Iraque: Papa alerta ONU para o drama e pede esforços concretos.

Cidade do Vaticano (RV) – O Vaticano divulgou na manhã desta quarta-feira, 12, uma carta escrita pelo Papa Francisco, sábado, 9, ao Secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki Moon, a respeito da situação no Iraque.

“Com o coração apertado e angustiado, acompanhei os dramáticos acontecimentos dos últimos dias no norte do Iraque, onde os cristãos e as outras minorias religiosas foram obrigados a fugir de suas casas e assistir à destruição de seus lugares de culto e do patrimônio religioso. Comovido com esta situação, pedi ao Cardeal Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, que foi Núncio no Iraque nos Pontificados de São João Paulo II e Bento VI, para manifestar a minha proximidade espiritual e expressar a minha preocupação, assim como de toda a Igreja Católica, com o intolerável sofrimento de pessoas que desejam somente viver em paz, harmonia e liberdade na terra de seus antepassados”.

“Neste mesmo espírito, escrevo ao senhor, Secretário-geral, e lhe exponho as lágrimas, os sofrimentos e os gritos de desespero dos cristãos e das outras minorias religiosas na amada terra do Iraque. Ao renovar o meu apelo urgente à comunidade internacional para intervir e por fim à tragédia humanitária em andamento, encorajo todos os organismos competentes da ONU, especialmente os responsáveis pela segurança, a paz, o direito humanitário e a assistência aos refugiados, a prosseguirem seus esforços, em conformidade com o Preâmbulo e os artigos pertinentes da Carta das Nações Unidas”.

“Os ataques violentos que têm se alastrado ao longo do norte do Iraque não podem ficar indiferentes às consciências de todos os homens e mulheres de boa-vontade e devem despertá-los para ações concretas de solidariedade em defesa dos atingidos ou ameaçados pela violência e assegurar a assistência necessária e urgente aos desabrigados além do seu retorno seguro às suas cidades e casas”.

“As trágicas experiências do século XX e a elementar compreensão da dignidade humana exigem que a comunidade internacional – através de normas e mecanismos de direito internacional – faça tudo o que for possível para deter e prevenir novas violências sistemáticas contra as minorias étnicas e religiosas”.

“Confiante que o meu apelo, unido ao dos Patriarcas Orientais e de outros líderes religiosos, encontre uma resposta positiva, colho a ocasião para renovar a minha mais elevada consideração”, assina o Papa.

13 Comentários to “Iraque: Papa alerta ONU para o drama e pede esforços concretos.”

  1. Cadê as cruzadas? Deveriam existir até hoje.

  2. Puxa… igualzinho à convocação das Cruzadas no século XIII… só que mais moderno.

  3. Li aqui no Fratres que o Papa Francisco, irresponsavelmente, no período do Ramadã (salvo engano), pediu que os “irmãos” muçulmanos lessem o alcorão para fortalecer sua fé. Esse massacre dos cristãos faz parte das revelações ‘divinas’ recebidas por Maomé e ditadas no alcorão recomendado por Francisco.

    Que tal outra oração ecumênica pela paz ???

  4. Parabéns ao Santo Padre por nunca calar-se diante de pecados que bradam aos céus.

  5. Repito aqui o último parágrafo do meu texto em relação àquela notinha do pontifício conselho para o diálogo inter-religioso:

    Para fazer uma contestação ao parágrafo seguinte, só existe uma única liderança religiosa no mundo estabelecida por Deus. Cabe só a Ela educar e civilizar os povos, até o martírio, se for o caso e não ficar em escritórios da cúria escrevendo notinhas abjetas como essa. Dizer que todos temos obrigação de condenar tais atos é mais do que evidente. Todas as pessoas de boa vontade fazem isso. Acreditar que os “muçulmanos de bem” irão fazer é tolice. É só mais uma equiparação cretina com a única autoridade religiosa e moral que tem o poder divino a sua disposição – é só implorá-lo – para dar um basta nessa situação.

    Ir, chorando, pedir a ONU para ajudar os cristãos. A mesma que tem valores opostos ao cristianismo e não se faz de rogada em lançar documentos públicos, mostrando uma Igreja intolerante, exigindo que a Igreja mude sua doutrina?

    E como você ir a Fernandinho beira mar e pedir-lhe que acabe com o tráfico.

    O massacre dos Cristãos no Iraque vem ocorrendo há tempos. O que fez Obama? O que fez a Onu?

  6. Espero que o apelo do Papa seja atendido, mesmo sabendo que a ONU atende a interesses dos líderes mundiais e que estes fazem questão de não ver o massacre que está em curso desde alguns anos atrás.
    Incluí nas minhas orações diárias um pedido a Deus e a intersecção de São Miguel Arcanjo neste doloroso e tenebroso combate, em favor dos perseguidos pelo Islã radical, em especial às famílias do Iraque.

  7. Não confiemos nos poderosos deste mundo. Na aparência, são cristãos, pacifistas, etc. Mas a ONU, Nova Ordem Mundial em gestação e todos os governos não se enquadram, perfeitamente, no questionamento do Salmo: “Por que tumultuam as nações? Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e seu Cristo? ” (Salmo 2, 1-2). Também, o Salmo 145, 3 nos adverte: “Não coloqueis nos poderosos a vossa confiança, são apenas homens nos quais não há salvação. ” Só Jesus salva. Como diz São Paulo: “a nossa luta não é contra homens, mas contra espíritos malígnos.” Logo, rezar e jejuar e sacrificar-se é um melhor uso do nosso escasso tempo.

  8. Que bom…

    Será que estamos nos convencendo de que sem NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, ÚNICO DEUS E ÚNICO PROFETA DEFINITIVO DO PAI, não haverá PAZ???

    Será que estamos nos convencendo que Alá não é e nem nunca foi o nosso DEUS UNO E TRINO???

    Será que o próximo passo de Francisco não será convocar um Assis III ou um novo convite para um muçulmano “rezar” com o alcorão, não só nos jardins do Vaticano, mas dentro da Basílica de S. Pedro???

    Grandes pecados… Grandes castigos…Sempre foi assim na História e hoje não será diferente…

    Que primavera conciliar… Que frutos primaveris maravilhosos do diálogo religioso…”A Igreja nunca esteve tão bem como hoje”…

    Glória ao Pai, ao Filho, e ao Espírito Santo, ao Deus único e verdadeiro ao qual se deve adoração!

  9. A ONU terá o mesmo fim que a falida Liga das Nações. Como a última, esta não serve para nada. Não passa de um fantoche das grandes (e inimigas entre si) potências a procurar pela pseudo-paz: a Paz, que somente seu Príncipe pode trazer: Nosso Senhor Jesus Cristo.

  10. Não é dito, nem sequer uma vez, nem na carta de Bergoglio e nem na mensagem do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso os nomes de Jesus e Maria. Os únicos que podem trazer a Paz, o Próprio Autor da Paz não é citado.

    A igreja conciliar parece que perdeu toda noção do sobrenatural.

    É de um naturalismo sem precedentes. Pede-se à ONU – inimiga da Igreja- pede-se a pessoas de boa vontade e pasmem, pedem até aos muçulmanos bonzinhos que condenem as ações dos muçulmanos mauzinhos.

    Um olhar para Jesus e Maria talvez fosse interessante, Francisco. Peça aos católicos que rezem a Ele por seus irmãos na Graça. Talvez, quem sabe, acabe por funcionar.

  11. Que ele faça uma solenidade em defesa dos cristãos perseguidos pelo mundo como fez ao pedir pela paz na Síria. Que ele reze uma missa na Praça de São Pedro, para todos no mundo verem, pedindo pela vida dos cristãos. Que ele defenda a vida dos cristãos sem misturá-los, uma vez que seja, SÓ UMA VEZ, às minorias religiosas. Só UMA vez.

  12. Este tipo de carta politicamente correcta já mete nojo. Mas afinal quem são as “minorias étnicas e religiosas” não têm nome ? será que o respeito humano é tão grande que o papa não tem tomates para referir a palavra “cristão”? E quanto aqueles que fazem a violência, os tais homicidas violadores? Não têm nome, uma estratégia, uma religião em nome da qual executam a violência? QUE NOJO DE CARTA uma carta para atirar areia para os olhos do povinho, já cego e que já vagueia nas trevas… e vai continuar ainda mais com estes “guias” espirituais. O que mais vale às vitimas destes carrascos é O próprio Deus que jamais os deixará, se pelo contrario colocam a sua confiança nos homens estão bem enganados sempre foi assim e é assim hoje eis aprova, dramática aos nossos olhos.