisa. Na Reforma de 1517 Lutero lançou uma nova doutrina, atacou o Papa e a Igreja Católica, fez (na verdade, continua fazendo através de seus seguidores) milhões de fiéis abandonarem a Igreja Católica e ingressarem nas mais diversas denominações protestantes, passando os mesmos a não ter comunhão com o Papa, a não aceitar os sete sacramentos, a rejeitar intercessão dos santos e a atacar os privilégios de Maria Santíssima. Agora, esses “católicos” alemães chamam os protestantes para participarem juntos, fraternalmente, com alegria, do aniversário do acontecimento em que a Igreja Católica e o Papa foram mais atacados, desacreditados e abandonados em sua história!!!???
    É a capitulação final diante do protestantismo. Não faltava mais nada.
    Que tipo de católicos são esses? São pessoas que odeiam a Igreja Católica. Não dá pra pensar o contrário. Se querem comemorar o aniversário da Reforma protestante, é porque acreditam que ela está certa. Ora, a Reforma detesta o Papa, detesta a doutrina católica, detesta a Missa, detesta a Tradição. Logo, esses “católicos” detestam as mesmas coisas. Por que não se declaram logo abertamente protestantes, ora bolas?? Ficam de corpo presente dentro da Igreja para que? Para destrui-la e para enganar os fiéis?
    Absurdo! Vergonhoso! É pra chorar mesmo.

  19. Caros FRATRES Luiz Fernando e J. Marques;
    Muito claro o que se passa nessa tal igreja conciliar.
    Porém, os “neo-con” insistem em tentar disfarçar ou melhor, dar uma nova compreensão da triste realidade, na qual eles estão imersos.
    São o pior tipo: os cegos que NÃO querem ver.
    Acreditar na seriedade dessa tal igreja conciliar é a mesma coisa que acreditar no coelhinho maluco da Alice no país das maravilhas, ou no saci-pererê(para ser “inculturado”).
    Esses pobres neo-con se iludem, baseando-se numa falsa obediência, num servilismo irracional, enfim, acompanham aos apóstatas sucessores do ISCARIOTES.
    Ainda ebm que cada dia mais e mais Católicos vão tomando consciência de que é necessário conter essa maldita “revolução”, nascida na desgraça conciliar.
    Parabéns pelas ideias e pelo pensamento coerente, profundo e evidentemente CATÓLICO.
    Saudações em Cristo.
    Felipe Leão.

  20. Errata:
    onde se lê ebm, entenda-se bem.
    Abração.

  21. Prezados Luíz Fernando e Felipe Leão. Salve Maria!
    Agradeço a ambos pelas gentis palavras, e peço encarecidamente suas orações.
    Esqueci-me de acrescentar que em 1917, quando no mundo protestante eram comemorados os 400 anos da revolta de Lutero contra a Igreja Católica, Nossa Senhora, em Fátima, disse que para nos salvarmos deveríamos confessar nossos pecados ao sacerdote e receber a comunhão reparadora nos primeiros sábados de cada mês. Recomendou, ainda, a oração freqüente do Santo rosário e mandou que rezássemos pelo Papa. Portanto, a Mãe de Deus recomenda, valoriza e confirma o que os protestantes negam, rejeitam e abominam (o Sacramento da Confissão, o Santíssimo Sacramento, a devoção Mariana e a devoção ao Papa). Ela só conhece uma religião: a Igreja Católica Romana. Para nossa salvação, só aponta um caminho: o que é dado por essa mesma Única Igreja. Nada de protestantismo, nada de ecumenismo conciliar. Isso é algo muito significativo. Como não ver nas palavras de Maria Santíssima uma condenação tácita ao protestantismo, justamente quando este completava 400 anos?
    E estaria Nossa Senhora nos alertando para o fato de que a grande apostasia significaria que muitos dentro da Igreja Católica, tanto membros do clero como fiéis leigos, passariam no futuro a professar doutrinas protestantes? É bem possível.
    E o que será que nos espera em 2017, quando não só no mundo protestante, mas lamentavelmente em determinados ambientes ditos “católicos” (como na Alemanha) se fizer a comemoração dos quinhentos anos da horrenda Reforma luterana, que fez e faz tantas almas sairem da Única Igreja de Cristo?