Shandria oribicanta xamalaia.

Shandria oribicanta xamalaia ohhhh lá lá ohhh le lê.

Tradução: Carismáticos rezam pelo Papa no último domingo, no estádio Olímpico de Roma.

Teria “apresentador” tentado se esquivar de um eventual desconforto ao pedir à multidão para rezar em suas próprias línguas (italiano, português, etc)? O fato é que ninguém atendeu à solicitação e todos continuaram a rezar na “língua dos anjos”…

Tags:

52 Comentários to “Shandria oribicanta xamalaia.”

  1. Dom de Línguas. Textos muito esclarecedores (vale a pena a leitura!):

    Dúvidas sobre RCC

    http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=cartas&subsecao=rcc&artigo=20040906195935&lang=bra

    RCC e dom das linguas

    http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=cartas&subsecao=rcc&artigo=20041112122722

    Dom de Línguas

    http://www.montfort.org.br/old/perguntas/domdelinguas.html

    Destaco um trecho do primeiro link acima colocado:

    “O dom de línguas, os Apóstolos o receberam, para serem entendidos por todos os que os ouviam. Assim, nos Atos dos Apóstolos, se conta que São Pedro, no dia de Pentecostes, falou a uma multidão de pessoas de raças e línguas diferentes, e todos o entenderam. Também São Francisco Xavier falava em espanhol, e os que estavam presentes o ouviam cada um em sua língua pessoal: os árabes, em árabe; os persas, em persa; os turcos,em turco, e assim por diante. O dom de línguas, nesse caso, tinha utilidade, e o milagre era “audível”.”

  2. Seria interessante saber do Santo Padre o que ele sentiu …

  3. Com certeza, Bergoglio deve ter adorado. Certamente, teria odiado se as preces fossem proferidas em latim…

  4. Lingua dos Anjos???? Sabe nada inocente……

  5. Eu confesso irmãos: eu participava e “orava” na língua dos “anjos”. E tentei ensinar e convencer outra pessoas a orarem assim. Eu sei hoje que estava errado. Mas é difícil você ceder aos argumentos da reta razão quando as emoções fluem de maneira tão prazerosa. Foi difícil reconhecer meu erro. Mas consegui.

    Hoje, não considero que se ore na língua dos “anjos”. Me perdoem a palavra forte, mas isto aí é a oração na língua dos bobos.

  6. Não existe nada mais ridículo/caricato que o “dom de línguas”. O engraçado é o fato das palestras da RCC sobre dons dizerem que cada um recebe um dom: de línguas, de entender, cura etc. Contudo, numa reunião todo mundo “reza em línguas”, e ninguém entende. Desta maneira eles contrariam eles mesmo, isto é, é um dom que todo mundo tem, ou seja, não é dom (lembro que existem palestra do qual ensinam orar em línguas, mas não é dom?); tem o dom de entender, mas como se vê, não aparece ninguém para entender. Enfim….

    Ah, eu fui carismático. Hoje sinto até vergonha dessa palhaçada (sim, é uma palhaçada).

  7. Francisco tanto definiu a Renovação Carismática como “uma corrente de graça na Igreja e para a Igreja”, como fez referência às PRÁTICAS heterodoxas dos carismáticos, APROVANDO-AS:

    Disse Francisco: “Yo decía de ustedes: Pero si parecen una escuela de samba! No compartía el modo de rezar ni las muchas cosas nuevas que hacían en la Iglesia. Luego comencé a conorcelos bien, y al final comprendí el bien que el movimento carismático hace a la Iglesia.”

    Logo, segundo Francisco tanto o “modo de rezar” como as tantas “coisas novas” que os carismáticos fazem são um BEM para a Igreja! Entre as tantas “coisas novas” inclua-se aí a “oração em línguas” e o “batismo no espírito santo”…

  8. Uma pergunta fica no ar : dentre esta multidão presente no estádio, quantos são Católicos de fato ? Quantos acreditam que a Hóstia é o Corpo de Cristo ?
    E a onde está a coragem daquele que chamamos de Papa para instruir o povo ?

    Triste.

  9. Viva o Papa Francisco ! Louvado seja Deus pela RCC, resposta de Deus para esses tempos! a RCC é uma benção para Igreja.
    Deixem de orgulho tradicionalistas, nao queiram entender tudo, o Espirito sopra onde quer!

  10. Eu fico consternado com alguns sinais que percebo, por não saber se são espontâneos ou pré-meditados para parecerem o que são. Bergoglio, neste caso, de joelhos para rezar com os carismáticos, enquanto que na consagração da Santa Missa não o faz. Dentre outros que gostaria, se possível, que me censurem se me equivoco, mas vejo vários maus presságios no fato de que a cruz do altar já foi substituída por uma menor (sendo que eu pelo que pouco sei, esta jamais deveria ser menor que o castiçal – Mas graças a Deus que ainda a temos), não há um rigor mais nas velas do altar quanto ao seu número, o fato de o papa só usar o anel do pescados “quando ele tem que fazer o papel de papa numa celebração importante”, o fato de ele não entrar abençoando o povo na procissão de entrada, e acho que a basílica de São Pedro, nunca em sua história, ouviu tanto italiano. Há, e por último agora o canto do “Tu es Petrus” que anuncia a entrada do Papa na basílica, parece também ter sido abolido e substituído por um canto popular italiano, seguido da antifona cantada pelo coro da Capela Sistina (Manobra creio eu do Mestre de cerimônias), também já foi trocada a cadeira que tradicionalmente os Papas se sentam na Basílica pela utilizada pelo famigerado Piero Marini. Dentre tantas outras coisas. Parecem até futilidades, mas estes são sinais de muita vaidade de alguém que quer se mostrar na frente das câmeras, mas que com autoritarismo e de maneira muito pouco “pastoral” tem guiado a igreja. Que Deus tenha misericórdia de sua Igreja, e inspire este homem a abdicar de tantas ações que têm dificultado ainda mais, a plena celebração do mais importante do atos que dá sentido e sustento à nossa fé e alma!

  11. Rafael,

    me explique teologicamente o cap 14 da Primeira carta da São Paulo aos Corintios.

    TEOLOGICAMENTE !

  12. “(…) daí, a impossibilidade quase total de converter alguém que adira realmente ao Romantismo.
    Fala-se-lhe à razão, ele responde com o sentimento.
    Argumenta-se-lhe com fatos, ele contesta com mitos ou lendas.
    Coloca-se-lhes ante os olhos o real, ele contesta com o sonho e a imaginação.
    Por isso é muito difícil converter um romântico, porque nele há uma negação da verdade e da realidade conhecidas como tais.” (Orlando Fedeli – Romantismo e Modernismo)

    Lembremos caros irmãos, um dos pecados contra o Espírito Santo, ou seja, que faz do coração do homem uma pedra de orgulho é o ato em negar a verdade conhecida pelo intelecto, pelo qual se torna impossível amar e servir a Deus.
    O Romântico por sua vez, desprezando a razão, sofre grande tentação de não mais se curar de suas enfermidades, não porque Deus não quer medicá-lo, mas sim porque o homem fechou o coração para querer a cura, esta é a triste condição destes carismáticos malditos, antes morressem isolados do que vivos entre os homens de bem proliferando suas “heresias”.

    Rezemos à Rainha dos Apóstolos, para que não se percam!

  13. Padre Paulo Ricardo tem uma excelente aula sobre o assunto, procura no Youtube que está lá. Agora vale esclarecer que a nomenclatura “dom de línguas” de fato não tem nada a ver com o que a rcc faz, se existe um dom de fato lá, e pode até existir, é a glossolalia e não a xenoglossolalia. Mas em último caso nem aqui nem na China é a língua dos anjos, uma vez que anjos são puro espírito e não tem língua(orgão). A comunicação entre eles é puramente espiritual, não precisam de sons e fonemas para expressar ideias.

  14. Vamos aguardar as próximas missas pra ver se o “Shandria oribicanta xamalaia” o curou daquele alegado problema no joelho que o impede de se ajoelhar após a consagração. Curioso é que no vídeo dos pentecostais-católicos, Bergoglio não parece apresentar problema algum pra ficar ajoelhado por um tempão.
    Esse Papa é um poço de contradição. Valha me Deus! Num dia está lá ajoelhado num estádio, fazendo cara de “imagenzinha”, de olhinhos fechados, fingindo ser como um santo em êxtase carismático e no outro dia está criticando exatamente esse tipo de comportamento. Num dia ele é o expoente máximo do pietismo e no dia seguinte está descendo a lenha no pietismo:

    “La pietà è il dono che ci aiuta a sentirci «figli di Dio» e, al tempo stesso, a riverberare questo dono verso i nostri fratelli uomini: «E allora sì che saremo mossi da sentimenti di pietà – non di pietismo! – nei confronti di chi ci sta accanto e di coloro che incontriamo ogni giorno».
    FACCIA DA IMMAGINETTA. Pietà, dunque, non è pietismo. «Alcuni pensano – ha detto papa Francesco – che avere pietà è chiudere gli occhi, fare faccia di immaginetta. E anche fare finta di essere come un santo, no? Ma quello non è il dono della pietà. No, questo non è il dono della pietà». Al contrario, provare pietà è «gioire con chi è nella gioia, piangere con chi piange, stare vicini a chi è solo o angosciato, correggere chi è nell’errore, consolare chi è afflitto, accogliere e soccorrere chi è nel bisogno»”.
    Leggi di Più: Papa Francesco: «Pietà non è pietismo» | Tempi.it

    http://www.tempi.it/papa-francesco-pieta-non-e-pietismo-ma-e-il-cuore-della-nostra-amicizia-con-dio#.U48nRV40t6o

    TRADUZINDO: A piedade é o dom que nos ajuda a nos sentirmos como “filhos de Deus”, e ao mesmo tempo fazer reverberar esse dom pelos nossos irmãos homens. E então sim que seremos movidos por sentimentos de piedade – não de pietismo! – por aqueles que nos são próximos e por aqueles que encontramos no dia a dia. CARA DE IMAGENZINHA. Piedade, portanto, não é pietismo. Alguns pensam_ disse o Papa Francisco_ que ter piedade é fechar os olhinhos, fazer cara de imagenzinha. E até fingir ser como um santo, não? Mas aquilo não é dom de piedade. Não, isso não é o dom da piedade”. Pelo contrário, experimentar a piedade é “se alegrar com quem está alegre, chorar com quem chora, estar próximo de quem está sozinho e angustiado, corrigir quem está no erro, consolar os aflitos, acolher e socorrer os necessitados”.

    Isso foi publicado na edição de hoje do jornal italiano TEMPI:

    http://www.tempi.it/papa-francesco-pieta-non-e-pietismo-ma-e-il-cuore-della-nostra-amicizia-con-dio#.U48nRV40t6o

  15. O movimento carismático surgiu em meios protestantes, isso seria suficiente para que os católicos rejeitassem esse movimento como herético. O Espírito sopra onde quer, mas nunca em contradição consigo mesmo, nosso Deus é o Deus da Verdade e não da contradição.

  16. Prefiro o “canto em línguas” da Xuxa: ilari – ilari- ilariê – ê – ê- ê—!!!

  17. Não entendo porque tanta polêmica, por causa do modo de orar, e da oração em línguas, no discurso desse Encontro, o próprio Santo Padre diz que quando Arcebispo de Buenos Aires, celebrando com os carismáticos, depois da Consagração havia um momento de Adoração em línguas e um canto que o Papa aprecia muito. Já em Buenos Aires, ele já aprovava tal prática, e nesse Encontro não vi nenhum momento o Sucessor de Pedro censurar o modo de rezar dos carismáticos.

  18. Anjo nem tem língua, é puro espírito.

    Só se for possessão diabólica. Tá explicado: é lucifer amaldiçoando e fazendo confusão de tudo, particularmente da linguagem inteligente da razão humana.

    Melhor irem logo bater cabeça em terreiro de macumba.

  19. Algum Fratres que entende de Informática?

    Fui tentar traduzir a oração em línguas acima registrado através do Tradutor do Google. Digitei cada letra, cada sílaba com cuidado para em seguida traduzir. Assim que dei o comando para o Google traduzir surgiu a frase “Bem vindo ao Inferno” no quadro direito (o da tradução).

    Segundos depois meu computador apresenta uma tela preta com os caracteres “CVII”,desligando logo em seguida com uma risada macabra saindo de minhas caixas de som. Tentei religar o computador mas não consegui após diversas tentativas. Falo de uma lan house para relatar o ocorrido.

    O que pode ter acontecido?

    1) Digitei errado alguma letra ou sílaba?
    2) Não ativei o antivirus quando me preocupei em entender a oração em línguas?
    3) Marquei a opção errada no idioma do tradutor ?(coloquei “italiano” porque não tinha as opções “demonês”, “embromês” ou “satanhol” nos idiomas)
    4) Meu computador foi excomungado?
    5) Fui excomungado junto com meu computador?

    Agradeço qualquer ajuda.

  20. Isso é um trabalho para Jaspion:

  21. Amigos, salve Maria.

    Esta é, indubitavelmente, a melhor, mais correta e certeira tradução feita pelo Fratres entre todas as (muitas) traduções encontradas neste endereço. Parabéns, o tradutor conseguiu capitar, além do sentido das palavras, o espírito das mesmas!

    Abraços,

  22. De fato, essa “doutrina nasceu em meios protestantes, o que é suficiente para ser herética. Muitos não sabem mas, antes de se ser nomeada “Carismática” era chamada “Pentecostal”, no sentido protestante já existente.
    Penso que nada no verdadeiro e único Cristianismo, ou seja, na Igreja Católica, nada é extravagante, exagerado, barulhento. Pelo contrário, tudo é suave, sutil e natural.
    Os psicopatas protestantes modernos induziram e induzem ainda uma grande quantidade de pessoas a tratar o Espírito Santo como algo popular, rasteiro. As seitas de reteté são o exemplo. Também eles dizem estar “cheios do Espírito Santo” e no entanto o que vemos nada mais é do que inspiração no candomblé.
    Esses ensinaram e ensinam, em nível planetário, como cometer o único pecado que não tem perdão, que a blasfêmia contra o Espírito de Deus. Ele está há quatrilhões de distância de nós. Mas tem gente que se estribucha e diz que é obra dele. O que ganharão com isso? E Francisco, que como se não bastasse o silêncio diante da questão do aborto, agora aprovado no Brasil, quando estivera aqui, e que ele terá de responder frente à frente com Deus, como irá se justificar diante do Terrível Juiz?
    A heresia mais gritante que já ouvi falar praticada na RCC, é a omissão de trechos do Credo. Quem já estudou sabe o quão difícil… Foi uma guerra na verdade, onde Ário e Atanásio disputaram até a letra “i” de uma frase grega, que definiria se o Cristo e o Pai são semelhantes ou consubstancias, e por conseguinte se existia ou não a Trindade, durante o Concílio de Nicéia.
    No entanto, justamente os “Carismáticos”, que dizem estar embriagados do Espírito Santo, omitem do Credo que definiu que o Pai, o Filho e o Espírito são um só, o trecho que diz “Et unam, sanctam, cathólicam et apostólicam Ecclésiam”. Como podem usar uma parte da oração e execrar outra? O Espírito que orientou os homens que escreveram o Credo acaso permitiu que entrasse alguma influência errada na afirmação “Et unam, sanctam, cathólicam et apostólicam Ecclésiam.”?

  23. Parabéns, Papa Francisco. A RCC é uma primavera para a Igreja! Pecado contra o Espírito Santo comete quem afirma não ser de Deus uma obra que vem do Espírito Santo. “Perdoai, Senhor, tanta ignorância”

  24. Quem somos nós para julgar? Não criemos alfândegas, pedágios na Igreja de Cristo. Um dia, se tudo isso for errado ou coisa do “capeta” O PRÓPRIO JESUS nos mostrará.

    • É próprio de a heresia protestante ignorar os meios sensíveis( a razão também é meio natural para – iluminada pela fé – discernir dos meios de salvação) que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou para garantir a nossa reta consciência que estamos no caminho da salvação.

      Não há novidade que tudo será revelado no juízo universal, nem por isso devemos nos omitir.

  25. Carismáticos desobedientes, continuaram no xaramandai mesmo pedindo para rezarem em sua própria língua, se bem que essa é a lingua oficial deles.
    Kakakakkakaka

  26. para aqueles interessados em aprender essa língua, podem assistir a 1ª aula no link abaixo:

  27. Cruz Credo 3 vezes!!!!!!!!!!!

    Mais contraditório que esse Papa….é difícil encontrar…Um verdadeiro artista…

    Se ajoelhar na Consagração ele não pode, mas, se ajoelhar, quando ainda era cardeal, para receber a bênção de um pastoreco neo pentecostal ele pode; se ajoelhar, com a cara de santiiiiinho compenetrado…recebendo as orações na língua dos “anjos”, ele também pode….
    VÁ ENGANAR OUTRO…FRANCISCO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  28. Caros fraternos, paz e bem!
    Não vamos brincar com os dons de Deus, sob pena de cometer o pecado contra o Espírito Santo (que não há perdão). Senão, vejamos:
    O Vento “sopra onde quer” (S. João).
    “Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados.
    Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.
    Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
    E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
    E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
    Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
    Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
    E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
    E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
    Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer”. (S. Paulo)

    Se alguém não possui este dom, meu irmão em Cristo, siga o manual sugerido por Ele: nas Escrituras, o próprio Jesus quem nos recomenda: “Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto” (Mt 7, 7).

    Reiteramos: não brinquem com os dons de Deus, sob pena de responder pelo GRAVÍSSIMO PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO, cuja pena será a CONDENAÇÃO FINAL!

    • Que “Espirito” é esse senhor Assis?!

      Que São Paulo tenha dito nada tem haver com uma bruxaria encontrada pelos hereges protestantes.

      Trazida para a Igreja por loucos sem fé.

      Veja o testemunho de Grande Gamaliel, Monsenhor Jonas Abib, que, segundo ele, estava por abandonar a batina quando descobriu os tais dons da bruxaria protestante e criou a “canção das sereias” e tais mantras de bruxarias.

      Pecar contra o Espírito Santo é negar as Verdades de Fé(claro negar verdade de fé é não tê-la). E, obviamente, morrer impenitente.

      Essa sua turma é que faz é isso: negar verdade de fé.

      Vá praguejar lá pras cobras do deserto.

    • Renato Assis, espero que você tenha dirigido seu comentário aos pentecostais da RCC e não aos católicos, porque brincar com os dons do Espírito Santo é inventar gemidos e coisas que sempre estiveram fora da Igreja, que nunca existiram na Igreja Católica, desde seu início por Jesus Cristo até hoje, nunca existiram e hoje são praticadas pelos pentecostais como se fosse um novo dogma.

      Essa palhaçada que fazem, humilha a Igreja, a rebaixa ao nível das seitas, escarnece também da razão e dos Teólogos e Doutores da Igreja, pois é como se o Espírito Santo nunca tivesse agido na Igreja antes da RCC, porque nem em Pentecostes, quando o Espírito Santo foi dado à Igreja ocorreu tal “fenômeno” de “língua dos anjos”.

      Diz a Sagrada Escritura: “Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.
      De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu. Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua. Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: Não são, porventura, galileus todos estes que falam? Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? Partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia, a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos, judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!” (Atos 2, 1-11)

      Cada um ouviu a sua própria língua materna, pelo dom do Espírito Santo: quem falava latim, entendia em latim o que se dizia, quem falava grego, entendia em grego. Nada de gemidos que ninguém entendeu!

      Porém: “Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus.” (Romanos 8, 26-27)

      Vê? É o Espírito Santo quem ora com gemidos inexprimíveis. Nós temos língua para falar, podemos pois exprimir até gemidos; mas os gemidos inefáveis do Espírito Santo, como podemos exprimi-los, ou compreendê-los?

      O dom de línguas não é dom para que se façam gemer, mas de línguas que se possam interpretar, sejam idiomas, sejam alegorias para dizer algo maior, São Paulo e São Tomás de Aquino não deixam dúvida. Contudo, para os pentecostais, São Tomás estava errado, bem como os Padres e Doutores da Igreja que condenaram os gemidos artificiais dos hereges. Que audácia, não? Pôr-se acima de São Tomás de Aquino, da Igreja Católica, para seguir pegadas de hereges há muito tempo condenados pela Igreja – condenados pelo Espírito Santo, portanto – e que só ressurgiram nos meios protestantes!

    • Para os carismáticos a definição de “pecado contra o Espírito Santo” é não acreditar quando alguém faz alguma coisa (mesmo quando é bizarra) e afirma que foi ação do Paráclito. Eita definição ilógica e que abre brechas para qualquer coisa!

  29. O vento dos heréticos sopra onde quer…o mesmo vento que sopra nos Encontros Pentecostais Carismáticos, sopra também nos Encontros Pentecostais Protestantes negando tudo aquilo que ele soprou antes no Encontro dos Católicos. É o vento da contradição:

  30. Aquele que fala em linguas não fala aos homens,senão a Deus:ninguem o entende,pois fala coisas misteriosas ,sob a ação do Espírito. I Cor 14,2

  31. Gercione qual contradição?Vc se refere?

    • O “vento impetuoso que faz falar em línguas de fogo” os carismáticos, também faz os protestantes falarem as “mesmas línguas”. Porém, uns dizem, a RCC é católica e ensina a Doutrina Católica, ao passo que os protestantes ensinam doutrina contrária. Mas se para você não existe nenhuma contradição entre a RCC e o protestantismo, então você esclarece bem a situação, porque eu pensava que ainda tinha alguma contradição, mínima que fosse, entre ambos, e acho que também a dona Gercione pensava assim quando escreveu, salvo engano meu, porém parece que não tem contradição, segundo você… De fato, não deve ter, porque essas ações dos protestantes declarados e dos pentecostais da RCC sempre foram condenadas pela Igreja, de modo que não adianta seguir somente uma parte da Doutrina.

      Disse Também São Paulo: “Aquele que fala em línguas edifica-se a si mesmo; mas o que profetiza, edifica a assembléia. Ora, desejo que todos faleis em línguas, porém muito mais desejo que profetizeis. Maior é quem profetiza do que quem fala em línguas, a não ser que este as interprete, para que a assembléia receba edificação. Suponhamos, irmãos, que eu fosse ter convosco falando em línguas, de que vos aproveitaria, se minha palavra não vos desse revelação, nem ciência, nem profecia ou doutrina? É o que se dá com os instrumentos inanimados de música, por exemplo a flauta ou a harpa: se não produzirem sons distintos, como se poderá reconhecer a música tocada? Se a trombeta só der sons confusos, quem se preparará para a batalha? Assim também vós: se vossa língua só profere palavras ininteligíveis, como se compreenderá o que dizeis? Sereis como quem fala ao vento. Há no mundo grande quantidade de línguas e todas são compreensíveis. Porém, se desconhecer o sentido das palavras, serei um estrangeiro para quem me fala e ele será também um estrangeiro para mim. Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja. Por isso, quem fala em línguas, peça na oração o dom de as interpretar. Se eu oro em virtude do dom das línguas, o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto. Então que fazer? Orarei com o espírito, mas orarei também com o entendimento; cantarei com o espírito, mas cantarei também com o entendimento. De outra forma, se só renderes graças com o espírito, como dirá Amém a tuas ações de graças aquele que ocupar o lugar dos simples? Sem dúvida, as tuas ações de graças podem ser belas, mas o outro não é edificado. Graças a Deus que possuo o dom de línguas superior a todos vós. Mas prefiro falar na assembléia cinco palavras que compreendo, para instruir também os outros, a falar dez mil palavras em línguas. Irmãos, não sejais crianças quanto ao modo de julgar: na malícia, sim, sede crianças; mas quanto ao julgamento, sede homens. Na lei está escrito: Será por gente de língua estrangeira e por lábios estrangeiros que falarei a este povo; e nem assim me ouvirão, diz o Senhor (Is 28,11s). Assim, as línguas são sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; enquanto as profecias são um sinal, não para os infiéis, mas para os fiéis. Se, pois, numa assembléia da igreja inteira todos falarem em línguas, e se entrarem homens simples ou infiéis, não dirão que estais loucos?” (I Coríntios 14, 4-23)

      E São Tomás de Aquino, o Doutor Angélico, explica: “Quanto ao dom de línguas, devemos saber que como na Igreja primitiva eram poucos os consagrados para pregar ao mundo a Fé em Cristo, a fim de que mais facilmente e a muitos se anunciasse a palavra de Deus, o Senhor lhes deu o dom de línguas” (S. Tomas de Aquino, comentário à primeira Epístola aos Coríntios, Tomo II, p. 178).

      E mais: “Porém, os coríntios, que eram de indiscreta curiosidade, prefeririam esse dom ao dom da profecia. E aqui, por ‘falar em línguas o Apóstolo entende que em língua desconhecida e não explicada: como se alguém falasse em língua teutônica a um galês, sem explicá-la; esse tal fala em línguas. E também é falar em línguas o falar de visões tão somente, sem explicá-las, de modo que toda locução não entendida, não explicada, qualquer que seja, é propriamente falar em língua” (S. Tomas de Aquino, comentário à primeira Epístola aos Coríntios, Tomo II, p. 178-179).

      E ainda: “É de notar-se que este costume [de falar em línguas e interpretá-las] até agora […] se conserva na Igreja. Por que as leituras, epístola e evangelho temos em lugar das línguas, e por isso na missa falam dois […] as coisas que pertencem aos dom de línguas, isto é, a Epístola e o Evangelho” (comentário à primeira Epístola aos Coríntios, Tomo II, p. 208).

      A interpretação dessas línguas – estranhas ao povo simples – ocorre na Missa após a leitura da Epístola e do Evangelho, quando o padre faz o sermão explicando os símbolos contidos nos textos sagrados que foram lidos.

      Leia mais aqui: http://www.padremarcelotenorio.com/2011/07/sobre-o-dom-das-linguas-em-santo-tomas.html

      O que os protestantes e os pentecostais da RCC fazem não é, portanto, o dom de línguas do Espírito Santo, mas é invenção, talvez até por inspiração de espírito demoníaco. Ou é isto, ou é o que os hereges dizem: ou a Igreja passou 2.000 anos errada, ou o Espírito Santo não é Deus e mudou, encontrando um modo novo melhor de ser Espírito Santo, que discorda do antigo, que condenava o moderno.

  32. Nossa Senhora: “Eu já não posso mais suportar a mão de Deus para evitar os castigos”.

    Penso que Nossa Senhora permitiu os castigos. E os castigos estão vindo à conta gotas. Com tudo isso que está acontecendo, só pode ser castigo mesmo.

    É natural que uma pessoa quando perseguida e vilipendiada, se esconda. Ora, Deus não é contraditório e, “naturalmente”, pode dar as costas àqueles a quem não o querem mais.

  33. Parabéns para mim, que gosto da Tradição e da RCC e não vejo nenhuma contradição entre ambas. Se não fosse assim eu teria que fazer uma escolha quanto a este site que eu gosto tanto. E mais: acredito que a RCC deve beber mais da Tradição e se purificiar dos elementos estranhos adquiridos pelo caminho.

    Outra coisa: não devemos atribuir a culpa dos erros litúrgicos que membros da RCC cometem nas missas à RCC, mas sim aos sacerdotes que as celebram pois são eles que devem verificar a preparação litúrgica para as celebrações. E o que verifico é que a maioria dos padres que cometem ou permitem abusos litúrgicos nas missas organizadas pela RCC não é de padres “carismáticos” mas aproveitadores que se apropriam de elementos de animação de grupos de oração e os inserem na missa.

    Missa é missa e todo sacerdote tem que saber disto.

    O âmbito das especialidades da RCC são os grupos de oração. E mesmo esses devem ser muito bem orientados pela igreja na pessoa dos sacerdotes encarregados do seu acompanhamento.

    • Pe. Francisco concordo com o reverendissimo Sacerdote.

    • Pe. Francisco Ferreira,

      Visitei sua pagina e pelo visto o senhor é bastante eclético.

      Não se trata de gosto, Padre, mas de matéria de fé. E matéria ai é bastante grave.

      Das coisas particulares que o senhor ou Papa apreciam, não estou obrigado a gostar, como sabe. Não tenho menor apresso por pessoas que escarnecem a verdadeira obra de salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo, sejam advertidamente ou não. Que quero pra elas é o mesmo que quero pra mim, ou seja, aquilo que Deus quer para todos.

      Sendo o senhor Padre, e goza de autoridade, queira, por favor, me explicar como algo que nunca foi católico pode ser tolerado ou gostado.

      Suas Bênçãos

  34. Caríssimo pe. Francisco Ferreira, paz e bem!
    Tomo como minhas as suas palavras. Estou contigo e não abro.
    Parabéns, pe. Francisco!
    Quem somos nós, pobres mortais, para criticar a ação do Espírito Santo nos tempos atuai?!?
    Saudações cristãs,

    Renato e família.

    • Justamente, Renato Assis, quem somos nós para criticar o Espírito Santo, que por ser Deus, nunca muda, é sempre o mesmo? Quem somos nós para criticar o modo como sempre age o Espírito de Deus que ressuscitou Jesus Cristo e, enchendo a Igreja, a levou para anunciar Cristo ao mundo, e agindo nos Padres, Doutores e Santos da Igreja, os fez condenar prontamente os hereges que, mentindo e com grunhidos e outras coisas contrárias à Igreja Católica, única de Deus, diziam estar cheios do Espírito Santo? Ora, o Espírito Santo, que nunca abandonou a Igreja, apesar de poder ser abandonado pelos homens da Igreja, sempre, iluminando as almas, fez condenar os que blasfemavam contra Ele, O comparando com o espírito do maligno.

      Sugiro que você leia este artigo, já postado aqui por Giuseppe:

      http://www.padremarcelotenorio.com/2011/07/sobre-o-dom-das-linguas-em-santo-tomas.html

      Que Espírito Santo é esse da RCC, que contraria o verdadeiro Espírito Santo, o que desde os primeiros séculos protegeu a Igreja das heresias, livrando o povo de Deus dos que poderiam perturbá-lo e fazê-lo pecar, e no entanto desprezando hoje por muitos?

      Respeito sua opinião, não posso forçá-lo a nada, mas digo também qual a minha opinião e esta é que estou com São Tomás de Aquino, São Paulo, Santo Irineu, toda a Santa Igreja Católica – cheia do Espírito Santo desde o dia de Pentecostes, e que por isto nunca se curvou ao modernismo, por ser Igreja de Cristo e não uma falsa que se prostitui – e não abro.

      Dizer que o Espírito Santo age nos dias atuais do modo que Ele mesmo, nos Santos da Igreja, condenou no passado, é concordar com os modernistas, os quais dizem que Deus muda com o tempo e que o que foi condenado no passado, não precisa ser condenado hoje.

  35. Aos carismáticos, asmáticos ou não… Sou um sacerdote de oitenta e quatro anos. Quando jovem, tive formação religiosa e filosófica com a nata dos jesuítas, beneditinos, dominicanos etc. Aprendi, com eles, o que os santos de todas as épocas ensinavam… Somente, a doutrina deles bastava, levando-me a procurar, com todo afinco, o que eles ensinavam e era conhecido por toda parte.

    Sendo assim, reduplico a pergunta: Por que, agora, não aparece mais nos anais da Igreja tudo aquilo que os santos ensinavam e que a eles, bastava? Suas vidas, eram todas impregnadas de amor a Deus e, tão somente isso, era suficiente para levá-los ao ideal de santidade.

    Quanto a tão esperada volta do “Filho do Homem”, é bom não esquecer, jamais, que foi o próprio Jesus que ensinou (nem sei quantas vezes…): que, “quanto ao dia e a hora da Sua segunda vinda”, eles permanecerão para sempre, ignoradas por todos nós.

    Destarte, comportem-se todos vocês – carismáticos ou não, como “garotinhos bem educados” esperando, tranquilamente, que Ele venha… sem fazer tanta gritaria.

    Ôxe, como vocês são irritantes!!!

    Por fim, acrescento, que, naquele tempo, católicos eram, como hoje, todos os batizados na Igreja de Pedro, desde o netinho de cinco meses até a vovozinha com noventa e nove!

    Naquela época, o Espirito Santo era completamente ignorado por todos! Os católicos do mundo inteiro firmavam-se, tão só e unicamente, no que era ensinado em todos os catecismos.

    Nesse tempo, não havia tanto “bate-boca” a respeito da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade e ninguém especulava, com as “minucias” de hoje, essa estranha mania de falar tanto no Espirito Santo. E, olhem que por essa época o Espirito Santo era e é como as demais Pessoas Divinas bem conhecidas e amadas.

    Passem bem.

  36. “Não extingais o Espírito.
    Não desprezeis as profecias.
    Examinai tudo. Retende o bem” (1 Tessalonicenses 5:19-21).

    Detalhe: o único pecado que não há perdão é contra o Espírito Santo.

  37. Sr. José Carneiro, paz e bem!
    Agradeço pela indicação da leitura sugerida acima. Todavia, entre ler e acompanhar o representante de Jesus na Terra (leia-se: PAPA FRANCISCO) e qq outro escritor (seja ele padre, bispo ou cardeal), opto por seu fiel a tradição apostólica.
    Não vou perder meu precioso tempo com leituras desautorizadas, combinado?!?
    Saudações cristãs,

    Renato e família
    BH-MG.

  38. Também o saúdo, caro Renato Assis, e a sua família. Apesar das diferenças doutrinárias, não quero que se aborreça comigo, porque meu comentário está firmado justamente na Tradição Apostólica, e não na tradição particular de quem quer que seja, sobretudo se esta contraria a Tradição dos Apóstolos seguida e ensinada pelos Doutores da Igreja, dos quais se destaca São Tomás de Aquino que tão perfeitamente a explicou. Espero que respeite meu posicionamento como respeito o seu, porque entre acompanhar o representante de Jesus na terra naquilo que contraria Jesus Cristo em muitos casos importantes (leia-se também: as coisas estranhas que aprova o papa Francisco) e acompanhar todos os representantes de Jesus Cristo na terra que em ponto nenhum O contrariaram (leia-se aqui: os Papas Santos e que não adicionaram ou retiraram alguma coisa da Doutrina divinamente revelada e não contrariam a mesma Doutrina de Deus), fico com a Igreja de Jesus Cristo confirmada pela santidade de tantos sob a orientação do Espírito Santo, confirmados pelos Papas Santos e fiéis em defender o Depósito da Fé e não pelos hereges ou pelos que aprovam, mesmo que implicitamente, os hereges; Igreja que é infinitamente mais sábia do que eu, e se esta mesma única e unívoca Igreja sempre condenou o erro, não posso eu cometer a temeridade de contrariá-la seguindo o erro, pois ninguém, seja quem for, pode contrariá-la, porque ela não se contraria! Paz e bem.

  39. É bom recordar também, Renato Assis, que ler o que São Tomás de Aquino e São Paulo disseram não é proibido. Ninguém está desautorizado para ler o que o Apóstolo ou o Doutor Angélico escreveram para a edificação da Igreja. Pelo contrário, muitas coisas novas, e velhas, que foram desautorizadas pela Igreja.

  40. Me veio uma pergunta. Como eles sabem que a lingua é dos anjos?