Summorum Pontificum no Brasil: Missa Gregoriana em Niterói (RJ).

Santa Missa em Niterói

Conforme noticiado no prestigioso sítio tradicionalista kreuz.net, atualmente, tornam-se conhecidos os bispos que levam a sério o Motu Proprio ‘Summorum Pontificum’ e reintroduzem a Missa de Sempre em suas próprias catedrais.

Desde o dia 2 de dezembro de 2007, a Missa de São Pio V vem sendo celebrada todos os domingos às 16:30h na Capela do Santíssimo Sacramento da Catedral de Niterói  com o apoio do arcebispo local, Dom Alano Maria Pena. Atendendo ao pedido de um grupo de fiéis afeiçoados à Forma Extraordinária do Rito Romano, Dom Alano havia concedido um indulto para a celebração da Missa de São Pio V em sua arquidiocese bem antes do surgimento do Motu Proprio ‘Summorum Pontificum’.

A princípio, por designação do próprio Dom Alano, a missa era habitualmente celebrada pelo Pe. Cármine Pascale (41), pároco da Igreja de São Judas Tadeu, localizada no sofisticado bairro de Icaraí. Um pouco mais tarde, ela ganhou novo impulso e vigor com a vinda do jovem Pe. Anderson Batista da Silva (28), um grande admirador da Missa de Sempre.

Pe. Anderson auxiliou outros jovens sacerdotes da arquidiocese de Niterói que desejavam aprender a celebrar o Rito Antigo. Ele afirmou que a mudança da Missa Tridentina para a Catedral de Niterói significava um passo muito importante em nível arquidiocesano, pois, além de dar mais destaque ao Rito de São Pio V, possibilitaria que mais pessoas tivessem a oportunidade de conhecê-la e amá-la.

De volta do Rio Grande do Sul, onde morou durante vários meses a fim de freqüentar um curso de formação, Pe. Anderson pede a oração dos fiéis a fim de que seus planos catequéticos para 2009 sejam abençoados por Deus e protegidos pela Virgem Maria. Esses planos incluem iniciativas para a promoção da Missa de Sempre na arquidiocese e aperfeiçoamento da vida católica dos fiéis. Durante sua ausência, a Missa Tridentina foi celebrada pelo padre Demétrio Gomes da Silva da arquidiocese de Niterói (29). Pe. Demétrio, ordenado há pouco mais de um ano, continuará celebrando a Missa na catedral quando Pe. Anderson não puder fazê-lo.

Rezemos para que todos os bispos do mundo sigam o exemplo de Dom Alano e sejam verdadeiramente obedientes ao Santo Padre. Enquanto isso, fiéis da cidade do Rio de Janeiro e de outros municípios adjacentes onde o Motu Proprio ainda não foi implementado afluem à catedral de Niterói aos domingos atraídos pela beleza e sacralidade da Missa de Sempre.