No fundo do poço.

Padre Alberto e sua companheira em sua "ordenação" anglicana.

Padre Alberto e sua companheira em sua "ordenação" anglicana.

Catholic Culture – Alberto Cutié, o padre arquidiocesano de Miami cujo apostolado na mídia católica  [ndt: era uma espécie de Pe. Dalcides na Flórida] terminou com a publicação de fotos comprometedoras com uma mulher que agora é sua esposa, foi ordenado na Igreja Episcopal em 29 de maio.

“Como um episcopaliano, ele está falando livremente sobre seu apoio ao clero abertamente gay, ao controle de natalidade e, quando a vida da mulher está em perigo, mesmo ao aborto”, noticiou o Miami Herald.

8 Comentários to “No fundo do poço.”

  1. “Media outreach” não é “alcance de mídia”, mas algo como “apostolado de mídia”: era provavelmente um padre que tinha um programa de TV.

  2. Aproveito este post para fazer- mais uma vez – um apelo a todos os leitores do Rio de Janeiro:
    Estou procurando organizar um apostolado que visa coibir abusos e sacrilégios na Missa (reformada de Paulo VI)no âmbito do Rio de Janeiro.
    O objetivo não é promover a Missa Nova. É de impedir padres negligentes de praticar sacrilégios e profanações por conta de um falso conceito de “inculturação”.
    A inicitaiva consiste basicamente em visitar paróquias problemáticas e conversar com os respectivos párocos quanto à observância das normas e instruçoes da Santa Sé (Redemptiones Sacramentum). Ao fim da conversar faríamos uma pequena divulgação da Forma Extraordinária da Missa com distribuição de material de divulgação.
    Quem estiver interessado, favor contactar-me no e mail: a.hygino@ig.com.br
    Salve Maria

  3. Misericórdia Senhor Jesus!!!

    Que necessidade tem para tanto escândalo!!?!?!?!?!

    Ó Maria concebida sem a mácula do pecado original, Rogai por nós que recorremos a Vós!!!!!

  4. Caro Cleir os abusadores litúricos contumazes dificilmente se interessam em consertar os próprios erros, quanto mais querer saber sobre a Forma Extraordinária do Rito Romano. Falo por experiência própria. Você fala, leva cópia da Redemptionis Sacramentum e etc. Entra por um ouvido e sai pelo outro.

    Visitar as igrejas que cometem abusos litúrgicos significa visitar todas ou quase todas as paróquias e igrejas.

    A auto-intinção chegou até o Carmelo de Santa Teresa! Antes era só o Convento de Santo Antônio. Isso sem contar com os famosos liturgistas. No Centro da cidade a situação é lastimosa. Justamente não são esses abusadores litúrgicos que queremos atrair para a celebração da Missa Tradicional. É melhor tentarmos pescar os mais comportados. Aqueles que se abstém de praticar as bizarrices.

  5. Os anti-Igreja, por conseguinte, os anti-liturgia são isso aí: hedonistas e egocêntricos. São Popstars, manequins, garotos-propaganda e outras podridões mais. Esse Padre Cutiè tinha um programa veiculado pelo canal católico EWTN para a América Latina. Ele é só um dos muitos que ainda seguirão o mesmo rumo, entre eles, o Pe. Reginaldo Manzotti, o Padre Fabio de Mello, Padre Silvio Andrei (que já escorregou no primeiro degrau da degradação moral…). Outros ainda cairão! É bom que o que está podre caia mesmo, pois a Igreja precisa de santos, não de Judas!

  6. Ao menos este padre Alberto Cotié, se não foi coerente como católico, agora está coerente com a ilogicidade do pecado.

    Saiu da Igreja. Melhor assim. Se era para desencaminhar e perder as almas, ao menos o mesmo dirigiu-se para uma seita, para se juntar aos seus iguais.

    Quem dera que todos os hereges fizessem o mesmo. Ao menos ficaria claro para todos quem é católico e quem não é…

  7. Cleir sua iniciativa merece apoio,nos fiéis leigos unidos a tradição devemos nos mobilizar para pressionar o clero neste sentido,não desista no inicio a luta pode parecer ingloria entretanto o Senhor abençoa os persistentes na fé,o que nossos inimigos querem é que desistamos no meio da batalha, mas não podemos dar esse gostinho a eles,A PAZ DO SENHOR

%d blogueiros gostam disto: