Para relembrar: Dom Fellay e a hermenêutica da continuidade

De DICI, órgão de comunicação da casa geral da FSSPX:

Questão do jornalista: A respeito de Bento XVI, você não está satisfeito com a forma pela qual, em seu discurso à Cúria, ele precisamente colocou em oposição essa hermenêutica da descontinuidade; houve uma descontinuidade entre o pensamento como era antes e depois do Concílio. E ele apoiou a hermenêutica da continuidade, dizendo: nós permanecemos na mesma tradição da Igreja.

Bispo Fellay: Bem, nós vemos muito, muito claramente nesse discurso [ndt: discurso de Bento XVI à Curia Romana para o natal de 2005] uma tentativa de lançar uma nova luz sobre o Concílio. Eu não sei se devemos dizer uma tentativa de salvar o Concílio, como seria a minha forma de ver; mas em todo caso, existe uma vontade positiva de colocar uma barreira para parar uma interpretação, um entendimento do Concílio que agora tornou-se a apresentação usual do Concílio por anos. Nós vemos muito, muito claramente que o Papa, sob o abrigo de palavras delicadas, está se distanciando da apresentação comum do Concílio. Então, existe um desejo de apresentar o Concílio de outra forma, no mínimo no nível dos princípios. Eu não sei qual será o resultado final.

Jornalista: Você apresentou isso como uma ruptura também.

Bispo Fellay: Oh, sim, absolutamente, eu certamente apresentei! E além, se você estudar esse discurso com atenção, você verá que o Santo Padre concede, no entanto, que existiu uma ruptura, talvez não em conteúdo, mas certamente na forma em que isso foi apresentado e implementado. Isso é o que ele diz quando tenta mostrar que não existiria descontinuidade no plano dos princípios, princípios que ele afirma não serem aparentes; então ele fala também de continuidade na descontinuidade… Penso que teremos aí um muito, muito interessante assunto para discussão.

Jornalista: Esse discurso particularmente lhe faz regozijar ou você…

Bispo Fellay: Sua clareza, sua precisão e também sua vontade de eliminar um certo número de posições que estavam realmente nos causando problemas na Igreja, tudo isso me fez regozijar; mas penso que não se vai longe suficiente. É totalmente claro que ele está abrindo um novo panorama. Quão amplo ele será? Não sei.