Padre é afastado de igreja após abençoar casal gay em Goiânia.

G1 – Uma bênção concedida a um casal gay motivou o afastamento do padre César Garcia de suas atividades na Paróquia São Leopoldo, em Goiânia. A decisão foi comunicada a ele na terça-feira (10) pelo arcebispo de Goiânia, dom Washington Cruz. O pároco deve permanecer ausente das atividades até que a Igreja Católica conclua um inquérito sobre o caso.

A medida é consequência da presença do religioso em um evento no último dia 20, quando dois arquitetos celebraram a união homoafetiva, que já dura 11 anos. César Garcia foi um dos convidados para a celebração na residência do casal.

Padre César relata que esteve no local como amigo dos arquitetos, e não como representante da Igreja Católica. Ele disse que, inclusive, não utilizava batina e estava vestido como uma pessoa comum.

“Eles não pediram sacramento, não pediram nada disso, pediram uma oração”, afirma. O padre relata ter rezado o Salmo 83 da Bíblia e feito um discurso sobre “a grandeza do amor e o respeito às pessoas”.

Porém, fotos da celebração, que mostravam a presença do padre, foram publicadas em redes sociais e repercutiram entre os membros mais conservadores da Igreja. Um processo canônico no Tribunal Eclesiástico de Goiânia foi aberto para investigar o caso. Antes que a investigação fosse concluída, entretanto, o clero determinou o afastamento do padre por tempo indeterminado.

Surpreso com a repercussão do caso, o arquiteto Leo Romano explicou ao G1 que o objetivo da presença de César Garcia na cerimônia era o de abençoar a residência do casal. “Em momento nenhum se falou essa palavra casamento, não houve aliança, entrada de padrinho. Foi uma celebração de amor”, diz.

Por outro lado, para a Igreja, a presença do padre deu margem para interpretações errôneas da intenção dele e do casal. “A presença de uma pessoa, ainda que silenciosa, diz alguma coisa. E nesse sentido, a presença do padre César não é uma presença indiferente, ainda que não tivesse dito nada. E, certamente, dentro dessas circunstâncias, essa presença vai contra as convicções da Igreja Católica”, afirma o padre e professor de teologia moral Luiz Henrique Brandão, representante da Arquidiciose de Goiânia.

“Nesse caso, se houver possibilidade de confusão, é melhor que aquela bênção não fosse feita justamente para se evitar em quem recebe e em quem participa dela, uma confusão”, completa.

Entretanto, padre César defende que a bênção não deveria ser punida. “Nós entendemos que todos somos filhos de Deus e merecemos uma benção. Não se nega benção a ninguém”, diz.

Segundo o padre Luiz, César e testemunhas serão ouvidos pelo caso. Ele afirma que a medida de afastamento não foi uma punição, mas “um ato que quer remediar e favorecer a resolução da situação”. Não há prazo para que o a Igreja conclua a investigação.

Tags:

19 Comentários to “Padre é afastado de igreja após abençoar casal gay em Goiânia.”

  1. “Entretanto, padre César defende que a bênção não deveria ser punida. “Nós entendemos que todos somos filhos de Deus e merecemos uma benção. Não se nega benção a ninguém”, diz.”

    Pois é, mas a Santa Missa de Sempre se nega, se nega a Tradição, se nega a Ortodoxia Católica…

  2. É complicado. De fato, ao contrário da Eucaristia que pode e deve ser negada àqueles que vivem publicamente em pecado, a benção é uma manifestação de caridade que deve ser dirigida àqueles que a solicitam.

    O padre no entanto não deveria frequentar a residência de um casal homossexual, mormente em ocasiões festivas.

    Uma coisa é um homossexual pedir a benção do padre na Igreja ou mesmo no meio da rua. Cristo não evitava os pecadores, quaisquer que sejam eles, desde que eles estivessem em busca do arrependimento. Outra coisa é um padre frequentar a casa de pessoas que estão em franca oposição ao magistério da Igreja e que não demonstram nenhuma vontade de cessarem a atividade pecamimosa.

    O padre foi afastado? Foi a melhor solução.

    • Meu caro Paulo Cesar: Esse tipo de benção não existe. Não se abençoa o mal. Quando, pelo contrario, se pede a benção para nos afastar do mal e afugentar o demonio. Ou para glorificar a Deus por um bem que nos foi dado.

  3. Só a presença do padre nesse tipo de evento já caracteriza sua comunhão com o fato em si. Não interessa se a benção foi feita à casa, ao par, ou ao cachorro. Mesmo porque a ocasião dizia respeito a união de duas pessoas do mesmo sexo. Em primeiro lugar ele é um padre, e representa sim a Igreja.

  4. Se o Pe César Garcia abençoou o casal de “cônjuges” teria sido no intuito que sua “prole” fosse regada das bênçãos de Deus e perdurasse no “amor” até ao fim da existencia – por certo não a deu em seu próprio nome – sem citar que a presença de um sacerdote católico num evento desse naipe não deixa de ser um aval à situação, ainda mais quando abençoa de alguma forma, foi um sinal positivo de ele avalizar o procedimento dessa “união” conjugal, além de apenas ter comparecido aos festejos, escandalizou os mais frágeis na fé, os quais pautariam seus procedimentos a partir dos comportamentos de relativistas sacerdotes.
    Lembra do caso Ronaldo Fenômeno com a Daniela Ciccarelli em Paris cuja união durou longos 28 dias, idem “abençoada” pelo Pe Antônio Maria?
    POR CAUSA DE VOSSSOS PROCEDIMENTOS, O NOME DO SENHOR É BLASFEMADO ENTRE OS GENTIOS. Rm 2,24

  5. Credo, é o fim do mundo…

  6. Desde quando “casal” homo afetivo ama um ao outro? Utilitarismo e concupiscência da carne não é Amor…

  7. Dois piromaníacos incendiários organizam uma festa. São estetas, e usam comentar a beleza dos ” seus” incêndios. Um Padre ou Bispo é amigo( ???) deles, e faz DOIS pronunciamentos públicos: a) Sua presença, manifestação eloquente, em linguagem não verbal, de apoio e aplauso, pessoal E INSTITUCIONAL( a Igreja Católica);b) Algumas palavras adicionais, sobre a beleza do fogo, seu significado para os alquimistas e a beleza e força do Criador e Artista Produtor do Fogo(Deus). Nenhum incentivo VERBAL EXPLÍCITO a ser incendiário. Tal clérigo estaria fazendo o que? Justificando o seu ” cachê”, recebido em trânsito social, presentes, presença em eventos ” chiques” e até, algumas vezes, em dinheiro mesmo.

  8. Deus abençoe MUUUITO o Arcebispo de Goiânia ! A CNBB precisa de mais de 500 iguais a ele .

  9. Olhem bem pra cara do energúmeno!! Além de sacrílego, mentiroso!! Foi “abençoar a casa”? E o que ele faz de frente aos dois sodomitas, como celebrante dessa zombaria de pseudo- sacramento?

    http://g1.globo.com/goias/noticia/2014/06/padre-e-afastado-de-igreja-apos-abencoar-casal-gay-em-goiania.html

    Vivemos tempos apocalípticos!
    “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.
    E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem”.
    Apocalipse 14:12-13

    Enquanto aqueles que são dignos de morte, como igualmente dignos de morte os que aplaudem tais abominações prosperam, os santos de Deus são assassinados cruelmente dentro dos ambientes sagrados.

  10. Será arquivado o processo.

  11. Por favor, coloque o email da Arquidiocese de Goiânia para elogiar em peso esse magnífico bispo.Obrigada

  12. Aqui está : Enviem emails de apoio e parabenizado o bispo : http://www.arquidiocesedegoiania.org.br/fale-conosco/fale-conosco.html

  13. Nooooooooooooooooossaaaaaaaaaaaaaaa !!!

  14. Mas que padreco mais inculturadooooooooooooo !!!
    Uiiiii… uiiiiii… uiiiiii…

  15. Rir, para não chorar…
    E tem gente que ainda acha que essa igreja conciliar é séria…
    Como disse Nosso Senhor:
    “Pelos frutos conhecereis a árvore”
    Enfim, pode uma árvore má dar bons frutos?
    Ah, melhor deixar de ortodoxia, afinal, “Deus é Dez !”
    Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…

  16. Pela foto do G1 está claro a simulação de sacramento. Quem vê essa imagem do casal na frente do padre, independente das vestimentas, vai dizer que o padre estava casando os dois. Em minha região já aconteceram casos deste tipo com casais de segunda união, sempre com a mesma desculpa de ir abençoar a casa do casal.

  17. 1 CORÍNTIOS 6,9-10

    Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos iludais: nem fornicadores nem idólatras nem adúlteros nem efeminados nem homossexuais nem ladrões nem avarentos nem beberrões nem caluniadores nem exploradores herdarão o reino de Deus. (Bíblia do Peregrino-Editora Paulus)