Recordando Martini.

Segundo o porta-voz da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, ‹‹ o Papa Francisco qualificou o Padre Martini como um homem de discernimento e de paz, um profeta e homem de paz; como aquele que ajudou muito a entender a relação fé-justiça. O Papa encorajou, naturalmente, a Fundação na sua actividade, referindo o dever dos filhos de recordar os pais: aí estamos na ordem espiritual e eclesial, mas qualificou Martini como um “pai” na Igreja, pai para a sua diocese, pai para inúmeras pessoas. Recordou que também “nós, no fim do mundo – disse –, recebemos dele uma grande contribuição pelo conhecimento bíblico, mas também justamente pela espiritualidade e vida de fé, alimentada pela Palavra de Deus ››.

Ainda de acordo com o Papa Francisco, “recordar o Cardeal Martini é um ato de justiça”. É o que faz a matéria abaixo, do El País, de Buenos Aires – 10 de abril de 2014 (créditos: Secretum Meum Mihi).

La Nación Abr-10-2014 03

Traduzimos alguns excertos:

“Era um homem de Deus, mas não era necessário fazê-lo santo. Deveria ter se aposentado antes” [...] Martini foi uma das 114 testemunhas escutadas durante o processo de canonização de Karol Wojtyla (1920-2005), que será proclamado santo em tempo recorde, há tão somente nove anos de sua morte. [...] Em seu testemunho durante o processo, de fato, Martini assinalava algumas “limitações” em ações e decisões do papa polonês. Entre elas, algumas nomeações “não muito felizes” de colaboradores, especialmente nos últimos tempos; excessivo apoio aos movimentos, “relevando de fato as igrejas locais”; imprudência ao se colocar “no centro das atenções — especialmente nas viagens — com o resultado de que o povo o percebia como o bispo do mundo e ficava obscurecido o papel da Igreja local e do bispo”.  [...] “Não quis enfatizar mais do que devido a necessidade de sua canonização, porque me parece que basta o testemunho histórico de sua dedicação séria à Igreja e a serviço das almas”, indicou Martini ao dar seu testemunho na causa.

[...] Martini não é o único que teve reservas sobre a canonização de João Paulo II, o reconhecimento de santidade mais rápido da época moderna, já que Pio X foi proclamado santo por Pio XII em 1954, 40 anos após sua morte, e João XXIII será proclamado santo em 27 de abril próximo, juntamente com João Paulo II, 50 anos após sua morte. “Este processo está avançando muito rápido, a santidade não precisa de caminhos preferenciais”, apontou o cardeal belga Godfried Danneels.

15 Comentários to “Recordando Martini.”

  1. São João Paulo II “O Grande” Rogai Por Nós!

  2. lamentável recordar o cardeal Martini.

  3. Martini contra? Um ponto para João Paulo II!

  4. Até certo ponto Martini tinha seus motivos pra ser contra, afinal se era pra canonizar o Vaticano II ninguém tinha mais direito a uma canonização do que o próprio Carlo Maria Martini pois Martini é o “garoto-propaganda” n.1 dessa loucura chamada Vaticano II e a inspiração principal das loucuras bergoglianas.
    Mas João Paulo II também teve lá seus méritos e isso ele deixou claro em sua própria Constituição FIDEI DEPOSITUM para a publicação do Novo Catecismo da Igreja Católica pós- Conciliar:

    “…O Concílio Ecumênico Vaticano II, inaugurado há trinta anos pelo meu predecessor João XXIII, de feliz memória, tinha como intenção e como finalidade pôr em evidência a missão apostólica e pastoral da Igreja, e, fazendo resplandecer a verdade do Evangelho, levar todos os homens a procurarem e acolherem o amor de Cristo que excede toda a ciência (cf. Ef 3,19).
    Ao Concílio, o Papa João XXIII tinha confiado como tarefa principal guardar e apresentar melhor o precioso depósito da doutrina cristã, para o tornar mais acessível aos fiéis de Cristo e a todos os homens de boa vontade. Portanto, o Concílio não devia, em primeiro lugar, condenar os erros da época, mas sobretudo empenhar-se por mostrar serenamente a força e a beleza da doutrina da fé. [...]
    “Para mim – que tive a graça especial de nele participar e colaborar no seu desenvolvimento – o Vaticano II foi sempre, e é de modo particular nestes anos do meu Pontificado, o constante ponto de referência de toda a minha ação pastoral, no consciente empenho de traduzir as suas diretrizes em aplicação concreta e fiel, a nível de cada Igreja e da Igreja inteira. É preciso incessantemente recomeçar daquela fonte” [3].

    Basta ler essa Constituição pra entender porque os modernistas em Roma precisavam se livrar de Bento XVI e nos empurrar Bergoglio goela abaixo: “É preciso incessantemente recomeçar daquela fonte”.
    Da minha parte podem espernear à vontade porque vou continuar seguindo minha consciência, pois é ela que me impede de acender velas tanto pra Woytila como pra Nikita Roncalli.
    Quando Roncalli lançou a Pacem in Terris ela foi recebida com “hosanas” pelo bloco soviético” . Pela primeira vez, contrariando todos os Papas anteriores esta encíclica defende um acordo entre Cristo e Belial, defende que a paz só pode ser alcançada através da colaboração de todas as “pessoas de boa vontade” com aquelas que defendem “ideologias erradas” como o comunismo.
    Devido a este apelo à colaboração e à solidariedade, ele acabou por incitar a Igreja Católica a começar negociação com os governos comunistas. Graças à essa política diplomática (a ostpolitik) que foi continuada pelo Papa Paulo VI, foi liquidada a “Igreja do Silêncio” e um de seus mais notáveis representantes, o Cardeal Mindeszenty, Primaz da Hungria.
    Graças ao PAPA BOM PARA OS COMUNISTAS, o Vaticano abriu suas portas para ativistas políticos disfarçados de padres que haviam sido previamente aprovados pelos regimes comunistas e Bispos que haviam recebido selo de aprovação dos regimes comunistas daquela época rapidamente subiram ao Cardinalato.
    “Pelos frutos vos conhecereis” e isso pra mim é o suficiente. Quanto aos que insistem em proclamar o santo mas não contam o milagre, eu vejo que até no uso do provérbio eles distorcem a realidade.

  5. “São João Paulo 2″ padroeiro do islã!!

    Os “santos” da “igreja” conciliar beija alcorão, faz acordo de Metz com os comunistas mas como essa seita é obra de satanás ela instrumetaliza verdadeiros Santos católicos (como Santo Anchieta) para poder TENTAR calar os católicos que contestam os processos de canonização fraudulentos pós-conciliares.

    Excelente artigo em The Remnant, de autoria de Peter Crenshaw, acerca das consequências da escandalosa canonização de João Paulo II.

    O título é Do advogado do diabo: abrirá São João Paulo as portas para “santos” não católicos?

    Crenshaw analisa as vicissitudes dos processos de canonização e como as rigorosíssimas normas estabelecidas pelo papa Sixto V, quatrocentos anos atrás, foram postas abaixo por JP2, eliminando a figura do advogado do diabo, que garantia a seriedade do processo.

    (agradecer ao blog http://www.christeeleyson.com/ pelas informações concedidas)

    “Esta é a tua hora e o poder das trevas.” (Lc 22,53)

  6. É impressionante como os extremos se tocam!

  7. Tomara que todos os que questionam essa ou aquela canonização ou beatificação priorizem a própria santificação. Sem ficar imaginando a própria canonização ou a própria imagem esculpida e pintada nas igrejas.

  8. Martini também não tinha nada de santo. (eu também não tenho)

  9. Como ficou fácil ser santo! Qualquer um fica santo hoje em dia…

  10. Não conheci o PAPA JOAO XXIII… era novíssima,começando a vida, (he…he..he..!),mas, no Pontificado de JOAO PAULO II, eu já podia opinar, já frequentava a IGREJA…!!! Já entendia certas coisas.

    A d m i r o , e muiiiiiito,…. SUA SANTIDADE, o falecido PAPA JOAO PAULO II, independentemente de seus acertos ou enganos……coisas tão comuns em seres humanos….

    KAROL WOYTILA tem meu carinho e admiração, até porque, ele , apesar de PONTIFICE, também pertence ao Grupo dos CONSAGRADOS MARIANOS pelo Método MONFORT, como eu, também o sou, graças à DEUS! Amém!

    IRMAO!!!!!!….. e PAPA, rogai por nós! e, pela IGREJA CATOLICA! Amém!

    VIVA JESUS!!! Aleluia! CRISTO Ressuscitou! verdadeiramente,aleluiaaaa!!!!

    MARANATHA!

  11. Martini, Daneels, Boff, Hans Kung . João Paulo II, pode ter tido seus defeitos e teve vários, porém ter uma lista de desafetos como essa já serve como um grande passo para a sua canonização.

  12. SE OPOR A CANONIZAÇAO DE JOÃO PAULO II É DAR Credibilidade a TL e aos movimentos modernistas. O PAPA FRANCISCO resolveu canonizar JOÃO 23, dispensando o segundo milagre, para tirar o brilho do grande papa polônes.

  13. Eis uma das poucas ocasiões em que o Cardeal Martini(R.I.P.) disse algo apropriado.