Atingido e afundado. A destituição de um bispo argentino anti-Bergoglio.

Por Sandro Magister | Tradução: Fratres in Unum.com - Segunda-feira, 19 maio, na mesma manhã do dia da abertura da assembleia plenária da Conferência Episcopal Italiana, iniciada no período da tarde por um discurso do papa em pessoa, um breve comunicado deu a notícia da destituição de um arcebispo do primeiro escalão na pátria de Jorge Mario Bergoglio:

“O Santo Padre Francisco nomeou membro da Congregação para a Doutrina da Fé, na comissão a ser erigida para exame de recursos de clérigos [condenados] por ‘delicta graviora’, Dom José Luis Mollaghan, até agora arcebispo de Rosario (Argentina)”.

Rosario é uma diocese de dois milhões de habitantes e Mollaghan, 68 anos, não era, certamente, um personagem em final de carreira.

Mas sua saída abrupta da Argentina, sua convocação a Roma sob controle imediato do papa e, especialmente, seu confinamento em um fantasmático escritoriozinho curial que ainda nem existe, mas que está apenas “sendo erigido”, tudo diz que o golpe é daqueles definitivos.

Para compreender o porquê dessa decisão punitiva tomada pelo Papa Francisco contra um dos mais importantes bispos argentinos, é útil consultar a mais precisa e confiável biografia do atual papa: “Francesco, vita e rivoluzione”, escrita pela jornalista argentina Elizabeth Piqué e publicada na Itália por Lindau.

No capítulo em que analisa os adversários do então cardeal Bergoglio na Igreja argentina, Mollaghan está entre os mais ávidos, juntamente com o arcebispo de La Plata, Héctor Aguer, e o núncio apostólico, Adriano Bernardini. Eles acusavam Bergoglio de não defender a verdadeira doutrina, de fazer gestos pastoral demasiado ousados, de ser suave para com o governo.

Em Roma, seus pontos de apoio foram o cardeal Leonardo Sandri e Angelo Sodano, este último amigo do ex-embaixador argentino junto à Santa Sé, Esteban “Cacho” Caselli, personagem muito controverso, ainda registrado no Anuário Pontifício como Cavaleiro de Sua Santidade.

Escreveu Elizabeth Piqué:

“É neste contexto que, entre o final de 2005 e início de 2006, o ataque contra Bergolgio, que acompanhei de perto como correspondente do jornal ‘La Nación’, chega a um momento culminante: Bernardini e seus amigos da cúria intervieram diretamente na nomeação de vários bispos de perfil conservador. Entre eles, o arcebispo de Rosario, José Luis Mollaghan, e o de Resistencia, Fabriciano Sigampa. As nomeações suscitaram grande desconforto no episcopado argentino.

“Nem Mollaghan nem Sigampa foram propostos na sondagem preliminar feita pelos bispos argentinos: foram impostos seguindo as orientações da Secretaria de Estado na terna [ndr: lista com três nomes] apresentada ao papa por Bernardini. A intervenção, segundo várias fontes, está relacionada com a velha amizade entre Sodano e Caselli. Mesmo quando deixa de ser embaixador, Caselli mantém uma relação direta com Monsenhor Maurizio Bravi, funcionário da Segunda Seção da Secretaria de Estado, que trata principalmente na Argentina e que, por sua vez, tem uma relação estreita com o cardeal Sandri, que também é argentino, então número três da estrutura do Vaticano como substituto da Secretaria de Estado do Vaticano”.

Dos três bispos argentinos mencionados acima, Sigampa está aposentado há dois anos e vimos o que aconteceu com Mollaghan. Permanece em seu posto o de La Plata, Aguer. Mas seu destino está selado.

36 Comentários to “Atingido e afundado. A destituição de um bispo argentino anti-Bergoglio.”

  1. fico preocupado com estes sinais. fico preocupado também com um certo liberalismo que se assiste. vi há dias o Padre (?) Fábio de Melo, dizer que não acredita no amor para toda a vida, e que os orientais vivem melhor a fé do que nós, pois não precisam de santos nem de milagres. para onde estámos a ir?

    • O sr. ainda assiste àquele programa “PERDIÇÃO Espiritual”?!!!!

    • Pedro, a esta altura dos acontecimentos fica difícil se impressionar com qualquer coisa que o Fábio de Melo faça ou fale. Impressionante mesmo é que ele seja padre.

    • Pedro,

      Certa vez assisti a uma “desvirtuação espiritual” dele, quando criticava as imagens tradicionais da Igreja e, segundo ele, elas, as imagens dos santos, como essa no canto direto da pagina, de São João Maria Batista Vianney, O Santo Cura d´Ars, da forma em que está: aparentemente de joelhos, rezando de mãos postas, seria indecoroso, ou seja, não é postura de santo, santo tem que ser prá frente e ter postura moderna, usar maquiagens, fazer unhas, usar roupas da moda…nesse dia, ele criticou, em contradição, uma imagem de Nosso Senhor por está usando uma belíssima coroa real, que retrata Cristo Rei.

      Não se entristeça com o que diz esse arremedo de padre, já ouvi tanto desvario por parte dele, que tenho certeza que ele nem sabe que falar contra os santos é blasfêmia.

    • Pelo amor de Deus ! Escutar o que a pessoa Fabio de Melo tem para falar é perda de tempo. Logo ele estará dizendo em benefício próprio que a diversidade sexual LGBTHIJLMN é uma virtude teologal

  2. Quando comento com alguém que o papa atual não é tão bonzinho, nem humilde quando se esforça para aparentar, a toda hora, as pessoas me olham com desconfiança e raiva, como se eu estivesse proferindo a mais terrível blasfêmia…acho que, nos dias atuais pode-se até criticar o próprio Jesus Cristo e todos os santos do céu, mas jamais o papa nem o nefasto Vaticano II.

  3. Esse é o “Papa da Misericórdia” ( para com os comunistas, os ateus, os sodomitas e adúlteros) e da “Justiça Implacável” para com os desafetos.
    E pra piorar, ele na prática adota a máxima: “inimigo de meu amigo é meu inimigo também”, pois é assim que os seus amigos Bispos e Cardeais-escolhidos-a-dedo estão passando o rolo compressor sem dó em qualquer dissidente em suas Dioceses pelo mundo afora.
    Enquanto isso, as “mulas-de-padre” estão todas agitadinhas numa campanha que está só engrossando pelo fim do celibato:

    http://www.publico.pt/mundo/noticia/estao-apaixonadas-por-padres-e-pedem-ajuda-ao-papa-1636554

  4. Pensei que a péssima notícia do dia, que retrata a tristíssima Paixão da Santa Igreja, fosse a carta de 26 mulheres apaixonadas que pedem ao papa Francisco que revogue o celibato, publicada na Itália no diario La Stampa.
    Enganei-me. Ainda não tinha entrado no Fratres, nem sabido da “promoção para remoção” do Dom José Luis Mollaghan, até agora arcebispo de Rosario.
    Não nos deixemos enganar pelos sorrisos midiáticos e pela aparência bonacheirona desses demolidores da Santa Igreja. O que agora estão fazendo, causou imensos sofrimentos em Cristo, sofridos não só no Horto e no alto da Cruz, mas conhecidos por Ele desde que se encarnou no seio de Maria Santíssima. Estamos assistindo aos piores pecados da História da Igreja, praticados não por santos continuadores dos Apóstolos, senão por imitadores de Judas Iscariotes.

  5. Celso Eduardo da Silva Farias , não culpe nenhum Concílio Ecumênico. Muitas vezes o que se ver de erro é da próprio carácter do religioso. No “Tempo tridentino” existia muitos padres que até fumava , freiras. Como existia pedofilia, relações homossexuais, padres tendo mulheres e filhos. É só perguntar a pessoas com mais de 70 anos em sua família. O clero não era mais e nem menos santo do que hoje. Portanto pare de falar em Concílio A ou B. Obrigado!

    • …se tá louco,perdeu a linha da História,todos nós sabemos que o modernismo já vem infiltrando hereges na Igreja a pelo menos uns 100 anos até os dias de Hoje.
      Se vem falar que na Igreja de JESUS CRISTO tinha erros,é no clero e não na Igreja Católica Apostólica Romana,ve se acorda Jeff,vocês esquecem muito facilmente os dramas vividos em que o clero esta envolvido com os lobos e depois acusa a Igreja em seu todo.
      “JESUS fala a Santa Margarida L’acoque que no passado o povo tinha fé e suas colheitas eram abundantes; – resultado de hoje – nem com agrotoxicos e transgenicos o mundo ainda não consegue se alimentar direito – cadê a fé nos dias de hoje ???
      Aí voce fala que no passado (Tempo tridentino) ..”.o clero não era mais nem menos santo do que hoje” …pelo menos existia muuuuito mais respeito com a sagrada eucaristia.
      Acooooorda povo – um abraço Jeff (nada pessoal)
      Salve Maria

    • Jeff Costa, eu perguntei ao meu avô paterno e minha avó materna, eles nunca viram nem ouviram falar de um padre tendo mulheres, filhos, parceiros homossexuais, e nem fumando, na época de juventude deles.
      Portanto, com que base você afirma isso? Seu pai/mãe/avô/avó que lhe disse isso?

  6. Mas afinal de contar, o que foi que D. José Luiz fez? Li toda a reportagem e não encontrei nada…

  7. Dom Héctor Rubén Aguer é, sem sombra de dúvida, um dos melhores Bispos da Argentina, tinha que ser Cardeal, mas, como diz o texto, acho que seu destino estará selado mesmo.

  8. É isso, padres contra padres, bispos contra bispos, ta aí….

  9. Ninguém ver a mídia e mulheres fazendo canpanhas para monge budista deixar o celibato. O monge budista é “mais” homem do que um padre? observem que eles nem em Deus acreditam. Há algo de errado nesta história.

  10. digo: caMpanhas

  11. Quanto terror está prestes a ser,
    Quando o Juiz estiver para vir,
    Em vias de julgar tudo severamente!

    A morte ficará paralisada, também a natureza,
    Quando ressurgir a criatura
    Prestes a responder ao que está julgando.

    o Livro escrito será proferido,
    Em que tudo está contido,
    De onde o mundo será julgado.

    Quando, pois, o juiz se assentar
    Tudo oculto revelar-se-á,
    Nada permanecerá sem castigo!

    Condenados os malditos,
    (e) lançados nas flamas ardentes,
    Chamai-me com os benditos.

    Lacrimoso aquele dia
    no qual, das cinzas, ressurgirá,
    para ser julgado, o homem réu.
    Perdoai-os, Senhor Deus

    Para versão completa

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Dies_Irae

    Perdoai-o Senhor e conduzi vós a vossa Igreja, retirando do pasto das ovelhas os labos travestidos que só desejam devorá-las, sob pretexto de renovação da Igreja. Não deixe Vossa Igreja entregue ais maus pastores.

  12. Então eu morro, vendo a apologia de Francis, a si mesmo… Nisto não tarda nem falha, quanto à Eucaristia…

  13. Bobo é quem pensa que o Papa atual é a humildade e a simpatia que demonstra em público.

    Parafraseando o cardeal Siri digo: se o pós Concílio não enterrou a Igreja é porque ela é divina mesmo!

  14. Ouvi de Sacerdotes e leigos de Buenos Aires que a imagem pública de Francisco é uma farsa. A quem devemos agradecer por este pontificado que causa calafrios à cada vêz que o Papa se manifesta?

  15. Quando ontem vi no boletim da Santa Sé a criação dessa comissão para revisão de recursos na Congregação para Doutrina da Fé, me perguntei duas coisas: 1. Está se falando tanto de reforma na cúria, que na Cúria há organismos demais e tal, então porque criar um novo órgão para ela?, 2. Na Santa Sé já há 3 tribunais. A análise de recursos de “delicta graviora” não era competência do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica?

  16. Explosões do passado : legados de Bergoglio ; Pascal e especulação.
    Paul Vallely
    Pope Francis: Untying the Knots
    2013

    ” Sim, eu sei Bergoglio [diz um superior jesuíta de outro país latino-americano ] . Ele é uma pessoa que tem causado uma série de problemas na companhia e é altamente controversa em seu próprio país. Além de ser acusado de ter permitido a detenção de dois jesuítas durante o tempo da ditadura argentina , como provincial ele gerado lealdades divididas: alguns grupos quase adoraram-no, enquanto outros não têm nada a ver com ele, e ele quase não falava com eles. Era uma situação absurda . Ele é bem treinado e muito capaz , mas é cercado por esse culto à personalidade que é extremamente divisionista . Ele tem uma aura de espiritualidade que ele usa para obter energia. Será uma catástrofe para a Igreja de ter alguém como ele na Sé Apostólica. Ele deixou a Companhia de Jesus na Argentina destruída, com jesuítas divididos e instituições destruídas e financeiramente quebradas. Nós passamos duas décadas tentando resolver o caos que o homem nos deixou. ”

    http://rorate-caeli.blogspot.com/2014/05/blasts-from-past-bergoglios-legacy.html

  17. A ditadura de Francisco continua…

  18. Francisco é uma hecatombe.

  19. Porém quem está lá na Assinatura Apostólica é o Cardeal Burke ….

  20. Quanta misericórdia, quanta humildade, quanta fidelidade a Cristo e à Igreja!
    Traduzindo: quanta política porca, quanta insolência, quanta calhordice maçônico-vaticana!

  21. Engraçado que ninguém comentou sobre a arbitrariedade na nomeação do agora “promovido para ser removido”, feita toda à revelia dos processos canônicos. Interessante, não? Feita por Bento XVI e sua turma, então tudo bem, né?
    Seria bom ainda ver quais os vínculos que o tal “promovido” e seus “companheiros” (como o citado Aguer) andaram tendo com figuras sinistras da política argentina e italiana. Nesse sentido, a matéria de Magister é parcial e tendenciosa, insuficiente para um juízo adequado e minimamente isento e sensato, como bem salienta acima o leitor Rafael. Seria bom visitar outras páginas da net; ficar-se-á sabendo, por exemplo, que há denúncias de malversação de recursos na arquidiocese de Rosario…

    • Sim, recursos desviados por um padre da CARITAS (que era querida e amada, protegida por Bergoglio), somando quase dois milhões de pesos. O bispo removeu o padre assim que a investigação começou.
      Lembra do Mons. Battista Ricca, aquele que Bergoglio escolheu para supervisionar o Banco do Vaticano, acusado [com provas] de ter sido amante de um ex-guarda suíço quando estava de serviço no Uruguai? Pois é, foi acusado, tem provas contra ele…mas quem sou eu para julgar!?. Mons. Ricca continua no Vaticano, na mesma posição. Interessante como as coisas são, não é mesmo Pedro?
      Além disso, é importante lembrar que a nomeação de bispos é prerrogativa do Papa, não da Conferência Episcopal. Bento XVI nomeou quem quis, quando quis. O mesmo fez João Paulo II, João XXIII e faz agora Francisco.
      Os nomes indicados por Bergoglio, na época, eram tão ruins, tão progressistas – e sobre isso a internet está cheia de informações – que eram sempre vistos com desgosto pelo Vaticano. Liberais, pedófilos, prevaricadores, etc. tudo isso a Argentina viu num espaço de tempo de menos de 20 anos, por parte deles sob o comando férreo de Bergoglio.

  22. Podría tal vez visitar “página católica”, “panorama católico info”, “catapulta” y “Antonio Caponnetto”, todas webs argentinas.

  23. Todas páginas anteriormente visitadas, e tão tendenciosas como a de Magister, aqui transcrita. Mas informo ao distinto Danilo que foi o próprio papa (João Paulo II) que sancionou o Direito Canônico que determina o processo de indicação e escolha dos bispos. Processo esse que ele e seu sucessor desprezaram solene e descaradamente sempre que os interesses deles e de seus apadrinhados (sem contar de figuras sinistras da política) falavam mais alto. Mas eles puderam, né? E se agora faz Francisco, aí não pode, porque os nomes que ele nomeia (ou remove) são de antemão ruins, claro: mas quem duvida disso?

    • Ainda vamos ver o Fábio de Melo, papa. O mesmo que diz não acreditar no amor para toda a vida, e que os orientais vivem melhor a sua fé do que nós, pois não precisam de santos nem de milagres. O mesmo que diz que nunca foi muito ligado a Maria, pois só lhe interessa Jesus (protestantismo encapotado??).

  24. Daniel Valentin , com base em histórias contada por parentes pernambucanos, paraibanos e rio norte grandenses …eu mesmo conheci e conheço padres que tinham e tem casos amorosos com homens. Como também conheço um colega que é sobrinho-neto de um famoso monsenhor (que tem até escola municipal ,com o nome existe ) que toda a família sabe que ele teve 2 filhas no interior.

    Na Europa na década de 50/60 era comum ver padres, religiosos fumando. Meu ex e falecido professor que cursou teologia em Roma “no tempo tridentino” o mesmo fumava e seus colegas da Universidade Gregoriana também. Onde todos eram seminaristas.

    Respondido!

  25. Jeff, E desde quando a Igreja condenou o fumo? Não será leviandade equiparar o fumo à quebra da lei do celibato?