Vaticano: Papa reuniu-se com chefes dos dicastérios da Cúria Romana.

Cidade do Vaticano, 01 abr 2014 (Ecclesia) – O Papa Francisco encontrou-se hoje no Vaticano com os chefes dos dicastérios da Cúria Romana, anunciou a sala de imprensa da Santa Sé.

O comunicado oficial refere que a reunião de trabalho teve como objetivo informar sobre o modo como a exortação apostólica Evangelii Gaudium se tem refletido na atividade dos organismos centrais do governo da Igreja Católica e “as perspetivas que se abrem à sua implementação”.

A reunião decorreu na sala Bolonha do palácio apostólico do Vaticano, esta manhã, durante cerca de duas horas e meia.

A exortação apostólica ‘Evangelii Gaudium’ (A alegria do Evangelho), primeiro documento do género escrito pelo Papa, apresenta o projeto de uma “nova etapa de evangelização”, nos próximos anos.

O texto publicado em novembro de 2013 retoma as principais preocupações manifestadas por Francisco desde o início do seu pontificado e fala numa Igreja “em saída” e atenta às “periferias”, bem como a “novos âmbitos socioculturais”.

A exortação apostólica refere-se a uma “conversão do papado” e questiona uma “centralização excessiva” que complica a vida da Igreja e a sua dinâmica missionária.

O Papa repete o desejo de “uma Igreja pobre”, “ferida e suja” após sair à rua, porque “uma fé autêntica – que nunca é cómoda nem individualista – comporta sempre um profundo desejo de mudar o mundo, transmitir valores”.

“Não quero uma Igreja preocupada com ser o centro, e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimentos”, adverte.

10 Comentários to “Vaticano: Papa reuniu-se com chefes dos dicastérios da Cúria Romana.”

  1. Sempre que ouço falar sobre “evangelização” e “missão”, fico pensando:
    Falam que é preciso evangelizar e fazer missão. Falam quais os desafios e os impedimentos, onde é necessário e a quem se dirige esse objetivo, quais os meios a empregar etc etc. Só nunca dizem exatamente o que é “evangelização” e “missão”. É como se fosse algo tão óbvio que todos já sabem, não precisa explicar.
    Acontece que o que antes era evangelizar e fazer missão, agora não é mais. Então PRA QUÊ EXATAMENTE estão sendo convocados os evangelizadores e missionários? Porque não dizem claramente?
    Parece que querem a força, a fé e a disposição dos crentes mas não dizem pra QUÊ pois na verdade é pra algo que os crentes não crêem.

  2. Depois de deixar-se fotografar ajoelhado, contando seus pecados (numa imagem inegavelmente bonita e tocante), lá vem Bergoglio, o nebuloso, com suas frases igualmente nebulosas, abertas a mil interpretações, geralmente contrárias à Fé. Ninguém sabe direito o que ele quer dizer com elas. Por que não é claro?
    Que significa uma Igreja “ferida e suja”?
    Ferida de quê? Suja de quê?
    Ferida em sua autoridade? (por sinal, já está há muito tempo) Suja de pecado? Será isso? O que ele quer dizer com esses termos?
    Ah – pode-se dizer – não é nada disso. São os homens da Igreja que se sujam e se ferem ao sairem do seu comodismo, ao irem ao encontro do outro, para evangelizar, para fazer missão. O Papa está se referindo ao cansaço da missão evangelizadora. E quando se trata do pecado dos seus membros, a Igreja não se suja com eles, pois ela é sempre santa e imaculada. Cada membro é que se suja com seus próprios pecados.
    Certo. Realmente é assim.
    Então, por que o Papa não usa os termos corretos? Por que confunde a Igreja com seus membros? Qual o objetivo de insistir nessa confusão, nessa linguagem imprecisa?
    Diz ainda:
    “Não quero uma Igreja preocupada com ser o centro, e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimentos”.
    Mais uma vez: que quer ele dizer com isso? A que “centro” o Papa se refere? Ao centro da Fé? À sua essência? Será? A Fé plurissecular da Igreja não deve ser o centro que guia o pensamento e as ações das pessoas? Será isso que o Papa deseja?
    E o que é esse “emaranhado de obsessões e procedimentos” a que o Papa se refere?
    Ele não diz.
    Não diz!
    Mas, por que não diz?
    Pode ser, literalmente, qualquer coisa.
    Francisco, o nebuloso.

  3. Então finalmente começarão as tais mudanças. Tenho medo delas, tanto que peço a oração de todos desse site, quero ser padre e sinto forte o chamado. Mas tenho medo do que possa encontrar nos seminários atuais. Farei a novena de Santa Teresinha, mas preciso da oração de vocês. Quero ir para lá, mas o medo e o receio me incomodam. A aqueles que realmente se importam com a tradição e estão dispostos a lutar por ela, peço que rezem por mim para que Deus me ilumine e me indique o devo fazer, estou muito confuso e realmente não quero estar esperando Jesus voltar e não ter feito nada por ele. Porque atualmente, o que faço é penitência, oração, jejum. E trabalho é claro, mas ainda sim sinto que tenho que fazer mais e a cada dia que passa, o chamado vem mais forte. Mas preciso de uma luz pra poder ter certeza do que devo fazer.

    Rezem por mim por favor.

    • Sousa, eu já estive lá e saí. É apostasia demais. O cúmulo foi quando um padre reuniu catequistas para um curso e explicou que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, até aí ok, mas que também Maria não era Virgem e que Jesus descobriu-se divino pelo fato de entender que a transcendência de Deus está no ser humano. Não houve visita de anjo, magos e nem, pasmem, ressurreição. O que ocorreu foi que após a morte de Jesus, a comunidade de fé – simbolizada por Tomé – foi tomando consciência de que Cristo não poderia ter morrido, mas estaria vivo em espírito com o pai… Imaginem como as catequistas reagiram! Uma senhora, levantou-se e disse: “Então vocês mentiram para nós o tempo todo! Como querem que ensinemos isso a nossas crianças”, o padre – meu reitor – disse que aquilo era um curso avançado para pessoas maduras na fé e que aquilo não deveria ser levado para a catequese. A mulher deu a resposta que eu adoraria ter dado: “Vocês mentiram pra nós e querem que mintamos pra nossas crianças. Não vou ver fazer isso, vou ensinar do jeito que sempre fiz, mas porque ainda acredito que as coisas se passaram como consta na bíblia. Foi o que o padre me ensinou quando pequena, e ele não mentia”. Estávamos numa chácara longe da cidade, a mulher foi embora a pé.

    • As palavras de todos vocês me comoveram, realmente é muito difícil pra mim pois formei no ano passado e já estava até preparando para ir para um seminário, mas percebi que o que Dom Bosco tinha criado acabou mudando muito nos tempos atuais. Agradeço a todos vocês pelas orações, e sei que em breve Deus irá esclarecer tudo e eu terei a coragem de enfrentar o que for que me aparecer. Por providência divina acabei mencionando a novena de Santa Teresinha para alguem e ela me disse que filha dela ganhou um presente com várias imagens, contando com Santa Teresinha, acho que foi um sinal para eu fazer a novena, enfim, seja o que Deus quiser. Quero apenas fazer a vontade dele, pois sinto que todos os sonhos que sempre tive eram pequenos comparados aos grandes que ele realizará em minha vida e o meu principal objetivo e sinto triste pelos jovens que não façam isso é tornar-me santo e sinto que é no chamado onde conseguirei essa benção. As pessoas falam de Santidade, mas poucos realmente se dedicam a vivé-la, que evangelização é essa que não fala da Santidade? Não é impossível, vejamos o exemplo de Padre Libério e outros tantos que serão beatificados em breve. Agradeço a todos pelas orações, sinto que as coisas estão começando a ficar mais claras para mim.

  4. Sr. Souza, acho melhor Vsa. Sa. procura o Seminário da Administração Apostólica São João Vianney em Campos/RJ. Sei que as coisas não são mais como no tempo de Dom Licínio mas há sacerdotes e professores muito inteligentes por lá. Depois Vsa. Sa. poderá se aliar aos sacerdotes que ainda preservam o legado de Dom Antônio e atender minhas confissões, pois tenho muito medo do que poderá nos acontecer quando Deus chamá-los, pois são apenas 3.

  5. Sr. Sousa, fico radiante ao conhecer o chamamento do Senhor para a Sua vinha. Aqui nesta parte do Canadá já está a cair a noite mas logo de manhã vou-me prostar diante do Sacrário pedindo para que Jesus, “ o Sacerdote Supremo” o ampare e a todos os sacerdotes que nos tem transmitido tão lindas mensagens.
    Também andei no seminário e errei quando optei por outros caminhos. Nunca desista, Jesus tem um lugar especial para os bons sacerdotes e Ele precisa de você mais do que nunca. Como pode ver aqui no Fratres encontramos Sacerdotes de Jesus para Jesus. Isto me dá força para continuar com uma fé viva porque ainda existem.
    A Igreja não é suja mas sim Pura e Divina. Talvez Sua Santidade se refira aqueles que se abrigam no Vaticano. Posso me contar um desses “sujos”, sou um grande pecador.
    Que Deus e Nossa Senhora de Fátima o abençõe.

  6. Rezarei por você,Sousa.

    Fiquem com Deus.

  7. Eu estou pouco me lixando pra o que Bergoglio quer. Me interessa é o que Cristo quer e definitivamente Cristo não quer um Representante que não sabe o que quer, que não sabe o que diz, que ao invés de esclarecer, confunde e que ao invés de juntar espalha. Por hora Nosso Senhor tolera…e só Ele sabe até quando durará esse mistério da iniquidade.

  8. Francisco, o Nebuloso (2), usa eufemismos para promover uma CEB, uma TL ou qualquer heresia modernista dentro do ativismo materialista. Os inimigos da Igreja agradecem.

    Os maçons já conseguiram Papas em conformidade com a doutrina deles, e o nosso ” humilde ” está entre eles: “o maçom esteja convosco – ele está no meio de nós – proclamação do Evangelho segundo o marxismo – glória a nós, Senhor”. Eis a “Nova Evangelização”.