Os sábios levitas que zelam por nossa liturgia.

ultima_cetel_2012

Comissão Episcopal para os Textos Litúrgicos realiza última reunião do ano

Brasília (Rádio Vaticano) – A Comissão Episcopal para Tradução dos Textos Litúrgicos (Cetel), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), está reunida – nos dias 11 e 12 de dezembro –, para dar continuidade ao trabalho de revisão do 3º Missal Romano Tempo Comum.

Dom Armando Bucciol, bispo responsável pela liturgia na CNBB.

Dom Armando Bucciol, bispo responsável pela liturgia na CNBB.

Esta é a última das três reuniões que a Comissão realiza no ano para analisar a tradução para o português dos textos originais que são em latim. À frente do encontro está o presidente da Cetel e da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia, Dom Armando Bucciol.

A tradução é complexa por ser tão detalhada e minuciosa. Com isso, o trabalho se torna demorado pela sua exigência na fidelidade dos textos e riqueza em detalhes. A Comissão ainda leva em conta outras características como a adaptação da linguagem que evolui e, dessa forma, há todo cuidado em acompanhar essas modificações.

Cada trecho do Missal traduzido é analisado pelos membros da Cetel, até que cheguem à unanimidade. Em seguida, o texto é mandado para os bispos em todo o Brasil, para que façam emendas. “O trabalho está procedendo, enviamos aos bispos uma parte do Missal para uma apreciação”, esclarece Dom Armando.

Padre Hernaldo Pinto de Farias, assessor da CNBB para a liturgia.

Padre Hernaldo Pinto de Farias, assessor da CNBB para a liturgia.

Após a aprovação das emendas pela Cetel, o texto é levado para aprovação na Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. Se o texto for aprovado, em votação dos bispos, é enviado ao Vaticano, para que seja reconhecido pela Santa Sé. O presidente da Comissão revela que parte do material já foi mandada. “Enviaremos para Roma a segunda parte do material que já foi aprovado na Assembleia Geral deste ano. E assim, de ano em ano, pretendemos continuar, apresentando à assembleia uma parte e depois, esperamos a resposta definitiva do Vaticano”.

De acordo com o Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia da CNBB, Padre Hernaldo Pinto de Farias, o trabalho de tradução está caminhando como previsto.

Assessor do Setor Música Litúrgica da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia da CNBB, Padre José Carlos Sala.

Assessor do Setor Música Litúrgica da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia da CNBB, Padre José Carlos Sala.

“Os trabalhos estão avançando muito bem. Agora vamos concluir a revisão dos prefácios, e depois daremos continuidade às demais partes do Missal”, afirma o assessor.

Outra característica de muita relevância na tradução dos textos é a musicalidade. Segundo o assessor do Setor Música Litúrgica da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia da CNBB, Padre José Carlos Sala, o texto deve ser traduzido para o português, de forma que possa ser cantado. “Os textos das preces eucarísticas, das orações, especialmente, e também do ordinário da missa, devem seguir uma métrica fluente e regular, para que seja possível musicar os textos”, explica o Padre.(BF-CNBB)

Tags:

29 Comentários to “Os sábios levitas que zelam por nossa liturgia.”

  1. De ano em ano vai prosseguir? E eu aqui, todo esperançoso, achando que já estava pra sair esse Missal.. :( Affff

  2. A liturgia evoluiu tanto que chegou nesta anarquia que vemos hoje. E ainda querem “evoluir” mais?

  3. vamo lá minha gente, o número de fiéis cai de ano em ano, isso mostra que essa comissão é competentíssima na obra de demolição interna.

  4. Pra completar, as roupas usadas por eles nas fotos……..que tristeza!

  5. tradução= traição da CNBB!

  6. Que lindo perceber o empenho da CNB do B. Eu tenho orgulho de ser brasileiro. De fato, o brasileiro não desiste nunca. Ante um desafio tão magnânimo e de tão suprema relevância é perceptível a fleuma brasileira por realizar um belíssimo trabalho. O que seria do catolicismo brasileiro sem a CNB do B? Esses bispos moram no meu coração.

    Um detalhe importante: como é possível que eles não tenham analisado a possibilidade de convidar o Latino e/ou a Banda Calypso para colaborar nesse trabalho de musicalização litúrgica no vernáculo? Alguém precisa, urgentemente, enviar essa sugestão para a Comichão.

  7. É a única equipe de trabalho que conheço que não estabelece prazos nem tem que prestar contas.

  8. Concondo com a Maria Cristina, se nem como sacerdotes e bispos eles se vestem adquadamente imaginem a versão que vem por ai!!!

  9. Caríssimos,

    “…adaptação da linguagem que evolui…”

    Imagino algo aos moldes YOUCAT: “Leitura do e-mail de São Paulo aos Corintios” !

    Perdoem-me o sarcasmo…

    OMNIA INSTAURARE IN CHRISTO

  10. Por que os senhores estão preocupados? Em primeiro lugar, de bispos vestidos com camiseta não podemos esperar nada. Em segundo lugar, o que muda? Vão trocar “todos” por “muitos”, “ele está no meio de nós” por “e com o teu espírito” e coisas do gênero? Isso não altera o cerne da liturgia pós-conciliar. Não, obrigado, vou continuar a frequentar a Santa Missa Tridentina.

  11. Santo Deus, a comissão de tradução dos EUA foi rápida e fez um trabalho que, até onde ouvi falar, é bastante fiel.
    Como não admitir que essa demora toda (a 3a edição é de 2002, só teve umas pequenas emendas em 2008) se dá por conta de embates ideológicos???

  12. “Um detalhe importante: como é possível que eles não tenham analisado a possibilidade de convidar o Latino e/ou a Banda Calypso para colaborar nesse trabalho de musicalização litúrgica no vernáculo? Alguém precisa, urgentemente, enviar essa sugestão para a Comichão.” rssssssssssssssssssssss

    Eu acrescentaria alguma banda funck pra animar essa galerinha, outra de forró,….etc….Afinal, o lixo, em sua grande maioria, que são os hinários da CNBB são hilários….
    Vão esperando que Roma vai aprovar a traição que vocês estão fazendo, cambada…vão esperando…Continuem na ilusão do reino da época de D. Isnard,…
    Agente ri pra não chorar…
    Olhando a fotos desses senhores tão bem vestidos causa-nos uma “alegria” tão deprimente que custa-nos pensar a que ponto chegou nossa hierarquia…Cruz credo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  13. Parece mais uma reunião de empresários.

  14. Se todos usassem o Missal Tridentino, essa comissão não teria razão de ser! Eles não traduzem eles deturpam.

  15. O problema não é de tradução, é a missa toda!

  16. “Os textos das preces eucarísticas, das orações, especialmente, e também do ordinário da missa, devem seguir uma métrica fluente e regular, para que seja possível musicar os textos”

    Tá, mas em que ritmo? Marcha-rancho ou forró? Pois baseado nos últimos CDs da CNBB… não esperem nada de bom.

    Graças a Deus agora assisto à Missa tridentina e não sou obrigado a ouvir este lixo cultural há um bom tempo.

  17. Lembrem-se sempre: em Fátima Maria Santíssima N CITOU MISSA.

  18. O Marcelo em 12/12/2012 – às 5:32 pm – comentou algo muito interessante: peguem o Hinário Litúrgico da CNB do B, é algo latismável. As músicas e as letras na sua maioria são de chorar. Qualquer pessoa/ músico que enteda de liturgia e boa música, sabe do que estou falando. É de chorar.
    Enfim, a CNB do B é formada por um bando de apóstatas marxistas.

  19. Quanto tempo UM tradutor leva pra fazer uma tradução fiel do missal em latim? Duvido que seja mais do que um ano!

  20. sou sincero em dizer mas não perco tempo vendo nenhuma orientação de cnbb nem documento de cnbb mas vejo e estudo os do santo padre e orientação liturgica do vaticano que é coisa de primeira linha

  21. “Após a aprovação das emendas pela Cetel, o texto é levado para aprovação na Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. Se o texto for aprovado, em votação dos bispos, é enviado ao Vaticano, para que seja reconhecido pela Santa Sé.”

    O mais é triste a aprovação do Vaticano.

  22. Observando a indumentária destes senhores me pergunto quando os presbíteros católicos passarão a ser exemplo ao homem comum e não o contrário.

  23. Eles estão traduzindo um missal mas não conhecem nem o código de direito canônico que manda, obriga os monges a usarem seus hábitos sob pena de pecado mortal.

    Alexandre Antunes,

    até os evangélicos tem em se hinário o “Adeste fidelis”, duvido que o da CNBB “católica” o tenha. E se tiver o adeste fidelis, vão traduzi-lo fazendo perder toda a beleza do canto latino.

  24. Ana Maria, N. Senhora não citou Missa porque não precisa citar.. Já existe um mandamento da Igreja que diz que devemos cumprir o preceito dominical, certo? Ela nunca contradizeria um mandamento da Igreja, pare de re-interpretar as coisas, isso é conduta de protestante.

  25. contradiria, perdão

  26. Ricardo, o meu nome n foi citado no livro O Derradeiro Combate do Demônio, portanto, n sou eu quem [re-interpreto] Fátima! Quanta a conduta protestante vou relevar, é quase Natal, enfim….

  27. Esqueçam a CNBB, um ajuntamento de velhos ripongas de fé frágil, tirante um ou outro bispo de fé… O católico deve obediência tão somente à Roma, evidentemente. Se a CNBB fosse fiel à Igreja, as coisas certamente seriam melhores. Mas isso não é razão para os que ainda creem na Igreja em sua integridade, sem condições ou relativizações, arrefecerem o espírito. Deus preside no zelo pela Tradição. Ponto final. Quem não gosta que acerte contas com Ele, muito embora desde pronto alerto que isto não é lá muito prudente.