Coando um mosquito e engolindo um camelo.

Suíça: calvinistas sim, lefebvristas não.

Por Padre Guillaume de Tanouarn | Tradução: Fratres in Unum.com – Charles Morerod é dominicano, participou das discussões doutrinais entre a FSSPX e Roma. Posteriormente, foi nomeado bispo de Lausana, Genebra e Friburgo.

Dom Charles Morerod, OP

Dom Charles Morerod

Ele acaba de publicar normas para admissão aos locais de culto, em nome dos “bispos e abades territoriais da Suíça”. Após ter recordado o direito da Igreja (ponto n° 1), ele declara que “outras Igrejas cristãs e comunidades eclesiais” poderão ter acesso aos locais de culto católicos “por razões de necessidade pastoral” (ponto nº 2). No entanto, “religiões não-cristãs” receberiam “uma resposta negativa” — este é o ponto n° 4.

Entre os pontos n° 2 e n° 4, há o ponto n°3 e é aí que mora o problema. Ele trata da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, da qual recorda a ausência de “posição canônica”, bem como de “ministérios legítimos” para seus membros. Logo, poderíamos imaginar que esta Fraternidade seria tratada como outra comunidade eclesial, ou como outra Igreja Cristã — e que seus sacerdotes se beneficiariam do ponto n° 2. Mas não é caso, eles são proibidos de « qualquer serviço sacerdotal » nas igrejas e capelas suíças.

Em termos gerais, Dom Morerod efetua uma hierarquia entre aqueles que não estão em comunhão com Roma. Os tradicionalistas da FSSPX vêm depois de outras comunidades (luteranos, ortodoxos, anglicanos, velhos católicos, calvinistas) e não têm o direito à mesma delicadeza. É o caso de tratá-los não como os irmãos separados, mas como os não-cristãos.

A mão estendida por Bento XVI é uma coisa. Mas na prática, esse desejo de acolher se mostra, de tempos em tempos, menos claro.

26 Comentários to “Coando um mosquito e engolindo um camelo.”

  1. Benevolência até com Satanás, menos com FSSPX.

  2. Eu ainda não sei o que a FSSPX está a dialogar com Roma… eu ainda não sei…

  3. E viva o ecãomenismo e a hierarquia senil, vegetativa e desdentada do 50ão agonizante!

  4. O lance é suco de uva!

  5. Pois eu já penso que quem está certo é o Vaticano e junto com ele o tal do dominicano Charles Morerod. A FSSPX precisa se decidir de que lada está. Se do Vaticano ou da Tradição. Ficou no meio do muro nas ultimas conversaçoes… Dá-lhe Charles Morerod !!!

  6. Casa de ferreiro, espeto de pau!

  7. Nossa…. Tratados como os não-cristãos? Essa Igreja pós-conciliar me causa perplexidade todo dia…

  8. Pois eu já penso que quem está certo é o Vaticano e junto com ele o tal do dominicano Charles Morerod. A FSSPX precisa se decidir de que lada está. Se do Vaticano ou da Tradição. Ficou no meio do muro nas ultimas conversaçoes… Dá-lhe Charles Morerod !!!

    Concordo! Os protestantes e demais seitas de Satanás, fundadas pelo demoníaco Lutero decidiram de que lado estão, ao lado do pai da mentira e do erro, e com isso, adquiriram direito de usar nossas lugares sagrados de culto. A FSSPX é pior que isso! Eles são mais que satânicos, são piores que Lutero, Calvino, Henrique VIII.

    Para os servos de Lutero, toda honra; para a FSSPX, o rigor da lei. Oh epocazinha viu!

  9. Mas isto de dizer que Roma é quem tem que se decidir, ora não tem proporção, pq Roma é Roma, ou se acredita que ali está a Sede do Beatíssimo Pedro e tem um sucessor dele na cadeira, e portanto se obedece a Roma, ou então …

  10. Jose Maria, maravilha então! Se é a Santa Sé que está correta neste caso, então a FSSPX pode usar as igrejas que quiser, afinal, eles tem usado a Basílica de Sâo Pedro!!!!!!

  11. Mas é uma loucura querer tomar partido contra a Santa Sé !!! |

  12. Luiz Fernando, esta doutrina de duas romas é protestante, só há uma Roma, a Roma Eterna, Mãe e Mestra da Verdade. A questão é muito simples, ou se obedece e se mantem católico ou não se obedece e tornou-se protestantes, herege, cismático, sectário … é isso.

  13. Onde está a novidade? O fato desse dominicano estar entre os peritos que participaram das negociações não significa que ele seja simpatizante da FSSPX.
    Pelo que Dom Fellay nos revelou na Conferencia de Toronto no dia 29 de dezembro, houve momentos em que o clima ficou tenso a ponto dos tais peritos se exaltarem e dizerem claramente:
    _ Vocês tradicionalistas agem como protestantes, que pegam e escolhem na Tradição da Igreja apenas aquilo que é conveniente.
    Ao passo que ele respondeu na cara:
    _ E vocês são modernistas, pois acham que a Tradição da Igreja evolui com o tempo e com as novidades.
    O tom dessas conversações estava muito longe de ser amistoso.
    Por que então Dom Fellay concordou com o convite? Muito simples, por que o convite veio do Papa e não dos tais peritos.
    Os peritos da Comissão Ecclesia Dei enviavam cartas ameaçadoras e o Secretário do Papa enviava outras em seguida mandando Dom Fellay engavetá-las.
    No tocante a essa decisão de Dom Morerod onde está a novidade e por que o espanto? Todo ano peregrinamos ao Santuário dos Mártires Canadenses e as celebrações da FSSPX são ao relento, debaixo de chuva, altar improvisado enquanto dentro da Catedral onde estão as reliquias dos Santos que morreram em defesa da Fé, toda sorte de sacrílego tem acesso, voz e vez:

    http://www.flickr.com/photos/sspxcanada/sets/72157631608708176/

    Enquanto perdurar a situação canônica irregular, os Bispos Modernistas usarão desse artificio pra proibir a entrada dos padres da SSPX em suas igrejas.
    Já estamos acostumados com isso. Mas não podem impedir nossa entrada no território de suas dioceses moribundas, pois enquanto eles proibem padres tradicionalistas de celebrar em suas dioceses, as noticias que chegam é que as 105 igrejas da Arquidiocese de Berlim serão reduzidas a 30 paróquias até 2020 e na Austria o Cardeal Arcebispo de Viena, Dom Christoph Schönborn, também anunciou sua decisão de reduzir as atuais 660 paróquias da arquidiocese para 150.
    Cumpre-se então aquela profecia no tocante à infidelidade do povo de Deus:

    “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!
    Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta;
    Porque eu vos digo que desde agora me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor.

    Mateus 23:37-39

  14. José Maria,

    “ou se obedece e se mantem católico ou não se obedece e tornou-se protestantes, herege, cismático, sectário … é isso.”

    Então a FSSPX tem o direito de usar as igrejas e capelas suíças, pois elas estão à disposição dos protestantes, hereges, cismáticos, sectários etc. Mas, curiosamente, a FSSPX não merece o tratamento “ecumênico” dispensado aos filhotes do satânico Lutero. Você não vê a contradição?

  15. Não existe duas Romas. Isso é um artifício retórico para legitimar a desobediência. Roma já esteve afundada em corrupção e pecado e a alternativa para a purificação nunca foi a de obedecer “a outra Roma”. A Unidade da Igreja se perfaz na sé de Roma e tergiversar dessa verdade perene é flerta de muito perto com o cisma. Repito: Não há duas Romas. Roma é una, transcendental e indivisível. Só se é fiel à Roma quem se submete à autoridade plena do Vigário de Cristo. Seja lá em que estado a Igreja esteja. Pois, independentemente de como ela esteja, ela ainda é a Igreja de Cristo. E fora dela não há Salvação.

    Se o bispo é um canalha herege, isto em NADA concorre contra a autoridade da Igreja. Não, bispos hereges, corruptos e tantos outros não foram invenção do CVII. Logo, por mais decadente e perniciosa esteja a situação do clero, a unidade da Igreja não se esfacela, pois Deus assim quis que fosse.

    A FSSPX tem que tomar uma posição logo. Ou assume-se como cisma ou retorna à unidade regular com a Igreja. E ponto final. Eis chegada a hora de os líderes da fraternidade tomarem um choque de realidade e se dar conta de que o retorno à plena comunhão não será ladeado de sorrisos e aplausos. E nem poderia ser diferente, afinal, se o clero está em desgraça e os padres da FSSPX zelam pela Tradição, nada mais natural que antipática sejam as reações a um acordo definitivo. Todavia, ilusão maior ainda é esperar que nessa situação de irregularidade canônica a FSSPX conseguirá santificar as gerações como tanto apregoa desejar.

    A luta a ser travada contra o Diabo é lutada em Roma. Fora de Roma todo o esforço é vão.

  16. Claro, a FSSPX é a única a acabar com a festa ecumênica e inter-religiosa. Isso estragaria a religião universal maçônica pós-conciliar do anticristo…

    Os dominicanos e franciscanos, outrora defensores da fé, tornaram-se tonéis de fermentação de heresias – nenhuma surpresa…

  17. Devagar com o andor. O erro do comunicado foi misturar dois raciocínios num mesmo documento.

    Desde tempos imemoriais que a Igreja permite que não-católicos usem suas igrejas em determinadas circustâncias. Isso sempre foi muito comum no oriente onde paróquias católicas e não-católicas convivem lado a lado. É uma questão prudencial que depende das circustâncias específicas de cada caso.

    Já em relação à SSPX, a situação é completamente outra. Reparem que estender as mesmas facilidades à FSSPX significaria dizer nas entrelinhas que ela não é católica e portanto deve ser tratada como a “igreja” luterana, por exemplo.

    É justamente por ser a SSPX católica que D. Morerod dá-lhe outro tratamento. Esse tratamento é mais “duro” porque a situação da SSPX continua infelizmente irregular. Deveria ser claro a todos aqui que uma sociedade sacerdotal católica em situação irregular tem sacramentos ilícitos e não deveria oferecê-los. Seria espantoso se um bispo católico concedesse facilidades de culto a uma sociedade sacerdotal católica em situação canônica irregular.

  18. É embriaguês demais…e com suco de uva!

  19. “A FSSPX tem que tomar uma posição logo. Ou assume-se como cisma ou retorna à unidade regular com a Igreja. E ponto final.”
    Fernando, e quem dá o ponto final? Você? Nem a Comissão Ecclesia Dei deu o “ponto final”. Nem mesmo o Papa deu nenhum ultimato. Exatamente por isso existe negociações, encontros, colóquios.
    Se só se é fiel à Roma quem se submete à autoridade plena do Vigário de Cristo, então temos meia Igreja excomungada pois os liberais mais radicais dentro da Igreja só se submetem em aparencia, mas na prática não dão à mínima para o que o Papa determina.
    Ao contrário do que vc afirma, se um Bispo é um canalha herege, isto em TUDO concorre contra a autoridade da Igreja, pois um herege contumaz não apenas está automaticamente fora da Comunhão com a Igreja como também não ouve a voz da autoridade. Pelo contrário, ele desacredita-a.
    Infelizmente é isso que temos visto com frequencia por dioceses americanas, onde Bispos dão comunhão a politicos que promovem aborto, abrem grupos de apoio a gays em suas dioceses, promovem teólogos heréticos que questionam abertamente a autoridade papal, fazem das Universiades Católicas centros de resistencia e rebelião aberta contra tudo que vem da autoridade maxima da Igreja.
    A maioria dos Católicos liberais nos Estados Unidos nutre uma profunda antipatia por Roma, que segundo eles, “não entende as necessidades das igrejas locais”.
    E assim como no USA, em dioceses do mundo inteiro o que não falta são Bispos modernistas minando não só a fé do povo nos dogmas da Igreja, mas a própria fé do povo na autoridade papal.
    Ser fiel à Roma e se submeter à autoridade plena do Vigário de Cristo não é o mesmo que agitar bandeirinha diante do papamóvel ou gritar jargões em corinho nas Jornadas Mundiais da Juventude.
    Aliás, se perguntarmos à maioria desses jovens que frequentam esses encontros sacrílegos se eles ja leram alguma enciclica desse mesmo Papa ou do anterior, a maioria nunca leu e se leram discordam de muita coisa.
    Ai então se aplica aquelas palavras de Cristo, segundo às quais, aquele que acredita em suas palavras e na sua autoridade, segue os seus mandamentos.
    Segundo informações que vem de fontes ligadas ao Papa e que mantém o canal aberto com Dom Fellay, a intenção do Papa era e é regularizar a situaçao canônica dos padres da SSPX sem nenhuma pré-condição, ou seja, do mesmo modo que foi feito a anulação das excomunhões.
    Dom Fellay não revelou nomes, mas tudo leva a crer que a tal fonte seja o Secretário Pessoal do Papa, o Padre Georg Gaenswein, ex- seminarista em Econe:

    http://www.oggi.it/focus/cronaca/2012/06/08/padre-georg-gaenswein-prega-per-dimenticare-i-corvi-del-vaticano/

    Por causa disso, Padre Georg está na mira do que ele chama “corvos ou abutres” do Vaticano.
    Segundo palavras do proprio Dom Fellay, o fato é que alguns membros da Curia não concordaram e exigiram que essa regularização só fosse feita sob a condição de que a FSSPX concordasse com pelo menos alguns pontos do Concilio Vaticano II.
    Antes mesmo de se entrar no assunto da situaçao canônica, foram discutidos a questao da Liberdade Religiosa, do Ecumenismo e da Missa Novus Ordo,
    Já se sabia de antemão que tal acordo estava fadado ao fracasso porque combater as consequencias nefastas daquele Concilio é a raison d’être da FSSPX.
    Mas mesmo assim, mesmo contra o gosto de muitos dentro da propria FSSPX, Dom Fellay concordou em conversar com tais elementos.
    Não por concordar com eles ou acreditar na seriedade de suas intenções, mas por reconhecer a autoridade do Romano Pontifice e sua obrigaçao como Bispo de atendê-lo quando for convocado.

  20. JB:

    Então, as “igrejas” protestantes estão em situação regular? A heresia foi institucionalizada? O budismo foi regularizado perante a Santa Sé? A FSSPX estaria atrapalhando o mingau inter-religioso?

    Que eu saiba, não-cristãos que frequentavam igrejas cristãs era durante a Missa dos catecúmenos para serem catequizados antes da data de seus batismos…

    Dá para nos explicar isso direito?

  21. Luis Fernando, as pessoas as vezes falam de coisas das quais eles não tem o menor conhecimento e aí acabam caindo no terreno das próprias opiniões e conjecturas pessoais sem nenhum respaldo.
    Eu estive com Dom Fellay, sou fotógrafa dos eventos da SSPX designada pelo Superior Geral do Canadá, gravei toda a Conferencia e ainda tive oportunidade de conversar privadamente sobre vários assuntos que circulam na internet e que não passam de especulação. Posso revelar no entanto aquilo que já é de forum público como os “vazamentos” do Vatileaks aos jornais italianos.
    Só pra dar um exemplo, numa carta endereçada ao Cardeal Bertone, junto à Secretaria de Estado datada de 14 de janeiro de 2012 o numero 1 do Supremo Tribunal da Santa Sé relata o fato de ter encontrado sobre sua escrivaninha um convite para uma celebraçao com o Papa prevista pra seis dias mais tarde, por ocasião da aprovação da liturgia do Caminho Neo Catecumenal.
    O alto prelado se demonstrava muito conturbado e até certo ponto furioso e revela na carta: “Não posso, como Cardeal e membro da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, deixar de expressar à Vossa Eminencia o espanto que tal convite me causou. Não recordo de ter ouvido qualquer consulta no tocante à aprovação de uma liturgia própria para esse movimento eclesial. Eu recebi, nesses últimos dias, de várias pessoas, até mesmo de um estimado Bispo americano, expressões de preocupação no tocante a uma tal aprovação papal, da qual esses ja haviam tomado conhecimento. Tal notica pra mim era puroboato ou especulação. Agora acabo de descobrir que eles tinham razão”. E assim termina a carta do Cardeal Burke a Bertone: “Como fiel conhecedor do ensinamento do Santo Padre sobre a reforma litúrgica que é fundamental para a nova evangelização, retenho que a aprovação de tais novidades litúrgicas, mesmo depois da correção das mesmíssimas por parte da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, não são coerentes com o magistério litúrgico do Papa”.
    O conteudo de trechos dessa carta foi publicado no jornal La Republica:

    http://www.repubblica.it/esteri/2012/06/03/news/vaticano_il_corvo-36447247/

    De onde se conclui que toda essa baderna litúrgica que se vê até no Brasil, são promovidas por padres infiéis sob o beneplácito ou patrocínio de Bispos traidores que não dão à mínima para o que é estabelecido pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos ou o magistério litúrgico do Papa.
    Dizem que há marido que é cego, pois prefere manter uma esposa que o traia mas que finja manter a aparencia de união e de respeito à sua autoridade. Creio que o mesmo se aplica àqueles fiéis cegos que preferem a aparência de unidade e obediencia do que a honestidade e a coerencia de fé e de princípios.

  22. Luiz Fernando:

    Eu também acho que diante de tantos outros abusos e hostilidades vindas de nossos “irmãos separados” a atitude desse bispo é ela mesma espantosa (ou, talvez, nada espantosa).

    Mas, tecnicamente, à luz do direito canônico, ele não está errado.

    Márcio:

    Budistas, luteranos, mulçumanos etc. estão em situação “regular” diante da Igreja no sentido que todos sabem e admitem que eles não pertencem a Ela. Por esse motivo, em determinadas condições, a Igreja permite que eles usem os seus templos. Isso acontece desde tempos imemoriais e não apenas em busca de novas conversões. Muitas vezes tratou-se simplesmente de necessária conveniência diplomática e caridade cristã, situação comum em países onde três ou quatro religiões diferentes tentam conviver.

    Evidentemente, ignoro a situação da diocese em questão para fazer uma avaliação da pertinência concreta dessa colaboração. Penso que caiba ao bispo é capaz de julgar se tal colaboração é justificada ou não.

    O problema da FSSPX, por outro lado, é estarem num limbo.

    Afinal, a SSPX filialmente faz parte da estrutura normal da Igreja Católica, visível na Terra sob Bento XVI? Ou a SSPX pertence a uma outra igreja católica (a da “Roma Eterna” não-conciliar) e portanto deve ser tratada como um “irmão separado”?

    Infelizmente, não dá para querer o bônus (pertencer ao clero católico romano) sem o ônus (obedecer ao Papa e bispos mesmo em matérias meramente disciplinares).

  23. A respeito da discussão em torno da regularização canônica da FSSPX, tomei o cuidado de traduzir e transcrever na íntegra o que Dom Fellay disse a esse respeito na Conferencia do dia 29 de Dezembro:

    “Agora, umas poucas palavras sobre a situaçao canônica: criaram muito tumulto pra nada, fingindo que eu disse coisas que eu nunca disse, falsificando minhas palavras quando nós nunca finalizamos nenhuma discussão a respeito da situação canônica da FSSPX. Nós examinamos alguns pontos, eu fiz algumas citações, alguns pontos eram aceitáveis, outros não eram, mas Roma nunca nos deu uma proposta final, ficou tudo no nivel da discussão. Sobre os pontos principais e sobre uma falsa acusação que fizeram contra mim é que eu teria aceitaria a condição de que nós ficaríamos sob a jurisdição do Bispo local. Isso é loucura! É totalmente impossível! Nós temos o exemplo da Fraternidade de São Pedro, do Instituto do Bom Pastor e nós sabemos bem o que esses Bispos fazem. Eles colocam esses padres onde eles querem, eles os transformam em marionetes.
    O único modo de continuarmos nosso apostolado é termos nossa própria autonomia ou seja, nossa própria jurisdição. E é bom que isso fique claro pra todo mundo. Mas ha quem diga que eu coloquei essa objeção apenas na segunda parte de nossas condições a Roma. Por que? Porque nós já temos tudo isso, no projeto da oferta que nos foi feita, isso já estaria concedido e nós já temos nossa própria jurisdição sobre os fiéis ligados a nós.
    Outra coisa que andaram dizendo e que pertence ao mundo da ficçao é que eu teria dito que nosso Capitulo seria dissolvido dentro de 3 anos e erguido novamente. Isso é loucura. De fato o que Roma disse a mim é que eles reconheceriam todos os lugares em que nós celebramos Missas. E que reconheceriam todos esses lugares como Capelas Católicas, Capelas da Igreja Católica. E eu disse a eles: tudo bem, acho isso muito louvável, mas eu ainda vejo um problema aí. Por exemplo, se nós alugamos a sala de um motel num lugar remoto pra celebrar Missa uma vez por mês ou uma vez em dois meses, vocês vão declarar esse Motel como Igreja Católica também? Como vocês podem ver, o problema é real. E eles me disseram: “Ok vamos pensar sobre esse problema, pode ser que tenhamos uma solução. Que tal colocarmos então todos os lugares que vocês ja celebraram Missa nos últimos 3 anos? Nesses lugares vocês terão o direito de construir, de estabelecerem Capelas Católicas”.
    Foi isso que eu comuniquei e alguns sairam espalhando essa loucura de que eu havia concordado em dissolver o Capitulo, demolir capelas e por ai vai. O ponto é que não precisamos negociar nada pra continuarmos ostentando o titulo de Católicos, por que somos Católicos e temos o direito de permanecer como tal. E não serei eu a fazer um toma-la-da-cá, um acordo com modernistas para ser reconhecido como Católico. Porque com esse tipo de gente nós sabemos que não dá pra se trabalhar.
    Mas por outro lado, temos que reconhecer que ha algumas pessoas na Curia da Igreja com quem dá sim pra se trabalhar, porque eles concordam com nossa posição. Eles podem não ter por agora a coragem de se levantar e defender aquilo no que acreditam, mas eu digo: eles estão lá e se a gente conseguir construir junto com eles alguma coisa, poderemos ver uma certa reação dentro da Igreja. E eu posso garantir a vocês que tal reação já começou. É só um pequeno grupo que concorda conosco, que não o declaram abertamente, mas estão em contacto conosco e é impressionante observar que esse grupo tem crescido em número. Mesmo na Suiça, na Alemanha e na França. há Bispos que nos apoiam. É claro que o número é pequeno se formos comparar com o grande número que se opõe violentamente a nós.
    Apenas como ponto de reflexão seria interessante se perguntar, quem se opõe mais violentamente a qualquer reconhecimento da FSSPX por parte da Igreja Oficial? Examinem claramente e verão que são os maiores inimigos da Igreja: os judeus, os franco-maçons, os esquerdistas e os modernistas. Todos esses grupos fizeram uma pressão tremenda sobre as autoridades de Roma dizendo com relação a nós:
    _ Vocês não podem aceitar esse povo. Vocês não podem aceitar que esse povo seja reconhecido como Católicos.
    Houve dentre eles quem dissesse: “se o Papa reconhecer essa Sociedade, será ele então o cismático”. Houve um Bispo alemão que disse claramente:
    _ Se o papa permitir que a FSSPX seja reconhecida como Católica, sem que eles aceitem ou reconheçam o Concilio Vaticano II, então ele é que é o cismático.
    É muito interessante notar, que aqueles que mais temem um reconhecimento e regularização canônica da FSSPX por parte de Roma, são os inimigos da Igreja. E também um segundo ponto ainda mais interessante é o que esse povo dita a Roma. Eles dizem ao Papa: “o único modo possível para que esse povo da FSSPX seja reconhecido como Católicos é que você os obrigue a aceitar o Concilio Vaticano II. Ou seja, eles é que dão ordens a Roma: obriguem-os a aceitar o Concilio.
    Não é curioso que sejam exatamente os inimigos da Igreja a dar conselho à Igreja? E mais estranho ainda que o conselho seja justamente: Faça-os aceitar o Concilio? Interessante como esse Concilio é tão importante para os inimigos da Igreja! Como eu desejaria que os bons prelados em Roma pensassem melhor a esse respeito e refletissem. Pois eu digo a vocês, não serei eu a me jogar nessa situação impossível. Nós temos os nossos princípios. E o nosso princípio é que somos Católicos e como Católicos queremos permanecer . E para permanecermos Católicos temos que ser fiéis a tudo que fizeram nossos santos e ancestrais Católicos e ponto final, porque doutrina não muda ou evolui com o tempo.”

  24. É importante nunca se confundir a verdadeira obediência com a falsa obediência. É importante saber que todo motivo da nossa obediência se destina a glorificar a Deus sobre todas as coisas. Obedecer à autoridade é um mandato divino, mas obedecer ao êrro não é da vontade de Deus; Pecar junto com outros pecadores porque esses últimos estão revestidos de autoridade, não minimiza a gravidade do pecado. Lembremos aqui que até mesmo alguns mandamentos da lei de Deus têm as suas ressalvas, como o quarto mandamento por exemplo que nos obriga a obedecer aos pais, e no entanto, há situações em deveremos desobedecer, se for para fazer a vontade de Deus. O quinto Mandamento de não matar, há situações em que é permitido matar, e isso sem se incorrer em pecado de homicídio. E no entanto, desobedecer a autoridade é algo realmente gravíssimo, especialmente para um religioso. Mas, sempre tendo em mente de que toda a obediência é em virtude da autoridade de Nosso Deus Altíssimo e em sua honra. Portanto, obedecer ao êrro; ao pecado, desenra a autoridade de Nosso Senhor e O ofende conscientemente ou não não. E se consciente de que se está obedecendo no êrro, a gravidade do pecado é ainda maior. Hoje, há um hábito dos cardeais em Roma tomarem decisões por conta própria, muitas vezes contrariando a autoridade do próprio Papa, e afirmarem que são decisões papais. Usam a autoridade do Papa indevidamente para exporem as suas visões particulares mesmo em assuntos doutrinais, e empurram isso para a Igreja obedecer em nome do Papa, quando na verdade, o Santo Padre não é obedecido como deveria por causa dos famosos corvos infiltrados dentro da hieraqrquia do Vaticano.
    Mas, não é somente dentro do Vaticano. É só olhar para as infidelidades da CNBB do Brasil, que desrespeita frontalmente as decisões do nosso Papa. E como exemplo flagrante está o Moto Próprio sobre a Verdadeira Missa Católica.
    Que Deus me livre de ter que participar de uma missa em um terreiro de macumba porque o Bispo infiel me ordenou. Que DEus me livre de participar de um “culto ecumênico” porque um bispo traidor e infiel me ordenou a isso. Que Deus me livre de dar a Santa Comunhão para os fiéis na Igreja, durante a Santa Missa, prque um Padre ou Bispo infiel me ordenou a esse sacrilégio. Que Deus me livre de algum dia, seja por fraqueza ou por ignorância, vir a praticar a falsa obediência em vez de cumprir os Mandamentos de Deus, Nosso Senhor. Que Deus me livre de participar de uma campanha da fraternidade herética e pagã – CF, e ainda por cima, em plena quaresma, porque uma CNBB infiel e traidora me empurra isso göela adentro em nome de uma falsa obediência.
    Que Deus nos conceda a graça de permanecermos sempre fiéis em tudo à Santa Madre Igreja, aconteca o que acontecer. E que o exemplo de Santo Atanásio estaja sempre presente em nossa meditações de todos os dias, especialmente onde se pregam a obediência indiscriminada ao êrro e às aparências de legalidade, mesmo que obscura e em choque com as verdades de Fé genuinamente Católicas.

  25. Cismáticos e hereges são contra a Igreja de Roma igualmente. Fora com ambos!

  26. Vale ressaltar que, durante as conversações teológicas em Roma 2009-2010, nas quais o então Pe. Morerod era um dos representantes da Santa Sé, os peritos da FSSPX, sendo um deles bispo (Dom Galarreta), celebravam simplesmente na… Basílica de São Pedro. Ao menos até o fim de 2012, os sacerdotes da FSSPX, quando peregrinam a Roma, são recebidos normalmente para lá celebrar.