Em direção à reabilitação de Dom Lefebvre?

31/05/10 – (Sector Catolico) Segundo informa o blog italiano Messainlatino, começam a circular numerosos rumores em torno da futura reabilitação eclesial do arcebispo francês Marcel Lefebvre (na foto), fundador da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX), que foi excomungado pelo Papa João II em 1988, ao proceder a ordenação de quatro bispos sem contar o aval de Roma. Tal decreto de excomunhão ficou sem efeito recentemente depois de que o Papa Bento XVI assim decidiu.

Messainlatino aponta que são várias as razões que dispararam estes rumores. Por um lado, a reabilitação oficiosa do teólogo Romano Amerio (levada a cabo este ano pelo L’Osservatore Romano) que era conhecido por sustentar teses próximas às de Monsenhor Lefebvre. Em segundo lugar, a iminente publicação de uma nova biografia do prelado francês. E, em terceiro lugar, o interesse pela figura deste arcebispo e de sua obra, que aumentam fora dos círculos até agora habituais e  se estendem cada dia mais em diversos âmbitos católicos, são os fatores que estão contribuindo a estes falatórios.

Seja como for, a figura de Monsenhor Lefebvre mereceu e merece uma especial atenção no seio da Igreja Católica, sobretudo na medida em que aumenta a crise na qual, lamentavelmente, encontramo-nos atualmente. Soam, portanto, cada vez mais proféticas suas palavras e os avisos que lançou em muitos de seus escritos, homilias, conferências e ensinamentos que, hoje em dia, e vários anos depois de sua morte, seus filhos continuam transmitindo, a tempo e destempo. Sem dúvida, sua figura não passa despercebida e não deixa ninguém indiferente. O tempo e a autoridade da Igreja colocarão as coisas em seu lugar. Ao menos nesta terra.

26 Responses to “Em direção à reabilitação de Dom Lefebvre?”

  1. “Pelos frutos conhecereis a árvore!”

    Creio que estas palavras de Nosso Salvador são as que devem nos inspirar a analizar a situação atual da Santa Igreja e a julgar as pessoas e fatos atuais: quais são os frutos oriúndos de Mons. Lefebvre e quais são os frutos oriúndos do Concílio Vaticano II?

    Da resposta a estas perguntas conheceremos de que lenho são feitos um e outro.

    “Pelos frutos conhecereis a árvore!”

  2. Se são verdadeiro tais rumores, em boa hora virá essa reabilitação! É a justiça atrasada que se faz a um digníssimo herói, campeão da verdade perante a mentira do Concílio e sua catástrofe anunciada!
    Deos Gratia!

  3. Um artigo interessante do Sandro Magister:

    http://chiesa.espresso.repubblica.it/articolo/1343575?sp=y

    Con los lefebvrianos cuesta caro hacer ecumenismo

  4. É justo, muito justo, é justíssimo!!

  5. A diferença é que Amerio era um leigo que se limitou a defender suas idéias; Lefebvre ordenou bispos sem autorização da Santa Sé, como o Arcebispo Ngo Dinh Thuc – patrono da maioria dos sedevacantistas -, e por isso ele foi excomungado, assim como aquele arcebispo vietnamita.

  6. se realmente vier a acontecer teremos um reviravolta enorme na Igreja.

  7. Monsenhor Lefebvre, obrigado por conservar a Fé, o senhor é o instrumento de minha conversão.
    Santo Súbito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Muchisimas gracias, querido Padre, por su comentario tan poetico y tan precisamente correcto.

    Nosotros los fieles somos las ovejas. Distinguimos la voz de Nuestro Pastor y de sus fieles sacerdotes. No obstante la persecucion que afuerzas sufriran aquellos sacerdotes, reconozcamos y seguiremos esa Voz a donde Dios mande, siempre y solo con la ayuda de Nuestro Senor.

    Un fiel sacerdote es un tesoro andando por la Tierra.

  9. Depois de morto, dizem, não há reabilitação canônica que alcance um prelado aparentemente excomungado, a menos, é claro que se esteja falando, no caso concreto, em declarar expressamente nulo o decreto de 1988. Seria um milagre extraordinaríssimo nos dias de hoje, sempre possível se for a vontade Dele. Mas não queiramos depositar tamanha esperança em vermos isso nessa vida, nem alimentar fofocas que podem até mesmo vir de modernistas. E mesmo que Roma queira “apenas” reabilitar a boa fama de mons. Lefebvre, penso que o decreto de 2009 já o fez em grande conta, pois, como o padre Anderson Batista nos lembrou, “pelos frutos conhecereis a árvore”, e alguns dos frutos de Lefebvre foram as quatro sagrações epicopais, das quais a pecha de hereges cismáticos foi desmerecida com o levantamento de suas supostas excomunhões! Ademais, afirmo, faz todo o sentido imaginar que, se Dom Lefebvre e Dom Castro Mayer estivem vivos naquele janeiro de 2009, teriam também seus nomes inscritos junto a seus discípulos.

    O artigo fala em nova biografia a ser lançada. Há também um filme que, segundo o site que o promove, se pretende lançar ainda em 2010:

    http://www.lefebvrethemovie.org

    Bem, e quanto aos frutos do CVII?! O trailer desse mesmíssimo filme, entre os 30 e 42 segundos, mostra imagens referentes a somente dois! E que dois frutos!!

    PS: Sobre a trilha sonora do trailer, para quem não sabe, é um trecho da música de Giovanni Battista Pergolesi, para a Stabat Mater. E não adianta muito recorrer à Missa Nova para ouvi-la em gregoriano ou em polifonia sacra. Esta seqüência, como muitas outras coisas no Missal de S. Pio V, foi tornada opcional no de Bugnini/Paulo VI, e, portanto, rapidamente esquecida. Todavia, quem se importa! Como alguém reconheceu recentemente em Brasília numa homilia, Stabat Mater não combina mesmo com o “carisma da alegria” (e que mundana alegria!!) da Missa Nova.

  10. Por favor, preciso um esclarecimento sobre o seguinte:
    ouvi um padre dizer que ‘não se vai à Missa para rezar’..Isso me caiu muito mal.

    Pedia, por caridade, um esclarecimento sobre isso.
    Agradecido.

  11. “Seja como for, a figura de Monsenhor Lefebvre mereceu e merece uma especial atenção no seio da Igreja Católica, sobretudo na medida em que aumenta a crise na qual, lamentavelmente, encontramo-nos atualmente.” Falou tudo Ferreti!

    Monsenhor Lefebvre merece ser dignificado.
    E as ofensas, calúnias e injúrias que ele e a FSSPX sofreram devem ser reparadas PUBLICAMENTE, sem dúvidas!

    Louvado Seja NSJC!
    Salve Maria Mãe de Misericórdia!

  12. DOm Lefebvre foi no mínimo um Herói na fé e no zelo pela defesa da tradição da Igreja. Eu sinceramente não tenho dúvidas nenhuma que um dia ele será reconhecido como bem-aventurado para honra e glória da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

    “O tempo e a autoridade da Igreja colocarão as coisas em seu lugar.”

    Quando os erros oriundos do Concilio VaticanoII cair por terra a saber: o Ecumenismo e o Liberalismo maçônico que vem provocando a apostasia da fé, e quando o Coração Imaculado de Maria Triunfar, então ficará claro quem realmente foram os mártires da fé que defenderam a Igreja com suas vidas e certamente o nome de Dom Lefebvre será um dos maiores.

  13. Tanto faz se você gosta ou não da Missa Tradicional pois O FATO, sem emocionalismos e objetivamente falando, é que não fosse a luta de dom Lefebvre (principalmente com as Sagrações de 88) a Missa Tradicional teria sido praticamente extinta da face da Terra. Hoje poucos padres idosos a rezariam ainda.
    Summorum Pontificum não teria razão de existir….e esse blog também não! rsrs

  14. Esta foi a melhor notícia que recebi em muito tempo. Tenho passado por algumas provações e tribulações, quer interiores quer exteriores; e isto veio renovar-me o ânimo, a esperança, o optimismo e o vigor para a luta.

    Um dia será feita justiça a este grande bispo que defendeu a Fé Católica em toda a sua integridade.

    Quem me dera chegue logo esse dia feliz. Vou fazer, nesse dia, uma festa na minha casa de fazer história pelos arredores.

    Maria Santíssima jamais falha!

    Glória a D. Lefebvre!!!

    Viva o Papa Bento XVI!!!

  15. Entreguemos isto ao futuro…

    Mas, cá entre nós, se acontecer mais isso… Algumas pessoas vão ter que morder o chapéu.

    Não há paz para os ímpios…

  16. Isso tudo será questão de tempo. O Papa sabe a verdade sobre Dom Lefebvre e Dom Antonio. A Igreja é Divina. Só isso!

  17. Deus queira que esses rumores sejam verdadeiros!

    Quanto à sobrevivência da Missa Tradicional, minha posição é a do Ricardo2. Se não fora por Dom Lefebvre e Dom Antonio de Castro Mayer, provavelmente, a celebração pública da Missa Tradicional teria sido completamente eliminada ou então reservada a poucos institutos fechados. Não haveria demanda o suficiente para um Motu Proprio. Basta ver que todos os institutos erigidos ao redor do Rito Antigo contaram com número significativo de padres e seminaristas saídos da FSSPX.

    Quanto a essa nova biografia, vamos aguardar.

    Que Nossa Senhora Medianeira interceda por essa graça.

  18. Sin tomar mucho tiempo, lo que no es disponible, el comparar al Msgr. Lefebvre con el Obispo Thuc es…perdoname…absurdo. Las posiciones de los dos en cuanto a la autoridad del Santo Sede son completamente distintas. Si, los dos consagraron obispos sin el permiso expreso de Roma (aunque la historia no es ni tan sencilla en el caso de Lefebvre,) pero sus intenciones y sus fines eran y siguen siendo completamente diferentes.

    Como dijo el Padre Batista…solamente observa los frutos de los dos casos.

    La comparacion no es valido.

  19. Caro Marcos Grillo,
    Sandro Magister já começa derrapando na primeira curva:
    “Es el que tiene con los seguidores del arzobispo Marcel Lefebvre, hasta ahora en estado de cisma con la Iglesia de Roma por motivo de su rechazo de la totalidad del Concilio Vaticano II.”

    Eu achava que esse cara fosse melhor.

    Primeiro era a excomunão.
    Agora é a jurisdição.
    E quando for resolvido isso vai ser…

    -Cismático! Porque não aceita o CVII!!!

    Já tem padre falando essa bobagem.

  20. Salve Bento XVI! Salve Mons. Lefebvre!
    Imaginem se D. Lefebvre não tivesse consagrado os 4 bispos? Não existiria mais a missa de sempre. Como estaria a liturgia? Ele foi o instrumento escolhido por Deus numa situação dramática da Igreja. Só os hipócritas e pusilânimes não o reconhecem.
    Em muitas partes da Europa o que resta de catolicismo autêntico é tributário da obra de D. Lefebvre.
    Sagrar bispo sem mandato pontifício não significa cisma nem atenta contra a unidade da Igreja. Aliás, a nomeação dos bispos durante séculos (e até hoje?) foi objeto de negociações misteriosas em que a liberdade da Igreja na nomeação dos mesmos é pura ficção.
    O que atenta contra a unidade da Igreja são as conferências episcopais nacionais que se sobrepõem à autoridade do papa e o impedem de nomear os bispos, como ocorreu na Áustria, embora a aparência de legalidade subsista. Os fariseus de hoje só denigrem a memória do santo bispo e se calam diante do escândalo ocorrido na Áustria há alguns meses.
    Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

  21. Revm.º Pe. João Batista,
    Louvado seja N. S. Jesus Cristo !
    A magnitude da obra de Dom Lafebvre é incontestável.
    Lamentavelmente, em Campos a única preocupação é denegrir a imagem desse santo bispo ou de omitir seus feitos. Prova disso: quando faleceu padre José Paulo Vieira, de Bom Jesus do Itabapoana, a nota oficial da AASJMV omitia que o mesmo fora ordenado por D. Lefebve. Mas, o bom povo daquela paróquia, em um opúsculo em homenagem ao falecido padre e certamente e ao arrepeio e para desgosto de seus superiores deixou consignado no livreto: ordenado pelo grande arcebispo Dom marcel Lefebvre.
    Viva Dom Marcel Lefebvre !
    Viva Dom Antonio de Castro Mayer !
    Que não beijaram o alcorão, nem visitram sinagogas e mesquitas, mas conservaram íntegra a fé dos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo!

  22. Pedro:

    “A diferença é que Amerio era um leigo que se limitou a defender suas idéias; Lefebvre ordenou bispos sem autorização da Santa Sé, como o Arcebispo Ngo Dinh Thuc – patrono da maioria dos sedevacantistas -, e por isso ele foi excomungado, assim como aquele arcebispo vietnamita”.

    Rapaz, vc precisa mudar seu fornecedor… Comparar D. Lefebvre com um bispo sedevacantista é o cúmulo do absurdo (senão da má-fé)… É como comparar o pessoal que segue a Tradição, que respeita e ama o papa, sabendo discernir o que é infalível e oriundo do Magistério Extraordinário daquilo que é meramente “pastoral”, dos neocons, que acham que tudo o que o papa fala ou pronuncia é infalível (até um arroto) e que agem como vaquinhas de presépio às aberrações litúrgicas e aos desmandos das conferências episcopais… isto tudo em um pacote que tenta conciliar o inconcíliável (a Tradição com o CV II) em uma ginástica que não tem tamanho…

    D. Lefebvre – que sempre amou e soube respeitar a figura do papa (ao contrário dos sedevacantistas pusilânimes e dos neocons sem massa cinzenta suficiente para emitirem uma opinião própria) – tem, paulatinamente, seu lugar e sua importância reconhecidos… Bento XVI, em diversas ocasiões, já tinha dito que queria reparar as injustiças cometidas contra D. Lefebvre.

    Agora não me venhas com conversa fiada e vá ler, com isenção de ânimo, “A Candeia Debaixo do Alqueire”, do Pe. Álvaro Calderón para ver se seu raciocícnio neocon se mantém por muito tempo…

  23. Peço ao administrador do site de por caridade esclarecer a minha dúvida!
    Ouvi um padre dizer “não vem à Missa prá rezar!”
    Isso me caiu mal..
    Por favor.

    Peço um esclarecimento.
    Obrigado.

  24. “A Candeia Debaixo do Alqueire”, do Pe. Álvaro Calderón

    Alguém tem esse livro ao menos para me emprestar??

  25. Os bispos católicos filiados à “igreja patriótica” na China sagraram mais de cem (100) bispos, sem avisar ninguém!
    E ninguém foi excomungado, ao invés, tais sagrações foram posteriormente confirmadas pelo Papa, em nome da união e da caridade…
    Porém, no caso de Dom Lefebvre e Dom Mayer, que com muita antecedencia, pleno aviso e ampla justificação, sagraram quatro (4) bispos, a caridade do Vaticano foi diferente.
    Ambos foram excomungados em 48 horas.
    Portanto, é de se desconfiar que eventual “reabilitação” de ambos, se ocorrer, será apenas “pro-forma”, mero ” lip service”, sem qualquer consequencia prática.

Trackbacks