O Secretário do Papa fala: “ele não age com um trator”

Mons. Georg Gänswein

Mons. Georg Gänswein

“Qualquer um que o conheça [o Papa] o tem exatamente como alguém que defende a continuidade na liturgia. É uma espécie de dogma que o Concílio Vaticano Segundo trouxe rupturas. É impossível que um Concílio do Vaticano crie qualquer ruptura. É a tarefa do Papa manter a continuidade da Igreja e não interrompê-la. Não, o Papa Bento permaneceu verdadeiro consigo mesmo”.

Ao se referir à tenebrosa Sala Paulo VI: “O hall foi pretendido como um prédio funcional para audiências. Cinco a dez mil pessoas não podiam ser acomodadas antes. Se quis até destruir o Palazzo del Sant’Offizio. A demolição apenas foi evitada pelo respeito do então Papa Paulo VI pelo Cardeal Ottaviani, o prefeito da Congregação da Fé naquela época”.

“Que existiram desenvolvimentos errados dentro e fora da liturgia, na arte sacra, é claro para qualquer um que tenha os sentidos saudáveis. Mas o Papa Bento não é um iconoclasta, por sua própria natureza ele não é. Ele não age com um trator. Ele olha para as coisas e age gentilmente, mas decididamente. Onde a continuidade ainda não alcançou sua meta, ela continuará. Dentro do clero há, é claro, alguns que não gostam de ver isso. [Mas] muitos que são mais jovens que eu, estão muito mais determinados nisso.”

Fonte: The New Liturgical Movement

Tags: