Para bispo, cardeal italiano se disse convicto de complô para matar Papa.

Blog do Camarotti – Apesar de negado publicamente, o próprio cardeal de Palermo, Paolo Romeo, chegou a relatar para alguns bispos próximos de que estava convencido da existência de um complô para matar Bento XVI. O Blog apurou que esse relato chegou a ser feito pessoalmente pelo purpurado italiano para um influente bispo da América Latina.

Há um ano, o jornal italiano Il Fatto Quotidiano revelou que haveria um complô para matar o Papa  e que o sucessor seria o cardeal de Milão, Angelo Scola. Segundo a reportagem, a revelação teria sido feita pelo cardeal de Palermo numa conversa reservada, durante visita à China.

O relato dessa conversa teria sido entregue ao Papa num documento confidencial escrito em alemão pelo cardeal colombiano Dario Castrillón Hoyos. Prefeito emérito da Congregação do Clero, o colombiano é um grande amigo do Papa.

“O Papa não foi assassinado. Mas renunciou ao cargo e agora Scola aparece como favorito. Isso tem sido comentado no Vaticano”, ressaltou ao Blog um importante prelado brasileiro, preocupado com o clima de beligerância na Cúria Romana.

Quando a notícia foi publicada, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi disse que a informação estava “tão fora da realidade e tão pouco séria” que não podia ser levada em consideração. “Parece incrível e não quero nem comentar”, acrescentou Lombardi, na ocasião.

Já o cardeal de Palermo, Paolo Romeo, negou as informações e disse que não havia qualquer fundamento na reportagem. Romeo admitiu ter ido à China, mas disse que foi “uma viagem particular” e “de curta duração, limitada só à cidade de Pequim”.

23 Comentários to “Para bispo, cardeal italiano se disse convicto de complô para matar Papa.”

  1. Essa renúncia de Bento XVI é muito misteriosa, acredito que poucos católicos estão percebendo que o Papa não abdicou unicamente por causa da falta de vigor físico e cansaço devido a sua idade. Lembro-me do que já vi a respeito sobre Pio XII, quando o Papa Pacceli ficou sabendo do complô de Hitler para sequestrá-lo, ele já tinha preparado tudo para renunciar, para que Hitler sequestrasse o cardeal Pacceli e não o Vigário de Cristo, concedendo assim a oportunidade dos cardeais presentes em Roma elegerem outro Papa. Estou começando a imaginar que Bento XVI possa ter agido também nesse sentido.

  2. Onde há fumaça, há fogo! é uma verdade incontestável. Pobre Igreja Católica, Apostólica e Romana que passa por um momento mais secular do que clerical. A apostasia já está aí… A parusia virá a seguir para colocar um fim nessa disputa de poder desses “cardeais” políticos e nada apostólicos e cristão….

  3. Tem Nostradamus de sobra na Igreja com internet banda larga!

  4. Desisti de profecias, só acredito vendo acontecer agora. Aliás, o que podemos fazer não é só isso? Fora rezar, é esperar.

  5. Qualquer pessoa um pouco curiosa, pode perceber que esta renúncia do Papa Bento XVI. Tem “dente de coelho” atrás disso. Como pode um Papa plenamente lúcito, caminhando normalmente melhor do que qualquer pessoa da sua idade. Derrepente, pede a sua renúncia. Alegando o seu estado de saúde precário para governar a Igreja. Logo na mesma hora eu percebi que existia outra coisa além disso. Mas fiquei calado, deixando a “poeira abaixar”. Para não falar demais.
    Com esta notícia, acabei de acreditar, que se tratava de outro assunto. Na realidade, o Papa tem muito inimigos que trabalha dentro do Vaticano, para destruir a Igreja. Mas também tem muitos amigos que trabalha lá, para o bém da Mesma.
    É preciso, que tenhamos sempre em mente, que o futuro Papa, também não vai aprovar os erros que os inimigos querem. O mundo tem que adpitar a doutrina da Santa Igreja; e não a Igreja ao mundo.
    Joelson Ribeiro Ramos.

  6. Eu não acreditava nisso. Até o dia em que o cardeal Magela reconheceu essa possibilidade como plausível em entrevista a Globo News. Complicado isso… Oremos pela Igreja e, sobretudo, pelo o papa que há de vir em breve para guiar a Barca de Pedro.

  7. Como ainda há Tomés na Igreja (“só acredito vendo”). Felizmente, a Igreja é conduzida pelo Espírito Santo, que reiteradamente suscita profetas para anunciar o Evangelho da Vida e denunciar as situações de morte no mundo (apostasia, hendonismo…). Pior. Supostos seguidores de Belzebu (“o deus das moscas”), colocam no mesmo patamar Nostradamus com os atuais profetas dos Céus (videntes de Mediugórie, Vassula, Pe. Gobbi e tantos outros) que anunciam os “Sinais dos Tempos”. Vou mais além, até o Pe. Gabriele Amorth, considerado o MAIOR EXORCISTA vivo do mundo (diocese de Roma), no seu livro: “O último Exorcista” (pg.132), nos revela que já buscou ajuda num sensitivo (“professor”) em seus exorcismos. E NUNCA se decepcionou nos seus diagnósticos (tudo esta relatado na obra, que recomendo a todos. Trata-se de uma leitura obrigatória para os dias de hoje). É claro que quem liberta é Cristo, os leigos não são exorcistas, pois não tem este mandato conferido somente aos sacerdotes. Aliás, como é atual a advertência do Senhor Jesus: “Se vocês se calarem, as pedras falarão”. Os “Acts of God” tem se manifestado após a renúncia antecipada do papa emérito Bento XVI: queda do raio sobre a cúpula vaticana (no final do dia), queda do meteoro na Rússia (veja o alerta no site da NASA), terremoto na Itália, fuga de milhares de golfinhos da costa oeste dos EUA (Califórnia), dentre outros.
    Finalizo com a famosa conclusão do teólogo marianao René Laurentin, que fez uma comparação muito interessante sobre as últimas aparições marianas no mundo moderno:
    - Inicialmente, em Lourdes, a Virgem aparecia de manhã;
    - em Fátima aparecia às 12h (meio-dia);
    - Atualmente, em Medjugorje ela aparece no final da tarde.
    Moral da história: Ele afirma que Nossa Senhora agora está aparecendo à tarde porque nós não estamos no começo, nem no meio, mas no fim, ou seja, estamos próximo ao final dos tempos, visto que o dia termina às 18h.
    O momento é de vigilância e oração.
    Quem tem ouvidos, ouça!

  8. Recordo-me da minha visita a dom Geraldo Majella, quando Secretário da Congregação para o Culto Divino e os Sacramentos, quando ele me entregou o bilhete para participar da celebração de beatificação de Frei Galvão, em 25 de outubro de 1998, quando acabava de chegar de Jerusalém. Dom Geraldo mostrou-me os aposentos do papa João Paulo II e me disse: “Ele já não tem mais tanta força assim! Mas penso que vai resistir até fo fim. Depois, Dom Geraldo Majella almoçou em casa, com a Ir. Sônia de Fátima Battagin, minha professora de grego. Deu-me então a resposta a minha Carta de 1997 (http://professorhermes3133.wordpress.com/carta-a-dom-geraldo/). A carta de 102 páginas, que deveria ser um breve agradecimento por ele ter me proporcionado a comunhão com o papa João Paulo II, termina com o segredo de Fátima. Lá escrevera: “Preciso da sua benção para multiplicar os talentos e atender o pedido de Nossa Senhora de Fátima: oração e vigilância. Tendo estado duas vezes na Europa, não estive em Portugal e tendo oportunidade, gostaria de me encontrar com Irmã Lúcia, e dizer-lhe, com a convicção do coração, de que, assim como ‘em Portugal se conservará sempre o Dogma da Fé’, o Brasil assistirá a mais extraordinária defesa da fé católica, no próximo século: defesa da fé e da vida.”. Em 2006, foi possível conhecer Portugal, e um dos momentos mais tocantes da minha vida foi na Cova da Iria (a mesma sensação de paz e serenidade de espírito experimentado em Jerusalém, no Horto das Oliveiras, e também no local do Sermão da Montanha). A celebração na Cova da Iria foi presidida por Dom Rohmer. Na entrevista a Gerson Camaroti, Dom Geraldo confirmou que Bento XVI correu risco de vida, no Vaticano. Relembrando a “Carta a Dom Geraldo”, de 1997: “Na minha escrivaninha estava o Manual de Orações, dos Missionários do Sagrado Coração. Da janela do meu quarto, eu via a coroa resplandecente de Nossa Senhora do Imaculado Coração. Nos Manuscritos e Cartas de Irmã Lúcia, encontrei as palavras do Menino Jesus proferidas à Carmelita Descalça, em 1925, numa aparição da Santíssima Virgem, na Casa das Dorotéias: “Tem pena do Coração de tua Santíssima Mãe, que está coberto de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos lhe cravam, sem haver quem faça um ato de reparação para os tirar”. Naquele instante, tocava a Ave Maria, de Johan Sebastian Bach e Charles Gounod, em orquestra de cordas e solistas. E chorei mais uma vez. Eu senti os espinhos no coração da Santíssima Virgem, como se estivessem no meu coração. Senti os espinhos no coração da Santa Igreja Católica, como se estivessem no meu coração. Senti os espinhos no Sagrado Coração de Jesus, como se estivessem no meu coração…”

  9. Insubordinação, traição, conspiração, subtração, fraude, ingratidão, usurpação, desfaçatez, rebeldia, intrigas, especulações, boatos, dissensões, dissidências … Como se a situação não estivesse já de tal forma insustentável, surge de novo, de volta agora a tona , rumores sobre um possível complô objetivando assassinar o Papa . O momento está mesmo tão seriamente grave e perturbador que não se pode de modo algum descartar a possibilidade de verossimilhança desta informação ( bem como também, deixar de considerar a hipótese de que se trate, nada mais que de alguma terrível e muito bem engendrada manobra de desinformação a fim de minar a candidatura de Schola … ) .

  10. Ok teólogos, intérpretes dos sinais da Parusia. Calo-me!

  11. Não duvido nada.

    Esses cardeais são um perigo. O clero, hoje. é um perigo. A Igreja só não acabou porque ainda há gente de bem nela e Cristo prometeu defendê-la.

  12. Lendo o discurso do Papa Emérito na quarta-feira de cinzas fica evidente a indireta sobre a podridão espiritual dentro da igreja! A mesma já denunciada na Biblia sobre os “sepulcros caiados, raça de viboras,…”.
    Já mataram um Papa e abafaram tudo. No caso do atual, porém, o assassinato ficaria mais evidente, eis que a Internet seria um meio de destroçamento moral do Vaticano ou da “Santa” Sé, caso isso ocorresse.
    A comoção seria tão grande que acabaram então, provavelmente, instigando Bento à renúncia, sabe se lá com quais argumentos e ameaças! As relações espúrias da Igreja com o mundo vai destruindo-a a cada dia e estamos realmente no início do fim.
    O AMOR está em vias de extinção. As pessoas não tem compreensão, não tem paciência muito menos caridade, não tem noção nem interesse pela justiça, mas apenas pela supremacia de suas idéias e etc.

    Servir e elevar o proximo, mesmo que as vezes estando errado, pode faze-lo sentir o exemplo!!! É isso que Bento XVI fez ! Deu o exemplo, desapegando-se do cargo e de suas idéias, dando claramente a mensagem de que iria orar ! O que significa que não mais lutaria diretamente no mundo, mas clamaria ao Pai !

  13. É preciso lembrar que cardeais, humanos que são, também podem se impressionar com teorias da conspiração. Ainda mais hoje em dia, quando elas estão na moda e muito sofisticadas. Alguém ouviu de alguém que ouviu de alguém que o Papa seria assassinado. Sei… Eu não acredito nem um pouquinho nessa história. É divertido ficar intrigado, imaginando complôs etc, como é divertido ler um romance policial. Mas, ainda que fosse verdade, duvido que Bento XVI renunciasse por causa disso. Bento XVI não é homem de fugir de uma boa briga. Basta ler os livros dele. Sua abordagem teológica não é de quem foge dos problemas por causa de qualquer dificuldade. Ele nunca teve medo de enfrentar questões dificílimas e bem práticas. E, sinceramente, se ele enfrentou ameaças – como ideias que poderiam gerar sérias dúvidas, por exemplo – no nível intelectual e espiritual, por que iria ter medo de uma ameaça de assassinato? Mas essa conspiração é só papo furado, baseado em livros de ficção e fóruns na internet. Estou convencido de que Bento XVI renunciou puramente por questões espirituais e limitações físicas, como ele próprio disse. É claro que ele tomou algumas medidas para que o processo de sucessão se dê da melhor forma possível. Ele sabe o que está fazendo e, tenho certeza, é para o bem da Igreja. E os cardeais – e outros religiosos – poderiam pensar em calar a boca, né? Vamos rezar e pronto! Chega de causar polêmicas desnecessárias.

  14. E outra coisa: alguns católicos parecem acreditar mais em teorias apocalípticas do que no próprio Evangelho: Deus virá como um ladrão, inesperadamente. Nem o Filho sabe quando será este dia. Então, em vez de ficar tentando adivinhar o Final dos Tempos, é muito mais prudente cuidar de ter um bom dia hoje!

  15. De tudo o que foi falado sobre a renúncia do papa, o mais plausível como motivo foi aquilo que ele alegou, ou seja, ausência de condições físicas e espirituais para seguir em frente.
    Mas é mais emocionante aderir às teorias fantasiosas, como por exemplo, taxar Bento XVI como um fantoche facilmente manipulado pela cúria romana. Justamente ele que estava mais de 30 anos nesse ambiente, constituindo-se como um profundo conhecedor de todos os meandros da Igreja.
    Ou acreditamos que o Espírito Santo é quem realmente está no comando e vivamos este momento na fé, ou tornemo-nos hereges e busquemos os falsos profetas com suas lábias sedutoras e enganadoras….

  16. Marcelo, segue meu desabafo final (o último comentário neste site católico).
    “Sede quentes ou frios, Morno Eu Vomito” (Apocalipse).
    Deus nos mostrou a legitimidade de pensar no futuro (Jo 16,3). O papa Paulo VI, em 31-dez-75, falava da necessidade de uma “santa futurologia”, que nos permita discernir os “sinais dos tempos” (Mt 16,3; Lc 12,56; Vat. II AA 14; LG 4; PO, 9 etc). Evidentemente, é impossível estabelecer uma cronologia precisa dos acontecimentos finais (Mt 24, 35-42), visto que Deus não revela nunca “o dia e a hora”; os atuais videntes (ir. Lúcia, NSa. de Fátima), dentre outros veem simultaneamente muitos acontecimentos que realmente não se sucedem dessa maneira; os apóstolos falavam ao mesmo tempo da destruição de Jerusalém e do fim do mundo…(Mt 23,39). “Deus não forneceudatas (Mt 24, 35); além disso, há uma grande pluralidade de circunstâncias e multiplicidade de acontecimentos revelados simultaneamente (Mt 24…). Por tudo isso, requer-se um esforço de síntese pessoal, muitos já o tentaram (Paul Bauchard, Patrick de lubier, dentre outros). O profeta, às vezes, vê em separado o que sucede simultaneamente e, outras vezes, ao contrário, é como se visse “filmes superpostos”, cuja ubicação no tempo e no espaço dificilmente ele compreende. Nosso Senhor nos mostra a urgência da Mensagem, a necessidade de “não perder tempo”, pois logo será demasiado tarde; pois os acontecimentos que se aproximam sucederão um depois do outro com grande velocidade (exemplo: revelação dos 10 segredos de Mediugórie). “Deus abreviará esses dias, caso contrário ninguém sobreviveria” (Mt 24,22), será a “pressura temporum” – a abreviação dos tempos. Deus continua e continuará enviando avisos e sinais para o mundo, pois não poder permitir que este caia no abismo sem fazer todo o possível para salvá-lo, embora os “eruditos” e os “sábios deste mundo” rechacem e condenem os Avisos de Deus, suas Obras Providenciais, o Sinais que Ele envia repetidamente à humanidade. Outros acreditam, mas por medo escondem sua fé e não dão testemunho. Nosso Senhor nos mostra que a Igreja deve viver a mesma história de Cristo: sua Paixão, Morte e Ressurreição: “ferido o Pastor, as ovelhas se dispersarão” (Zc 13,7), a perseguição virá por parte dos eruditos e “sábios” deste mundo. Alguém que “se assenta à Mesa do Senhor” se levantará contra Ele, é a traição de alguns dos Seus, o abandono de outros, a solidão, as multidões adversas: o coração de Cristo atravessado, assim como o de Maria, transpassado de dor, ambos coroados de espinhos; a recusa da Eucaristia – “dura é esta linguagem – muitos se afastaram dEle…”, a aliança dos inimigos contra Cristo; enfim, a Igreja será chamada a comungar com a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo e, somente assim, chegará ao Novo Pentecostes de Amor que transformará o mundo. Deus nos mostra que estamos na “hora de satanás”, na qual este é adorado (Ap 9,20; 13,12 e 16,2), honrado e se rende culto a ele em todos os lugares (satanismo, rock, ocultismo…), o qual atrai sobre o mundo todos os “castigos”. Os espíritos malignos vagueiam pelo mundo inteiro que, por isso, está perturbado em todas as partes; o culto ao demônio ocorre por meio do derramamento do sangue inocente dos abortados, verdadeiro culto a Satã, pois, através do aborto ele adquire enorme poder sobre a alma dos que o cometem; o mundo está dominado pelo maligno (1 Jo, 5, 19). Por isso também Deus lhe revelou a importância dos Anjos da Guarda e de São Miguel Arcanjo (Ap 12,7) na Hora atual, que é também a “Hora dos anjos”, os quais preparam os grandes acontecimentos vindouros e a Vitória Final de Deus. Embora o Vaticano garanta que Bento XVI renunciou apenas por questões de saúde, no sermão de quarta-feira de cinzas, o próprio papa denunciou a divisão do clero e a hipocrisia religiosa. Aliás, no discurso de posse, ele pronunciou uma frase que se tornava profética: pedia para Deus lhe dar forças para não ter medo dos lobos. Quem são os lobos? A MAÇONARIA ECLESIÁSTICA (denunciada pelo Pe. Gobbi). Mais. “Não vêm apenas de fora os ataques contra o Papa e a Igreja, mas os sofrimentos da Igreja têm origem do interior da própria Igreja, do pecado que existe no seio da Igreja” (disse o papa em Fátima- 21/05/10). Do seu pecado, do meu pecado, do pecado dos fiéis, dos diáconos, sacerdotes e bispos… não não devemos desprezar as profecias atuais (Pe. Gobbi, Mediugórie, Fátima…). Todavia, não é dogma de fé acreditar nas aparições e locuções de N.Sa. Somente o tempo, senhor da história, dirá se as profecias eram falsas ou verdadeiras.
    Enfim, o momento atual é GRAVÍSSIMO! Não é hora de polêmicas, mas sim de Silêncio, Oração, Deserto, Conversão Pessoal, Jejum e Esmola. DIAS DIFÍCEIS virão pela frente! Tudo sinaliza para isso (situação bélica mundial, clima, violência, cisma, assassinato do “bispo vestido de branco”, abolição do sacrifício perpétuo denunciado pelo profeta Daniel, grandes terremotos: big one nos EUA: Califórnia, uma grande bomba será lançada contra uma cidade da antiga Pérsia, perseguição aos cristãos, o povo russo será o povo no qual Deus será mais glorificado…). Detalhe: desde 01/jan/2001 Satanás está livre das correntes. Ele será futuramente preso com as singelas contas do rosário (oração mais poderosa que o poder de uma bomba atômica).
    A partir de hoje, encontro-me no meu deserto em sintonia com o meu PAI ESPIRITUAL, papa emérito Bento XVI.
    Quem viver, verá os cumprimentos integrais das profecias. Que todos estejamos preparados (física e espiritualmente) para a GRANDE TRIBULAÇÃO que se abaterá sobre a humanidade!
    Peço descupas a todos se por acaso ofendi alguém gratuitamente, pois o zelo pela Casa de Deus me consome.
    Feliz a nação cujo Deus é o Senhor.
    Vem, Senhor Jesus (Ap 22, 20).
    Saudações cristãs a todos.

  17. Marcelo,
    A bem da verdade, uma correção faz-se necessário: o Filho (Jesus, segunda pessoa da Santíssima Trindade) sabe COM CERTEZA quando será este dia! Caso contrário, Ele não seria Deus. Trata-se de um GRANDE equivoco cometido principalmente pelos Protestantes (que possui como única revelação tão-somente a Sagrada Escritura). Nós, católicos apostólicos romanos, temos como revelação os três pilares da fé: a TRADIÇÃO, a BÍBLIA e o autêntico MAGISTÉRIO DOS SANTOS PADRES. Pensava que essa dúvida já estivesse sido totalmente dissipada dos ambientes católicos, o que não é verdade. Como falta uma catequese na Igreja (“a messe é grande, mas os operários são poucos”). É preciso catequizar os batizados. Detalhe: a pior interpretação da Bíblia é a LITERAL. É por isso e por outras, que a IGREJA CATÓLICA (numa época distante), por cautela, evitava a propagação da Palavra de Deus a bel-prazer. Seria a mesma coisa que “atirar pérolas aos porcos”. Aliás, muitas vezes, Jesus contava para o povo uma Parábola (sem revelar o seu real significado) e, RESERVADAMENTE, explicava tal parábola (veja o caso da parábola do SEMEADOR (Mc 4,2-20). “Deus revela seus segredos aos humildes” (Eclo 3,20), para confundir os Poderosos.

  18. Eduardo Gregoriano
    2 março, 2013 às 11:07 am

    Tem Nostradamus de sobra na Igreja com internet banda larga!
    Na mesma proporção que existe os que cometem papolatria!

  19. Estou com Eduardo Gregoriano e com Marcelo: esse negócio de ficar procurando saber “o dia e a hora” que nem Nosso Senhor sabia — conforme ele mesmo disse — é PERDA DE TEMPO. Deixem que os protestantes se ocupem disso, que nós Católicos temos mais o que fazer. Rezar pelo conclave e pela Igreja em primeiro lugar, pois sempre é tempo de oração e vigilância… mas para que possamos dizer diante de Deus: “cumprimos o nosso dever e não perdemos tempo com especulações vãs”.

  20. Sim Ana Maria, na mesma extensão! Desculpe se quando disse que eu amava o Papa incuravelmente eu gerei algum tipo de escândalo! Amo minha família incuravelmente, ainda que ela me esbofeteie na cara!

  21. Eduardo Gregoriano, amo incuravelmente somente a Deus! Sigo a risca o primeiro mandamento, e faço uso do confessionário para faltas cometidas com relação aos outros.
    Vc pensa que n tenho vontade de dar gritinhos pro papa? Tenho sim. Mas ao fazer uso dos talentos dados por Deus, n posso emitir os gritinhos. Enfim, dê os gritos que quiser, mas permita gritos alheios tb. abraços

  22. Sobre o comentário do caro Marcelo acima, concordo. Não que as teorias de conspiração sejam sempre impossiveis, mas não gosto dessa abordagem conspiracionista a tudo que acontece na Igreja. Não gosto de tudo quanto é previsões que fazem sobre o futuro da Igreja, desde as de Nostradamus até as ditas do São Malaquias, de que não são confirmadas as veracidades. Profecias só dou atenção quando vem da Bíblia, do Senhor, de N. Senhora ou de santos ou videntes inspirados confiadamente em Deus. Como Jesus disse, ninguém sabe a hora, nem Ele, nem os anjos do céu, somente o Pai. O que se tem é só especulação, que parte muitas vezs do mundo hostil à Igreja.

  23. Caros Roberto Oliveira, Marcelo, Eduardo Gregoriano, Ronald Pinheiro,
    Por favor, parem de dizer IMPROPRIEDADES, tais como: “Nem o Filho sabe quando será este dia”, “Como Jesus disse, ninguém sabe a hora, nem Ele”, “o dia e a hora” que nem Nosso Senhor sabia”, “Nem o Filho sabe quando será este dia”.

    DIGO, REPITO E AFIRMO: JESUS CRISTO (segunda Pessoa da Santíssima Trindade) SABE A HORA.

    Somente um INCAUTO na fé diz uma bobagem dessa!

    Estudem teologia, revejam o Catecismo da Igreja Católica, consultem um religioso de renome (Pe. Paulo Ricardo, ou outros professores de teologia de uma casa de formação rigorosa: beneditinos…).

    Trata-se de um ERRO GROSSEIRO na fé, próprio dos Protestantes (que tem como única fonte de formação a Sagrada Escritura). Nós, católicos apostólicos romanos, temos além da Sagrada Escritura, a Tradição e o Magistério dos Santos Padres. E ponto final.

    De duas, uma: ou vocês são PROTESTANTES infiltrados na Igreja ou CATÓLICOS da Teologia da Libertação ou, ainda, faltaram a esta aula na catequese (ESCATOLOGIA CRISTÃ).

    Enfim, Jesus é Deus (e com tal), na sua essência Onisciente, Onipotente e Onipresente sabe de tudo. Inclusive quem será o próximo PAPA, desde já. “Quem me vê, vê o Pai”, “O Pai e Eu somos um”…

    Por favor, POUPE-NOS com tais expressões ditas aos quatro ventos.

    Caso contrário, confirmará a tese de que: “IGNORÂNCIA É ATREVIDA”.

    Leia o excelente comentário abaixo do Paulo, muito pertinente sobre o assunto:

    “Paulo
    3 março, 2013 às 2:46 pm
    Marcelo,
    A bem da verdade, uma correção faz-se necessário: o Filho (Jesus, segunda pessoa da Santíssima Trindade) sabe COM CERTEZA quando será este dia! Caso contrário, Ele não seria Deus. Trata-se de um GRANDE equivoco cometido principalmente pelos Protestantes (que possui como única revelação tão-somente a Sagrada Escritura). Nós, católicos apostólicos romanos, temos como revelação os três pilares da fé: a TRADIÇÃO, a BÍBLIA e o autêntico MAGISTÉRIO DOS SANTOS PADRES. Pensava que essa dúvida já estivesse sido totalmente dissipada dos ambientes católicos, o que não é verdade. Como falta uma catequese na Igreja (“a messe é grande, mas os operários são poucos”). É preciso catequizar os batizados. Detalhe: a pior interpretação da Bíblia é a LITERAL. É por isso e por outras, que a IGREJA CATÓLICA (numa época distante), por cautela, evitava a propagação da Palavra de Deus a bel-prazer. Seria a mesma coisa que “atirar pérolas aos porcos”. Aliás, muitas vezes, Jesus contava para o povo uma Parábola (sem revelar o seu real significado) e, RESERVADAMENTE, explicava tal parábola (veja o caso da parábola do SEMEADOR (Mc 4,2-20). “Deus revela seus segredos aos humildes” (Eclo 3,20), para confundir os Poderosos”.