Na festa da Imaculada Conceição: De Maria numquam satis.

Imaculada Conceição

“De Maria numquam satis”, dizem os Santos. Não se deve dizer basta nos louvores a Maria Santíssima. Não temamos cultuá-la excessivamente. Estamos sempre muito aquém do que Ela merece. Não é pelo excesso que nossa devoção a Maria falha. E sim, quando é sentimental e egoísta. Há devotos de Maria que se comovem até às lágrimas, e, no entanto, se ajustam, sem escrúpulos, à imodéstia e à sensualidade dominantes na sociedade de hoje. Sem imitação não há verdadeira devoção marial.

Consagremos, realmente, a Maria Santíssima nossa inteligência e nossa vontade, com a mortificação de nossa sensibilidade e de nossos gostos, e Ela cuidará de nossa ortodoxia. “Qui elucidant me vitam aeternam habebunt” (Eclo 24,31) – [Aqueles que me tornam conhecida terão a vida eterna] -, diz a Igreja de Maria. Os que se ocupam de fazê-la conhecida e honrada terão a vida eterna.

Dom Antônio de Castro Mayer.

Quando eu era jovem teólogo, antes e até mesmo durante as sessões do Concílio, como aconteceu e como acontecerá a muitos, eu alimentava uma certa reserva sobre algumas fórmulas antigas como, por exemplo, a famosa De Maria nunquam satis – “Sobre Maria jamais se dirá o bastante”. Esta me parecia exagerada.

Encontrava dificuldade, igualmente, em compreender o verdadeiro sentido de uma outra expressão bastante famosa e difundida (repetida na Igreja desde os primeiros séculos, quando, após um debate memorável, o Concílio de Éfeso, do ano 431, proclamara Nossa Senhora como Maria Theotokos, que quer dizer Maria, Mãe de Deus, expressão esta que enfatiza que Maria é “vitoriosa contra todas as heresias”.

Somente agora – neste período de confusão em que multiplicados desvios heréticos parecem vir bater à porta da fé autêntica -, passei a entender que não se tratava de um exagero cantado pelos devotos de Maria, mas de verdades mais do que válidas.

Cardeal Joseph Ratzinger – Entretiens sur la Foi, Vittorio Messori – Fayard 1985.

Post publicado originalmente na festa da Imaculada Conceição de 2008.

10 Comentários to “Na festa da Imaculada Conceição: De Maria numquam satis.”

  1. Reblogged this on Totus tuus and commented:
    Festa da Imaculada Conceição

  2. Sim, sobre Nossa Senhora jamais se dirá o bastante, jamais se louvará o bastante! Quanto mais lemos,, estudamos e oramos mais sabemos que pouco sabemos e pouco amamos a esta Mãe Imaculada! Hoje é um dia esplendoroso e cheio de graças especiais; rogo a Nossa Mãe Santíssima por todos os afastados da Igreja Católica e por aqueles que desconhecem este grande tesouro que é a Igreja.
    Salve Maria, causa da nossa Alegria!

  3. Bendita seja a Santa, Imaculada e Puríssima Conceição da sempre Bem Aventurada Santíssima VIRGEM MARIA ! ! !

  4. São Luis Maria G. de Monfort, Foi muito feliz em mostrar a verdadeira devoção à Santíssima Virgem. Sublinhando que esta não consiste, em somente nos atos exteriores dos Seus devotos. Mas sim. Imitando em tudo as Suas virtudes. Dom Antônio de Castro Mayer, ratificando o que este santo, acima mencionado afirmava. Ele mostrou de uma maneira muito clara e atual. Que não podemos ser verdadeiros devoto Dela, praticando o pecado. E conformando com os erros atuais do mundo. Onde vimos “católicos” ser a favor do socialismo, comunismo, do modernismo, das modas indecentes, do progressismo, ecumenismo.. Nosso Senhor é colocado em par de igualdade com as falsas religiões, ou qualquer mentalidade condenada pela Santa Igreja. Hoje nós temos a infelicidade, de ver na mídia, pessoas que se diz católica; e a favor do aborto, do casamento gay, divórcio… Ué? Mudou agora? A Sagrada Escritura, o catecismo de Trento, São Pio X acabou? Não vale mais nada? Por acaso a doutrina de Nosso Senhor, muda como muda os ventos? Hoje vemos padres que diz abertamente na imprensa, que estes pecados contra a natureza chamando de: “bendita lei” tamanha montosidade. Quando que um padre desse foi católico? Nós devemos empenhar, em conservar intacta esta doutrina ensinada em todos os tempo pela Santa Igreja.
    Joelson Ribeiro Ramos.

  5. Como não amar a Mãe de Nosso Salvador, Nosso Senhor Jesus Cristo. “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo e a sua Mãe, a bem aventurada e sempre virgem Maria”.
    “Gloria in excelsis Deo’”.

  6. No sentido de comemorá-la, já que nunca é demais falar muito de Nossa Senhora e sua Imaculada Conceição…

    Discurso pronunciado no Concílio de Éfeso, sobre Nossa Senhora, contra o herege Nestório, por São Cirilo de Alexandria

    “Salve, cidade de Éfeso, mais formosa que os mares, porque em vez dos portos da terra, marcaram encontro em ti os que são portos do céu!

    Salve, honra desta região asiática semeada por todos os lados de templos, como preciosas jóias, e consagrada, no presente, pelos benditos pés de muitos santos Padres e Patriarcas! Com sua vinda, cumularam-te de toda bênção, porque onde eles se congregam, aumenta e multiplica-se a santidade: religiosos fiéis, anjos da terra, afugentam eles, com sua presença, todo satânico poder e toda afeição pagã. Eles, repetimos, confundem toda heresia e são glórias de nossa fé ortodoxa.

    Salve, bem-aventurado João, apóstolo e evangelista, glória da virgindade, mestre da honestidade.

    Salve, vaso puríssimo da temperança, a ti virgem, confiou, na cruz, nosso Senhor Jesus Cristo a Mãe de Deus, sempre virgem!

    Salve, ó Maria, Mãe de Deus, virgem e mãe, estrela e vaso de eleição!

    Salve, Maria, virgem, mãe e serva: virgem, na verdade, por virtude daquele que nasceu de ti; mãe por virtude daquele que cobriste com panos e nutriste em teu seio; serva, por aquele que amou de servo a forma! Como Rei, quis entrar em tua cidade, em teu seio, e saiu quando lhe aprouve, cerrando para sempre sua porta, porque concebeste sem concurso de varão, e foi divino teu parto.

    Salve, Maria, templo onde mora Deus, templo santo, como o chama o profeta Davi, quando diz: “O teu templo é santo e admirável em sua justiça” (Sl 64).

    Salve, Maria, criatura mais preciosa da criação; salve, Maria, puríssima pomba; salve, Maria, lâmpada inextinguível; salve, porque de ti nasceu o sol da Justiça!

    Salve, Maria, morada da infinitude, que encerraste em teu seio o Deus infinito, o Verbo unigênito, produzindo sem arado e sem semente a espiga incorruptível!

    Salve, Maria, mãe de Deus, aclamada pelos profetas, bendita pelos pastores, quando com os anjos cantaram o sublime hino de Belém: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade” (Lc 2,14).

    Salve, Maria, Mãe de Deus, alegria dos anjos, júbilo dos arcanjos que te glorificam no céu!

    Salve, Maria, Mãe de Deus: por ti adoraram a Cristo os Magos guiados pela estrela do Oriente; salve, Maria, Mãe de Deus, honra dos apóstolos!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem João Batista, ainda no seio de sua mãe exultou de alegria, adorando como luzeiro a perene luz!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, que trouxeste ao mundo graça inefável, da qual diz são Paulo: “apareceu a todos os homens a graça de Deus salvador” (Tt 2,1).

    Salve, Maria, Mãe de Deus, que fizeste brilhar no mundo aquele que é luz verdadeira, a nosso Senhor Jesus Cristo, que diz em seu Evangelho: “eu sou a luz do mundo!” (Jo 8,12). Deus te salve, Mãe de Deus, que iluminaste aos que estavam em trevas e sombras de morte; porque o povo que jazia nas trevas viu uma grande luz (Is 9, 2), uma luz não outra senão Jesus Cristo nosso Senhor, luz verdadeira que ilumina todo homem que vem a este mundo (Jo 1,9).

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem se apregoa nos Evangelhos: “bendito o que vem em nome do Senhor!” (Mt 21,9), por quem se encheram de igrejas nossas cidades, campos e vilas ortodoxas!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem veio ao mundo o vencedor da morte e o destruidor do inferno!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem veio ao mundo o autor da criação e o restaurador das criaturas, o Rei dos céus!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem floresceu e refulgiu o brilho da ressurreição!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem luziu o sublime batismo de santidade no Jordão!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem o Jordão e o Batista foram santificados e o demônio foi destronado!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem é salvo todo espírito fiel!

    Salve, Maria, Mãe de Deus, – pois acalmaste e serenaste os mares para que pudessem nossos irmãos cooperadores e pais e defensores da fé, serem conduzidos, com alegria e júbilo espiritual, a esta assembléia de entusiásticos defensores de tua honra!

    Também aquele que, levando cartas de perseguição, sendo derrubado pela luz do céu no caminho de Damasco, falou sobre ti e confirmou para o mundo a fé na Trindade consubstancial, de um só Senhor, de um só batismo; de um só Pai, um só Filho, um só Espírito Santo; da substância inseparável e simplicíssima; da divindade incompreensível do Senhor Deus de Deus, Luz de Luz, Esplendor da Glória, que nasceu de Maria Virgem, conforme o anúncio do Arcanjo: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo, o Espírito Santo descerá sobre ti, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com sua sombra, e por isso o santo que de ti nascer será chamado Filho de Deus vivo” (Lc 1,35).

    Não somente o sabemos pelo arcanjo Gabriel; também Davi, no vaticínio que canta diariamente a Igreja, nos diz: “O Senhor me disse: és meu filho; no dia de hoje te gerei” ( Sl 2,7).

    Já o sábio Isaías, filho do profeta Amós, profeta nascido de profeta, o predissera: “Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho e seu nome será Emanuel, que significa Deus conosco” (Mt 1,23).

    Por isso todos os que formos fieis às Escrituras, seguindo os caminhos de Paulo, ouvindo as vozes dos profetas clamar-te-ão Bem aventurada.. Todos os que formos seguidores dos Evangelhos permaneceremos como disse o profeta: seremos como “oliveira fértil na casa de Deus” (Sl 51), glorificando a Deus Pai Todo Poderoso, a seu Filho UNIGÊNITO que nasceu de Maria e ao vivificante Espírito Santo, que se comunica a todos na vida; submissos aos fidelíssimos imperadores, honrando as rainhas, discretas e santas virgens, no seu amor à fé ortodoxa de Cristo de Jesus, nosso Senhor a quem se deve a glória pelos séculos dos séculos . Amém. “

  7. Que por toda a terra e por toda a eternidade, seja cantados louvores e aclamações Àquela que confiou.
    A Bendita entre as mulheres, a Bem-aventurada sempre Virgem Maria!!! Sobre a Vossa proteção e misericórdia recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossa súplicas em nossas necessidades, mas livra-nos sempre de todos os perigos. Ó Casta e Bendita! Amém.

  8. Caríssimos, no dia de Nossa Senhora da Conceição derrubam a imagem de Lênin na Ucrânia. Não é muita coincidência?

  9. Perdão, D Antônio de Castro Mayer (já na Glória com Deus): Discordo quando critica “o sentimentalismo” na devoção a Nossa Senhora (a não ser em casos de desvios morais, incompatíveis com a santidade da Virgem). Não é Ela também a nossa Mãe? Como não ser sentimental? Na biografia de São Pio de Pietrelcina se conta que ele chorava quando ouvia a música MAMA.

  10. Que não se pode dizer Dela? Simplesmente que não é deusa.

    Da Virgem Santíssima não nos cessa os alentos que nos veem suas excelência e magnificência.

    Porém, o quem está abaixo de Deus e está acima de todas as criaturas? A Concepção Perfeita, A Santíssima Virgem Maria.

    Criada acima das criaturas.

    Poderia Deus fazer o céu e a terra mais belos e perfeitos? Sim, poderia. Poderia Deus fazer no céu e na terra todas as coisas mais belas e perfeitas? Sim, poderia.

    Na Sua Mãe, porém, Deus “esgotou” Seu amor na Criação. Fez dela Espelho de Beleza e de Perfeição: A Concepção Imaculada da Mãe de Seu Divino Filho – A Santíssima e Sempre Virgem Maria. O Infinito e Eterno se limitou e eternizou-Se na Virgem Santíssima. Não há criatura mais bela e perfeita. Nem mesmo Deus pode fazê-lo. Ela é o finito da Onipotência. Nela está encerrado tudo que pode Deus fazer a uma criatura.

    A Filha de Deus Pai, Princesa. A Esposa de Deus Espírito Santo, Senhora. A Mãe de Deus Filho, Rainha.

    Mas a Santíssima Virgem Maria não tem sua missão na salvação humana? Não é Corredentora e Medianeira de todas as graças?

    Quando nos castigos que Deus infligiu aos nossos primeiros pais, Ele também deu o primeiro evangelho: a promessa do Messias e da Mulher.

    Assim, a Santíssima Imaculada é o Adjetivo da Igreja.

    Está no Genesis, na plenitude dos tempos e na escatologia. É a Historia da Igreja Imaculada.

    Para a Igreja, Nosso Senhor Jesus fez a promessa da sua vitoria contra o demonio e seus asseclas: as portas do inferno não prevalecerão sobre Ela.

    A Virgem Santíssima fez em Fatima outra: por fim meu Imaculado Coração triunfará.