Um milhão de rosários para obter a retirada do decreto de excomunhão.

Excerto da última Carta aos Amigos e Benfeitores, publicada por S. E. R. Mons. Bernard Fellay, superior geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, em 23 de outubro de 2008:

Esse primeiro passo de Roma [a liberação da missa] em nossa direção deixava prever que o segundo ato [o levantamento do decreto das excomunhões] surgiria logo. Certos sinais pareciam indicá-lo. Mas eis que depois de por muito tempo termos proposto nosso plano de rota, parece efetivamente que Roma quis escolher outra via. Apesar do nosso pedido reiterado de retirar o decreto de excomunhão e embora pareça não haver um obstáculo essencial à realização desse ato, assistimos um golpe de teatro: o Cardeal Castrillón nos quer impor condições antes de ir mais adiante, embora digamos claramente que esperávamos um ato unilateral. Ele considera a nossa atitude ingrata para com o Soberano Pontífice, e sobretudo altiva, orgulhosa, dado que continuamos a denunciar abertamente os males que afligem a Igreja. Sobretudo a última Carta aos Amigos e Benfeitores não caiu bem. Isso valeu-nos esse ultimato do qual não chegamos a entender sempre os termos precisos. Se não aceitamos a solução canônica, nos declararão cismáticos!

As nossas tomadas de posição são interpretadas como atrasos, atrasos desejados, se põe em dúvida as nossas intenções e a nossa boa vontade de discutir realmente com Roma. Não se compreende porque não queremos uma solução canônica imediata. Para Roma, o problema da Fraternidade é resolvido por ela mesmo, as discussões doutrinais são evitadas ou adiadas. Para nós, cada dia nos traz provas suplementares da necessidade de esclarecer ao máximo as perguntas subjacentes antes de ir mais adiante numa situação canônica, que não é contudo para nós desagrado. Mas aí está uma ordem da natureza, e inverter as coisas nos colocaria inevitavelmente numa situação inviável; temos a prova todos os dias. Trata-se nem mais nem menos da nossa existência futura. Não podemos e não queremos deixar ambigüidade sobre a pergunta da aceitação do Concílio, as reformas, as novas atitudes toleradas ou favorecidas.

Diante dessas novas dificuldades, permitimo-nos recorrer de novo à vossa generosidade, e perante o sucesso da nossa primeira cruzada de rosários para obter o regresso da missa tridentina, queremos apresentar à Nossa Senhora um novo bouquet de um milhão de rosários para obter por sua intercessão a retirada do decreto de excomunhão. A partir de 1º de novembro até a festa do Natal, tomaremos ao coração rezar com um ardor renovado para que o Santo Padre, nessas horas difíceis da história, cumpra com fidelidade as suas augustas funções de acordo com o Coração de Jesus, para o bem de toda a Igreja. Somos intimamente persuadidos que tal medida por parte do Soberano Pontífice produziria efeitos tão profundos sobre o Corpo Místico como a liberdade da liturgia tradicional.

4 Comentários to “Um milhão de rosários para obter a retirada do decreto de excomunhão.”

  1. Pode contar comigo, Monsenhor Fellay..

  2. Tenho oferecido minhas orações diárias muito seguido a Dom Lefebvre e Dom Castro Mayer.
    De hoje em diante, mais ainda.

  3. Comecei ontem.

    Toda a Igreja será beneficiada por essa anulação de modo oficial por Roma, pois confirma novamente que nenhum católico é obrigado aceitar este último concílio

    Foi que tentaram dizer com essa “excomunhão” a Dom Lefevbre e Dom Castro Mayer.

    Será, com certeza, creio nisso, mais outro torpedo contra o Vaticano II.

    O primeiro foi a confirmação de Sua Santidade em afirmar que nunca foi abolido o rito de São Pio X, o Summorum Pontificum.

    Missa perseguida também (e aqueles que a defendiam) de modo totalmente injusto.

  4. Grande e dificil passo do S. Padre (para muitos anos de vida), penso na oposição dentro da cúria . Mas quem luta contra a obra de Deus é uma pessoa sem senso ,pois a vontade de Deus é sempre cumprida , ainda mais com tantas orações dirigidas a SSma. Virgem Mãe de Deus. O caminho é longo, em breve espero que toda situação canônica seja regularizada , e que o clero da fraternidade venha como um rem´dio para o restauro do corpo . D. marcel e D.Antonio descanssem em paz . deus seja louvado nos seus anjos e santos.