São José.

“Sede perfeitos, como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt. 5, 48). O ideal, pois, da santidade pede do homem uma assimilação da vida divina. Ideal nobilíssimo, quanto mais o seja, mas que supera totalmente as forças humanas. Por isso, na sua inefável bondade, Deus nos enviou um modelo: seu próprio filho, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Para que ele fosse dos nossos, de nossa raça, nosso irmão, podendo legitimamente nos representar, deu-lhe uma natureza humana, formada do puríssimo sangue da Santíssima Virgem Maria; fê-lo nascer de mulher, como os demais homens, de maneira que a todo homem, ao vir a este mundo, Ele pudesse ser apresentado como o protótipo de santidade. Conclui-se que o homem se santifica na medida em que reproduz, na sua vida, a maneira de viver de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Disse alguém que nenhum homem é uma ilha, pois todo indivíduo se acha no seio de uma sociedade doméstica ou sua sucedânea, através da qual ele ingressa na grande sociedade civil. Jesus Cristo não fugiu à regra. Como homem, teve também sua sociedade mais íntima, seus familiares.

É o que se lê em diversos lugares da Sagrada Escritura.

É a São José que o anjo aparece para recomendar-lhe que fuja à ira de Herodes. É ao mesmo São José que, morto o monstro, o anjo adverte que retorne a Canaã com a Sagrada Família.

Maria Santíssima queixa-se a Jesus o ter-se afastado dela e de seu pai quando permaneceu no Templo, aos 12 anos. E a Sagrada Escritura diz igualmente que em Nazaré, Jesus era simplesmente o Filho do Carpinteiro.

Costuma-se dizer que São José é o Pai putativo, Pai nutrício, Pai legal, etc., de Jesus Cristo. Todas expressões verdadeiras, mas que terminam encobrindo o conceito mais profundo e exato de paternidade de São José. Pois que ele é de fato o pai da família nazaretana. E a razão exata porque São José é o pai da família nazaretana, é porque é o verdadeiro esposo de Maria Santíssima, a mãe daquela abençoada família. E como esposo legítimo e verdadeiro, participa da maternidade que sua esposa tem com relação aos frutos de seu seio, ainda que virginais.

Da posição de São José na Sagrada Família decorre o esplendor singular da sua pessoa e a extensão e valor do seu patrocínio.

Com justiça foi declarado por Pio IX patrono da Igreja Universal. E a Santa Igreja recomenda aos fiéis que se acolham sob seu patrocínio. Especialmente como patrono da boa morte é ele invocado, uma vez que teve a ventura de morrer nos braços de Jesus e de Maria Santíssima.

Dom Antonio de Castro Mayer, Heri et Hodie, março de 1986.

4 Comentários to “São José.”

  1. Hoje, assistimos parte do filme JESUS DE NAZARÉ, de Franco Zefirelli, com minha esposa e filhos. Que São José, padroeiro também da boa morte, nos conceda uma morte em que possamos dizer: dever cumprido. “Combati o bom combate!” Pois cremos n’Aquele que é o Senhor da vida. Que São José interceda para que possamos, pela graça de Deus, nos converter e afirmamos o bom testemunho.

  2. São José foi pai, esposo, irmão, amigo e protetor. Até a morte perdeu toda a sua aspereza no caso de S. José, pois ocorreu nos braços de Jesus e de Maria. Deus na sua infinita sabedoria não pode abolir a morte, mas pode torná-la suave para todos os que morrem confiando Nele. São José é um exemplo de trabalhador que ganhava o seu sustento com o suor do seu rosco, jamais teve privilégios por ser o pai adotivo de Cristo, jamais traiu Maria (ainda que espiritualmente), enfim, sempre viveu uma vida digna, simples, de trabalho honesto, humilde… faleceu antes do início da vida pública de Jesus.

  3. São José tem a minha veneração! Quando estava à procura de um esposo para vida toda, pedia orientação a São José para que levasse a minha oração a Deus para que conhecesse um rapaz trabalhador e bom filho, não precisava ser bonito, para a minha vida. Ele mandou e estamos casados há 26 anos Graças a Deus. São José obrigada.

  4. S. José e N. Sra. são exemplos de esposos e pais. Só um casal assim pode criar uma família cristã. Por isso, as famílias e as sociedades estão decadentes – por não seguirem seus exemplos.