A sombra do Papa Francisco: Monsenhor Pedacchio Leaniz.

Nota do Fratres – Corredores romanos sussuram: a Mons. Pedacchio atribui-se enorme influência sobre Francisco — aparentemente, um Papa independente, autônomo em suas decisões e sem vínculos com quem quer que seja. Só aparentemente. Por exemplo, diz-se que Pedacchio, antigo oficial da Congregação para os Bispos, seria o artífice da ascensão meteórica de um antigo companheiro seu de dicastério, também oficial, o brasileiro Dom Ilson Montanari. Conta-se também que Pedacchio teria repreendido rude e publicamente o Cardeal Mauro Piacenza por ter ousado genuflectir em uma Missa concelebrada com o Papa, na Casa Santa Marta. O secretário do Papa avisara a todos das dificuldades do Pontífice para se ajoelhar e que, portanto, ninguém deveria fazê-lo ao longo da celebração. O pobre Piacenza, já bastante humilhado no reinado de Francisco, teria descumprido o preceito Pedacchiano por uma questão de hábito: o Cardeal “conservador”, coitado, estaria acostumado a se ajoelhar e o fez automaticamente.

Desconfia-se também que Pedacchio seja a porta aberta a visitas ilustres ao Papa Francisco, driblando a burocracia vaticana, com direito a vídeos de celular, como a que publicamos recentemente.

* * *

Por CNA | Tradução: Fratres in Unum.com - O Papa Francisco agora conta com a presença discreta de seu novo secretário argentino de 49 anos de idade, monsenhor Fabiàn Pedacchio Leaniz.

“Eu quero passar despercebido,” disse o segundo secretário do Papa Francisco à CNA em 27 de junho durante uma conversa. “Estou fazendo o melhor que posso para servir ao Santo Padre, sem revelar nada da vida privada do Papa Francisco.”

Mons. Pedacchio

Mons. Pedacchio

Monsenhor Fabiàn Edgardo Marcelo Pedacchio Leaniz soube através da janela do Palácio Apostólico ao lado do Papa, pela primeira vez, em 12 de maio, quase exatamente dois meses após a eleição do Papa Francisco.

Pouco tempo depois do evento de 13 de março, ele se mudou para a Domus Sanctae Marthae, o hotel do Vaticano onde o Papa está morando. Ele começou a colaborar com o Papa Francisco em meio regime de expediente, ao mesmo tempo que mantinha seu cargo de “escriturário de secretário e segunda classe” na Congregação para os Bispos.

Atualmente, Monsenhor Pedacchio Leaniz é o segundo secretário do Papa Francisco em tempo integral, um cargo através do qual ele auxilia o Santo Padre em sua vida diária seja como tradutor ou respondendo correspondência pessoal em nome do Papa. O primeiro secretário é o Monsenhor  Alfred Xuereb, de origem maltesa, que também atuou como segundo secretário de Bento XVI.

Como segundo secretário, Monsenhor Pedacchio um dia será inserido nos escalões da Secretaria de Estado.

O padre conhece o pontífice há muito tempo. Ao assumir seu cargo na Cúria Vaticana, em 2007, foi sob recomendação do então Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Jorge Mario Bergoglio.

Perito em Direito Canônico, Monsenhor Pedacchio Leaniz era secretário da SADEC, a sociedade argentina para o Direito Canônico. Ele também trabalhou no Tribunal Eclesiástico da Argentina.

O monsenhor cresceu em uma comunidade da Villa Luro, em Buenos Aires. Ele conta, em uma entrevista ao jornal “El Periodico del Barrio”, em janeiro de 2007, que, quando ele era mais jovem, nunca pensou em ser padre.

Em 1983, ele decidiu estudar economia e constituir uma família. Porém, naquela época ele encontrou um padre que, Pedacchio Leaniz disse ao El Periodico del Barrio, “atraiu minha atenção por sua alegria e abertura. Uma vez ele me perguntou se alguma vez eu já tinha pensado em ser padre.”

A primeira resposta de Monsenhor Pedacchio foi “Meu futuro é estudar, me formar e constituir uma família.” Porém, ele continuou pensando sobre essa proposta do padre, e no mês de março seguinte ele entrou para o seminário.

Ele foi ordenado padre em 7 de dezembro de 1992.

Só mais tarde que o então pároco padre Pedacchio Leaniz começou a manter conversas telefônicas semanais com o seu arcebispo, Cardeal Bergoglio, e encontrar com ele mais frequentemente.

Em 2007, a Congregação de Bispos perguntou ao Cardeal Bergoglio se ele podia sugerir um padre argentino para o cargo dentro de seus escalões. O cardeal escolheu Monsenhor Pedacchio Leaniz, a quem o arcebispo de Buenos Aires considerava em grande estima.

A amizade deles levou até mesmo a alguma especulação sobre o verdadeiro papel que o sacerdote tinha na Congregação para os Bispos.

Em um relatório de 26 de dezembro de 2011, um informante anônimo escrevia no portal argentino Intereconomia acusando-o de ser “um espião do Cardeal Bergoglio em Roma” dentro dos escalões da Congregação de Bispos.

O relatório insinuava que o Monsenhor Pedacchio costumava informar o Cardeal Bergoglio “de qualquer documento ou carta que chegava à Congregação, incluindo documentos selados.” O relatório afirmava também que “quando o assunto em questão é muito importante, o Monsenhor Pedacchio também envia faxes a Bergoglio com toda a documentação necessária” para o “seu chefe.”

Monsenhor Pedacchio Leaniz é considerado por muitos como sendo habilidoso e atento. “Ele costumava manter os olhos e ouvidos abertos,” disse um oficial do Vaticano que trabalhava na Congregação para os Bispos e falou à CNA na condição de anônimo.

Seus hobbies são variados. Ele gosta de ópera e música em geral, e tem uma grande coleção de CDs de vários gêneros. Ele gosta de futebol e é um grande fã do time e futebol argentino de River Plate. Ele ama os livros de Gabriel Garcia Marquez, e ele é um fã de Pedro Almodovar, o famoso diretor de cinema espanhol e ganhador do Academy Award.

Em Roma, ele costumava comprar livros de orações em uma pequena livraria na adjacência da Praça de São Pedro. Os livreiros descreveram Monsenhor Pedacchio em uma conversa em 27 de junho com a CNA como “uma pessoa simpática e afável, às vezes até mesmo engraçado.”

20 Comentários to “A sombra do Papa Francisco: Monsenhor Pedacchio Leaniz.”

  1. “Ele ama os livros de Gabriel Garcia Marquez, e ele é um fã de Pedro Almodovar, o famoso diretor de cinema espanhol e ganhador do Academy Award.”

    Xiiii!

    O primeiro (Gabriel Garcia Marquez) é um esquerdista fanático; o segundo (Pedro Almodovar) é um homossexual radical que zomba muitas vezes da Madre Igreja em seus filmes. Muitos dos filmes de Pedro Almodovar é claramente sobre homossexualismo. Pedacchio também gosta disso?

    Se ainda alguém tem dúvida o que fará Francisco acabe logo com essa dúvida, pois já está mais do que claro quais são as suas intenções.

  2. Uma pessoa pra ser fã de Almodovar tem que ser da mesma laia desse ativista sodomita e inimigo declarado da Igreja.

  3. “Ele ama os livros de Gabriel Garcia Marquez, e ele é um fã de Pedro Almodovar” –

    Santíssima Virgem Maria, olhai pela Igreja!

  4. E pensar que SS Bento XVI tinha com secretário Dom George…..

  5. Este é o informe que foi publicado no intereconomia sobre o Monsernhor Pedacchio:
    .

    http://www.intereconomia.com/blog/cigueena-torre/hoy-va-argentina-20111223

  6. São horríveis os relatos a respeito do Monsenhor Pedacchio. Mas, dentre todos, o que deixa transparecer, com maior evidência, uma inspiração satânica, é aquela referente à absurda recomendação para que ninguém se ajoelhasse durante a missa celebrada pelo Papa, porque o Papa tem dificuldade para se ajoelhar… — Mas, não foi publicada na Internet uma foto dele ajoelhado, recebendo a “bênção” de um pastor protestante (ou era um maçom) ? Fica a pergunta: Ele pode e não quer, ou ele quer e não pode? Os antecedentes sugerem uma resposta positiva para a primeira hipótese. Mas não podemos ter certeza. Só Deus sabe…

    • Prezado Antônio, fiquei igualmente indignado com o fato e me fiz o mesmo questionamento. De fato, isso é indìcio de inspiração satânica. Pergunto-me também se o papa é realmente assim como se apresenta ou se isso faz parte de sua inegavel demagogia tirânica. O problema é que varias dessas “apresentações” são claros sintomas de ausência de Fé, o que não é raro no clero na faixa etaria do papa. Eles são da época do “vamu quebrà tudu” e ainda mantém seu espirito là. Note o senhor que o papa se crê aggiornato, mas não saiu dos anos 70! Isso me lembra também o clero francês, grande propugnador do espirito CVII, em certas dioceses francesas é dificil encontrar uma igreja com genuflexorio, eles mandaram tirar e, hoje, os pouquissimos catolicos franceses perderam a pratica da genuflexão, e muitos desses, com ela, a fé na Presença Real.

  7. Tenho impressão que melhor teria se comportado se dissesse, como certos sacerdotes que preferem nas suas horas vagas, abrindo mão do lazer, pesquisarem, melhor se aprofundarem nos escritos dos santos da Igreja para sobressaírem nas sua homilias e ensinamentos ao povo e jamais deveriam externar suas preferencias a certos indivíduos cujos procedimentos não se coadunam com a doutrina da Igreja.
    o homossexual Almodóvar e seus filmes pansexualistas e o Gabo servindo até de guarda-costas de Fidel Castro…
    Ou se tivesse se omitido nessas dúbias preferencias teria sido muito mais eloquente e não teria incentivado a outros de o acompanharem nesses comportamentos relativistas.
    Seria cabível? Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. 2 Tm 3:13.

  8. “costumava informar o Cardeal Bergoglio ‘de qualquer documento ou carta que chegava à Congregação, incluindo documentos selados.'”
    Se verdadeiro, é muito grave. Tanto para quem envia, como para quem recebe…

  9. Com todo respeito, mas essa reportagem é um monte de ouvi dizer, disseram, acho que é, alguém falou, ou seja, pura especulação. Logo no início temos: ” Corredores romanos sussurram” Para mim, isso é pura fofoca ou achismo. No segundo parágrafo temos: ” Desconfia-se que” . Nada mais do que especulação!

  10. Como ele ainda é chamado de Monsenhor se tem menos de 65 anos?

  11. Também gosta dos Beatles e dos Rolling Stones?

  12. Mas será que ainda duvidam que a Igreja Católica está ocupada por toda sorte de liberais, socialistas, ecumenistas, modernistas, maçons, pseudo-conservadores, talmudistas, etc? O que estamos testemunhando são os sintomas de uma ocupação ampla e profunda.

  13. Camilo, a resposta à sua pergunta foi publicada no Rorate Caeli:

    Traduzindo:

    Padre. Michael Brown e as maracutaias que forçaram Papa Ratzinger a renunciar:

    OK, eu devo ter entendido mal, mas eu pensei que a situação era a seguinte: o Conclave se reuniu depois da infeliz renuncia do Papa Bento XVI. Ele foi um grande Pontífice que sufocado pelo nível de corrupção na Igreja, decidiu pendurar o chapéu. O Conclave era da opinião de que um dos maiores problemas a ser encarado é a Cúria Romana. Essa Cúria é cheia de proeminentes neo-pelagianos preocupados apenas em fazer progressos em suas carreiras e isso é um escândalo. Assim elegem Cardeal Bergoglio que teria o que é necessário para executar a tarefa de reformar a Cúria.
    E então o que acontece? Para eliminar o grande mal do clero que é o carreirismo foi decretado que o título de Monsenhor será abolido para todos aqueles com menos de 65 anos de idade.
    Hurray!!! Esse homem realmente veio pra cumprir o que prometeu! Mas esperem aí: tal decisão se aplica à Igreja em todas as partes do mundo exceto na Cúria Romana onde tudo pelo visto continuará como antes: padres com idade acima de 35 anos de idade e que completaram cinco anos de serviço receberão automaticamente o título de Monsenhor.
    Aguardemos pelas próximas reformas!”

  14. Mas um escândalo para a santa Igreja… e agora do padre que fica quase o dia todo junto do Papa. Descobriram que ele é fã de diretor de cinema que faz filmes gays e que ele tem um perfil (de camisa semi-aberta sem nenhuma menção que ele é padre) numa rede social suspeita a “procura de amigos”.

    OREMUSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS