Lembrando Mons. Ranjith: não sejamos instrumentos do Demônio

O motu próprio Summorum Pontificum sobre a Liturgia Latina de 7 de julho de 2007 é o fruto de uma profunda reflexão do nosso Papa sobre a missão da Igreja.

Não cabe a nós, que vestimos a púrpura e o vermelho eclesiástico, colocarmos isso em questão, sermos desobedientes e fazermos o motu proprio vazio por nossas próprias pequenas e mínimas regras. Mesmo se elas fossem feitas por uma conferência de bispos. Mesmo os bispos não tem esse direito.

O que o Santo Padre diz tem de ser obedecido na Igreja. Se nós não seguirmos esse princípio, nós nos permitiremos ser usados como instrumentos do Demônio, e de ninguém mais. Isso vai levar a discórdia à Igreja e diminuir sua missão.

Nós não temos tempo a perder com isso. Mais, nós nos comportamos como Nero, ocupando-se com seu violino enquanto Roma pega fogo. As igrejas estão esvaziando, não existem vocações, os seminários estão vazios. Padres ficando velhos e velhos, e jovens padres são escassos.


Anúncios