Proibição dos minaretes na Suíça: “um duro golpe para a liberdade religiosa”.

Cidade do Vaticano, 29 de novembro de 2009 (AFP) – “Os bispos não estão contentes” com o resultado do referendo que proíbe a construção de minaretes [ndt: torre de mesquita da qual são anunciadas as chamadas diárias à oração] na Suíça, declarou no domingo o secretário geral da conferência episcopal suíça, qualificando o resultado de “duro golpe para a liberdade religiosa e a integração”.

“O concílio Vaticano II diz claramente que é lícito a todas as religiões construir edifícios religiosos, e os minaretes são edifícios religiosos. É um duro golpe para a integração de todos os que vêm à Suíça”, declarou Mons. Felix Gmür numa entrevista à Radio Vaticano.

“As pessoas têm medo dos que vêm de longe, daqueles que elas não compreendem” e depois “houve também uma propaganda bastante dura”, resultando que “as pessoas têm medo e se fecham sobre si mesmas”, explicou.

Os suíços decidiram no domingo num referendo por grande maioria (57,5% dos eleitores) proibir a construção de minaretes.

Fonte: La Croix

* * *

A decadência do episcopado suíço: segundo o diário Le Matin, o recém eleito presidente da conferência episcopal, Mons. Norbert Brunner, “gostaria de ordenar homens casados padres”. Ele considera que o episcopado suíço seja “bastante unânime” ao compartilhar sua posição.

* * *

Vaticano: ‹‹ Para a Santa Sé, o ato foi “um duro golpe à liberdade religiosa e à integração”. “Dom Antonio Maria Vegliò, do Pontifício Conselho de Pastoral para os imigrantes, teme que a atitude leve a conflitos religiosos e seja imitado por outras nações européia” ››. As informações são do blog Per fas et per nefas.

19 Comentários to “Proibição dos minaretes na Suíça: “um duro golpe para a liberdade religiosa”.”

  1. É uma boa resposta aos sequazes de maomé, que queriam proibir o crucifixo na Itália.

  2. Defender que ninguém seja forçado a aderir a Cristo é muito diferente de incentivar e desejar a proliferação de uma religião que coloca o pro pio Cristo abaixo de Maomé ou qualquer outra entidade. Tolerar que outros pratiquem sua religião porem empenhar-se em converte-los mais pelo exemplo e também pela pregação, que muitas vezes, foi confirmada com grandes milagres, esta é a utentica psotura do cristianismo e é a doutrina de sempre da Igreja.

  3. Caríssimos,
    O debate deve ser aprofundado. Nons Felix afirma que o Concílio Vaticano II diz claramente que é lícito a todas as religiões construir edifícios religiosos. Ora Mons De Smedt, quem confeccionou o texto da liberdade religiosa afirma que o Concílio se referia ao foro intimo e aimunidade de coação. D. Lefebvre, sempre disse que não.
    Parece que Mons Felix dá a interpretação que D. Lefebvre afirmava estar em oposição com o magisterio anterior.
    Por favor, ajudem-me no debate.

  4. Isso que só proibiram minaretes.

    Se tivessem proibido as torres das igrejas, capaz dos bispos aplaudirem. Sino é coisa cafona, doutro tempo, coisa de tradicionalista fanático…

  5. Mas de quem partiu esta proibição?
    Deve-se se ver isto.
    Concordo plenamente que a Igreja Católica é a verdeira religião.
    Mas se esta decisão partiu de ateus?
    E se o próximo fosse o catolicismo?

  6. Francisco,
    brilhante !!!

  7. Quando os leigos defendem a fé no lugar daqueles que deveriam salvaguardá-la…
    Estamos diante de uma franca e total demissão de autoridade: o clero está se auto restringindo na sua tarefa de governar para a maior glória de Deus e o reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo!
    Na esteira do CV-II vemos que a liberdade – sacrosanto valor liberal – é o altar onde serão imolados esses mesmos sacerdotes ao deus-democracia…
    Hoje em dia é perfeitamente normal vermos o clero – e muitos leigos acéfalos em cortejo – marchar com empáfia e garbo para o suicídio; além, é claro, de achar que isso é a mais perfeita expressão das “melhores intenções”…
    Sabemos o quanto o Inferno está cheio desses tipos.

  8. “O concílio Vaticano II diz claramente que é lícito a todas as religiões construir edifícios religiosos, e os minaretes são edifícios religiosos. É um duro golpe para a integração de todos os que vêm à Suíça”, declarou Mons. Felix Gmür numa entrevista à Radio Vaticano.

    E depois tem gente que reclama do por que dos católicos de verdade criticarem esse Concílio estranho!

    Afinal: De que lado os defendsores do Concílio Vaticano II estão: Eles estão do lado De Cristo Rei ou do lado do diabo?

    O Mons. Felix Gmür respondeu de que lado eles estão!

  9. Duro golpe para o islã que quer destruir a Europa cristã que sirva de exemplo aos demais paises.

  10. É uma boa resposta aos sequazes de maomé, que queriam proibir o crucifixo na Itália. (2)

  11. Coisa semelhante ocorre na nossa vizinha Colômbia: Álvaro Uribe foi apontado como o presidente mais católico da América Latina e, curiosamente, a conferência episcopal daquele país está contra ele!

    Quanto à Suíça, é impressionante a atitude de RECIPROCIDADE para com os países árabes, onde quem for surpreendido carregando um rosário é preso. Na Arábia Saudita e no Quatar as igrejas cristãs não têm direito de erigir templos, e os serviços religiosos são feitos em apartamentos ou nas residências de fiéis. A Suíça talvez tenha sido contagiada pelo “efeito Itália”, que deixou a União Européia despeitada ao reafirmar com coragem a fé e a tradição, raízes de um povo.

    Os bispos suíços devotos do “espírito do Concílio” fizeram muxoxo. Não é de se admirar que a Igreja da Suíça (ligada ao Papa por laços de jurisdição, mas não por laços de doutrina) esteja clinicamente MORTA http://igrejauna.blogspot.com/2008/03/situao-difcil-na-sua.html, enquanto que a FSSPX (ainda não ligada ao Papa por jurisdição, mas unida a ele pela fidelidade à doutrina católica) esteja em franco crescimento por lá e por toda a Europa.

  12. A ironia disso tudo é que esses bispos que lamentam a proibição dos minaretes na Suíça não estão fazendo nada para a construção de igrejas católicas nos países islâmicos.

    Então, que liberdade religiosa é essa que eles tanto apregoam? Como lamentar a falta dos minaretes nos países cristãos e ficar calado em face da perseguição de cristãos nos países islâmicos?

    Esses bispos fariam melhor se mantivessem o bico calado.

  13. Caro Pedro Pelógia,

    Concordo com o que você falou. Contudo, gostaria apenas de fazer uma pequena correção. Recentemente foi inaugurada uma igreja católica no Qatar. Ela é horrorosa por fora, sem nenhuma cruz ou referência cristã, mas tem autorização governamental para a celebração de missas. A liturgia é no estilo carismático, mas considerando as condições de extrema perseguição, creio que podemos dizer que é uma grande conquista. Pessoas de outros países vizinhos estão fazendo peregrinações para o Qatar por causa dessa igreja.

    Veja:

    http://www.gloria.tv/?media=4151

  14. Maria: a igreja no Qatar não possui adornos externos porque estes são proibidos pelo governo islâmico. São símbolos cristãos. A Suíça tão somente acertou os ponteiros com o mundo árabe.

    Nem a Cruz Vermelha (instituição suíça) tem o direito de ostendar seu Logotipo maior – a Cruz – nos países islâmicos. Lá usam a “meia-lua vermelha”.

    Por aqui não se constroem mais igrejas própriamente ditas, mas “barracões” para a celebração dos santos mistérios. Mas no Brasil a perseguição aos símbolos religiosos vem das próprias autoridades religiosas.

  15. Congratulo-me vivamente com o povo suiço pela vitória do catolicismo sobre os infiéis no último referendo. Grande sinal de esperança. A Suiça de São Nicolau, a Suiça onde Mons. Lefebvre, apóstolo do Reinado Social de N. S. Jesus Cristo no século XX, fundou o seminário de Ecône, seminário da esperança, está de parabéns! Mons. Lefevre está exultante no céu! Meus cumprimentos aos meus amigos da Suiça!
    Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

  16. Reverendíssimo Padre João Batista,

    Certa vez, não faz muito tempo, um político italiano, cujo nome não ser pertinente citar, exortou S.S. Papa Bento XVI a convocar uma Cruzada contra o mundo árabe.
    Pois eu faço mesmo, está na hora de convocar um Cruzada contra esses demônios sequazes de Maomé. Todavia, essa Cruzada tem que se iniciar dentro da Europa, dentro da Igreja. É inadmissível que existam Bispos a aplaudir esse maldito ecumenismo irenista!!!!!! Esses traidores, são primeiros a serem combatidos. São as “cloacas de impurezas” de quem Nossa Senhora falou em La Salete.

  17. Prezados(as),

    Salve Maria puríssima!

    Sr. Rogério, poderia ser mais explícito no que disse sobre “cruzada contra os maometanos”?
    Eu realmente fiquei em dúvida, e estando nesta situação, prefiro não comentar nada sem entender.
    Como isso seria? Estamos falando de posicionamento ou de armas? Discursos, testemunhos e ações da igreja ou de batalhas?

    Grato pela disposição,
    Ad Majorem Dei Gloriam,

    RVGarcia

  18. Os leigos estão tomando o lugar daqueles que deveriam defender a fé. Parabéns ao povo Suiço pela coragem!

  19. PROTESTANTISMO+ISLAMISMO+ATEISMO= SATANAS.