Telefonema do Papa reacende debate sobre comunhão para divorciados recasados.

Por Andrés Beltramo Álvarez | Tradução: Fratres in Unum.com - “Há padres que são mais papistas do que o Papa.” Uma frase fixa como qualquer outra. Só que dessa vez os lábios que a proferiram foram os do próprio Francisco, durante uma conversa com a conterrânea argentina, Jakelina Lisbona. Uma mulher que se casou com um homem divorciado. Bergoglio a aconselhou a receber a Comunhão independentemente de sua situação pessoal. Esse pequeno detalhe acabou virando uma notícia que percorreu meio mundo.

“O Papa assegura que não á mal algum em uma pessoa divorciada receber a Comunhão”. Este é o título que tem dado o que falar na mídia nas últimas poucas horas. Porém, ela é uma má interpretação, porque a pessoa com quem o Papa falou não era divorciada como originalmente se acreditava.

“Não sou eu a divorciada,” disse uma das protagonistas nesta história em entrevista à estação de rádio de Buenos Aires La Red Am910. Lisbona disse que era seu marido, Julio Zabeta, que era divorciado, mas ela nunca se casou na Igreja. Os dois estão unidos em matrimônio civil há dezenove anos e têm duas filhas.

“Costumávamos ir à missa, não todos os dias [de preceito]. Aqui em casa, rezamos todas as noites, sempre nos voltamos para Deus; quando alguém está em situação de dificuldade Deus é o primeiro a quem recorremos. Escrevi a carta espontaneamente. Escrevi-lhe porque ele é argentino, ele ouve as pessoas e eu acredito em milagres,” ela disse.

A mulher disse também que tentou receber a Comunhão novamente no ano passado, mas o pároco não apenas aparentemente disse que ele não poderia lhe dar a Comunhão; ele disse que ela também não poderia ter acesso ao sacramento da Confissão. “[Eles me disseram que] quando eu fosse para casa, eu retornaria a vida de pecado,” ela acrescentou.

A mulher finalmente decidiu escrever ao Papa Francisco para explicar-lhe a sua situação. A carta foi enviada em setembro do ano passado.

“O telefone tocou e meu marido atendeu. Era o Padre Bergoglio chamando. O padre pediu para falar comigo e meu marido perguntou: ‘Quem está falando?’, ao que a voz respondeu dizendo que era o padre Bergoglio’. Perguntei-lhe se era realmente ele, o Papa, e ele disse que sim e que ele estava chamando em resposta à minha carta datada de setembro,” ele explicou.

Lisbona não queria dar muitos detalhes durante a entrevista de rádio, mas ela revelou o conselho que aparentemente Francisco lhe deu, ou seja, de que ela poderia se aproximar da Comunhão. “Esse assunto recebeu muita atenção pública. Ele me disse para receber a Comunhão em uma paróquia diferente, mas agora eu não posso ir a lugar algum.”

Ela também revelou um fato interessante: O padre que aparentemente se recusou a lhe dar a Comunhão não exerce mais o seu ministério. Ele pediu dispensa de suas obrigações como sacerdote para se casar.

De acordo com a mulher, o Papa Francisco disse também que ele está “tratando do assunto” dos divorciados recasados; uma referência clara às duas próximas assembleias sobre desafios pastorais da família, que o Sínodo dos Bispos deve realizar em 2014 e 2015. “Ele disse que minha carta o ajudou a tratar dessa questão,” ela acrescentou.

“Depois ele me disse que há alguns padres que são mais papistas do que o Papa. Ele se comportou de maneira completamente normal comigo ao telefone e eu tentei lhe falar com o máximo de respeito. Agora estou arrasada com o enorme efeito que esta história está surtindo e sinto-me comovida pelo fato de ter falado com Francisco. Eu lhe disse que escreveria novamente quando recebesse a Comunhão,” ela disse.

A Santa Sé não deseja comentar se Bergoglio realmente telefonou ou não para Jakelina Lisbona. Porém, ela também não negou a notícia. No que tange a sala de imprensa do Vaticano, a comunicação do Papa foi privada e, portanto, não há comentário a ser feito.

Tags: ,

32 Comentários to “Telefonema do Papa reacende debate sobre comunhão para divorciados recasados.”

  1. Essa senhora divorciada se faz de vítima, quando a verdadeira vítima é nosso Senhor, que sofre com os pecados de adultério dos que abandonam seus matrimônios. E trata do sacerdote que não quis dar a comunhão à separada como se ele fosse o vilão, quando na verdade a grande errada é justamente a tal mulher. O pobre pároco não fez nada a não ser obedecer as leis do Senhor para sua Igreja. É triste que um simples padre tenha mais temor à Deus que o seu próprio vigário. Francisco quer transformar a igreja em uma ONG de apoio à adúlteros, que não levam o matrimônio a sério, e acham que não será responsabilizados por isso.

  2. O Papa Francisco e seu Magistério Telefônico.

  3. Cadê o Lombardi???

  4. Realmente, a comunhão dos recasados é um desafio: “Como fazer o que queremos e achamos certo, sem parecer estarmos desobedecendo a desconsertantemente clara posição de Jesus que condena a nossa opinião”. É um desafio!
    Tem que fazer um malabarismo desgraçado pra conseguir! Tem que concordar sem concordar, negar sem negar, dizer que crê sem crer. É um desafio, dos maiores! Mas continuem insistindo, uma hora voces conseguem. Já tão conseguindo aprovar coisas mais escabrosas, tolerar pecados muito mais horríveis. Aprovar a comunhão dos recasados é fichinha. Uma hora vai.

  5. São João Batista, rogai por nós.
    São João Fisher, rogai por nós.
    São Thomas More, rogai por nós.
    Santa Virgem das Virgens, rogai por nós.
    Senhor, tende piedade de nós e iluminai o Vosso Vigário.

  6. Precisamos termos sempre presente em nossa mente. Que a doutrina Católica Apostólica Romana. Ela é independe da autoridade de qualquer papa. O Papa é o Vigário de Jesus Cristo na terra. Ele não é dono da Igreja. Ele não pode fazer o que ele quiser na Igreja. Uma verdade definida por Ela, nenhuma outra autoridade, por maior que seja, é capaz de contradize-La. Nem o próprio Deus pode contradizer, o que a Igreja definiu. A Santa Igreja é o eco de Deus na terra. A voz da Igreja é a voz de Deus. Não pode haver contradição. Esta história, de doutrina diferente do que foi ensinado, isto não é católico. O Papa, recordando aquilo que aprendemos no catecismo da nossa infância. Só é infalível em matéria de fé e moral. Quando ele afirma algo contraditório; o que foi sempre ensinado. Não podemos obedecer! A obediência, é uma virtude moral.
    Joelson Ribeiro Ramos.

  7. Se a mulher nunca se casou na Igreja e vive pelo registro civil com um homem divorciado, vive em concubinato, e não pode comungar enquanto estiver nessa situação, nem pode se casar na Igreja com o divorciado.

    Se Bergoglio realmente permitiu que uma mulher que vive com um homem sem o Sacramento do Matrimônio receba a Comunhão, liberou o sexo fora do Casamento! Disso para permitir que divorciados comunguem é um passo, e para o divórcio “católico”, outro!

    Rezemos, e muito, cada vez mais!

  8. ” Não sou eu a divorciada!” Foi ele quem se divorciou, afirmou a senhora. Então, o homem é quem está cometendo adultério contra a primeira esposa. Essa senhora da carta,que o Papa teria dito para receber a Eucaristia, ao se unir no civil , não sabia que ele já era divorciado? Ela coabitando com ele, que é divorciado, comete fornicação ou adultério também? Alguém poderia me explicar? Obrigada.

  9. Ainda que a senhora em questão não seja a impedida de contrair matrimônio, vive em estado permanente de pecado. Alguém nessas condições não pode ser recebido aos sacramentos. Essa é a moral que a Igreja sempre ensinou. Como se pode dar a absolvição, se é certo que se vai continuar em concumbinato? O Santo Padre parece ignorar a indissolubilidade do matrimônio e ainda incentiva o sacrílegio, que é receber a comunhão em pecado.

  10. Ele é o divorciado e ambos são cúmplices de adultério – o próprio Cristo o diz.

    Calma, gente, Pedro está negando Cristo, o galo vai cantar daqui a pouco…

  11. Se isso tudo é verdade, o mesmo Papa que tanto se preocupa com a família é o primeiro a destruí-la apoiando o concubinato da mulher, o adultério do homem, a fornicação do relacionamento e o sacrilégio à santíssima eucaristia e ao sacramento da confissão. E convenhamos, não existe família santa fora da graça. É assim que ele confirma os irmãos na fé, ensinando-os a depravação dos costumes? Se isso for verdade, muito mais que trazer mudanças na Doutrina de fé, o papa estará empurrando o rebanho para o pecado e para as garras do demônio, tudo em nome da misericórdia inclusiva.

  12. Embora não haja confirmação a respeito do conteúdo, parece que houve mesmo um telefonema do Papa.

    http://www.news.va/en/news/fr-lombardi-responds-to-reports-of-popes-call-to-a

  13. Eu, penso….que a mulher, casada sómente no CIVIL, com o Divorciado, em casamento só no CIVIL( = CONTRATO CIVIL!)…….ela, está em FORNICAÇAO,E…..E…em ADULTERIO ,…… t a m b é m ….. pois, se relaciona, coabita, tem CONJUNÇAO CARNAL, com um homem c a s a d o, pois perante DEUS, se o tal homem, já casou-se com a primeira mulher, na IGREJA CATOLICA, matrimoniando-se com ela, no RELIGIOSO…..ele, perante DEUS,….perante o CÉU….continua casado sacramentalmente,espiritualmente, com a priimeira mulher!!!!!……é homem casado!

    Para o Céu NÂO há DIVORCIOS,etc…não se desmancha a toda hora, e por qualquer motivinho, um SACRAMENTO, como é o MATRIMONIO!!!

    Leiam MATEUS 19 !!!

    O homem, t a m b é m está em ADULTERIO,pois tem d u a s mulheres: com uma coabita e etc e tal, e com a outra não, mas , se não teve o MATRIMONIO anulado, dissolvido oficialmente pela IGREJA CATOLICA APOSTOLICA ROMANA,…..ele, continua casadinho com a primeira, a qual, perante DEUS ………é a sua v e r d a d e i r a esposa!!!!!!! até que a M O R T E os separe!!!!!!!

    Há raros casos , aonde a IGREJA CATOLICA ANULA o SACRAMENTO MATRIMONIAL, mas só em casos muiiiiito especiais, c o m p r o v a d o s…..etc!
    Corre então um PROCESSo no TRIBUNAL ECLESIÁSTICO , Processo de ANULAÇÂO, que demora bastante, e, NÂO é… para todo casinho, não!…..

    SOLUÇÂO; confessarem-se os dois e ………..viverem, como dois…….i r m ã o s,………………. sem terem n u n c a mais, NUNCA MAIS, vida sexual!!! ….

    Isso, se quiserem comungar!!!! ….santamente, sem ofender à JESUS CRISTO, nosso DEUS! Amém! Sorry…..!

  14. Fico muiiiiiito admirada, em saber, que o Papa FRANCISCO I ,talvez, para ser simpático a uma pessoa, telefona-lhe ( ligação interurbana, internacional, carissima!!!) …….para lhe incentivar a pecar, a comungar , inadequadamente………!!!!

    Não posso acreditar, que isso tenha ocorrido………!!!! Um Papa,…. aconselhando a uma ovelha ,a pecar gravemente ,contra a EUCARISTIA…….????????????????……………!!!!!!!!!!!!!!!!!!!……

    Meu DEUS!!!!!!!

    NÂO PODE SER VERDADE! !!!!!!!………….. Deve ter algum…..”engano” nessa notícia terrível!

    MARANATHA!

  15. Se ele foi divorciado só no civil, pode se casar na Igreja com a mulher que nunca se casou na Igreja. Assim entendo que pode.

  16. Aos que criticam o Santo Padre, lembro o que todo bom católico deve saber: 18. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
    19. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus (Evangelho segundo São Mateus). O Papa Francisco é o sucessor de São Pedro e devemos acatar os seus ensinamentos.

    • E quando São Pedro, depois das palavras solenes do Salvador, foi contra o plano de Deus, Jesus lhe disse: “afasta-te de mim, Satanás”.
      O poder das chaves dado a São Pedro e a seus sucessores tem limites. Nenhum Papa tem o poder de modificar a doutrina de Cristo.
      Adultério é pecado grave.
      Todo aquele que, em estado de pecado grave, recebe o Corpo e o Sangue do Senhor na Eucaristia, come e bebe a sua própria condenação.
      Nenhum Papa tem poder para modificar essa doutrina bíblica e tradicional da Santa Igreja.
      Como é que o Santo Padre manda uma mulher em estado de pecado mortal receber a Santa Comunhão?
      O Papa não conhece a Bíblia e o Catecismo?
      Ou será que não acredita neles?
      Quo Vadis, Franciscus?

  17. Ana Maria: a Palavra de Deus de onde provém a Doutrina da Igreja é bem clara:

    3. Os fariseus vieram perguntar-lhe para pô-lo à prova: É permitido a um homem rejeitar sua mulher por um motivo qualquer?
    4. Respondeu-lhes Jesus: Não lestes que o Criador, no começo, fez o homem e a mulher e disse:
    5. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e os dois formarão uma só carne?
    6. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu.
    7. Disseram-lhe eles: Por que, então, Moisés ordenou dar um documento de divórcio à mulher, ao rejeitá-la?
    8. Jesus respondeu-lhes: É por causa da dureza de vosso coração que Moisés havia tolerado o repúdio das mulheres; mas no começo não foi assim.
    9. Ora, eu vos declaro que todo aquele que rejeita sua mulher, exceto no caso de matrimônio falso ( que poderia ser o “casamento civil) , e desposa uma outra, comete adultério. E aquele que desposa uma mulher rejeitada, comete também adultério. ( Mateus 19)

    Ou seja, se ambos não tinham qualquer vínculo sacramental prévio, nada os impediria de ir à Igreja e regularizar sua situação matrimonial antes de se acharem no “direito” de receber o Corpo de Cristo. Mas aqui no caso dá a entender que o homem já era casado na Igreja com a primeira mulher, ou seja tinha um casamento sacramental válido.
    Nesse caso, não importa se foi ele que rejeitou a primeira esposa ou se foi a primeira esposa que o rejeitou. O vínculo sacramental é eterno e quem se unir ao rejeitado ou adúltero também se torna culpado de adultério.
    Quanto aos neo-ultramontistas que colocam o Papa acima da Doutrina e do próprio Cristo, cabe novamente recordar que o mesmo Concílio Vaticano I que estabeleceu o Dogma da Infalibilidade Papal e do Primado de Pedro, também deixou claro os limites dessa autoridade:

    “o Espírito Santo não foi prometido aos sucessores de S. Pedro para que estes, sob a revelação do mesmo, pregassem uma nova doutrina, mas para que, com a sua assistência, conservassem santamente e expusessem fielmente o depósito da fé, ou seja, a revelação herdada dos Apóstolos.” [Cap. IV, Denzinger 1836]

    Pedro recebeu de Cristo a autoridade das chaves para nos ligar ao céu e não para nos mandar para o inferno ao aconselhar-nos a cometer sacrilégio e “escondidinho” como se Deus não fosse Onipresente.

  18. Rezemos para que o verdadeiro ministério do Matrimônio, neste pontificado, não vá de água a baixo

  19. M. Silva, ótimo a sua colocação: “Calma, gente, Pedro está negando Cristo, o galo vai cantar daqui a pouco…”

    Muito pertinente por sinal!

    Procedamus in pacen

  20. Gercione, obrigada pelo esclarecimento. Se esta notícia for verídica, significa que Sua Santidade sinalizou, que a tal senhora poderia procurar uma paróquia “diferente” da sua para comungar? Seria para não escandalizar os fiéis que a conhecem? Sua Santidade é Onipotente? O que está acontecendo com a Igreja do Senhor? Por que não se tenta mais carregar a cruz do dia a dia como Nosso Senhor fez? Será que tentarão ‘acomodar’ a Santa Doutrina da Igreja, defendida com o sangue por tantos Santos e Mártires a esse mundo moderno que parece estar completamente dominado?
    Pode-se relativizar a Verdade da Santa Doutrina Católica em nome da Caridade? O Papa Emérito Bento XVI afirmou que “a caridade sem a verdade cai no sentimentalismo”.

  21. Há casais de segunda união por causa da concupiscência da carne . Fica claro que isto não é Amor. O Amor parte de Deus e aspira o bem da alma do outro. O remédio é a continência, se não puderem separar por causa dos filhos. Caso os dois consigam viverem como irmãos podem comungar sem dar escândalos. Mas, se não tiverem a Pureza madura, podem desistir, nada de comungar. Tentem a nulidade matrimonial, caso não for nulo o casamento. Abracem a Cruz da continência ou a Cruz de não poder comungar.

  22. Não devemos acreditar no que diz essa mulher, o Papa jamais falaria tal coisa para ela. Como ele poderia dizer que não é mal que divorciados em segunda união comunguem?? O Papa não diria tal coisa, assim como publicamente ele nunca disse tal coisa. O Papa evidentemente conhece a doutrina da Igreja, ele não falaria isso a uma fiel católica. Essa mulher pode estar usando de má fé, até porque de que adianta ela procurar uma igreja, fazer tais alegações, e não ser atendida pelo padre. O Papa jamais falou isso, ele deu longas entrevistas e nunca falou uma coisa dessas. Não se deixem enganar por boatos e alegações graciosas.

  23. Carla,

    A sala de imprensa da Santa Sé não negou o telefonema, nem negou o conteúdo da mensagem do Papa. Essa mulher é vítima do mau conselho daquele que devia ser seu pastor.

  24. André Castelo diz:

    O remédio é a continência??? André e (Gercione se quiser responder), e se ambos não tem vocação para o celibato? o que faz?

  25. Eu, também custo a crer, ó CARLA, que o Papa FRANCISCO I tenha feito esse tipo de telefonema….
    Penso que é mentira de jornais, e CIA!!!!!…..

    Custo a crer, que eu,…….. eu saiba que, o Casamento Religioso É INDISSOLÚVEL, e, que ninguém pode ter relacionamento carnal-afetivo com uma pessoa já matrimoniada, pois cometerá o terrivel pecado mortal do ADULTERIO e / ou o da FORNICAÇÃO, dependendo do “caso”…. e, que desse modo, NÂO pode ir receber a Comunhão EUCARISTICA……, não acredito, que eu saiba disso,….e o Papa não o saiba…..!!!!! NÃO ACREDITO!

    Se o homem casou-se no RELIGIOSO, e, ele vive com outra mulher ( que antes era solteira), os dois estão em……ADULTERIO, e ela mais ainda, está também, em………FORNICAÇÃO!!!

    Os dois não podem comungar, nem confessar!

    É triste, a situação deles,…. mas é o que foi determinado pelo CÉU! É só lerem MATEUS 19, onde JESUS explica direitinho, para todos os cristãos! Simples assim!
    Oremos pelo Pontifice, e por toda a IGREJA CATOLICA APOSTOLICA ROMANA! Amém!

    MARANATHA!

  26. Penso que foi o Beato João Paulo II que anuiu comunhão para homem e mulher que, amasiados, vivessem em castidade, mas permaneciam unidos pelo bem dos filhos oriundos daquela ocasião.

    Talvez o conselho do Papa Francisco a Lisbona vá nessa linha: tanto que a matéria afirma ter o Pontífice recomendado à conterrânea ir comungar em outra paróquia, exatamente como a exortação do beato (para evitar escândalo dos paroquianos que conhecem o casal de segunda união).

  27. Osires, deixa eu te falar uma coisa de experiência própria: não há modo mais eficaz pra se viver a castidade do que um casamento.
    Ou por que motivo você acha que existe tanto divórcio, tanta separação, tanta segunda, terceira, quarta e quinta união? Você acha que se lua-de-mel durasse pra sempre alguém pensaria em separação?
    Num casamento monogâmico, onde o compromisso com o Sacramento, com a família, com o pão de cada dia dos filhos e do cônjuge estão em primeiro lugar, a última coisa na lista de prioridades é sexo.
    Não foi à toa que o Apóstolo Paulo disse:

    “Se não podem conter-se, casem-se; porque é melhor casar do que abrasar-se (ficar ardendo em desejos)”.

    Pois eu afirmo que não tem coisa mais certa pra “esfriar a brasa” do que o marido ser obrigado a fazer sexo com a mesma mulher pelo resto da vida, apesar dela ter engordado depois de uma gravidez atrás da outra, criado varizes, cabelos brancos, rugas…etc. Sim, “obrigado” porque a mesma Palavra que manda os solteiros guardar a continência, diz aos casados:

    “Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e, depois, ajuntai-vos outra vez”.

    Para as mulheres também não é fácil ter que encarar o fato de que o “príncipe encantado” virou sapo…e frequentemente um sapo barrigudo, velho, grosseiro, mal humorado, que ronca, bebe, fuma e mal consegue “dar no couro”…rs. Nessas horas “a grama do vizinho” costuma parecer mais verde e até nisso se peca, pois Jesus disse claramente:

    Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição. Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não cometerás adultério’. Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração. Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena.

    Pra piorar, com a convivência, todos os defeitos de um e do outro vem à tona, as decepções se multiplicam e o perdão se torna artigo raro.
    Que maravilha seria se casamento fosse uma eterna lua-de-mel!! Não é! O script é o mesmo para todos, mas alguns acham que se mudarem os personagens a história vai ser diferente. Não vai.
    O casamento Sacramental funciona da seguinte maneira: temos a liberdade de escolher o cônjuge. Por isso o celebrante pergunta durante o rito do casamento se é de livre e espontânea vontade que estamos escolhendo aquela pessoa. Se houve alguma forma de constrangimento ou coação, não se dá a bênção sacramental, tal casamento é nulo.
    Partindo do princípio que a escolha de ambos foi livre, chegamos então às promessas. Você toma testemunhas perante Deus e a Igreja e promete amar, respeitar aquela pessoa até que a morte os separe. Promete aceitar todos os filhos que Deus mandar daquela união e educá-las na fé cristã. Faz aquele monte de promessas à Deus, dança e comemora durante o banquete nupcial, curte a lua-de-mel e acha que vida de casado será uma eterna “Bodas de Caná”! Esqueceram de lhe informar que vai ter Via Sacra também com direito a uma cruz diferente a cada dia.
    São tantas as cruzes que a gente tem que encarar durante um casamento que se não fossem as consolações que Deus nos dá de vez em quando, seria quase impossível suportar. Por isso Jesus nos disse:

    “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.

  28. Rezemos mais e mais pelo Papa!

  29. Prezada Gercione,

    Belas palavras vc escreveu. Porém, o que eu quero entender é: Como exigir de uma pessoa, aquilo que ela não tem VOCAÇÃO. Outra questão que já perguntei e ninguém respondeu foi? Há vocação sacerdotal sem o celibato? Se há, por que desperdiçá-las, tomando as precauções devidas? Os que dizem que tem vocação estão dando grandes escândalos.

    • Vocação vem de VOCAR, EVOCAR, INVOCAR, CONVIDAR, CONVOCAR, e depois CONSENTIR.
      Esse negócio de “não tenho vocação” é fruto do romantismo e das gnosis, se olharmos neste ponto de vista, nem mesmo os apóstolos eram lá muito “aptos” para isto, no entanto foram BISPOS. Para ser padre precisa ser homem, católico e disposto a sacrificar-se, o resto, é BALELA ESOTÉRICA.

  30. O mundo está muito distante de Deus, até os religiosos estão se distanciando, muitos deles estão revoltando contra o Santo Evangelho, eles consideram que o mundo mudou muito e o Evangelho de Jesus Cristo, de quando Ele veio ao mundo, não muda nada, é a mesma coisa, eles pensam que é preciso mudar, ser mais moderno, ser mais comparativo com a humanidade de agora. Pobres filhos, a Palavra de Deus é Eterna, Ela é sempre a mesma coisa, a arrogância do mundo é que tem coragem de querer corrigir Deus, mas não corrige a si mesmo.