O Japão promove e valoriza a sua história cristã.

Por Corrispondenza Romana | Tradução: Fratres in Unum.com * – O governo japonês anunciou a criação de um novo site inteiramente dedicado ao cristianismo japonês. O site, http://www.oratio.jp, no momento apenas em japonês, em breve terá uma versão em inglês e coreano.

Um dos objetivos principais do projeto é dar visibilidade às riquezas do Japão cristão procurando, assim, para o ano de 2016 obter o reconhecimento por parte da UNESCO como “patrimônio da humanidade”. Os locais de interesse histórico e artístico estão sujeitos à avaliação da organização internacional como um todo, sendo que 13 foram construídos entre os séculos XVI e XIX. Entre eles está a  Catedral da Oura, onde “reapareceram” os cristãos que sobreviveram à perseguição do governo. De acordo com declarações feitas a “AsiaNews” por Dom Joseph Mitsuaki Takami, arcebispo de Nagasaki, a decisão do governo japonês de tornar público a presença dos cristãos em Nagasaki não tem nada a ver com religião, mas diz respeito sobretudo à economia e turismo: “É um gesto que não está intimamente relacionado com a Igreja, mas é ainda importante. A economia é útil quando ajuda o homem a realizar coisas de valor, e nós aceitamos esse paradigma, mas sempre colocando-o em segundo lugar. Em primeiro lugar está, e sempre estará, o trabalho missionário e de evangelização do país.”

Após o anúncio da abertura em janeiro de 2015 de um museu dedicado ao “Kakure Kirishitan”, os “cristãos ocultos”, que durante dois séculos foram forçados a cultivar a sua fé na clandestinidade para escapar da perseguição, a criança do site dedicado a divulgar a presença cristã em Nagasaki confirma a intenção do governo japonês de dar a conhecer e promover a sua história cristã. Além dos reais motivos e interesses econômicos, estas iniciativas têm o mérito de lançar luz sobre as belezas arquitetônicas florescidas com o cristianismo e dar testemunho dos muitos cristãos martirizados no percurso da evangelização do Japão.

* Nosso agradecimento a um caro amigo pela tradução fornecida. 

 

Tags:

6 Comentários to “O Japão promove e valoriza a sua história cristã.”

  1. São Francisco Xavier, quando esteve no Japão, encontrou um terreno muito fértil para a pregação do evangelho, pois ali se valorizava a tradição, a família, a disciplina, a ordem, a autoridade, etc.

    No futuro, acredito que as sementes do evangelho deixado na África e Ásia serão a face do Cristianismo.

  2. Que belo exemplo para nós: em cerca de 2 séculos os Católicos japoneses perseveraram na Fé, sem Padres e sendo perseguidos.

  3. É surpreendente, muito significativa, essa iniciativa do governo japonês. Queira Deus seja o início da conversão + desse admirável povo.

  4. Diz o texto da foto: “Há uma razão para a pequenina igreja feita à mão se tornar candidata ao Patrimônio Mundial da Humanidade”.

  5. Santos cuja memoria é celebrada hoje:

    No Japão, o martírio de João Batista Zola, da companhia de Jesus, natural da Itália. Foi queimado vivo em Nagasaki, 1626.

    No mesmo dia, S. João Kisaku, S. J. escolástico em Nagasaki, queimado vivo em Nagasaki em 1626.
    ———
    Em Nagasaki, ainda no ano de 1626, foram queimados vivos Francisco Pacheco e seus companheiros, todos da Companhia de Jesus.
    ———-
    Há ainda toda o trabalho de S. Francisco Xavier e o martírio de S. Paulo Miki e seus companheiros.
    ———-
    Também as memorias, em Nagasaki, ainda no ano de 1626, de S. Timóteo, sacerdote, e das consagradas a Deus, Prudenciana e Praxedes, todos discípulos ainda dos apóstolos. Sua casa foi transformadas em igreja e recebeu o titulo de Bom Pastor.

    Nota: Não sei se no Japão ainda hoje é celebrada todas as memorias acima.

  6. Pois é… os católicos romanos do Japão são tradicionais as mulheres usam “mantilha” (véu). E capelas lá são como são as sinagogas no Brasil (quase não se ver). Muitos padres lá, são missionários descendentes de japoneses, não são nativos. Pois o que impera no Japão é o budismo, até mesmo por tradição milenar do país.