Aparecida: Recordados os bispos falecidos desde a última Assembleia Geral.

Aparecida (RV– Os trabalhos da 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil em Aparecida, tiveram início nesta segunda-feira com a celebração da missa no Santuário Nacional presidida por Dom Francisco Biasin, Bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda. A celebração foi em memória aos bispos falecidos desde a última assembleia, realizada em 2013. “Sentimo-nos profundamente devedores e gratos aos nossos irmãos bispos falecidos, pela fé que nos transmitiram, que ilumina a nossa vida e alimenta a nossa caminhada e das nossas igrejas”, disse durante a homilia.

Dom Biasin fez menção especial ao Bispo emérito de sua diocese, Dom Waldyr Calheiros, e ao Bispo emérito de Goiás (GO), Dom Tomás Balduíno, falecido na última sexta-feira, dia 2, e que será sepultado hoje, na Catedral Nossa Senhora Sant’Ana, na Cidade de Goiàs.

“Os dois se procuravam e se apoiavam. Quando se encontravam pareciam dois irmãos. Tiveram uma trajetória marcada por desafios comuns. Juntos com os bispos do Brasil e de outros países, os dois foram signatários do pacto das catacumbas onde se comprometeram a viver radicalmente como pobres, a serviço dos pobres, em uma igreja pobre. O Vaticano II marcou, indelevelmente, as suas vidas. Em suas igrejas particulares, promoveram, com convicção, a renovação da Igreja. Marcaram presença em intervenção significativas na CNBB. Enfrentaram resistências e incompreensões de pessoas de dentro e fora da Igreja. Deram asas a um laicato maduro e atuante na Igreja e na sociedade. Acolheram e dialogaram com pessoas de todos os credos e ideologias, enxergando nelas a imagem de filhos e filhas de Deus. Atuaram na defesa de pessoas perseguidas pela ditadura e no processo de anistia”, lembrou Dom Biasin.

Dom Biasin expressou, ainda, a comunhão dos bispos à Igreja de Goiás e a Dom Eugênio Rixen, que se despede hoje de Dom Tomás Balduíno.

Na primeira seção de trabalhos, após a missa, os participantes da Assembleia Geral seguiram para o auditório Padre Noé Sotillo, no subsolo do Santuário Nacional, para um encontro reservado. Por volta das 11 da manhã, retomaram as atividades no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, onde está o plenário da Assembleia. 

Ainda no período da manhã, a Comissão Episcopal para a Tradução dos Textos Litúrgicos (CETEL), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), responsável pela revisão do Missal Romano, apresentou os resultados do estudo e revisão do texto do Tempo Pascal, para votação do plenário. Na sequência dos trabalhos, o texto referente à Questão Agrária voltou para análise e avaliação dos bispos, após sugestões e emendas do plenário. Está prevista a votação deste texto que trata da atuação da Igreja no debate sobre a Questão Agrária brasileira. 

Durante todo o período da tarde, o bispos dedicam-se novamente ao Tema Central “Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia”, para expor suas contribuições e correções ao texto. Às 18h, as Comissões Episcopais Pastorais da CNBB terão um momento para apresentação de seus relatórios de atividades desenvolvidas em 2013.

Neste final de semana os bispos participaram do retiro pregado pelo Arcebispo de Chieti-Vasto (Itália), Dom Bruno Forte. Tema das reflexões “Caminhando na Fé”. 

As meditações de Dom Bruno Forte, durante o retiro espiritual dos bispos, abordaram a fé de Abraão, Maria, Pedro e Paulo. O retiro teve início no dia 3, à tarde e terminou neste domingo, ao meio dia. Na noite de sábado, os bispos participaram do lucernário, celebração na qual cada um acende uma vela, canta e medita a Palavra de Deus.

Nós conversamos com Dom Bruno Forte (ouça aqui)…

Ainda na manhã de ontem, domingo, os bispos participaram da missa de ação de graças no Santuário Nacional pela canonização de José de Anchieta.

Os bispos reunidos em Aparecida enviaram neste final de semana uma mensagem ao Papa Francisco na qual afirmam que eles estão reunidos em Aparecida sob o manto da Mãe de Jesus, na Casa de Maria, que o Santo Padre conhece bem.

Cerca de 350 bispos brasileiros estão reunidos no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP), até o próximo dia 9. 

De Aparecida para a Rádio Vaticano, Silvonei José

Tags:

15 Comentários to “Aparecida: Recordados os bispos falecidos desde a última Assembleia Geral.”

  1. A CNBB tem em seu elenco 4 ou 5 homens tidos como “conservadores”. Como é possível que se diga tão graves besteiras em plenário e não se ouça uma vaia ou um resmungo de protesto? Estes bispos (um deles em especial) deve ter estômagos milagrosos.

  2. Sou da Diocese Barra do Piraí-Volta Redonda e posso afirmar sem peso de consciência de estar julgando que o Dom Waldir (bispo que Dom Francisco elogiou) ajudou muito na propagação das seitas evangélicas, pois os católicos saíram em peso da Igreja e aqui o que mais se vê são Igrejas evangélicas. Chegamos ao ponto de na Semana Santa quase não ter fiéis nas Igrejas. Só se falava do Social. Em 2010, Dom Waldir subiu no palanque com a Dilma aqui no centro da cidade para prestar apoio a ela. O Seminário da Diocese, que se situava na Baixada Fluminense (junto com mais três dioceses) fechou por falta de vocação, agora os seminaristas vão para Petrópolis estudar (são 7 seminaristas). Governou esta diocese por 33 anos e ordenou apenas 2 padres e 1 diácono. Aqui tem padres da Europa que vieram como missionários (tem até um padre da Índia) o que acho um absurdo vir padres do exterior por falta de vocações. Até da Índia, país onde a população é hindu em sua maioria tem um vocacionado de lá. Na Igreja do meu bairro a coordenadora é de segunda união e comunga, o que toca violão também, a que ajuda na liturgia também, e grande parte do povo também e tem autorização para comungarem. Aqui leigo abençoa a água e batiza crianças, abençoa casas com a água que eles impuseram as mãos. Os leigos que são teólogos, aprenderam com o curso de teologia oferecido na cúria que o demônio não existe, etc, etc, etc. Depois que ele aposentou veio Dom João e encontrou muita resistência dos padres pois era um bispo mais da linha de Bento XVI. Ele (Dom João) dava uma ordem e pelo que falam (quem me falou foi um diácono da diocese), Dom Waldir (mesmo aposentado) dava outra. Toda homilia de Missa era luta de classes, depois que o Dom João entrou ele pediu aos padres que pregassem o Evangelho. Agora com Dom Francisco Biasin a coisa melhorou mais um pouco. O povo está voltando para a Igreja aos poucos. No dia que o Dom Waldir faleceu eu estava na Santa Missa e o padre gastou toda a homilia para falar bem do Dom Waldir, depois pediu que quem quisesse contar algo do bispo que se pronunciasse. Houve cinco pessoas que assim o fez, mas ninguém bateu palmas após o discurso. Todos ficaram quietos e aí o sacerdote teve de pedir uma salva de palmas que foi muito rápida e baixa. Os frutos de Dom Waldir nesta diocese são “excelentes”, os evangélicos e espíritas tem muito que agradecer a ele.

  3. Temos que respeitar o BISPOS, os PADRES , os Religiosos, os CONSAGRADOS de DEUS!

    É obrigação nossa, não é favor! Seus erros?………..cabe a DEUS julgar! .. e dar a SENTENÇA!

    Não somos juízes! não podemos ter o atrevimento, de querer u s u r p a r uma FUNÇÂO que pertence ao SENHOR JESUS CRISTO: o VERDADEIRO JUIZ, Aquele que nos pode julgar!
    Amém! Graças à DEUS!

    TEXTOS PARA LEITURA e MEDITAÇÂO: ECLESIASTICO 7 ( 31 a 35) e MATEUS 7 (1 a 5 ).

    MARANATHA!

    • Verdade, não podemos julgar. Devemos orar por eles (pelas autoridades da Igreja) e por nós mesmos. Mas, obedecer coisas estranhas aos ensinamentos eternos da Igreja… Não dá!!

  4. Dois bispos vermelhos. Com certeza uma grande perda para a CNBB.

  5. ” Juntos com os bispos do Brasil e de outros países, os dois foram signatários do pacto das catacumbas onde se comprometeram a viver radicalmente como pobres, a serviço dos pobres, em uma igreja pobre. O Vaticano II marcou, indelevelmente, as suas vidas.”

    Todo cristão vive a serviço de Cristo Deus ( o católico centro de tudo e não o homem) e não dos pobres.O cristão tem que levar os seres humanos a servirem Cristo Deus e não servir ao pobre.Esse humanismo anticristão é blasfêmo.Colocaram o homem, ou melhor o pobre, no lugar de Cristo Deus.

    Esses hereges modernistas vão prestar contas a Cristo Deus por ajudar esse conciliábulo modernista de Metz se tornar um eclipse que tenta esconder a Sua única Igreja, a católica!!

    Que no Tribunal do Absoluto Juíz, Cristo Deus, esses hereges modernistas sejam punidos por suas heresias modernistas.

  6. À memória de D. Thomaz Balduíno:

    É a parte que te cabe deste latifúndio
    Não é cova grande, é cova medida
    É a terra que querias ver dividida
    É a terra que querias ver dividida

    É uma cova grande pra teu pouco defunto
    Mas estarás mais ancho que estavas no mundo
    estarás mais ancho que estavas no mundo

    É uma cova grande pra teu defunto parco
    Porém mais que no mundo te sentirás largo
    Porém mais que no mundo te sentirás largo

    É uma cova grande pra tua carne pouca
    Mas a terra dada, não se abre a boca
    É a conta menor que tiraste em vida
    É a parte que te cabe deste latifúndio
    É a terra que querias ver dividida
    Estarás mais ancho que estavas no mundo
    Mas a terra dada, não se abre a boc

  7. É só blá,blá,blá…textos chatos, maçantes, sem mudança ano após ano…um clero que não cresce, não amadurece, não evolue….

    É muito cansativo ser Católico no Brasil!

  8. “Governou esta diocese por 33 anos e ordenou apenas 2 padres e 1 diácono. ”

    Não parece incrível que a situação de S. Félix do Araguaia, de Goiás Velho, da Paraíba, logo depois da saída de d. Zumbi, de Duque de Caxias, era a mesma???

    Se está no céu, no inferno, ou no purgatório, a Deus pertence o julgamento… Mas que infernaram e infernam a Igreja do Brasil é inegável…

    Onde a “teologia” da MALDIÇÃO fez mais estragos, do norte ao sul do Brasil, a Igreja agoniza…

    “Juntos com os bispos do Brasil e de outros países, os dois foram signatários do pacto das catacumbas”…
    Bispos do Brasil vírgula, seu energúmeno… Alguns bispos do Brasil que realmente fizeram o pacto de jogar a Igreja nas catacumbas, não como no início do cristianismo, mas nas catacumbas podres e cheias de cadáveres em putrefação como a “teologia” da MALDIÇÃO da pavorosa e horrenda década de 70…

    “O Vaticano II marcou, indelevelmente, as suas vidas.”…
    Sem dúvida… Uma das mil interpretações a que esse Concílio desgraçadamente, ou melhor, propositalmente se prestou…

    Olhando a postagem da foto daqueles Bispos em sandália, em trajes civis de péssimo e baixo gosto, dá náuseas em saber que são Bispos da Igreja Católica…Nem os protestantes, nem os pastorecos de seitas de ponta de esquina e de garagens, se vestem tão mal, tão relaxados e debochados!!!!! CRUZ CREDO 3 VEZES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Com certeza muito dos Bispos que frequentam essa página, e não são poucos, viram a resposta do Pe. Ricardo sobre o uso do hábito eclesiástico, agora a pergunta: quando os “tradicionalistas” os colocam na parede, o que respondem? Por que não têm autoridade para OBRIGAREM seus padres, isso mesmo, OBRIGAREM a usar o clarygman ou a batina? Depois vêm dizer que o Concílio não precisa ter uma hermenêutica séria DE INTERPRETAÇÃO como propôs…propôs…muito timidamente Bento XVI????

    No Brasil o único lugar que os padres andam de batina, mas alguns já usam clarygman, a exemplo do próprio Bispo, vez ou outra, é a AASJM, assim mesmo para não racharem, mais do que já está, a “unidade” dos seus padres, especialmente escandalizarem mais a alguns, nem todos, que sofreram na pele os horrores da década de 80, pois tem outros que também sofreram, mas os títulos de faixas roxas e barretes os inebriaram e calaram…

    Rezamos e pedimos a Deus que tenha misericórdia desses últimos Bispos falecidos citados e mais ainda de nós, mas que eles INFERNIZARAM e deixaram a Igreja por onde passaram na lama é INEGÁVEL!!!!!!

    Que um Papa vai ter que colocar o Concílio Vaticano II nos eixos não nos resta dúvidas. Bento XVI tentou…tentou… mas foi SABOTADO desde a sua própria Cúria até por Dioceses e Conferências episcopais do mundo inteiro, inclusive pela CNBB…

    Com esse Papa atual…. só por um milagre…. pois do contrário, ele está levando a Igreja à mesma atmosfera Montiniana….CRUZ CREDO……………………..3 VEZES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Quem a viveu sabe a BALBÚRDIA ASQUEROSA E TRISTE que foi….

  9. Quando nossos reverendíssimos Bispos vão discutir os
    assuntos para os quais eles foram consagrados ou seja assuntos relacionados a
    salvação das almas? Sei não acho que a catequese que tive uns 40 anos atrás foi
    toda errada eu não entendendo nada o que faz hierarquia da santa igreja hoje!

  10. como vai ficar essa reforma litúrgica?

  11. “… Juntos com os bispos do Brasil e de outros países, os dois foram signatários do pacto das catacumbas onde se comprometeram a viver radicalmente como pobres, a serviço dos pobres, em uma igreja pobre. O Vaticano II marcou, indelevelmente, as suas vidas.Em suas igrejas particulares, promoveram, com convicção, a renovação da Igreja. Marcaram presença em intervenção significativas na CNBB. Enfrentaram resistências e incompreensões de pessoas de dentro e fora da Igreja. Deram asas a um laicato maduro e atuante na Igreja e na sociedade. Acolheram e dialogaram com pessoas de todos os credos e ideologias, enxergando nelas a imagem de filhos e filhas de Deus. Atuaram na defesa de pessoas perseguidas pela ditadura e no processo de anistia”…

    Quanta humildade hem? Destruindo regra após regra através de uma prática subversiva, esses impostores que usurpam o ofício dos Apóstolos se acham no direito de impor à Igreja Católica a sua visão pessoal da instituição, ignorando e até mesmo combatendo dois mil anos de tradição da Igreja.
    Estamos diante do clássico exemplo da hipocrisia dos fariseus que enquanto afirmam publicamente que é preciso “democratizar a Igreja”, que é preciso “acolher e dialogar com pessoas de todos os credos e ideologias, enxergando nelas a imagem de filhos e filhas de Deus, atuar na defesa de pessoas perseguidas pela ditadura e no processo de anistia”, eles são os primeiros que não aceitam nenhuma negociação quando se trata de impor a sua visão de “igreja” a todos os fiéis.
    Eles foram os primeiros a rasgar as vestes quando Bento XVI falou na anulação das excomunhões da SSPX pra se reparar a injustiça feita aos seus membros. A rebelião e o azedume chegou a um ponto que Bento XVI se viu obrigado a enviar uma Carta ao clero explicando o motivo de sua decisão. Nessa carta Bento XVI tenta acalmar os ânimos dos revoltadinhos explicando e quase que se desculpando:

    …” alguns grupos acusavam abertamente o Papa de querer voltar atrás, para antes do Concílio: desencadeou-se assim um avalanche de protestos, cujo azedume revelava feridas que remontavam mais além do momento. Por isso senti-me impelido a dirigir-vos, amados Irmãos, uma palavra esclarecedora, que pretende ajudar a compreender as intenções que me guiaram a mim e aos órgãos competentes da Santa Sé ao dar este passo. Espero deste modo contribuir para a paz na Igreja.
    Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/2552-Vaticano-divulga-carta-de-Bento-XVI-sobre-excomunhao-dos-bispos-lefebvrianos#ixzz312gemtIU

    São Pio X na sua encíclica Pascendi desmascara a falácia desses embusteiros:

    “Para mais a fundo conhecermos o modernismo e o mais apropriado remédio acharmos para tão grande mal, cumpre agora, Veneráveis Irmãos, indagar algum tanto das causas donde se originou e porque se tem desenvolvido. Não há duvidar que a causa próxima e imediata é a aberração do entendimento. As remotas, reconhecemo-las duas: o amor de novidades e o orgulho.
    Efetivamente, o orgulho fá-los confiar tanto em si que se julgam e dão a si mesmos como regra dos outros. Por orgulho loucamente se gloriam de ser os únicos que possuem o saber, e dizem desvanecidos e inchados: Nós cá não somos como os outros homens. E, de fato, para o não serem, abraçam e devaneiam toda a sorte de novidades, até das mais absurdas. Por orgulho repelem toda a sujeição, e afirmam que a autoridade deve aliar-se com a liberdade.
    Por orgulho, esquecidos de si mesmos, pensam unicamente em reformar os outros, sem respeitarem nisto qualquer posição, nem mesmo a suprema autoridade. Para se chegar ao modernismo não há, com efeito, caminho mais direto do que o orgulho. Se algum leigo ou também algum sacerdote católico esquecer o preceito da vida cristã, que nos manda negarmos a nós mesmos para podermos seguir a Cristo, e se não afastar de seu coração o orgulho, ninguém mais do ele se acha naturalmente disposto a abraçar o modernismo! – Seja portanto, Veneráveis Irmãos, o vosso primeiro dever resistir a esses homens soberbos”.

    E aqui São Pio X manda um recado direto para o “laicato maduro e atuante na Igreja e na sociedade” que levados pelo orgulho e a vaidade usurpam funções exclusivas do clero: “se algum leigo ou também algum sacerdote católico esquecer o preceito da vida cristã, que nos manda negarmos a nós mesmos para podermos seguir a Cristo, e se não afastar de seu coração o orgulho, ninguém mais do ele se acha naturalmente disposto a abraçar o modernismo”!
    Esse é o motivo pelo qual hoje em dia é difícil convencer tantos leigos que atuam como “ministros da eucaristia, diáconos casados, leitoras…etc, a abandonar o que eles dizem ser “serviço do sinhô” e buscar trabalhar por sua santidade pessoal de acordo com seu estado de vida.
    Em primeiro lugar porque foram os próprios Bispos e padres que levados pelo “amor das novidades”, que os incentivaram a assumir tais posições e em segundo lugar o orgulho pessoal disfarçado de “serviço”.
    O único ministério que o leigo precisa assumir é o ministério de João Batista. O ministério de João Batista foi bem definido por Nosso Senhor: “preparar o caminho”. Por isso, quando falou da sua alegria, ao saber do começo da obra de Jesus, afirmou: “É necessário que Ele cresça e que eu diminua”. (João 3:30).
    O que não falta na Igreja, hoje em dia, são pessoas, pastorais e movimentos que crescem enquanto Jesus diminui. Não faltam líderes religiosos que se auto-promovem às custas de uma pregação herética sem o temor do Cristo. Leigos e clérigos que crescem, ao mesmo tempo que diminuem o respeito, a reverência e a fé em Jesus Cristo Nosso Senhor.
    Contra esses a orientação de São Pio X é claríssima:
    _ “Seja portanto, Veneráveis Irmãos, o vosso primeiro dever resistir a esses homens soberbos”.

    http://www.vatican.va/holy_father/pius_x/encyclicals/documents/hf_p-x_enc_19070908_pascendi-dominici-gregis_po.html

  12. “É muito cansativo ser Católico no Brasil!”

    Concordo Heitor, ta dificil… em muitos lugares ja nao temos mais Igreja Catolica, e as seitas fazem a festa.

  13. Na Arquidiocese de Olinda e Recife tem seminarista dormindo até onde era a sala de TV kkkkkkk é lotado . Parece um presidio de tanta gente e não tem limite de vagas. Vem gente ate de outros Estados. e os que são reprovados no vestibular ou são expulsos correm para a Arquidiocese de Paraíba , que acolhe de braços abertos.