Moral? Lobby gay? Bem, vamos falar de reforma agrária…

Apelo de Padre Lodi parece não surtir efeito, uma vez que a nota do CBJP permanece no sítio da CNBB e esta agora se esquiva de questões da imprensa sobre o assunto.

CNBB não comenta polêmica com Feliciano e pede ‘valorização’ de comissão

Folha de São Paulo – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) evitou se pronunciar ontem sobre a permanência do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, mas exortou o Congresso a “valorizar” o órgão.

“Não me parece que a CNBB tenha intenção de se pronunciar, a não ser no sentido de insistir cada vez mais que a Comissão de Direitos Humanos seja valorizada pelo próprio Congresso”, disse ontem d. Dimas Barbosa, porta-voz da entidade, durante o 51º encontro anual da CNBB, em Aparecida (SP).

Por outro lado, Barbosa discordou da declaração de Feliciano, feita em 2011 via Twitter, segundo a qual os africanos foram amaldiçoados por Noé. “Na realidade, nós é que levamos problemas”, disse.

O encontro da CNBB é o primeiro sob o papado de Francisco e acontece às vésperas da Jornada Mundial da Juventude.

Na pauta, os principais temas estão comunicação, a configuração de uma nova paróquia, a questão agrária e a participação da Igreja Católica nas eleições.

Os bispos devem aprovar, durante o evento, um documento, em discussão há mais três anos, sobre estratégias de comunicação da igreja, que, no Brasil e em outras partes do mundo, sofre com a evasão de jovens, a falta de vocações e a concorrência das igrejas pentecostais.

Tags:

26 Comentários to “Moral? Lobby gay? Bem, vamos falar de reforma agrária…”

  1. Então, os católicos CVII falam tanto de ecumenismo (que na verdade é e-comunismo) com as outras religiões cristas, mas quando um evangélico segue a bíblia e se posiciona contra o homossexualismo os bispos brasileiros criticam os protestantes?

    Pois é, a CNBB faz ecumenismo só quando interessa destruir os sacramentos como o Padre Martinho Lutero fez. Mas a revolução protestante ficou para trás, os evangélicos estão atrasados 500 anos no processo revolucionário descrito no livro Revolução e Contra revolução do Prof. Plinio Correa de Oliveria, depois disso teve a revolução francesa que destruiu a cristandade impondo o igualitarismo entre as pessoas perseguindo a nobreza, a revolução russa que quer o socialismo e o igualitarismo econômico, a revolução de 68 que impôs o homossexualismo onde o homem tem que ser afeminado e as mulheres masculinizadas.

    A CNBB está preocupada em criar uma ‘nova paroquia”, mas parece que estas paroquias anarquistas não terão nenhum paroquiano pois os cristãos católicos irão migrar ainda mais para os cultos evangélicos para ouvir as verdades da fé católica como o pecado, inferno, paraíso, juizo final, e principalmente que homossexualismo é pecado que brada aos céus e a Deus por Vingança.

  2. Este assunto da CNBB é vital. O que é, de fato, esta associação civil? Pelos frutos os conhecereis, dizem as Escrituras. Uma entidade que se pretende parte importante duma “democracia episcopal”, que, como outras Conferências Episcopais, pretende assumir posições de controle oficial da Igreja, não tem que pedir, ambiguamente, “valorização da Comissão de Direitos Humanos”, o que poderia significar, em várias leituras, a retirada do Deputado Feliciano e a colocação de um Presidente “liberal”, “inclusivo”, ou seja, defensor do incentivo e prática do homossexualismo, dos estilos igualitários e desrespeitosos de vida, da subjetividade e do relativismo, do sensualismo e do orgulho. Será que é função precípua de um Colegiado de Bispos discutir reforma agrária e CALAR temas centrais de Moral e Bons Costumes? O que é reforma agrária? No campo, necessita-se duma indefinida “reforma”, na prática de confiscos e opressões aos que têm iniciativa empresarial, ou de justiça agrária, de reta consciência dos proprietários e dos trabalhadores, trabalhando em espírito de fraternidade e justiça? Deixemos para os partidos ditos socialistas a defesa de teses mecânicas, infantis, hsitoricamente superadas, que consideram os seres humanos meros robôs econômicos, todos basicamente iguais. Sucessores de Apóstolos deveriam ser… sucessores de Apóstolos, e não militantes socialistas, disfarçados ou não.

  3. Enquanto isso, a Hungria dando exemplo para o mundo. Leiam:

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/direito/12783-hungria-desafia-criticos-com-nova-lei-pro-familia.html

    Alguns pontos da nova constituição da Hungria:

    Identidade nacional, religião e direitos civis

    Em seu início, a Constituição modifica o nome oficial do país de República da Hungria para apenas Hungria, o que foi visto como uma ameaça à democraia no país. A Carta faz referência a Deus, ao orgulho da pátria, ao cristianismo e à família. Por isso, grupos de direitos civis afirmam que ela não é neutra em termos religiosos. A Constituição estipula que a vida do feto deve ser protegida desde a concepção, o que veta o direito das mulheres ao aborto. O casamento só é admitido entre homem e mulher e não há garantia dos direitos de pessoas com outras orientações sexuais. Além disso, a Constituição inclui a prisão perpétua sem opção de redução de pena para delitos graves, o que contraria princípios da União Europeia.

    http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/entenda-por-que-a-nova-constituicao-da-hungria-e-polemica

    Parabéns à Hungria!!! Será que a CNBB vai criticar a nova constituição da Hungria também. já que ela vai na contramão dos interesses globalistas e da ONU que essa entidade pseudo-católica tanto defende?

  4. Como Nossa Senhora havia dito: “cloacas de impurezas”.

  5. “A CNBB está preocupada em criar uma ‘nova paroquia”, mas parece que estas paroquias anarquistas não terão nenhum paroquiano pois os cristãos católicos irão migrar ainda mais para os cultos evangélicos para ouvir as verdades da fé católica como o pecado, inferno, paraíso, juizo final, e principalmente que homossexualismo é pecado que brada aos céus e a Deus por Vingança”.

    Perfeito comentário, sem mais.

  6. Para a evasão. de fieis/vocações , é só perguntar para os seminários tradicionalista pelo mundo, a “receita” de seminários com filas de espera e leigos instruidos em relação. as nossas paróquias .

  7. Uma questão de evangelização: Como difundir no Brasil, eficazmente, abundantemente, criativamente, o que postula a nova constituição da Hungria? Acredito que enviar um comentário sobre isto, e um exemplar da mesma, ao Deputado Marco Feliciano seria util, em termos de repercussão.

  8. Mais uma reunião da cnbb e nós aqui na net falando, falando e OBJETIVAMENTE n fizemos nada!
    Já ofereci minha casa que fica a 1 hora do covil e ninguém se mexe.
    Temos que admitir: somos uma vergonha de Católicos, coisa ‘nunca antes vista’ na História da Igreja.
    Bancar de o tal na net é fácil, quero ver colocar a mão na massa. Rá!

  9. Ana Maria Nunes, o que vc quer que façamos?

    Eu já tentei introduzir aqui na minha diocese a Missa Tridentina, levei bomba.

    Ajudei na Missa Tridentina em Porto Alegre no canto gregoriano enquanto ela existia, pois, depois que o povo começou a frequentar (o número aumentava sempre mais) deram um jeito de mandar o Padre estudar na Europa. Resultado: a Missa Tridentina terminou na capital do RS. Normal, se levarmos em conta que o Arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus, frequenta lojas maçônicas, com direito a orações e palestras. Isso tudo é provado, com fotos e tudo na Internet. E um conhecido meu que estava debandando para a maçonaria me disse que o Arcebispo já proferiu várias palestras nas lojas.

    Inclusive meu sonho seria casar no rito tridentino, só que o Padre que celebrava a Missa em Porto Alegre disse que não poderia celebrar o nosso casamento em outubro dessa forma, já que o Bispo local é contra. E ele não quer se comprometer, ou melhor, comprometer seu sacerdócio. Logo, terei que celebrar a Missa de casamento no novo rito mesmo, que pena.

    Aqui na minha diocese o único padre tradicional que poderia celebrar a Missa Tridentina esquivou-se, alegando que não queria ser expulso da paróquia, já que o Bispo local é totalmente progressista. Tentei introduzir, em vão. Na minha diocese, segundo um Padre amigo nosso, os homossexuais e corruptos são promovidos. O carreirismo é muito grande. Isso sem falar na pedofilia.

    Eu já enviei e-mails para a CNBB pedindo providências sobre o vídeo feito contra o Papa e sua renúncia, adivinha se recebi alguma resposta? Inclusive me prontifiquei a ajudar se fosse preciso, já que tenho formação jurídica. Nada, nenhuma resposta.

    E agora temos um Papa que é simpático à ala progressista da Igreja. O que vc quer que façamos? Uma cruzada contra Roma?

    Acorda, amiga. Estamos no final dos tempos. Abraços.

  10. “Bancar de o tal na net é fácil, quero ver colocar a mão na massa. Rá!”

    Pois é, Ana Maria, pois é..

    E eu que sou o “auto-refencial” por discordar da carta fracassada do Padre em apoio ao deputado herege Infeliciano contra a CNB do B. Até parece que neguei algum dogma ou blasfemei. Veremos se ao menos o tal deputado, em reconhecimento pelos fâs que adquiriu por aqui, mande chamar logo todos a Brasilia e condecore-os com uma medalha ou troféu, senão vão fazer becinho e muita mal-criação.

  11. Cara Ana Maria, quanto ao que você escreveu, assino embaixo! Sempre vi comentários seus recordando nossa pusilanimidade (em ações concretas) diante de afrontas à Fé, moral e família. As vezes outros fratres também comentam, no entanto nunca tomamos (me incluo nesse meio) qualquer atitude referente a isso…
    Aos fratres inconformados, não está na hora de agirmos? Não poderíamos pensar em alguma forma de nos organizarmos para que nossa indignação não fique apenas em comentários na internet?
    Não sei como fazê-lo, mas desde já me uno àqueles que queiram lutar de forma mais direta contra o que estamos vendo atualmente.

  12. Inclusive Maria Nunes, acho que vc esqueceu de levar em conta o que São Padre Pio dizia sobre os religiosos, lembra? “O Padre ou é um santo, ou é um demônio”.

    Essa turma da CNBB é perigosa…. se eu fosse vc, manteria distância desse pessoal, pois sua família pode sofrer represálias e até correr risco de vida. Não estou brincando, viu? Essa gente é perigosa, somos governados, seja no campo civil (PT e cia), seja no campo religioso (CNBB), por pessoas más e perigosas.

    Então lhe deixo um conselho: proteja a sua família e mantenha distância desse pessoal. Quanto mais distância, melhor.

    Só para vc ter uma ideia: o promotor vocacional de nossa diocese (hoje reitor de um santuário aqui) é não somente homossexual, como cometeu estupro contra um outro Padre, quando este era mais jovem…. Para vc ter uma ideia de quanto é verdadeira a frase de São Padre Pio.

    As pessoas leem São Padre Pio dizendo “o padre ou é um santo, ou é um demônio” e acham que ele era “exagerado”. Meus caros, estamos falando de um dos maiores santos da história da Igreja! Escutem ele!!

  13. Curioso é vermos a França, país que todos dizem ser um deserto espiritual e onde o catolicismo estaria “morto e enterrado” organizar uma marcha pela defesa da família com mais de um milhão de pessoas enquanto que o Brasil, “maior país “católico” do mundo” não organiza sequer uma passeata com meia dúzia de gatos pingados…

  14. José Lima, na França sabe quem organizou o evento? Os Bispos, meu caro. Juntamente com outras lideranças de outras organizações religiosas do país. Se a CNBB se mover e organizar um evento assim, eu serei o primeiro a divulgá-lo e, se brincar, estarei entre os primeiros da fila. Como todos aqui, acredito.

    Acorda, meu amigo. Esse tipo de mobilização dificilmente é feita sem as autoridades da Igreja. Nós não temos voz nem vez para mobilizar um número assim.

    Veja as famosas “marchas da família com Deus pela liberdade” contra o comunismo na época e em apoio às forças armadas. Quem as organizou? Nós? Não. O clero brasileiro da época. A hierarquia católica, os Bispos.

  15. O penultimo paragrafo, ja responde ao ultimo.

  16. “Os/as jovens devem ser entendidos/as também como sujeitos/as protagonistas da construção de uma sociedade de fato fraterna, justa e solidária. A parcela que mais sofre é a juventude, pois vive uma situação de desemprego, precarização do trabalho, educação precária, violência e extermínio, predominantemente a negra.

    Entendemos que o maior responsável por essa situação que se encontra a juventude é o modelo desenvolvimentista implantado no Brasil, cujas bases encontram-se no modelo de produção e consumo capitalista-imperialista. Este modelo está baseado na acumulação do capital, especialmente pelos bancos e multinacionais, que aliados aos governos, promovem voraz ataque às riquezas e ao território, provocando injustiças socioambientais e o empobrecimento da juventude rural e urbana, em especial os jovens negros, mulheres e indígenas”.

    Adivinhem quem fez esse panfleto? Algum grupo civil marxista? Não. A CNBB. leiam:

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/14031-a-cnb-do-b-e-discricao-socialista.html

  17. Qualquer iniciativa leiga que não conte com a liderança do clero acaba em nada, pois o leigo não aceita liderança de outro leigo. Isso é fato.

    Mas a Sra. Ana Maria Nunes tem razão: discutir as últimas novidades nos campos da heresia, apostasia, maus costumes, má moral, a novela FSSPX e o Vaticano, frutos podres do Vaticano II, falhas do clero, abusos litúrgicos, etc não traz resultados práticos.

    Alguém poderia coordenar ou noticiar movimentos de restauração da Igreja (e experiências bem-sucedidas) e cooptação do clero para coordenar algumas ações católicas: catequese tradicional, doutrina (moral e fé), práticas de devoção, etc. – ao vivo, não só pela internet. Basta começar como algo mais devocional tradicional, acompanhado de bons sermões, uma direção espiritual razoável, etc que a coisa pega e se alastra. E aí, Fratres, alguém aí pode dar a partida?

  18. Uma maneira que me parece possível de agirmos (pelo menos em uma frente) sem depender de bispos (e sem corrermos risco de que eles nos atropelarem – em sentido figurado) seria a criação de uma liga de anti-difamação, com representatividade jurídica, que nos orientasse em como agir em bloco de maneira efetiva e dentro da lei. Não seria muito útil para combater o modernismo dentro da Igreja, mas para garantirmos algum respeito a Deus e a nossa fé nestes tempos de blasfêmia.
    Um ou outro bispo ultraprogressista poderia querer que não nos apresentássemos como católicos, mas legalmente não poderiam fazer nada que nos impedisse.
    Dentro das minhas possibilidades eu contribuiria (financeiramente). Difícil é achar pessoas que encabecem. Acredito que estudar casos de países onde já existe algo semelhante poderia ser um primeiro exercício.

  19. Naõ estamos mais em uma época,em que o sino tocava e os fieis se dirigiam para à igreja.Basta andar pelas ruas das grandes cidades,e veremos que a realidade é outra.A sociedade naõ é mais rural,mas urbana, e a igreja precisa encontrar maneiras de levar o evangelho.Quando naõ ouvimos nosssos bispos, e a CNBB, representa sim a igreja no brasil,corremos contra a maré,e seremos só mais um grupo isolado,falando sozinho.

  20. Para acabar com a evasão de fiéis acabem com a CNBB !

  21. A Hungria já deu o exemplo. Acordem bispos!!!. Sem o Poder do Estado nas mãos a Igreja não é nada.

  22. Diogo, quando li seus comentários me irritei profundamente com vc. SE vc tem medo, está desanimado, triste, cansado enfim, seja lá que nome for, por favor, n desanime as pessoas! Se vc acha necessário, dá um tempo e depois volta. Mas, pelo amor de Deus, para com esse medo de ser perseguido e morrer em nome da Fé. Quem aqui esqueceu de alguma coisa – se é que vc sabe -, é vc, morrer pela Fé é ser mártir, É UMA HONRA morrer por Nosso Senhor.

    Nós temos mais de 2 mil anos de História de homens e mulheres de garra, coragem e força, mais de 24 mil santos, milhares de martires, temos uma fundador que é Deus!!!!! morreu e ressuscitou e vc vem me falar de medo? Quer saber qual é o meu medo, Diogo? É n ter gasolina para ir na missa aos domingos, só isso que eu temo.

    Vc me pergunta o que eu quero. E te respondo: quero que os Católicos se organizem juridicamente e vamos às ruas! Nós temos a única arma neste mundo que barrou efeito até da bomba atômica no Japão. Masss muitos de nós, n fazemos usa dela por causa do desânimo e do medo.

    ROSÁRIO!!! Eis a nossa arma! Cadê os soldados?? Com medinho. Ah, vá!

    Vc me diz acorda amiga, te respondo: n sou eu que durmo, acredite, é vc! Vc dorme o sono do medo.
    Vc responde aos comentários sempre com uma palavra de medo e desânimo. Acorda, Diogo! Nós somos a verdadeira Igreja de Cristo, vc esqueceu disso?

    Quem aqui dorme e esquece de muitas coisas é vc. Em Lepanto, aqueles homens poderiam temer, mas foram e venceram. A primeira cruzada foi uma carnificina de Católicos, mas outros foram e venceram.
    Poderia ficar aqui horas escrevendo exemplos pra vc. Coragem, homem! Se Deus é por nós, quem será contra nós?

    Sei quem é seu bispo, lamento por vcs. Mas vamos desanimar pq 1789 invadiu a Igreja? Veja o exemplo de Garcia Moreno, saiu da missa e foi morto a machadas pelas costas e morreu gritando
    DEUS N MORRE.

    Diogo, Deus n morre! Coragem!!!

  23. Diogo, leia Santo Atanásio e São João Crisóstomo e outros, pq parece que ler padre Pio está fazendo vc ter medo demais. Mude a leitura. abraços

  24. José Lima e Marcio , o Cleir tinha falado sobre nos organizar e ele sumiu. Aqui nos comentários têm muitos advogados, a gente vai precisar kkkk Mas fico indignada, pq a gente n consegue juntar nem que fosse 5 pessoas para um protesto na reunião da cnbb. Pq somos fracos e desarticulados?

    O André C.A. já disse que financia, quem mais?

    Já está passando da hora de nos organizarmos.

  25. E a retórica continua: “A CNBB, não me representa”!
    Quanto ao caso Feliciano, ele é a pedra que fala, porquê os católicos não falam.
    Aliás, não falam não rezam, não jejuam, não se convertem!

  26. Ana Maria Nunes disse tudo: A internet é o refúgio dos medrosos.

    Meia duzia de gatos pingados não mudam quase nada. E contra a CNBB, aí sim, não faz nem cócegas. Mas o ROSÁRIO faz.

    Já que nada pode ser feito é rezar e esperar.