Efeito Francisco segundo Ravasi.

Cardeal Gianfranco Ravasi.

Cardeal Ravasi.

“Num mundo em que os políticos são vistos como uma casta, o Papa, ao contrário, tenta se aproximar.

Com Bento XVI, as audiências duravam 40 minutos e a volta da praça [de papamóvel], 10.

Francisco fala dez minutos e passeia entre os fiéis durante uma hora, ouvindo-os”.

Palavras do Cardeal Gianfranco Ravasi, Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, outrora papabile, sobre a “a originalidade do Papa Francisco”.

11 Comentários to “Efeito Francisco segundo Ravasi.”

  1. Trata-se de uma artilharia pesada contra Bento XVI. Dias atrás Bergoglio concede uma entrevista a um jornal laico dizendo que não compreendia a expressão ‘valores inegociáveis’ de seu predecessor, dizendo que para ele valores são valores, e basta, como se pudéssemos equiparar um assassinato de um ser humano no ventre materno a qualquer outra espécie de valores negociáveis numa democracia. Sim, eles existem. Há diferença entre direito público e direito divino.

    Mais humilde seria se ele consultasse a Bento XVI antes de vir a público colocar em questão um termo do magistério de seu predecessor, como se para ele existisse valores negociáveis.

    Agora (como os progressistas estão se sentindo livres, leves e soltos) vem esse Cardeal laçar mais uma flecha no coração de Bento XVI, como se este não prestasse atenção aos fiéis e fosse indelicado para com aqueles que solicitassem sua atenção. Cretino! Falso! Mentiroso!

    Que eu saiba Bento XVI, no seu pontificado, nunca lançou uma ofensa sequer contra quem quer que seja na Igreja, fazendo com que algum grupo se sentisse marginalizado ou que outro sentisse estar sendo obcecado numa determinada matéria – como o aborto – desprezando a evangelização.

    Falso, mentiroso, hipócrita, cínico….

  2. Ridícula comparação. Sempre ridículo esse tipo de coisa. Não digo que fez isso mal intencionado, mas pra quem lê fica parecendo que está desmerecendo a prática pastoral de Bento XVI. Simplesmente ridículo.

  3. O que o Cardeal Ravasi está dizendo é exatamente o contrário do que saiu hoje na mídia internacional. Até o ultra liberal Huffington Post amanheceu dizendo que não existe “efeito Francisco” porque a frequência de Católicos nas igrejas, pelo menos no USA não aumentou. O que diminuiu foi o criticismo daqueles que apostataram da Igreja, mas quem saiu nem pensa em voltar.

    http://www.huffingtonpost.com/2014/03/06/pope-francis-effect-survey_n_4905795.html
    http://ncronline.org/blogs/faith-and-justice/francis-effect

  4. Deus me deu a graça de, estando eu em Roma, poder falar pessoalmente com o papa Bento. Diante de tão grande emoção chorei ao me ajoelhar diante dele, com muita atenção me suspendeu impedindo que eu continuasse ajoelhado, segurou-me firme me olhou e disse: ” perché piangere?”. Todos que iam ao seu encontro cumprimentar-lhe tinham apenas no máximo 30 segundos, ficou comigo a conversar por 5 minutos, preocupando-se em saber cada coisa sobre mim. Nunca vi tanta humildade, tanta vontade de conhecer o outro como naquele pobre homem vestido de branco. Dois dias depois, em uma missa na basílica de São Pedro, estando eu em um assente privilegiado ao passar por mim sorriu e estendeu a mão como gesto de que me reconhecera. Ano de 2009.
    Outra graça foi poder participar da missa no Santuário de Aparecida, com o então Cardeal Bergoglio. Não poderia nem imaginar que fosse ele o próximo papa, em sinal de reverencia a um purpurado me dirigi a ele para saudá-lo , já não posso dizer o mesmo dele o que disse sobre Bento. Acredito que só porque tornou-se papa o sua conduta não tenha mudado. Ano de 2007.

  5. Comparando grosso modo, o que acontece é o seguinte: posso ir ao Rio pelas Rodovias Dutra ou Rio-Santos. O itinerário de ambos os Papas é distinto, mas tencionam o mesmo objetivo.

  6. Mais uma flecha em Bento XVI… Inevitável pensar em

    O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência! E vimos n’uma luz emensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Varios outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de juelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam varios tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, n’êles recolhiam o sangue dos Martires e com êle regavam as almas que se aproximavam de Deus.

  7. Atitude demagógica. Prefiro a de Bento XVI.

  8. É um elogio a que papa ? a Bento ou a Francisco não percebi!!! Não me parece que a descrição da práxis de Francisco seja muito de elogiar, ou será que a evangelização é feita atreves de beijos e de abraços, e com discursos longe da doutrina e com linguagem pouco própria de um cristão?

  9. Sim… é mais uma flecha envenenada cravada no coração de Bento XVI. Rezemos, pois, para que Deus dê forças ao Papa em mérito para suportar, com a paciência de Cristo, tantos sofrimentos. (P.S. não foi, desta vez, erro de digitação)

  10. Uai gente, Ravasi apenas verbalizou os fatos, que sabemos, é isto mesmo que ocorre! Antes que digam algo, foi Bento quem criou Ravasi! Ponto!