Cardeal tcheco adverte: os muçulmanos estão conquistando a Europa .

Numa exposição de presépios, igreja suíça mostra Menino Jesus cercado por minaretes, em protesto contra a proibição imposta na Suíça às torres que anunciam as orações dos muçulmanos.

Numa exposição de presépios natalinos, igreja suíça mostra Menino Jesus cercado por minaretes, em protesto contra a decisão do país, por referendo popular, de proibir a construção de torres que anunciem as orações muçulmanas.

(Catholic Culture) O Cardeal Miloslav Vlk, que atua como Arcebispo de Praga desde 1991, advertiu em uma entrevista que “se a Europa não mudar a sua atitude em relação às suas próprias raízes, ela será islamizada.”

“A Europa tem negado as suas raízes cristãs das quais teve origem e que pode dar-lhe forças para se defender do perigo de ser conquistada pelos muçulmanos, que, na realidade, já vem acontecendo gradualmente,” disse o prelado. Os muçulmanos “preenchem facilmente o espaço vago criado, uma vez que os europeus esvaziam sistematicamente o conteúdo cristão de suas vidas.”

“Ao final da Idade Média e no início da idade moderna, o Islã deixou de conquistar a Europa com armas. Naquela época os cristãos os venceram”, acrescentou. “Hoje em dia, quando a luta é feita com armas espirituais, de que a Europa carece, ao passo que os muçulmanos estão perfeitamente armados, a queda da Europa está se aproximando.”

Ao denunciar o “ambiente pagão” da Europa e “o estilo de vida ateísta,” o Cardeal Vlk disse que “Nem o mercado livre nem a liberdade sem responsabilidade é forte o bastante para formar a base da sociedade. Nem mesmo a democracia sozinha é a panacéia, exceto se estiver encravada em Deus.”

A imprensa checa especula que o Papa Bento nomeará um sucessor para o cardeal de 77 dentro de poucos dias.

11 Responses to “Cardeal tcheco adverte: os muçulmanos estão conquistando a Europa .”

  1. Eu estive na Europa ano passado e vi como a Alemanha está “islamizada”.Quem ainda não aderiu ao Islã, largou o cristianismo de lado.Até mesmo o protestantismo europeu está decadente.Igrejas à venda. Igrejas católicas vazias, que viraram apenas centros de turismo, não de religiosidade. Culpados?
    Sim. Os Bispos e Padres que deixaram a piedade de lado. Procissões, Bençãos do Santissimo Sacramento, Missa celebrada de acordo com as rubricas, enfim todos esses maus frutos colhidos de um Concílio mal interpretado. Que São Bento, através do Papa Bento XVI, proteja a Europa.

  2. Eis as conseqüências da “Libertinagem” Religiosa do Concílio Vaticano II. O que é o Islã senão uma seita panteísta que tomou o Oriente Médio? Ou a Igreja volta a ser a Igreja de sempre, ou sucumbirá.

  3. O Islã está ocupando o vácuo europeu? Nãaaaaaao! É mesmo? Porque será?

    A palavra é uma só: LIBERALISMO.

    Nos costumes – permissivismo
    Na economia – consumismo
    No protestantismo – Nova Teologia (mas como o protestantismo é igualitário, então liberalismo no protestantismo pode ser chamado de conclusão lógica)
    No catolicismo – modernismo.

  4. Os ateus e agnósticos se iludem ao achar que o seu modelo de sociedade substitui a velha ordem. A história comprova que sociedades relativistas são dominadas por sociedades religiosas – mesmo que seja uma falsa religião como o Islã.

    Quando o islamismo impor a sua política de tolerância zero, quem sabe aqueles que deixaram de crer em Deus Nosso Senhor e na Santa Igreja (Inclusive autoridades e “in”fiéis) não voltem os seus olhos para o Céu e implorem clemência e misericórdia ao Rei?

    Por ora, soframos com aqueles que continuam se fazendo de surdos… E rezemos pela consagração da Rússia…

  5. Rogério, cheira-me a heresia da braba dizer que a Igreja sucumbirá.

  6. É uma realidade a islamização da Europa.
    Ela é manifesta em França, realidade que conheço em Espanha na Alemanha. Eles são maioria populacional nos arredores de Paris, onde, exigem já o descanso semanal à sexta-feira, ou lugares próprios de oração ( 5 vezes ao dia) nos locais de trabalho.
    Isso sem referir as burkas no metropolitano, e a permissividade, dos governos que, com uma segurança social pródiga a todos financia.
    É um problema gravíssimo, que a Europa secularizada não quer ver.
    Foi editado em Lisboa a pouco tempo um livro do jornalista Alexandre del Valle A islamização da Europa onde num retrato fiel colige factos desta Europa passiva com medo do islamismo radical, e interesses económicos.
    O Islão sempre foi uma ameaça à Europa, contudo hoje ele está dentro da própria, pago por ela.

  7. O Islã é bem mais que simplesmente uma seita panteísta que tomou o Oriente Medio.

    E não adianta, a Europa não voltará às suas raízes, façam o que quiserem. A Europa caiu diante do comunismo. O modernismo se espalhou amparado e muito pelos movimentos revolucionários originarios do pensamento socialista/comunista (sim, estou juntando tudo mesmo não é generalização barata)

    Só há uma forma de salvar a Europa, e a descrevo simplesmente repetindo o que disse Nossa Mãe: Consagrando a Russia ao Imaculado Coração de Maria. E rezar para que Deus tenha misericordia após o atraso. O resto, se cremos em Nossa Senhora e em sua aparoção em Fátima, é especulação…

  8. É isso, Vladimir… Consagração da Rússia. Qualquer pessoa que conheça de lógica e tenha bom-senso deve chegar a essa conclusão.

    Não há concessões ou negociações com o Céu. Só obediência. Os terços que rezamos por essa intenção são os mais importantes de nossas vidas.

  9. A Europa ateia e laica terá de bater continência para o Islã. Quem mandou? Foram quase quatro séculos de propaganda iluminista, relativista, divulgando suas pseudo-novidades em moral, filosofia, teologia e “ciência”. Conforta-me saber que a promessa está feita: “as portas do Inferno não prevalecerão sobre a minha Igreja”. Os “adolescentes birrentos” da europa terão de se ajoelhar diante Nosso Senhor, pedindo por clemência.

  10. E para piorar a situação da Europa, esses mesmos países que um dia se disseram cristãos; ainda foram contaminados com o estílo de vida americano.

    Os Estados Unidos que tem princípios maçonicos, não cristãos, ajudaram nessa queda da própria Europa e na sua cultura do ”american way of life”.

Trackbacks