Em Lima, não à Comunhão na mão.

O Arcebispo de Lima não prega apenas contra a inconveniência da Comunhão na mão. Ele corta o mal pela raiz.

Mesas da comunhão na catedral de Lima

Mesas da comunhão na catedral de Lima

(Kreuz.net, Lima) Na catedral de Lima, no Peru, os fiéis podem receber a Comunhão somente de joelhos e na boca. Dois genuflexórios são colocados na frente do altar para a distribuição da Comunhão.

O Arcebispo do Peru, Cardeal Juan Luis Cipriani Thorne, deseja fazer de Lima uma “cidade eucarística”. Antes de sua nomeação ao episcopado, o Cardeal era padre da prelazia pessoal Opus Dei.

O Cardeal Cipriani também exortou os fiéis a visitarem o Santíssimo em uma das setenta capelas de Adoração da cidade. Em seu sermão de domingo ele disse: “A forma mais respeitosa de receber a Comunhão é de joelhos e na boca.” O texto do sermão está publicado no sitio da Arquidiocese.

O Príncipe da Igreja enfatiza que “se trata de nossas almas”: “Precisamos redescobrir o sentido de respeito e reverência perante a Eucaristia porque o amor a Jesus está no centro de nossa vida cristã.”

Cada vez mais contra a Comunhão na mão

Já em agosto o Cardeal Cipriani pregou sobre a maneira de receber a Comunhão: “Vamos usar as patenas.” Assim, se evita que partículas da Comunhão caiam no chão: “Recebemos a Comunhão sobre a língua. Assim, evitamos que as nossas mãos sujas toquem o Corpo de Cristo.” Os sacerdotes não deveriam distribuir o Corpo de Cristo como quaisquer impressos de papel.