4º aniversário de falecimento do Papa João Paulo II.

Cardeal Wojtyla

“Vigiai, porque não sabeis em que dia o Senhor virá” (cf. Mt 24, 42) estas palavras recordam-me a última chamada, que acontecerá no momento em que o Senhor vier. Desejo segui-lo e desejo que tudo o que faz parte da minha vida terrena me prepare para este momento. Não sei quando ele virá, mas como tudo, também deponho esse momento nas mãos da Mãe do meu Mestre: Totus Tuus. Nas mesmas mãos maternas deixo tudo e Todos aqueles com os quais a minha vida e a minha vocação me pôs em contacto. Nestas Mãos deixo sobretudo a Igreja, e também a minha Nação e toda a humanidade. A todos agradeço. A todos peço perdão. Peço também a oração, para que a Misericórdia de Deus se mostre maior que a minha debilidade e indignidade.

Do Testamento de João Paulo II

Tags:

3 Comentários to “4º aniversário de falecimento do Papa João Paulo II.”

  1. Temos aí o retrato de um dos homens mais importantes da História do Século XX, pois muito auxiliou na queda do comunismo… carismático, midiático e dono de uma voz marcante e de um talento nato!

    O equívoco dele foi não ter percebido as mazelas do CVII, muito pelo contrário, no início de seu pontificado ele as favoreceu (como no faigerado “Encontro de Assis”) e lamentavelmente, parece que jogava para baixo do tapete a grande crise que assolava e ainda assola de forma terrível a Barca de Pedro. Liturgicamente, seu pontificado foi um caos, um desastre sem precedentes, mas sua vida e atividade pelo mundo foram marcantes para todos nós…

    Agora Ratzinger, gloriosamente reinante como Bento XVI, comanda a Igreja e esperamos dias melhores, apesar da ferrenha oposição que sofre em seu intento de arrumar a casa, mas sabemos que, no final, o Imaculado Coração da Santíssima Virgem triunfará!

  2. Eu já postei isso em outro blog:

    O pontificado do Papa João Paulo II começou de um jeito e terminou de outro. Em 1978, mais jovem e com mais saúde discursou, logo à sua eleição, propondo aprofundar a pastoral do CVII. Nos últimos anos, vendo a nau de Pedro quase por afundar sendo atacada por todos os lados e a humanidade decaindo em todas as depravações doutrinárias e morais (alguém falava em “casamento homossexual” e legalização do aborto em sua época?), tentou restaurar a Igreja á Santa Cruz, Santa Eucaristia, a Nossa Senhora e, principalmente a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas já muito idoso e doente, se ele tinha planos de fazer o que o Papa Bento XVI está fazendo, a morte interrompeu esses planos. Tenho muito respeito pelo Papa João Paulo II e, as misérias de sua saúde era um verdadeiro apostolado pela penitência e pela cruz: lembro-me que nos últimos dias de seu pontificado na tentativa de falar com o povo de Roma do Palácio Apostólico, não saía um som de seus lábios devido à saúde extremamente debilitada. As imagens de seus últimos dias mostrava-me um Sumo Pontífice decepcionado e cansado com a prevaricação do homem e, principalmente, com o clero, do qual fazia parte, e, pior, talvez ele até tenha reconhecido ser o grande responsável pela crise da Igreja nas décadas de 80/90. Cristo deu-lhe suas cruzes, desde a saúde, passando pelo clero insurbodinado até a humanidade apodrecida. E todos, sabem que Deus nunca concede uma cruz tão pesada que não se possa carregar. O Papa João Paulo II carregou a sua. Sinceramente, até acredito que ele tenha se salvado, que seja santo pela sua penitência e arrependimento. Que Nossa Senhora o acolha na Paz Eterna de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Não há paz sem justiça, não há justiça sem perdão.” (Papa João Paulo II). Que Deus tenha lhe dado a Graça do Arrependimento e do Perdão.

  3. Ouvimos durante seu pontificado:

    “João Paulo Segundo
    Te ama todo o mundo!”

    Rezemos por sua alma.

    Pedro.