O problema é doutrinal – Editorial do Abbé Alain Lorans para DICI.

A questão é doutrinal

Abbé Alain LoransAs duas semanas que estão por concluir ofereceram abundantes notícias. O decreto de 21 de janeiro de 2009 e a campanha de imprensa suscitada pelas declarações de Mons. Williamson à televisão sueca deverão ser analisadas mais amplamente, mais serenamente.

Agora propomos neste número especial algumas idéias úteis que serão completadas em nossas próximas publicações.

As questões doutrinais que deverão de agora em diante ser o objeto de “discussões necessárias”, entre a Fraternidade São Pio X e a Santa Sé, segundo os termos do decreto de 21 de janeiro de 2009, são fundamentais. O semanário La Vie, publicado na semana da publicação do decreto, reporta as palavras de um dominicano que mostraram as necessidades  dessas discussões.

O Pe. Claude Geffré, muito empenhado no diálogo interreligioso, declara francamente: “É verdade que os textos (do concílio, N da R) são freqüentemente ambíguos. Com efeito, para chegar à maior unanimidade dos padres conciliares na hora dos votos, chegou a se justapor o ponto de vista de uma minoria irredutível (tradicional, N da R) e a de uma esmagadora maioria (progressista, N da R)”. A justaposição dos pontos de vista, um “irredutível” e outro “esmagador”, não se poderia dizer melhor.

Abbé Alain Lorans

Tradução a partir de Secretum Meum Mihi. Original em DICI.