Vaticano II como Super-Dogma: diálogo até com o Demônio, menos com a FSSPX.

A Conferência dos Bispos Alemães não vê outras necessidades para um diálogo com a SSPX, que não é reconhecida pelo Vaticano. O diálogo com os tradicionalistas era em primeira instância uma matéria para o Vaticano, disse quando questionado o porta voz da Conferência dos Bispos, Matthias Kopp, na sexta-feira. Antes, o Superior do Distrito Alemão da SSPX, Franz Schmidberger, disse numa carta aberta que ele quer entrar num “sólido diálogo” com os bispos. O tema não deveria ser apenas as decisões do Concílio Vaticano Segundo, mas também os desenvolvimentos religiosos nos anos desde então. Kopp disse que “cartas abertas — tais como essas do Sr. Schmidberger (Cathcon — esse tal de Kopp reduz Pe. Schmidberger a um leigo — grosseiramente descortês) geralmente não serão respondidas por nós”. O debate sobre a SSPX, entretanto, será certamente um assunto no encontro de primavera da Conferência dos Bispos Alemães em Hamburgo.

A SSPX sugeriu encontrar um ou dois teólogos sérios. Talvez não pôde ser encontrado nenhum sério o suficiente já que é tempo de carnaval ou talvez eles não puderam encontrar nenhum teólogo. De qualquer forma, outro caso de critério duplo que foi adotado pelos críticos do Papa.

Fonte: Catholic Church Conservation

5 Comentários to “Vaticano II como Super-Dogma: diálogo até com o Demônio, menos com a FSSPX.”

  1. Esses importantes senhores só estão interessados em questões mundanas, problemas políticos, econômicos etc. Aquecimento global, certamente, isto certamente lhes chama atenção. Questões doutrinárias? Que significa isto? Verdade? Que é a Verdade?
    Cegos e guias de cegos. Pobre gente! Por desgraça, pensam que têm ainda uma autoridade sobre as consciências. Em nome de quem querem exercer tal autoridade pergunto eu.
    Pe.João Batista de Almeida Prado Ferraz Costa

  2. Reverendissimo padre Joao,

    Corretissimo!

    Essa atitude da conferencia dos bispos Alemaes e completamente anti-catolica. Uma vergonha! Nao e atoa que Igreja hoje passa por uma crise nunca vista antes. Aqueles que eram para defender e dar testemunho da fe se acovardam e por nao conhece-la ou nega-la nao podem defende-la. Sao Pedro, o primeiro apostolo ja nos ensinava: “Portanto, não temais as suas ameaças e não vos turbeis. Antes santificai em vossos corações Cristo, o Senhor. ESTAI SEMPRE PROTNOS A RESPONDER PARA VOSSA DEFESA A TODO AQUELE QUE VOS PEDIR RAZÃO DE VOSSA ESPERANÇA, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (I Pd 3, 15)

    Como bem disse Dom Fellay na conferencia a alguns dias atras: “Quando se vê a maneira como os bispos trataram o Papa nesses dias, a gente se pergunta quem está em comunhão…” Ora, se eles estao maltratando ate o Santo Padre, que dira os bispos e padres da FSSPX.

  3. Padre, sua abenção.

    o senhor lembrou bem sobre os fiéis.

    Realmente, como o senhor escreveu bem, isso demonstra o reflexo do povo católico de hoje sem pastor: relativista, sem princípios e ignorante.

    Estes bispos da era conciliar (a grande maioria)ofuscaram os dogmas, a catequese, a moral, os novíssimos, enfim, tudo para o bem da alma.

    Aí daquele que não tem um padre tradicional por perto para orientar a vida dele para ser e permanecer católico.

    Padre, às vezes, penso o que seria de mim e de outros se não tivessem uma linha da Internet…

  4. Revmo. Pe. João Batista de Almeida Prado Ferraz Costa,

    enfim, um padre de CORAGEM!

    Faço minhas suas palavras:
    “Por desgraça, pensam que têm ainda uma autoridade sobre as consciências. Em nome de quem querem exercer tal autoridade pergunto eu.”

    Eu talvez dissesse: “Pensam que têm ainda QUALQUER

    Conte, a partir de agora com minhas orações diárias.

    Rudolpho Wagner Filho.
    Grupo de Oração e Estudo Santa Maria da Vitória.
    Maceió – AL.

  5. complementando: “… QUALQUER autoridade sobre as consciências”,