“Vês bem, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas…” (Ez. 8, 6)

Os rumores sobre o levantamento das excomunhões (ou sua declaração de nulidade) tornam-se cada vez mais críveis, nem tanto pelos boatos em si, mas sobretudo pela campanha orquestrada promovida por sabe-se lá quem para se desabonar a Fraternidade São Pio X e lançar um grande empecilho ao Papa Bento XVI, prestes a viajar para Israel.

Mal acostumados a mandar até no culto católico — o Irmão Buan, como era secretamente conhecido pelos íntimos (ou iniciados, como queiram) um ilustre liturgicista, foi o grande Arquiteto do Universo litúrgico pós-conciliar — os fariseus hodiernos rasgam suas vestes até hoje perante a ousada intromissão de Bento XVI ao determinar que os católicos rezem pela conversão destes que se dizem Filhos de Abraão.

Após sofrer o golpe da reabilitação da lex orandi católica, a Sinagoga de Satanás urge contra a possível reabilitação dos defensores da lex credendi. Tal assembléia iníqüa conta, evidentemente, com membros infiltrados na Santa Igreja. E todos eles trabalham astutamente visando um único fim, que sabemos impossível, a destruição da Igreja.

Deste ângulo é impressionamente analisar a recente polêmica criada — de maneira oportunista — em torno das declarações do Pe. Schmidberger, superior do distrito da FSSPX na Alemanha, e agora por  Dom Richard Willianson, um dos quatro bispos sagrados por Monsenhor Marcel Lefebvre e Dom Antonio de Castro Mayer.

Pe. Schmidberger, ao escrever a 27 bispos alemães, teria afirmado que “Os Judeus de nossos dias… participam da culpa de deicídio enquanto eles não se distanciam de seus antepassados pela crença na divindade de Cristo e no batismo.

Já Dom Richard Williamson, em visita à Suécia por ocasição de uma ordenação diaconal, deu declarações a um programa da televisão estatal que causaram furor. Questionado se não existiram as câmaras de gás, respondeu: “Sim, eu creio que elas não existiram“. “Dois ou três mil Judeus morreram nos campos de concentração Nazistas. Mas nenhum deles morreu por resultado do gás nas câmaras de gás”.”Se o anti-semitismo é mal, ele é contra a verdade. quando algo é verdadeiro, não é mal. Não me importa a palavra anti-semitismo”. Sem pretender adentrar no mérito da questão levantada por Dom Williamson, é forçoso reconhecer que tais declarações são absolutamente inoportunas. Aliás, a compulsão de tratar sobre eventos como 11 de setembro, catástrofes naturais  e prognósticos afins, torna Dom Williansom muitas vezes motivo de chacota por parte daqueles que seriam muito beneficiados simplesmente pela doutrina católica pura e fielmente transmitida.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Após a declaração do Pe. Schmidberger, o Conselho Central dos Judeus da Alemanha pediu aos companheiros de Sinagoga da Conferência dos Bispos Alemães que manifestassem sua desaprovação claramente. E antes mesmo da transmissão da entrevista de Dom Williamson ir ao ar — o que ocorreu hoje, dia 21 — o mesmo Conselho informou que estuda a possibilidade de processar o bispo, já que negar o holocausto é crime na Alemanha. Dom Williamson poderia parar na cadeia.

Enfim, a Diocese de Estocolmo pronunciou-se: “gostaríamos de deixar clara as diferenças entre eles [a FSSPX] e a Igreja Católica. Nós nos distanciamos completamente de todas as formas de racismo e anti-semitismo. A Igreja Católica na Suécia não tem nada a ver com a ‘cruzada’ para fazer a Suécia católica novamente, ao que reporta o programa, e não apóia isso de maneira alguma“. O Superior da FSSPX na região, Pe. Paul Morgan, rebateu: “a implicação de que a Sociedade de São Pio X é de alguma forma racista é inteiramente falsa e injusta. […] Abraçamos sem reserva a condenação do racismo, e o estúpido orgulho por detrás dele, como feita, por exemplo, na encíclica de Pio XI Mit Brennender Sorge, que trata dos erros do Nacional Socialismo. Desprezar o povo Judeu por causa de sua raça é ir contra a lei fundamental da caridade Cristã que é “amar o próximo como a si mesmo”. […] Rejeitando a idéia de uma determinação pacífica e orante de trabalhar pela conversão da Suécia, a Diocese de Estocolmo muito lamentavelmente parece demonstrar sua divergência com a missão da Igreja Católica de ‘ensinar e batizar todas as nações’, como mandado pelo próprio Nosso Senhor (Mateus 28, 19), e isso aparentemente em nome do falso ecumenismo“.

Por último, um dos envolvidos, Pe. Schmidbeger, em coletiva de imprensa convocada por conta da polêmica, afirmou que “Nosso Senhor Jesus Cristo é em sua natureza humana um Judeu, Sua Santa Mãe é uma judia e todos os Apóstolos são judeus. Portanto, nenhum cristão verdadeiro pode ser um Anti-semita”. “Não conhecemos a entrevista dada por Dom Williamson na televisão Sueca. Assim que a tivermos, a submeteremos a estudo e tomaremos conselho de advogados. É claro que o único responsável pelas afirmações feitas pelo Bispo é o próprio Bispo, da mesma maneira que aquelas afirmações não refletem as posições mantidas pela Sociedade de São Pio X. Ademais, o Papa Pio XI em sua encíclica ‘Mit Brennender Sorge’ advertiu sobre o regime Nazista ateu e seus crimes.

Como dito anteriormente, o Papa visitará Israel em breve. Até hoje a polêmica sobre a nova oração para a Sexta-Feira Santa encontra-se viva, evidentemente criada para questionar o Santo Padre em sua decisão de promover a Santa Missa Latino-Gregoriana. Embora ecumenistas tenham colocado panos quentes, os judeus até hoje esperneiam.

E como conseqüência lógica da reabilitação da Santa Missa, quando surgem notícias da reabilitação de seus maiores defensores, mais uma campanha é organizada para pressionar o Papa sob patrocínio dos Judeus e das Conferências Episcopais. Rezemos. É o derradeiro combate de Bento XVI.

Documentação completa. Links: 1, 2, 3, 4

[Errata: 22 de janeiro de 2009, às 12;42] Agradecemos pela correção que segue:

“Dei uma olhada no posting de hoje do seu blog e percebi que existe um erro na tradução da famigerada entrevista de Dom Williamson onde ele nega as mortes nas câmaras de gás. Em vez de: “Dois ou três mil Judeus morreram nos campos de concentração Nazistas.” ele falou em 200 mil ou 300 mil judeus. Ouvi o audio no sítio da kreuz.net e isso está muito claro. Depois vi a transcrição que eles fizeram sobre essa cifra.”

[Atualização: 23 de janeiro de 2009, às 15:50] Carta de Dom Bernard Fellay à televisão Sueca.

carta-de-dom-fellay

Tradução: “Por favor, permita-me que eu me apresente. Sou o Superior Geral da Sociedade de São Pio X. Fui informado de uma entrevista concedida por Dom Williamson, um membro de nossa Sociedade, à TV Sueca e programada para ser transmitida nesta noite. Apesar de ter sido entendido que a entrevista trataria apenas de assuntos religiosos, o reporter perguntou a opinião do bispo a respeito de matérias históricas. É óbvio que um bispo apenas pode falar sobre questões de fé e moral com alguma autoridade eclesiástica. Se ele lida com assuntos seculares, ele é pessoalmente responsável por suas próprias opiniões privadas. A Sociedade que eu estou governando não tem autoridade para tratar de tais assuntos, nem nunca clamará tal autoridade. Nosso único e exclusivo objetivo é a restauração da doutrina tradicional dentro da Igreja Católica. Por essa razão, somos aceitos, respeitados e estimados mundialmente. É vergonhoso usar uma entrevista sobre assuntos religioso para introduzir assuntos seculares e controversos com a óbvia intenção de adulterar e difamar as atividades de nossa Sociedade religiosa. Tal tentativa vil não alcançará seu objetivo. A Sociedade de São Pio X não renunciará sua intenção de trazer a verdadeira Fé Católica e sacramentos aos Católicos Suecos que têm direito a ambos. Menzingen, 21 de janeiro de 2009.  + Bernard Fellay”

Fonte: The Remnant

 

13 Responses to ““Vês bem, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas…” (Ez. 8, 6)”

  1. Justiça seja feita, ele deu um tiro no pé. A entrevista infeliz está no Gloria.TV. De fato, fiquei chocada ao ouvi-lo dizer que não houve mortes em câmaras de gás, pois as câmaras de gás seriam perigosas para a manutenção dos próprios nazistas encarregados de colocar os judeus lá dentro. Além disso, ele diminuiu drasticamente o número de mortes no holocausto, de milhões para uns poucos milhares. Esse bispo perdeu uma boa oportunidade de ficar calado. E, naturalmente, os que estão torcendo contra a FSSX não vão deixar barato. Logo agora que estamos todos felizes com o levanmento/nulidade das excomunhões e essa notícia vem para querer extragar a nossa alegria. Não permitamos isso! Vamos agora agradecer a Deus e rezar pelo nosso Santo Padre, para que ele tenha força e coragem de enfrentar os lobos e continuar pilotando a barca de Pedro com santidade de sabedoria.

  2. Não vi ainda a entrevista, mas a verdade deve ser dita. Os liberais e modernistas usam as palavras de Dom Willianson para de qualquer maneira perseguir a FSSPX, acusando-a de radical, nazista, etc, como fazem seitas da “tradição” no Brasil.

    Não é possível fazer como algumas seitas e gurus da “tradição”, para os quais os fins justificam os meios, que preferem o silêncio dos covardes e não apontam o erro para passar a imagem e a boa reputação de alinhamento com o pensamento contemporâneo.

    Bravo Dom Willianson! Com a verdade não se transige!

  3. Note-se, realmente, que houve uma maliciosa cilada armada pela seita dos judeus por conta da indiferença do Papa ao pedido deles sobre a oração na Semana Santa. E nada “melhor” que atacar agora os tradicionalistas.

    Daí o porquê que, na antiga oração da Sexta-Feira Santa, antes da reforma orgânica litúrgica promovida por João XXIII, dizia-se: “rezemos pelos pérfidos judeus”.

    O ódio deles, por conta disso acima, creio eu, promete mais…

  4. Com meu deficiente inglês, acompanhei a entrevista de Sua Excelência Dom Willianson, do qual, manifesto profunda admiração por sua eloquência e sabedoria. Ao mesmo tempo que me parece uma teoria fundamentada, paralelamente se torna um pouco equivocada a respeito da história, pelo o pouco que entendi. Entretanto não posso evidentemente fazer maiores juízos acerca da polêmica entrevista. Espero que alguém de boa fé traduza importante relato.

    A questão é que, seja lá o que tenha dito Dom Willianson, nele não se pode esperar a infabilidade papal. Dom Willianson, como todo mundo, tem lá suas convicções teóricas acerca da politica e da sociedade, só não pode haver teorias ou convicções teóricas, na religião (é claro, da verdadeira religião), quando notoriamente não se há aval da Igreja, isto é, da verdade que ainda não foi confirmada por santos bispos, padres, teólogos e o Papa.

    Não se pode esperar que Dom Willianson, coloque proposições tomistas, pró e contras, para definir uma verdade acerca de uma análise pessoal da história, que sabemos ser tão deturpada e manipulada pelos os mandatários da imprensa e dos escritores, com a conivência dos governos.

    Qualquer depoimento, qualquer letra pronunciada de forma ambigua pode ser usada contra a FSSPX e os tradicionalistas de um modo geral. É preciso estarmos vigilantes, mas confiantes. Nada vai impedir o que Deus quer, e o que Deus quer é essa anulação desse decreto injusto. Rezemos irmãos, rezemos!

  5. Caro G. M. Ferreti,

    Talvez a teoria de Dom Willianson não seja tão equivocada quanto pensei, veja:

    http://br.youtube.com/watch?v=z3JSIeDjYnI&feature=related

    http://br.youtube.com/watch?v=WecJGlm089Q

    http://br.youtube.com/watch?v=FakQGfW33VA&feature=related

    http://br.youtube.com/watch?v=onVZmSmIkOc&feature=related

    Depois, gostaria de saber o que pensa sobre isso.

    Regina Pacis, ora pro nobis!

  6. E eles acharam que Dom Fellay iria penalizar ou censurar Dom Willianson..rsrsrs, quebraram a cara!

    Boa Dom Fellay, é assim nós católicos devemos reagir, com a verdade!

  7. Dom Willianson foi infeliz. O repórter passou ao bispo que era uma entrevista sobre a Tradição da Igreja Católica, porém mudou o rumo sobre pontos de vista do mesmo, sabendo que ele é a figura mais polêmica para a mídia secular e progressista na Igreja. E aí, como vimos, foi aquele escândalo…

    Porém, a maior infelicidade, ainda hoje, é mais da própria mídia européia. Seria justo que ela divulgasse também o horror de milhares de russos presos, torturados, massacrados, e lançados vivos em câmeras de gás – Alemanha nazista era grande colaboradora e amiga do regime Soviético – por conta da revolução comunista.

    Mas, como se sabe por poucos europeus e o restante do mundo, culpa desta mídia atual, a fim dos mesmos que fazem a impressa não perderem, nas suas casas, a distribuição de gás natural vinda, principalmente, da Rússia…

  8. Toda semana tem artigos e reportagens na mídia em geral sobre o holocausto. Por que todo mundo deve seguir a orientação geral da mídia e bajular os judeus? As pessoas têm o direito de ter opiniões diferentes, ainda mais quando baseadas em evidência históricas. Nesse aspecto, Dom Willianson foi muito feliz, pois não se deixou abalar pela pressão da mídia que sempre vitima os judeus em tudo. Mas o que Monsenhor disse é uma opinião pessoal, ninguém é obrigado a aceitar.

  9. QUE COISA INTERESSANTE A DECLARAÇAO DA DIOCESE DE ESTOCOLMO; “Igreja Católica na Suécia não tem nada a ver com a ‘cruzada’ para fazer a Suécia católica novamente”. O QUE OS PADRES DE LÁ FAZEM?

  10. Olhem o que o Papa diz:

    “No campo de Auschwitz-Birkenau, como noutros campos semelhantes, Hitler fez exterminar mais de seis milhões de judeus. Em Auschwitz-Birkenau também morreram cerca de 150 mil polacos e dezenas de milhares de homens e mulheres de outras nacionalidades.”

    FONTE: Dia da Memória: Bento XVI na Shoa
    00:02:04, 27/01/2009
    http://budurl.com/7q6y

    Mas a infalibilidade é para assuntos de Fé e Moral… também não compete ao Santo Padre esses assuntos.

Trackbacks