1º de novembro de 1970: há quatro décadas uma obra providencial era erigida pela Santa Igreja.

Há quarenta e três anos…

A FSSPX tem um motivo a mais para se regozijar no dia 1 de novembro, festa de Todos os Santos. Naquele dia, em 1970, a fraternidade sacerdotal foi canonicamente erigida, recebendo a aprovação formal da Santa Sé apenas quatro meses depois.

A FSSPX tem um motivo a mais para se regozijar no dia primeiro de novembro, festa de Todos os Santos. Naquele dia, em 1970, a fraternidade sacerdotal era canonicamente erigida, recebendo a aprovação formal da Santa Sé apenas quatro meses depois.

Por FSSPX-EUA | Tradução: Fratres in Unum.com – O ano é 1971 e a data é 18 de fevereiro. O Cardeal John Wright, Prefeito da Congregação para o Clero, acaba de manuscrever uma carta elogiando e aprovando a Fraternidade de São Pio X em seu gabinete da Cúria Romana.

Esta carta veio como resposta a uma solicitação do Arcebispo Lefebvre para que a Santa Sé aprovasse oficialmente a fraternidade sacerdotal. Apenas uns poucos meses antes,  ,o ano anterior — em 1º de novembro — a fundação da fraternidade sacerdotal, também conhecida como Discípulos de Jesus e Maria, havia sido ratificada pelo ordinário local de Friburgo, Dom Francois Charriere; o mesmo prelado que havia instado fortemente o Arcebispo a assumir a formação de sacerdotes.

Esta solicitação à Congregação para o Clero por parte do antigo Delegado Apostólico na África (mas destinado a se tornar mais conhecido como o “Bastião da Tradição”), era, na verdade, o procedimento normal para o reconhecimento de um instituto religioso. Todavia, o que é bastante extraordinário (e assim revelador da Providência de Deus, mesmo em meio à crise pós-conciliar) é como ela foi dada rapidamente: meros quatro meses após a fundação da Fraternidade, em 1º de novembro de 1970.

Outra característica formidável dentro da carta de aprovação é o elogio do Cardeal Wright à nova fraternidade sacerdotal inserido à mão ao lado do louvor e aprovação dados por outros “Ordinários em diversas partes do mundo”.

A implicação total da Providência “apressando” este procedimento de reconhecimento canônico (um processo que habitualmente demora consideravelmente), ao mesmo tempo em que fazia o elogio para justificar a ação do dicastério da cúria, tornou-se claro à medida e que a crise modernista continuava a se aprofundar na Igreja. Apenas alguns anos mais tarde, o seminário da FSSPX em Ecône, anteriormente digno de elogios, seria acusado pelo episcopado liberal francês de “seminário selvagem“, que carecia de aprovação eclesiástica.

Essa falsa acusação — que olvidava de maneira conveniente que a Fraternidade de São Pio X tinha a aprovação de Roma e era um ramo vivo da Igreja Católica — desencadeou uma onda de perseguição liberal contra a fraternidade sacerdotal, culminando em uma tentativa ilegítima de suprimi-la canonicamente, a qual o Arcebispo Lefebvre respondeu:

… Fomos condenados sem julgamento, sem oportunidade de nos defender, sem a devida advertência ou processo escrito e sem recurso. (Carta Aberta aos Católicos Perplexos )

Ainda assim, apesar da perseguição injusta contra a Fraternidade de São Pio X e contra si mesmo, Dom Marcel Lefebvre -“sem amargura ou ressentimento” – continuou alegremente a conduzir a missão apostólica que Deus desejava que ele conduzisse na providência de tempo na Igreja Católica em favor do sacerdócio e da salvação das almas.

18 Comentários to “1º de novembro de 1970: há quatro décadas uma obra providencial era erigida pela Santa Igreja.”

  1. Aqui no Brasil temos exatamente no dia 1º de Novembro de 1969 – Portanto um ano antes da FSSPX – a fundação oficial de um outro bastião da Tradição, só que muito menos conhecida, muito menos abrangente e de característica muito mais local, salvaguardando a manutenção da Fé inviolada e pura: a FBMV, Familia Beatae Mariae Virginis, cuja permissão foi dada pelo então cardeal Brandão Vilela, cujo liberalismo paradoxalmente favoreceu os seus estatutos. Posteriormente, D. Boaventura quis aprovar os estatutos da FBMV, mas não gostou do que julgou ser excessiva veneração à Santa Virgem Maria. De uma maneira ou de outra os primeiros votos foram emitidos na própria Catedral Basílica de Salvador. A FBMV nasceu antes da FSSPX, e só tomou conhecimento da resistência tradicionalista em escala global pela década de 90, juntamente com o conhecimento de que a Missa Tradicional não foi abolida, e nem poderia ser proibida a nenhum sacerdote. Só deixo o comentário para conhecimento de todos.

  2. Lefebvre: santo súbito!!!!!

    • Prezado irmão Alexandre Semedo,
      Salve Maria

      Que prazer ler seus comentários aqui no Fratres in Unum. Lembro-me do nosso tempo de Veritatis Splendor, sem dúvida uma época de grande amadurecimento da Fé. Muito aprendi ali.

      Permita-me fazer minhas, as suas palavras:

      “Lefebvre, santo súbito.”

  3. Na missa de hoje o padre da minha paróquia falou que não adianta nada ir a missa, que o importante é fazer o bem ao pobre. Também acho que é importante o pobre. Mas nada se compara ao sacrifício de Jesus na santa missa. Na SSPX ainda bem que a missa ainda tem o mesmo valor do sacrifício da cruz. Na caricatura de Igreja pós-conciliar onde ensinam o povo que não adianta nada ir a missa, estão tirando o valor até do sacrifício da cruz. Os maçons já conseguiram retirar a cruz dos tribunais, hospitais e das repartições públicas aqui no sul do Brasil. Agora parece que confeccionaram uma nova invenção de cruz até para o Papa Francisco. Na minha cidade já estão retirando a cruz das Igrejas e as substituindo por esta nova versão de “cruz moderna” que não escandaliza. A continuar neste ritmo de modernismo na Igreja, ou satanismo, porque só o diabo tem medo da cruz, talvez daqui a um tempo só a SSPX terá a réplica da verdadeira cruz nos altares. Pena que não posso ir a Missa Tridentina onde moro. Rezemos pelo Papa Francisco!

    • Sim Luiz, lembre-se da parábola dos talentos em Mateus 25,28-29:

      “Tirai-lhe este talento e dai-o ao que tem dez. Dar-se-á ao que tem e terá em abundância. Mas ao que não tem, tirar-se-á mesmo aquilo que julga ter.”

      Por isso não estranhe se tudo for tirado dessa iGreja, todos os símbolos, todos os sacramentos etc. e tudo for confiado aos que são fiéis nesses tempos tenebrosos, em que uma falsa luz ilumina o mundo.

  4. Aprecio muito as palavras de D. Fellay, admiro muito a resistência da FSSPX, lamento muito a aversão contra quem comentou o mais gravissimo erro contra o modernismo, ser católico de verdade. Por fim, rezo e que Deus multiplique as virtudes dos sacerdotes dessa fraternidade e que assim sejam ainda mais exemplo para os outros membros do clero, ou pelo menos para a parte realmente disposta a ser fiel.

  5. Fazer bem ao pobre é essencial. Mas fundamental é ir à missa também, pois afinal, deixar de ir à missa pelo menos que eu saiba é falta grave . Outra coisa, a cruz que não escandaliza é aquela das seitas protestantes. Quanto relativismo!

  6. Viva Mons. Lefebvre e sua FSSPX!! Bastião da Tradição para o mundo!!
    Viva a FBMV! Bastião para o Brasil atual!

  7. A FFSPX realmente incomoda. Qualquer assunto que se escreveu sobre esse post foi negativado por dezenas de pessoas!

    Que tipo de pensamento guia essas almas? Onde está a caridade para com esses católicos que tanto sofrem com o preconceito e a incompreensão?

    • Stat crux dum volvitur orbis – A Cruz permanece intacta enquanto o mundo gira.
      Se em nossos tempos se repudia um arcebispo que disse e praticou a máxima: “Tradidi quod et accepi, Transmiti o que recebi”, então estamos diante da prova de que as contínuas tribulações e o justo castigo de Deus, por mais que nos aflija, é correto.
      Se a maioria, diante das abominações diárias cometidas pelos católicos – a começar pelo topo da Hierarquia – não consegue identificar o certo do errado, a ponto de torcer o nariz exatamente para quem protestou até o fim contra esta vergonhosa traição, então bem merecemos o castigo que nos é infligido.
      Se a Tradição incomoda, se D. Lefebvre incomoda, então é bom sinal. Cristo incomodava também, e ele prometeu aos seus seguidores verdadeiros que não encontrariam conforto – e muito menos apoio ou consenso – mas apenas desprezos, perseguições e tribulações, porque se o mundo nos odeia agora, é porque antes de nós odiou a Ele.
      Nosso Senhor que é a Inocência e a Perfeição teve uma queda de popularidade baixíssima, a ponto de Barrabás o superar na preferência popular. Quanto mais Lefebvre, um simples arcebispo. Bom deve ser Francisco, que é amado pelos ateus, pelos gayzistas, feministas, protestantes, libertários, comunistas, anarquistas, anticlericais, maçons e todo o mundo que não é católico – e nem deseja se converter. Lefebvre? Estranho seria se ele fosse estimado pela maioria.
      E graças a Deus ele não é. É sinal de perdição ser amado pelo mundo, porque o Mundo, segundo São João, está posto no Maligno. Se o mundo é do Diabo e o mundo gosta de algum membro da Igreja, com certeza este alguém não deve estar observando as coisas de Deus, porque defender os direitos de Deus só implica em trilhar por um caminho pedregoso e ríspido até o último suspiro.

  8. Tenho a leve (kkk) impressão de que o público do Fratres mudou de perfil… Parece que, hoje, é frequentado, ou pelo menos comentado, mais por modernistas do que por tradicionalistas. Eu noto isso há algum tempo. Hoje, eu tive a prova. Basta saber contar… Bom, que isso reverta em favor dessas almas confusas para que enxerguem que há uma crise na Igreja e qual sua origem. Viva Cristo Rei! Viva Mons. Lefebvre. Já santo.

  9. Você sabe que está infestado por demônios quando:

    1- Qualquer assunto relacionado à FSSPX incomoda;
    2- Os bons frutos da FSSPX causam choro e ranger de dentes;
    3- Qualquer post neste blog sobre a FSSPX causa uma vontade súbita de negativar, porque refutar é impossível..

  10. Caro Rogério,

    Também eu tenho saudades dos tempos do VS…

    Com a licença do Ferretti, deixo aqui meu e-mail caso queira se comunicar comigo: semoliveira@yahoo.com.br

    Abs.

  11. E Jesus falou: “Se falei mau dize-me em que, se não porque me bates?”. E Nossa Senhora mostrou o inferno aos pastorinhos de Fátima comentando que a maior parte das almas está se perdendo. E a Beata Ana Emmerich visualizou homens com colheres de pedreiro destruindo os muros da Igreja e profetizou a alteração da santa missa. E o Papa Pio V declarou ANÁTEMA aquele que alterasse a liturgia da missa. Nossa Senhora de La Salette profetizou que Roma seria a sede do Anticristo. E mesmo assim aqueles que defendem a Igreja Católica verdadeira, a luz de dois mil anos de tradição, ao contrário dos 50 anos do Concílio Vaticano II, não são compreendidos. É sinal dos tempos. “Entrai pela porta estreita porque apertado é o caminho que conduz a salvação. E largo é o caminho que conduz a perdição.” Acho que não preciso nem dizer quem disse estas palavras. Acho que os leitores clicarão um “deslike” nas palavras do evangelho.