Papa agradece a imprensa pelo trabalho ao longo do conclave e concede sua “benção silenciosa”. “Ah, como gostaria de uma Igreja pobre e pelos pobres!”

Francisco: “Quero uma Igreja pobre e para os pobres”

Cidade do Vaticano (Rádio Vaticano) – Milhares de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas fizeram fila e passaram por um controle rigoroso para entrar na Sala Paulo VI e participar da primeira audiência com o Papa Francisco na Sala Paulo VI. Muitos levaram também suas famílias.

Papa Francisco foi ovacionado pelo público. Sentou-se em sua cadeira no centro do palco e ouviu a saudação do Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, o Arcebispo Claudio Maria Celli.

Em seguida, leu um breve discurso, agradecendo todos pelo precioso serviço realizado nos dias passados, na cobertura do Conclave e em sua eleição.

“Vocês trabalharam!” – exclamou, recebendo um imediato aplauso. Disse ainda que a Igreja e a mídia estão juntas para comunicar a verdade, a bondade e a beleza: “Todos nós somos chamados a comunicar esta tríade, essencial”.

Papa Francisco quis explicar porque “o Bispo de Roma quis se chamar Francisco”. E contou, de modo informal, que a seu lado, no Conclave, estava sentado o arcebispo emérito de São Paulo, Cardeal Cláudio Hummes, “um grande amigo, grande amigo”.

“Quando a coisa ficou “mais perigosa” – prosseguiu – ele me confortava, e quando os votos chegaram a dois terços, momento em que há o aplauso habitual porque o Papa é eleito – ele me abraçou, me beijou e disse “não se esqueça dos pobres”.

“Aquela palavra entrou aqui – disse, indicando a cabeça – ‘os pobres, os pobres’. Aí, pensei em Francisco de Assis e depois, nas guerras. E Francisco é o homem da paz, o homem que ama e tutela a Criação… neste momento em que nosso relacionamento com o meio-ambiente não é tão bom, né?”.

Francisco é o homem que nos dá este espírito de paz, o homem pobre… “Ah, como gostaria de uma Igreja pobre e pelos pobres!”.

Depois de saudar pessoalmente alguns jornalistas, o Papa Francisco concluiu, em espanhol:

“Disse que lhes daria a minha benção de coração. Muitos de vocês não pertencem à Igreja Católica, outros não crêem. Concedo minha benção, de coração, no silêncio, a cada um de vocês, respeitando a consciência de todos, mas sabendo que cada um de vocês é filho de Deus. Que Deus os abençoe”.

* * *

O blog está em recesso até a Semana Santa. A moderação dos comentários pode demorar mais do que o habitual e notícias urgentes podem ser postadas a qualquer momento.

Tags:

22 Comentários to “Papa agradece a imprensa pelo trabalho ao longo do conclave e concede sua “benção silenciosa”. “Ah, como gostaria de uma Igreja pobre e pelos pobres!””

  1. “Disse que lhes daria a minha benção de coração. Muitos de vocês não pertencem à Igreja Católica, outros não crêem. Concedo minha benção, de coração, no silêncio, a cada um de vocês, respeitando a consciência de todos, mas sabendo que cada um de vocês é filho de Deus. Que Deus os abençoe”.

    Será que aprendi meu Catecismo errado? Me ensinaram que todos somos criaturas de Deus, mas que só nos tornamos filhos se formos incorporados ao Filho ( Jesus Cristo) pelo Batismo. Aliás, nessa onda de politicamente correto Papa Bergoglio deveria ter o cuidado de não ofender Judeus e Muçulmanos, já que ambas religiões consideram blasfemia dizer que Deus tem filhos.

  2. Na casa do Papa, dentro de uma sala de conferências pertencente à Santa Sé, pertencente à Igreja, dentro do país, Vaticano, que pertence à Igreja e que tem o catolicismo como sua religião oficial, a bênção católica, com os ritos católicos, tem que ser silenciada, em favor dos não crentes?

    E como ficam os jornalistas católicos, como essa que aparece aí no vídeo com a sua filha pequena? Não tem direito de receber a bênção da forma costumeira, com os ritos da Igreja?

  3. “…..respeitando a consciência de todos,…….”, porém sem respeitar os católicos presentes, que aguardavam a benção………

  4. Obviamente, se tratou de um sacramental inválido, como bem explicado aqui http://www.leforumcatholique.org/message.php?num=711818

  5. “Eu iria até o fim do mundo para transformá-lo num católico”!
    (Dietrich Von Hildebrand a um aluno seu, JUDEU)
    _

    Aqui o caso em detalhe, relatado pela mulher de Dietrich, Alice:

    TLM: Segundo suas observações sobre ecumenismo, a senhora não concorda com a política atual de “convergência” ao invés de “conversão”?

    AVH: Deixe-me relatar um incidente que causou grande pesar ao meu marido. Era 1946, logo depois da guerra. Meu marido lecionava em Fordham, e ali apareceu numa de suas aulas um estudante Judeu que havia sido um oficial da Marinha durante a guerra. Ele eventualmente contaria ao meu marido sobre um pôr-do-sol extraordinário no pacífico e como isso fê-lo se aproximar da verdade sobre Deus. Primeiro ingressou na Columbia para estudar filosofia, e ele descobriu que isso não era o que procurava. Um amigo lhe sugeriu tentar a filosofia na Fordham e mencionou o nome de Dietrich Von Hildebrand. Depois de apenas uma aula com meu marido, descobriu o que buscava. Um dia, após a aula, meu marido e seu aluno foram dar uma caminhada. Ele disse ao meu marido na ocasião que estava surpreso com o fato de que vários professores, após descobrir que ele era Judeu, asseguraram-lhe que não tentariam convertê-lo ao Catolicismo. Meu marido, estupefato, parou, voltou-se para ele e disse, “Eles disseram o quê?!” O aluno repetiu a história e meu marido lhe disse, “Iria até o fim do mundo para transformá-lo num Católico”. Para resumir a longa história, o jovem se tornou um Católico, foi ordenado sacerdote Católico e ingressou na única Casa dos Cartuchos nos Estados Unidos (em Vermont)!

    http://atanasiano.blogspot.com.br/2009/05/crise-na-igreja-pela-dra-alice-von.html

  6. Tudo isso seria muito cômico se não fosse trágico. Não sei se rio ou choro.

    Sabe o que pior, se ele tivesse concedido a benção em voz alta e expressado o desejo que todos alí tivessem a oportunidade de conhcer o Senhor da Igreja que agora ele dirige, ninguém se sentiria ofendido. É fato. Ninguém é obrigado a fazer a cobertura sobre a Igreja Católica. Já que os jornalistas optam por isso, creio que poucos ficariam melindrados pelo Papa estar agindo como Papa.

    Mais uma atitude externa que lhe serviu para ficar muito bem com a mídia.

    E quanto a Igreja pobre pelos pobres, não sabia que tinhamos uma Igreja rica e para os ricos. Não quero crer que seja isso o que o Papa pensa, ao expressar uma vontade que não é perceptível na realidade.

    Ningué vai dizer “quero uma Igreja rica e para os ricos.”

    Até porque a Igreja deve ser para todos, ricos e pobres. Pois todos necessitam de salvação.

    E a Igreja Militante deve resplandecer a Igreja triunfante. Primeiro no amor a Deus, depois na beleza de seu culto terrestre, que deve refletir a beleza do culto praticado na glória celeste.

    Se a Igreja edifica templos magníficos e altares suntuosos, Ela o faz para o seu Senhor. Jamais para sí própria. A riqueza da Igreja é para Deus. Nenhum de seus ministros pode utilizá-las em benefício próprio. E tudo é deixado em herança para aqueles que terão a honra em participar da Sucessão, para que continuem prestando um culto digno da magestade divina.

  7. Que não seja apenas mais um chavão Modernista. Se ele quer uma Igreja pobre é porque tem certeza que a Igreja é Rica.

    Uma das primeiras atitudes que ele poderia tomar seria proibir as Redes de TV Católicas de pedirem dinheiro até durante as Missas e 24 horas por dia.

    Vejam, Canção Nova, Rede Aparecida, Rede Vida e todas as outras tvs , rádios e jornais católicos. Nas Missas, em capelas e Igrejas, só se fala em DÍZIMO.

    É um verdadeiro escândalo.

    Em Trindade a coisa está muito feia, transformaram DEUS, Pai, Filho e Espírito Santo em uma imagem horrorosa de barro, transformaram Deus em ÍDOLO, porque dá dinheiro. Construirão uma imensa Igreja, sem a menor necessidade, porque dá dinheiro, e a INDÚSTRIA das ROMARIAS nunca faturou tanto.

    Adoração Perpétua com o Santíssimo Sacramento exposto, nem pensar, não arrasta multidões e a fonte seca.

    Felipe disse a Jesus:
    -Mestre, mostra-nos o Pai!

    Disse Jesus:
    -Felipe há tanto tempo estou convosco e pedes-me :- Mestre , mostra-nos o Pai?
    - Quem me vê , vê o Pai que me enviou
    - Eu e o Pai somos Um.

    Aparecida, nem se fala, pobre Nossa Senhora, objeto de troca e arrecadação.

    O Papa mais do que ninguém sabe que a Imprensa Mundial é ateia, sodomita, pornográfica e depravada, por que ele não aproveitou a ocasião e não os chamou à conversão, em vez desta conversa mole de ” bênção silenciosa”?

    - Será que a principal missão do Papa não é mais testemunhar Jesus Cristo e seu Santo Evangelho, todo tempo e toda hora, chamando-os à Conversão?

    Estou ficando apavorado, a Mídia Depravada e Ateia está gostando muito deste PAPA.

    - GOSTARIA MUITO QUE ELE FOSSE ODIADO PELO MUNDO, COMO JESUS FOI, É e SERÁ!

    O Mundo sempre odiou a Igreja de Cristo porque Jesus deixou bem claro:

    - Meu Reino não é deste mundo.

    Este Papa anda me assustando, será um novo Paulo VI, Coveiro da Fé Católica e da Igreja?

    Valha-nos , Deus, e vinde em nosso auxílio!

  8. “Igreja pobre”?!!! Como alguem pobre pode ajudar outro pobre? A Igreja é rica e sempre será, pois é dispensadora das riquezas de Deus nos sacramentos. Não há como dá ao infiel e POBRE pecador a riqueza necessária e indispensável para que tenha condições e seja incluído no reino de Deus.
    No batismo, torna o pobre pagão em cristão;
    Na comunhão, em irmão de Jesus Cristo e filho adotivo de Deus;
    Na confissão, recebemos mais uma vez a perdão de Deus, novamente podemos nos achar entre os herdeiros no céu…enfim muito mais entregou Jesus Cristo – pelos seus méritos infinitos – ao seu vigário, o sucessor de São Pedro, o Santo Papa Francisco, para que pudesse suprir as desgraças humanas.
    Quanta riqueza há na Igreja, quantos filhos pródigos fazem mau usa dela.
    “Empobrecê-La”(com heresias) seria uma maneira.

  9. Ora, acabou por abençoar da mesma forma… Logo, não “respeitou” a consciência dos não crentes e dos não católicos como disse que faria.

    Mudou a forma, mas permaneceu o conteúdo.

    Rezo muito para amá-lo, mas ainda não consigo.

  10. Depois fica difícil para os católicos poderem expressar sua fé em público, pois até o Papa acha que isso fere os direitos dos não crentes (ainda que esses estejam no Vaticano e em audiência com o Papa).

    Seria esse o carisma de São Francisco e de Sã Ignácio? Não expressar a fé católica diante de não católicos?

    Ouso dizer que não.

  11. Tá difícil, hein… Ouvir o Papa dá medo, e as conversas sobre o assunto que somos obrigados a ouvir (na convivência social e na mídia) dão náuseas.
    Fico pensando porque a mídia aprova tanto a “pobreza e humildade”. Definitivamente não é por considerar essas características como virtudes, senão as poria em prática.

  12. Ora, irmãos, o papa é o Bispo de Roma e na sua casa ele pode recber quem ele quiser, dar a ”bênção de coração” ou bênção tradicional! O fato de o papa dar a ”bênção de coração”não fere o dogma, a tradição imutável e cia. Que tempestade vocês fazem! Para que ”coar um mosquito e engolir um camelo?”. Há tanta coisa melhor para fazer na vida!

    José.

  13. Escrevi no meu blog VIA-VERITAS-VITA um post sobre “São Francisco de Assis e a caridade”. Lá pode-se ler: “O seráfico Pai proibia-os (os seus discípulos) severamente de julgarem ou desprezarem os que vivem nos prazeres e envergam suntuosas vestes. “Deus – dizia ele – é seu Senhor, com o é também dos pobres, e pode chamá-los e santificá-los”. Ordenava-lhes mesmo que respeitassem os ricos como irmãos e senhores: irmãos diante do Criador; senhores porque provêm às necessidades dos filhos de Deus e ajudam-nos assim a levar a sua vida penitente (Confira Tres Socii, n. 58).

  14. ”Se a Igreja edifica templos magníficos e altares suntuosos, Ela o faz para o seu Senhor. Jamais para sí própria. A riqueza da Igreja é para Deus. Nenhum de seus ministros pode utilizá-las em benefício próprio. E tudo é deixado em herança para aqueles que terão a honra em participar da Sucessão, para que continuem prestando um culto digno da magestade divina.”

    Bonito discurso, caro irmão Pedro Henrique! Pena que os Prelados na sua MAIORIA não conseguem viver o espírito de pobreza e isso porque o ambiente em que vivem no Vaticano exibe luxo, riqueza e esplendor. Se fizessem como São Francisco seriam menos tentados ao orgulho, materialismo e corrupções. O poder, o luxo corrompem, meu caro. E quem disse que Nosso Salvador exige pompa e ritos luxuosos? É possível que ensinar ao povo que todo o luxo e templos magníficos foram consagrados a Nosso Senhor seja uma forma de calar a voz dos fiéis, que sempre bradaram contra o luxo e a ostentação do Vaticano. Nosso Deus nunca pediu ritos, luxo e templos suntuosos. Disse o Senhor:” O CÉU ÉO MEU TRONO E A TERRA O ESTRADO DE MEUS PÉS. QUE ESPÉCIE DE CASA É ESTA QUE ME QUEREIS CONSTRUIR, E QUE ESPÉCIE DE LUGAR É ESTE ONDE DEVO REPOUSAR? TUDO ISSO FOI MINHA MÃO QUE FEZ, TUDO ISSO É MEU. É PARA ESTES QUE OLHO: PARA O HUMILDE E ABATIDO E PARA O QUE ACEITA COM TREMOR A MINHA PALAVRA.” (ISAÍAS 66: 1, 2). E São Paulo disse aos atenienses, acostumados a construir belíssimos templos para suas divindades: ”O DEUS QUE FEZ O CÉU E ATERRA NÃO HABITA EM SANTUÁRIOS FEITOS POR MÃOS HUMANAS.” (ATOS 17: 22-25).

  15. Ele me lembra João Paulo I

  16. Os críticos da Igreja pré-conciliar, falavam de uma Igreja do silêncio, essa “benção silenciosa” é a benção de uma Igreja sem voz, eles acabaram criando a Igreja do silêncio que tanto criticavam…

  17. Bento XVI falou outra coisa da mídia na Concílio, n foi?

  18. Não tardará o retorno da Igreja às catacumbas se as coisas continuarem nesse ritmo!

  19. Será que o papa Francisco seguirá o conselho de d. “Pelé”? Não acho muito provável!

  20. E eu achando que só pelo batismo fui feito filho de Deus…agora qualquer um é…

  21. “Pobres, sempre tereis convosco.” (Jo 12,8) Será que não se aprende isto nas aulas de formação sacerdotal? Infelizmente prega-se uma Igreja para este Mundo, o que vai totalmente contrário ao que Nosso Senhor pregou. “Vós estais no mundo, mas não sois do mundo…(Jo 16,18 e seguintes). Tomemos cuidado com essa “política” que agrada a todos, pois o mundo só ama, aquilo que é dele. Onde está a Adoração ao Único Deus? Santidade? A verdadeira Caridade? As trevas exteriores? Mortificação? Penitência? Conversão? Tudo que Nosso Senhor deixou nos Santos Evangelhos é antiquado? Ultrapassado? Os padres que pregam isto são os “cismáticos”? Se for assim, a estrutura da Santa Igreja estará comprometida, a barca de Pedro estará em risco de naufragar.“O Filho do Homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?” (Lc 18,8)

  22. Dom Hummes ao papa: “Não se esqueça dos pobres”.

    Traduzindo: “Não se esqueça da ideologia”…