“Distinguir uma Teologia da Libertação equivocada e uma correta”.

Da entrevista concedida por D. Gerhard Müller, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, à Zenit:

No ano passado, quando você foi nomeado prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, alguns o acusavam de ser amigo do padre Gustavo Gutiérrez, fundador da Teologia da Libertação. O que nos pode dizer sobre isso?

Dom Müller e Gustavo Gutierrez.

Dom Müller e Gustavo Gutierrez.

É verdade que conheço bem o padre Gutiérrez. Em 1988, me convidaram para participar de um seminário com ele. Fui com alguma reserva porque conhecia as duas declarações da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a Teologia da Libertação, publicadas em 1984 e em 1986. Entretanto, pude constatar que é necessário distinguir uma Teologia da Libertação equivocada e uma correta.

Considero que cada teologia é boa se parte de Deus e de seu amor e tem a ver com a liberdade e a glória dos filhos de Deus. Portanto, a teologia cristã que fala da salvação dada por Deus não pode ser misturada com a ideologia marxista que fala de uma autorredenção do homem.

A antropologia marxista é completamente diferente da antropologia cristã, porque trata o homem como um ser privado de liberdade e dignidade. O comunismo fala da ditadura do proletariado e a boa teologia, ao contrário, fala da liberdade e do amor. O comunismo, e também o capitalismo neoliberal, rechaçam a dimensão transcendente da existência e se limitam ao horizonte material da vida. O capitalismo e o comunismo são as duas faces da mesma moeda, a moeda falsa. Ao contrário, para construir o Reino de Deus a verdadeira teologia vem da Bíblia, dos Padres da Igreja e do Concílio Vaticano II.

Em certos ambientes, sua nomeação para prefeito da Congregação que se ocupa da doutrina católica e a recente eleição do arcebispo de Buenos Aires para bispo de Roma foram vistos como uma revanche da Teologia da Libertação, criticada por João Paulo II e pelo cardeal Ratzinger. O que responde a estas vozes?

Em primeiro lugar, queria destacar que não existe nenhuma ruptura entre Bento XVI e o Papa Francisco no que se refere à Teologia da Libertação. Os documentos do então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé serviram para esclarecer o que era necessário evitar, da maneira de fazer a Teologia da Libertação à autêntica teologia da Igreja. Minha nomeação não significa que se abre um novo capítulo nas relações com esta teologia; pelo contrário, é um sinal de continuidade.

Bento XVI, ao receber em 2009 um grupo de bispos do Brasil em visita ad limina apostolorum, disse que valia a pena recordar que em agosto do ano anterior foram comemorados os 25 anos da Instrução Libertatis Nuntius da Congregação para a Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da Teologia da Libertação. E acrescentou que “suas consequências mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, discordância, ofensa, anarquia ainda agora se fazem sentir, criando em nossas comunidades diocesanas grande sofrimento e uma grave perda de forças vivas”. Concorda com esta análise do pontífice sobre as consequências da Teologia da Libertação?

Estes aspectos negativos dos quais fala Bento XVI são o resultado da mal entendida e mal aplicada Teologia da Libertação. Estes fenômenos negativos não teriam acontecido se tivesse sido aplicada a autêntica teologia. As diferenças ideológicas criam divisão na Igreja.

Mas isto acontece também na Europa onde há, por exemplo, os chamados católicos progressistas e conservadores. Isto recorda a situação de Corinto, onde havia quem se referia a Paulo e quem, ao contrário, se referia a Pedro, ao passo que outros se referiam a Cristo. Mas todos nós temos que estar unidos em Cristo, porque Deus une, o mal divide. A teologia que cria as divisões é antes ideologia. A verdadeira teologia tem que levar a Deus, então não se pode criar divisões.

39 Comentários to ““Distinguir uma Teologia da Libertação equivocada e uma correta”.”

  1. Esse negócio de “verdadeira teologia da libertação” não existe. A TL já nasceu marxista, se você retirar o marxismo de dentro dela o que sobra? Nada…

  2. Depois Dom Fellay que era paranoico por lhe chamar de herege.

  3. O nome diz tudo!
    Teologia da Libertação: Estudo para libertar-se de Deus
    Se Paulo IV, papa medieval, estivesse vivo mandava-os todos para a fogueira!

  4. O fato em si, de haver ali tanta margem a ” equívocos ” , ao ponto de ser preciso todo um esforço para tentar distinguir algum “acerto” no emaranhado de equívocos, por si só é já suficiente para comprovar, de forma irrefutável, que não se trata mesmo de algo intrinsecamente bom. Portanto, o que se faz de fato necessário, não é, de modo algum, que ela venha a ser bem aplicada, mas sim que seja urgentemente bem anatemizada !

  5. O problema é o equívoco da terminologia. O genitivo “da libertação” é que está equivocado e dizer que existiria uma TL correta é aprofundar na confusão. Ora, a Teologia católica (sem genitivos), na sua forma mais genuína, partindo da Revelação, passando pelos Padres da Igreja e, também, ainda que Dom Muller não a cite, pela síntese medieval de Santo Tomás, pelos Concílios (todos e não só, como diz ele, o Vaticano II) e pelo Magistério pontifício, é, sem dúvida alguma, libertadora. Falar em teologia da libertação é, portanto, desnecessário e até redundante. Se é a verdadeira Teologia, liberta. “Se permanecerdes na minha palavra, sereis meus verdadeiros discípulos; conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8, 32).
    Manter uma terminologia desnecessária e ainda por cima sujeita a equívoco é atitude no mínimo temerária, e mais provindo da Congregação para a Doutrina da Fé.

  6. O que Dom Müller diz é compreensível, mas, na prática, pelo menos na América Latina, não existe uma teologia da libertação que não seja marxista ou que não tenha profundas raízes na TL. Ao meu ver, se querem incentivar uma teologia que se preocupe com os pobres sem ser marxista, deveriam ESCOLHER OUTRO NOME, pois a TL já está de tal forma tão identificada com o marxismo que é impossível não fazer mais essa associação (ao menos aqui na América Latina, volto a repetir).

    Algo de certa forma semelhante acontece com o feminismo. Hoje em dia, não é possível mais dizer que existe um feminismo bom. Todo feminismo hoje em dia é visceralmente mau! Mesmo em países não Ocidentais, pois também lá, ele é promovido por ONGs ocidentais ou da Nova Ordem Mundial.

    Me desculpe a digressão, mas ajuda um tanto a entender o que quero dizer.

  7. Pronto, agora vão fazer com a TL o que estão fazendo com o Vaticano II: sua interpretação é errada, a doutrina deve ser vista em continuidade com a tradição. Assustado!

  8. Duplicidade de discurso: a TL é má mas quer admitir uma TL “boa”. Gostaria de perguntar: que bruxaria é essa?

  9. O que a Teologia da Libertação tem de de bom é o que não é essencialmente dela.
    O que é do próprio Evangelho, dos Padres da Igreja, da doutrina social da Igreja, isso, sim, é bom.
    O fato de ela ter sugado algumas características pra lhe dar catolicidade, pra lhe mascarar a cara feia e fazê-la ser aceita nos ambientes católicos, não cria nela um aspecto bom, pelo contrário, mostra sua capacidade de se camuflar, enganar, roubar e mentir.
    E, como é seu estilo, usa isso agora pra dizer que tem algo de bom a ser resgatado, algo que está faltando a Igreja atual.
    Hipócrita Teologia da Libertação! Sempre Hipócrita! Sempre falsa! Sempre serpenteando, se infiltrando, distorcendo a verdade. Quem não a conhece que a compra. Quem a conhece através de um ou dois discursos bem arquitetados, pode se enganar, mas quem cresceu dentro dela, como eu, cantando suas músicas nojentas, ainda que as abominando por dentro… não se engana.
    Da Teologia da Libertação, como do diabo, só vem o que é MAL.
    O que ela possa ter de bom, repito, NÃO É DELA.

  10. As saudades de Bento XVI só crescem, dia após dia! Deus tenha misericórdia de nós e de Sua Igreja!

  11. Mais uma vez Bento XVI esclarece bem esta questão ao explicitar claramente; “Aqui se ultrapassou, por assim dizer, a teologia da libertação política com uma antropológica”. Este foi o salto qualitativo, a nova TL, favorável ao projeto de Religiões Unidas de Tony Blair.

  12. N convocando concilio para esse assunto….

  13. Se existe uma RCC boa, que seria a RCC oficiosa, pontifícia da Canção Nova, por que não uma TL boa? O que vale pra Chico, vale pra Francisco (e não estou falando do Papa).

  14. Num é que um certo Concílio tenha esculhambado com os homens da Igreja,
    é que existiu o Concílio “real” e o “virtual”…

    Num é que a TL seja intrinsecamente má, é que existe a TL “real” e a “virtual”…

    Num é que católicos em massa tenham apostatado da verdadeira fé, é que existe
    o apóstata “real” e o “virtual”…

    Num é que Maria tenha predito tudo isso em Fátima, é que existe a Aparição “real”
    e a Aparição “virtual”…

    Será que o que existe atualmente, no dizer de um certo grande Bispo,
    não é, além da Roma real, também uma Roma “virtual”?

    Deus queira que se passe logo esse tempo de confusão.
    Perdoem-me os honestamente ofendidos. Tenho também
    enorme apreço pelos bons sacerdotes da Igreja,
    especialmente Bento XVI.

    mas essa foi demais…

  15. O Famulus e o Luciano acertaram na mosca.

    Quem sabe fiquemos apenas com a Teologia Católica,Dom Muller?

    Fiquem com Deus.

  16. Duarte, qual Bento XVI vc admira, o real que como teólogo fez o CVII ou o virtual?

  17. Peliamordedeus, essa agora….daqui a pouco vao reabilitar o Boff dizendo que foi mal interpretado!! O que esta acontrcendooooooooo????

  18. Pena que eles não levam os seus próprios argumentos às últimas consequencias para reconhecerem que interpretaram mal um Dom Lefebvre…

  19. Estão querendo ressuscitar a moribunda e podre Teologia da Libertação. Tem gente que insiste em estar do lado do mau ladrão quando na verdade deveriam ser como o inocente Cristo. Quanto a mim que eu seja como o bom ladrão e possa estar do lado direito no dia do Juizo Final.

  20. “Ao contrário, para construir o Reino de Deus a verdadeira teologia vem da Bíblia, dos Padres da Igreja e do Concílio Vaticano II.”

    Gerhard Müller tenta induzir todo mundo de que o Vaticano II está de acordo com o que a Madfre Igreja sempre pregou.

    Gerhard Müller, que malandragem!

  21. Tamara, o que está acontecendo são efeitos da bomba atômica chamada CVII.

  22. Ana Maria,
    o Bento XVI que pregou contra a ditadura do relativismo,
    que baixou o <>, que escreveu a Obra
    “Jesus de Nazaré”, que obedecia minuciosamente às Rubricas da Liturgia,
    que levantou as (injustas) excomunhões dos Bispos da FSSPX…

  23. Lucas Janusckiewicz Coletta, vc sabia que são Dimas, tentou assaltar José e Maria quando Jesus era bebê?
    Já que aparece um e diz que São João Crisóstomo, Santo Afonso de Ligório, São Francisco foram os primeiros teólogos da tl, pq eles deixaram tudo para seguir a Jesus.

  24. Duarte, entendi. Céu de brigadeiro!

  25. Matei a saudade de comentar no Fratres pela tarde. O Frates poderia virar um espaço físico, servir café ter alguns livros à venda, cadeiras confortáveis. Sem cadeiras, a área de traumatologia do hospital ficaria lotada kkkk Mas, enfim, quando terá foto do Papa Francisco no Fratres?

  26. Acho que ficou bem resumido e explicado a todos.

    A teologia que cria as divisões é antes ideologia. A verdadeira teologia tem que levar a Deus, então não se pode criar divisões.

  27. Ana Maria,
    Supondo que seja bem conhecedora das mensagens dos Céus,
    imagino que conheça a mensagem de N.Sra. do Bom Sucesso,
    que nos ensina, avisa, informa.. enfim, que a Restauração da Igreja
    começaria debaixo, dos Leigos. Só depois viria um Papa
    para concretizar os anseios (de restauração) do povo católico.
    Ou seja, se o Bom Sucesso ainda não veio,
    a responsabilidade é primeira (não falo na ordem histórica,
    mas na ordem da restauração) nossa.
    Daí que não adianta ficar só “descendo a lenha” no Papa e na Cúria
    atuais..

  28. Ana Maria,

    obrigado pela informação, se é até São Dimas se salvou depois de tão maldoso ato quem sabe possamos nós pelos nossos pecados também nos salvar.

    Quanto aos TL são todos traidores como Judas Iscaiotes que poderia ter alcançado a salvação – aliás ele se arrependeu devolvendo as moedas de ouro, mas acabou de desesperando e cometendo o suicidio em vez de pedir o perdão.

    Defender a TL é defender os fariseus e os impenitentes, é pecado contra o espirito santo.

  29. Daí que não adianta ficar só “descendo a lenha” no Papa e na Cúria
    atuais..É que na real a gente começa pela casa da gente e na virtual ‘descendo a lenha’ em quem merece, aí desperta outros leigos. Pq a virtual sem a real aí sim é SÓ descer a lenha.
    Deus nos guarde, abraços

  30. Amigos: sei que o objeto da matéria em questão trata de minar os erros maléficos das TLs. Mas confesso que não entendi Sua Eminência.

    “…para construir o Reino de Deus a verdadeira teologia vem da Bíblia, dos Padres da Igreja e do Concílio Vaticano II.”

    Pois, onde estão as notas da Igreja?

    Não seria, para se obter a verdadeira teologia, necessariamente está unido ao Santo Padre, abalizar-se na revelação das Sagradas Escrituras, da Sagrada Tradição( talvez, aí, se refira aos Padres da Igreja) e das verdades elencadas do Sagrado Magistério.

    Pera lá! Do concilio vaticano II?!!!

    E onde estão as referencias bibliográficas dos santos doutores e papas dos séculos passados?

    “Isto recorda a situação de Corinto, onde havia quem se referia a Paulo e quem, ao contrário, se referia a Pedro, ao passo que outros se referiam a Cristo.”

    Ora, que se referia a Paulo, a Pedro e a Cristo, então se referia à doutrina revelada e ao próprio Cristo, penso eu.

    E assim, continuo pensando, pelo verdadeiro ensinamento se conhecia Jesus e sua doutrina.

    Dado a Fonte do conhecimento ensinado.

    Porém todos se referiam ao Cristo e a verdade ensinada.

    Obvio, ainda pensando eu, todos – aqueles autorizados – ensinavam a doutrina de fé revelada por Cristo.

    As divergências surgiram justamente por conta das heresias que começam a anarquizar, ou seja, no que estava sendo praticado em corinto e precisava ser esclarecido e corrigido pelos conservadores São Pedro e São Paulo, visto do referencial: a UNICA Doutrina de Fé.

    “…então não se pode criar divisões”.

    Cada qual com o seu pensamento (“progressistas e conservadores”) e unidos a Cristo. É isso?!!!

    Tentar conciliar o mal com bem?

    Muito confuso, sinceramente, confesso que não entendi.

  31. Emendando meus escritos:

    Digo: E onde estão as referencias bibliográficas dos santos doutores e papas dos séculos passados; dos SANTOS CONCILIOS QUE MATARAM AS HERESIAS PARA CONSERVAR, PROTEGER E GUARDAR A FÉ?

  32. Essa é a TL que Dom Muller chama de positiva ; e caro Hermes Nery vc tem toda a razão !!!!!!!!!!!!

    http://catolicidadetradit.blogspot.com.br/2013/02/teologia-da-libertacao-e-autorizada-por.html

  33. Será que D. Gerhard Müller sabe destes fatos? Sim, o que vai abaixo são apenas fatos, relatados por quem os presenciou e participou mesmo dos acontecimentos. É aquilo que em História se chama tecnicamente de Fonte Primária.
    -
    1- O Tenente-General Ion Mihai Pacepa, romeno de nascimento, serviu na KGB por longos 27 anos, e foi o mais graduado oficial dessa instituição infernal a desertar para os USA, onde vive. Devido a seu alto posto, participava das reuniões mais importantes, inclusive com Nikita Krushchev, presidente Soviético.
    Em 1987, Pacepa publica um livro, “Red Horizons”, onde conta todas as conspirações da KGB, com detalhes estarrecedores.
    _
    2- Em 30 de junho de 2009, ele escreveu um artigo para a revista Front Page Magazine ( http://archive.frontpagemag.com/readArticle.aspx?ARTID=35388 ) onde CONTA A ORIGEM PLANEJADA da Teologia da Libertação.
    _
    3- Ali ele conta que a KGB criou uma “Nova Religião” e que, atenção!, o próprio Khrushchev a nomeou “Teologia da Libertação” !!!
    Trecho:
    “Khrushchev queria discutir um plano para assumir o oeste de Berlim, que havia se tornado uma rota de fuga através da qual mais de 3 milhões de europeus do leste fugiram para o Ocidente.
    Naquele tempo eu era o chefe interino da Missão Romena na Alemanha Ocidental e chefe da estação de inteligência romena lá. Como um “especialista em Alemanha”, eu participava da maioria das discussões. “Nós chegaremos a Berlim”, Khrushchev nos assegurou. Sua “arma secreta” era Cuba. “Quando os yankees souberem que estamos em Cuba eles vão esquecer que estamos no oeste berlinense, e nós o tomaremos. Então usaremos Cuba como trampolim para lançar uma religião concebida pela KGB na América Latina”, retratada por Khrushchev como uma fortaleza já cercada que logo se renderia ao Kremlin. Complexo? Absolutamente, mas é assim que a mente de tiranos comunistas funciona”.
    _
    Perceberam?
    “Cuba foi o trampolim para lançar uma religião concebida pela KGB na América Latina”.
    Agora dá para entender por que tantas viagens de Betto, Boff, e outros medalhões da TL para a ilha-prisão dos Castro.
    _
    4- Bruno Braga traduziu o artigo do Ten-General Pacepa e o publicou no site Midia Sem Mascara.
    http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/14089-a-cruzada-religiosa-do-kremlin.html .
    PS: Nikita Kruschev era um sujeito tão maligno que escarnecia assim do Ocidente: “Nós cuspimos na cara deles, e eles acham que é orvalho caindo.”
    Eis aí o chefe supremo dos “teólogos” da KGB que criaram a TL !!
    _
    Agora uma pergunta a D. Muller:
    O que é que o senhor espera ‘distinguir’ entre ‘equivocada’ e ‘correta’ nessa “teologia” Eminência?

  34. ” para construir o Reino de Deus a verdadeira teologia vem da Bíblia, dos Padres da Igreja e do Concílio Vaticano II”-DOM MULLER , PREFEITO DA CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ EM ENTREVISTA A ZENIT.

    Quer dizer que o único concílio a ser levado em conta é o CV II ? Onde ficam Niceia , Latrão , Trento , Vaticano I , etc ??? Já sei : os clérigos no afã de modernizar a Igreja jogaram no lixo 90 por cento de sua história e do que os papas ensinaram …e não aparece um bispo , um cardeal , uma autoridade para dizer a verdade e deixar claro que isso é herético ? Deve ser por que pensam do mesmo jeito !! Triste !!

  35. Caros fraternos, devemos separar o joio do trigo. Conheço pessoalmente teólogos de primeira linha que são simpatizantes da “Teologia da libertação”, cito por exemplo o frei Clodovis Boff. Frade irrepreensível na sua conduta ética, não possui vida dupla, renomado teólogo, reza o santo terço diariamente etc.
    “O Evangelho de Jesus Cristo é mensagem de liberdade e força de libertação. Esta verdade essencial tornou-se, nos últimos anos, objeto da reflexão dos teólogos, com uma nova atenção que, em si mesma, é rica de promessas. A libertação é antes de tudo e principalmente libertação da escravidão radical do pecado. Seu objetivo e seu termo é a liberdade dos filhos de Deus, que é dom da graça. Ela exige, por uma consequência lógica, a libertação de muitas outras escravidões, de ordem cultural, economica, social e política, que, em última análise, derivam todas do pecado e constituem outros tantos obstáculos que impedem os homens de viver segundo a própria dignidade. Discernir com clareza o que é fundamental e o que faz parte das consequências, é condição indispensável para uma reflexão teológica sobre a libertação”, nos termos da instrução da congregação para a doutrina da fé (vide link abaixo). Há, todavia, graves desvios (análise marxista…), todavia, segundo o saudoso papa João Paulo II, o Grande, “A teologia da libertação é útil e necessária, devendo constituir uma nova etapa de reflexão teológia” (Mensagens aos bispos brasileiros). Quem sou eu para criticar uma opinião de um futuro santo da Igreja?
    Sugiro, por fim, a leitura criteriosa da INSTRUÇÃO SOBRE ALGUNS ASPECTOS DA « TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO » da SAGRADA CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ, conf. link abaixo:

    http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19840806_theology-liberation_po.html

  36. Paulo,
    como disse o Flávio e mais alguns: “Quem sabe fiquemos apenas com a Teologia Católica?” isso resume tudo que vc falou.
    O que liberta – voce sabe pois conhece o Evangelho – é a Verdade e não a teologia.
    A Verdade é simples, é clara, é límpida. E isso é o que aTL não é.
    Remeto ao que falei em outro comentário, “o que a TL tem de bom não é dela, é da Igreja, é do Evangelho, é de Cristo. Não precisamos da TL pra nada, pois ela nada acrescentou, só tirou, só expulsou, só manchou, só distorceu, só desvirtuou, só mascarou.
    Eu também conheci gente boa seguidora da TL. Mas com o tempo, deixaram de ser gente boa. É o que faz o diabo com os bons que se lhe põem a mercê. E na verdade, pela minha longa experiência de TL posso te dizer, os primeiros que se afastaram dela foram os pobres (talvez porque sejam mesmo bem-aventurados). Os que ficam são os que nada tem de pobres, são os intelectuais cheios de orgulho e sem fé. Pois esse é o grande filho, o grande fruto da TL: “a perda da fé”.
    Que Deus defenda seu amigo Clodovis Boff.

  37. Caro Paulo,
    Se a TL é 98% ruim, pq tentar salvar os outros 2% de suposta “bondade” dentro dela?
    Os ensinamentos Divinos de que “a árvore boa não pode dar maus frutos” e de que
    não devemos “chamar as trevas de luz” não seriam o suficiente pra se refutar e anatemizar de
    uma vez essa perniciosa “teologia”?

    Acaso existe alguém ingênuo ao ponto de pensar que o Maligno
    vai aparecer de rabo e chifre pra seduzir as pessoas?

    Bento XVI ensinou que o centro da mensagem evangélica de Cristo estava no “Reino de Deus”.
    Foi o termo mais repetido por Ele ao longo de sua Doutrinação pública.
    Ora, o que seria esse Reino de Deus referido por Cristo?
    Ele se realiza nesta vida ou na outra?

    Os Padres da Igreja sempre interpretaram que esse Reino de Deus era a Igreja,
    Triunfante, Padecente e Militante. Assim, nesta vida, o Reino de Deus chega
    para nós por meio dos Sacramentos e da Graça, sobretudo.

    Qual a interpretação da TL Marxista para o “Reino de Deus”, se não de que a
    maior desgraça do homem é a pobreza material? não seria isso ateísmo escrachado?

    Enfim, por que tanto afã por novidades? Por que a Teologia da Tradição seria tão ruim,
    que se opta por salvar a malfadada TL ao invés de simplesmente se repetir a Doutrina de Sempre?

  38. Deus meu… Misere nobis… O futuro cardeal Muller tem uma linguagem claramente revolucionária e marxista. Suas palavras dizem tudo. É uma tristeza sem fim… Ó Virgem Santíssima, Senhora da Santa Pureza e da Sã Doutrina, ajudai a Igreja de teu Filho Mãe! Ensinai os pastores a se manterem fiéis para a salvação das almas!