Papa Francisco diz que aborto significa “descartar seres humanos”.

Folha de São Paulo – O papa Francisco criticou nesta segunda-feira o aborto, que qualificou como “prova da cultura do descartável que desperdiça pessoas da mesma forma que desperdiça comida”. Para o pontífice, a interrupção voluntária da gravidez é “horrível”.

Esta foi a condenação mais incisiva ao aborto feita por Francisco desde sua eleição, em março de 2013. Tido como mais liberal em alguns aspectos, como a participação da mulher e o casamento homossexual, a frase foi um aceno a setores mais conservadores da Igreja Católica.

Em discurso anual a diplomatas, o pontífice comentava sobre a fome como um dos aspectos do que chama de “cultura do descartável”. “Lamentavelmente, não são objetos de descarte apenas os alimentos ou supérfluos, mas também os próprios seres humanos, que vem sendo descartados como coisas não necessárias”.

Para ele, essa cultura também afeta as crianças que não nasceram ainda, em referência à interrupção da gravidez. “Por exemplo, é horrível quando você pensa que há crianças, vítimas do aborto, que nunca verão a luz do dia”.

Francisco nunca deu sinais de que reveria a condenação da Igreja ao aborto, mas tampouco vinha fazendo as duras e frequentes recriminações contra essa prática que caracterizavam seus antecessores João Paulo 2º e Bento 16.

Em entrevista à revista jesuíta italiana Civiltá Cattolica, em setembro, o papa alarmou os conservadores ao dizer que a Igreja precisava se livrar da sua “obsessão” a temas polêmicos como aborto, contracepção e homossexualidade.

Há dois meses, ele se mostrou contrário à interrupção da gravidez em sua primeira exortação apostólica, mas defendeu que a Igreja Católica desse apoio às mulheres atingidas em países mais pobres, como os africanos, asiáticos e latino-americanos.

A posição de pontífice de favorecer a misericórdia em lugar da condenação desorientou muitos católicos conservadores, especialmente em países ricos, com os EUA, onde a Igreja está polarizada em torno de assuntos comportamentais.

No ano passado, o bispo de Providence (Rhode Island), Thomas J. Tobin, se disse frustrado pelo fato de o papa não ter tratado mais diretamente “do mal do aborto”. Críticas nesse sentido vinham sendo ecoadas por sites católicos conservadores nos últimos meses.

Tags: , ,

11 Comentários to “Papa Francisco diz que aborto significa “descartar seres humanos”.”

  1. Acho que pela primeira vez, em todo o pontificado, Francisco disse algo digno do Vigário de Cristo, cargo que legalmente ocupa. O Santo Padre deveria estender mais e alertar contra os contraceptivos, que transformam o sexo em simples instrumento de prazer lascivo e imundo, em vez de união do casal no Sagrado Matrimônio.
    Em minha humilde opinião, os considero tão execráveis quanto o próprio aborto.
    E em vez de ficar dando uma de bom samaritano, o Papa deveria condenar de uma vez por todas os sodomitas, excluí-los dos Sacramentos e da vida da Igreja, por praticarem pérfidos e infames atos contra a natureza e contra Deus, e por estarem condenados ao fogo do inferno, se morrerem em tal condição.

    Virgem Prudentíssima, rogai por nós.

  2. “a interrupção voluntária da gravidez é algo horrível”. OK. Mas tem um monte de gente que diz:”aí eu não queria mas é a única saída” e aí encontra um sinal verde para a consciência. O negócio é fazer declarações não tão flexíveis como esta; mas de fato falar que é pecado e não dar soluções alternativas é fazer a caridade pela metade.

  3. A Santa Igreja sempre será contra o aborto. Só um meio de comunicação secular sem nenhuma vivência eclesial pra não entender o que o Santo Padre quis dizer com aquela primeira declaração. O Papa tenta mostrar ao mundo que a Igreja não abomina o aborto como “simples moralismo” (afinal, o mundo tenta pintar os católicos como “loucos, irracionais”. Na minha opinião, o Papa quis com isso mostrar que, para entender o porquê dessa posição da Igreja, a pessoa deve mergulhar no mistério do Amor de Deus, que nos ama e nos dignifica, para só então poder entender por que esse prática é tão horrenda. O demônio cerca tanto as pessoas com ideologias do mal, como o relativismo, que muitas vezes é difícil a alguns enxergar o óbvio: matar um ser humano indefeso é algo monstruoso!

  4. Francisco percebeu que erro no tom ao considerar que a Igreja não deve colocar sempre os assuntos morais em pauta. Eu até concordaria com o Papa desde que esses temas morais não estivessem sob constante e virulento ataque de forças seculares efetivamente malignas. Portanto, a questão do aborto poderia ser colocada em “segundo plano” apenas no dia em que os Estados políticos não inventarem de legalizarem esse crime atroz. Como não é o que ocorre, o dever moral da Igreja é lutar abertamente contra todas as formas de aborto e, obviamente, contra iniciativas que visem naturalizar essa prática homicida contra formas de vida inocentes.

    Sinal de que nem tudo está perdido…

  5. errata: percebeu que ERROU no tom…

  6. Será o princípio do fim da “trégua” da mídia com o Papa e a Igreja?

  7. “Antes de formá-lo no ventre eu o escolhi; antes de você nascer, eu o separei e o designei profeta às nações”.

  8. Parabéns a Sua Santidade o papa Francisco. Agora sim, ele está vestindo a armadura do cristão e indo para o campo de batalha, entre a cultura da Vida X a cultura da Morte. O filho de Deus veio ao mundo para que todos tenham vida e vida em abundância (João 10,10).

  9. Porque a Igreja condena o aborto?

    Porque não somos descartáveis? ou porque é pecado, é um pecado contra o 5º Mandamento que diz não matar, e é
    um dos pecados que clama aos céus e pede a Deus vingança.??????

    Quanto a oportunidade a casa já queimou!

    Isto é, a PRESIDENTA já assinou a lei.
    Porque não se pronunciou por ocasião da JMJ ?????????????????

    • G.Moreno, apesar da JMJ, o papa esteve no Brasil como Chefe de Estado. E seria estranho como convidado, um chefe de estado falar mal da política do país que estava recebendo. No caso de ontem, ele era o anfitrião e estava discursando para diplomatas de outros países.

  10. Deus permita e Francisco confirme a proa que sutilmente se desenha…

    Primeiro, celebrou versus Deum. Agora, esta exortação.

    Kyrie Eleison!!!