Rumores: Motu Proprio de Bento XVI sobre Comissão Ecclesia Dei. Dom Ranjith para Colombo. Preparam as discussões doutrinais.

Nas próximas semanas será publicado um Motu Proprio de Bento XVI que fará a Comissão Ecclesia Dei… um organismo da Congregação para a Doutrina da Fé. Papa Ratzinger já tinha anunciado isso em março passado, numa carta enviada para todos os bispos do mundo dedicada ao caso Williamson e à revogação da excomunhão dos prelados consagrados por Lefebvre. No próximo 4 de julho Dario Castrillón Hoyos, atual Presidente da Ecclesia Dei, completará 80 anos de idade e deixará seu posto por motivos de idade. A Comissão será então presidida pelo Prefeito do ex-Santo Ofício, o americano Cardeal William Joseph Levada. O Vice-Presidente Mons. Perl irá permanecer em seu cargo enquanto será nomeado um novo Secretário para substituir o [recentemente] falecido Mons. Mario Marini. Exatamente nesta manhã, a agência francesa I.Media revelou que na reunião da “feria quarta” os cardeais membros da Congregação para Doutrina da Fé reuniram uma primeira plataforma para o início do diálogo com os Lefebvristas… Enquanto isso, como Il Giornale antecipou há poucos dias, neste Sábado deve ser anunciada a nomeação do Secretário da Congregação para a Culto Divino [Arcebispo] Malcom Ranjith Patabendige Don como Arcebispo de Colombom. Em seu lugar será designado o atual subsecretário do ex-Santo Ofício, o dominicano Di Noia.

Andrea Tornielli, via WDTPRS

[Atualização – 10 de junho de 2009, às 15:05] – Excerto de notícia de I.Media publicada também em WDTPRS, desta vez via Rorate-Caeli.

[…] Segundo a agência francesa I.Media, os cardeais do ex-Santo Ofício — a quem o Papa Ratzinger confiou o diálogo com os Lefebvristas em vista de sua eventual reinstalação, no futuro, na estrutura da Igreja — discutiram um texto “redigido para esclarecer os parâmetros do diálogo doutrinal com a Fraternidade”. Este diálogo deve começar com a necessidade “de aceitar o Concílio Vaticano Segundo e o Magistério do Papa” subsequente ao Concílio.

Conforme I.Media, o superior dos lefebvristas, [bispo] Bernard Fellay, foi recebido na Congregação para a Doutrina da Fé no último dia 5 de junho e, mesmo que não tenha sido identificado o “time” com o qual os dois lados conduzirão o diálogo, é provável que tomem parte o dominicano suíço pe. Charles Morerod, o novo secretário da Comissão Teológica Internacional e, da parte dos lefebvristas, padre Gregoire Celier, co-autor de um recente livro sobre Bento XVI.

Entretanto, enquanto o diálogo “doutrinal” com o Vaticano dá seus primeiros passos, os lefebvristas decidiram desafiar novamente a autoridade do Papa, anunciando a ordenação de ao menos 21 novos padres em três partes do mundo.

4 Comentários to “Rumores: Motu Proprio de Bento XVI sobre Comissão Ecclesia Dei. Dom Ranjith para Colombo. Preparam as discussões doutrinais.”

  1. William Levada no lugar de D. Hoyos… D. Ranjith no Sri Lanka, terra cujos prelados tradicionalmente não chegam ao cardinalato.

    Eu não entendo. Se a Providência quer usar este meio para revelar o seu poder, isso sim é miraculoso, porque humanamente são dois grandes absurdos!

    Se a FSSPX já é reticente como estamos, como ousará dar um passo à frente com um cenário aparentemente instável e com essas sombras negras se aproximando?

    O que acontece na Santa Sé?

  2. Bruno

    É possivel, num futuro não muito distante, que também Dom Levada deixe o posto, “por motivos de saúde”. Mas quem no atual colégio tem poder, erudição e ortodoxia para comandar a CDF? Francis George ou George Pell, talvez…
    A movimentação de dom Ranjith é boa para a Asia, mas ruim para a Igreja Universal, sem dúvida. Com a aposentadoria do Cardeal Zen, a Asia perdeu a única voz fidelissima ao Pontifice, por isso é importante enviar alguem que ocupe com dignidade o “vacuo”. E dom Ranjith pode sim ser elevado ao cardinalato, e é provavel que o seja, já que se torna arcebispo da Sé mais importante do local e foi um intenso colaborador de Bento XVI – foi um dos primeiros nomes a integrar a equipe beneditina. Certamente Joseph Ratzinger não deixará de homenagear o arcebispo.
    Realmente parece uma “derrota” para aqueles que querem ver, um dia, escrito “Dom Bernard Fellay – Bispo Titular de…”. Mas sabemos que não é. Embora Dom Levada não seja o melhor amigo da FSSPX, as discussões não acontecerão somente entre dois interlocutores, mas entre uma equipe formada por padres e religiosos, além de membros dos diversos dicastérios e mesmo fora do Vaticano. Bento XVI vai nomear gente de peso, que sabe o que faz.
    Mas é uma pena essa fusão porque a Ecclesia Dei, penso eu, deixará de atender as reclamações dos tradicionalistas do mundo todo quando, p.e., um bispo proibe a missa. E agora, quem poderá nos defender?

  3. Pois é caríssimo Danilo, mas penso que S. S. Bento XVI pode encontrar esse “Chapolin Colorado” para nos defender das mãos dos lobos.

  4. Não compreendo as jogadas nesse curioso tabuleiro de xadrez da Santa Sé. Espero que, apesar das incoerências, ainda reste uma luz no fim do túnel.