Dom Ranjith: “Sinceramente não me arrependo do que disse. A história e o Senhor me julgarão”.

Excertos de entrevista concedida por Dom Albert Malcolm Ranjith Patabendige Don, novo arcebispo de Colombo, Sri Lanka, à Avvenire, de 5 de agosto de 2009, que nos chega via Papa Ratzinger blog:

Excelência, após três anos e meio o senhor deixa seu cargo de secretário da Congregação para o Culto Divino…

Dom Ranjith

Permaneço profundamente grato ao Papa por ter me chamado a Roma para colaborar com ele num campo crucial como o da liturgia. Nestes anos tive a alegria de poder viver de maneira próxima à ação do Papa e sua insistência na renovação da Igreja, intimamente ligada à renovação da vida litúrgica.

Como se encontrava seu trabalho na Congregação?

Tive a oportunidade de trabalhar com dois cardeais – Francis Arinze primeiro e Antonio Cañizares Llovera por alguns meses – realmente à altura da situação. Procurei nestes poucos anos assegurar que houvesse mais debates e reflexões sobre aqueles aspectos da liturgia que infelizmente têm sido relegados às margens, mas que de fato pertencem ao essencial, como também indicados nos diversos escritos do Papa na matéria. Quanto diz respeito ao futuro, bem, estou certo de que com o Cardeal Canizares a liturgia da Igreja está verdadeiramente em boas mãos.

E na Cúria Romana?

Como todos sabem, passei oito anos a serviço da Santa Sé. Esta experiência me enriqueceu muito, expandindo os horizontes e me fazendo saborear o mistério daquela íntima ligação entre a Igreja e a Senhor e Sua ação santificadora por meio dela, freqüentemente no silêncio, com paciência e, apesar das dificuldades, obstáculos e diferenças de visões humanas que submergem até mesmo os seus discípulos.

O senhor não se arrependeu de algumas declarações feitas no passado e que foram vistas como muito críticas com relação à situação atual da vida litúrgica da Igreja e muito positivas para com o mundo tradicionalista ligado aos chamados ritos pré-conciliares?

Talvez algumas vezes tenha usado tons um pouco fortes, mas sinceramente não me arrependo do que disse. A história e o Senhor me julgarão.

O Revmo. Pe. Clécio oferece a íntegra da entrevista traduzida em seu blog Oblatvs.

6 Comentários to “Dom Ranjith: “Sinceramente não me arrependo do que disse. A história e o Senhor me julgarão”.”

  1. Ferreti,

    Mal acabara de traduzir e publicar a entrevista de Don Ranjith, visitei seu blog e deparei-me com o excertos da mesma.

    Se quiser indicá-la, a tem inteira em OBLATVS.

    Pe. Clécio

  2. Eis um prelado que muita falta há de fazer na restauração litúrgica! Praza à Deus que ele receba, futuramente, o capelo cardinalício! Dom Ranjith trabalhou incansavelmente ao lado do Santo Padre e, certamente, despertou ódio entre os inimigos da restauração da liturgia, mas também despertou a admiração de muitos. Deus lhe acrescente muitos anos!

  3. Algo imprevisível ocorreu na posse de Dom Ranjith em Colombo: abusos litúrgicos! :-(

    http://shoutsinthepiazza.blogspot.com/2009/08/that-was-then-this-is-now.html

  4. Fãs de Madonna fazem festa em igreja na Estônia

    Da EFE
    Tamanho da letra
    A- A+
    Moscou, 6 ago (EFE).- Fãs de Madonna montaram uma festa em uma igreja em Tallinn na terça-feira à noite, após o show da cantora americana na capital da Estônia, informou hoje o jornal “Eesti Päevaleht”.

    Testemunhas que estavam nas imediações disseram ter ouvido música procedente de dentro ou do pátio da igreja de Pühavaimu, na parte antiga da cidade, e afirmaram ter reconhecido vários famosos entre os presentes.

    Segundo os que estiveram na festa, o público teve livre acesso ao altar móvel, feito em 1483 pelo pintor e escultor alemão Bernt Notke.

    A igreja possui também uma série de obras de arte únicas, como quadros.

    O jornal se dirigiu à administradora de Pühavaimu, que, em um primeiro momento, não pôde confirmar se houve uma festa na igreja e, em tal caso, de que tipo de realização se tratou.

    No entanto, depois enviou uma carta ao jornal, na qual confirmou que, na noite da terça-feira, um grupo de desconhecidos teve acesso sem permissão à igreja.

    O show de Madonna, o primeiro da diva do pop em um país báltico, reuniu no último dia 4, na capital da Estônia, mais de 70 mil pessoas. EFE

    Fonte: Site G1

    (Estou chocado meu amigo Ferretti)

  5. Acredito que no futuro a restauração da liturgia vai acontecer, mas ainda iremos sofrer muito porque vai demorar!