Vende-se um confessionário.

Viena: confessionário em um leilão da internet.

Viena: confessionário em um leilão da internet.

(Kreuz.net) A paróquia católica Hirschstetten na cidade vienense de Donau está leiloando um confessionário na Internet.

O dinheiro deverá  ser utilizado para a reforma da igreja. Para tal são necessários ao todo 170.000 Euros. A oferta inicial foi de 1 Euro. As ofertas poderão ser feitas até o dia 29 de julho.

“O confessionário está em bom estado de conservação”- diz o anúncio publicitário no sítio de leilões:

“Talvez muitas pessoas que tenham um hobby encontrem um uso para o confessionário – casa de brinquedos para crianças, reconstrução em uma sauna para uma pessoa ou um bar original.”

O confessionário tem 2,67 metros de largura e 2,15 metros de altura. O comprador precisa desmontar e transportá-lo. Na comunidade ainda se pode – ao menos teoricamente – ir à confissão. Até segunda-feira à tarde foram feitos cerca de 120 lances. O preço de oferta atualmente é de 333,66 Euros.

[Atualização: o pároco informou que “renovou” seus confessionários, usando agora modernas salas. Uma das últimas ofertas era de 666,66 euros]

[Atualização: 20 de julho de 2010, às 10:53] Efeito puxão de orelha do Papa? Devido a grande repercussão na mídia, a arquidiocese de Viena proibiu o leilão do confessionário e emitiu o seguinte comunicado de imprensa: “O uso de um confessionário para fins profanos é inaceitável”.

15 Comentários to “Vende-se um confessionário.”

  1. Tem um bar aqui no RJ, na zona boêmia da cidade, próximo à Pç Tiradentes, que é um monumento ao sacrilégio: ostensórios, candeeiros, pinturas, candelabros, custódias, vasos e demais aparatos litúrgicos – todos, creio, já foram consagrados um dia, já que são bem antigos; comprados em alguma liquidação de alguem brechó; fazem como que decoração do tal bar “temático”…
    Não lembro do nome, mas é bem sugestivo para essa “atmosfera” de “sacralidade”…
    Tudo no mais afinado espírito do Concílio que se desfaz dessas velharias em prol de uma “renovação”, tal e qual propalada pelo pároco de Hirschstetten.
    Acho que o tal pároco é um frequentador do tal bar para fazer a confissão dos habitués entre um birinaite e outro – tudo num clima mais leve e descontraído; nada desses confessionários repressores…

    Valei-nos, S. Pio X!!!

  2. Há cerca de 1 ano, vi anunciado num site de vendas brasileiro um altar inteirinho, tinha até as laterais, de madeira de lei, em estilo gótico. Custava uns 25 mil reais. O “produto” se encontrava em um antiquário em Blumenau e dizia o anúncio que tinha o recibo do pároco e tudo.
    Do pároco ao vendedor de quinquilharia, não sei como é que se alcança tamanha coragem…

  3. Vemos a nossa Tradição, as nossas memórias, serem rifadas por pessoas inescrupulosas – aí incluso certos párocos…

    Mais abominações aqui:
    http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/07/imagens-mostram-furto-de-imagem-de-santa-em-igreja-de-santos.html

  4. Santíssimo Sacramento!!! Aonde vamos parar, meu Deus do Céu? A Áustria, outrora um país católico e temente a Deus, hoje se converteu em nem sei o quê. As loucuras, aberrações, torpezas e blasfêmias que são cometidas pelo clero – católico? – daquele país é de deixar o cabelo em pé.
    Vejam como tratam um confessionário! Uma mera peça do templo, um móvel qualquer. Será que pensam o mesmo acerca do altar? E das imagens que guarnecem as igrejas? E das vestes sacerdotais?
    A cada dia verificamos horrorizados o quanto São Pio X estava correto ao prosseguir a luta contra essas infiltrações malignas na Igreja. Foi chamado em sua época de “fanático”. Hoje sabemos muito bem que era um profeta…

  5. Depois que Paulo VI “doou” a tiara papal, qualquer símbolo que represente o esplendor da Esposa de Cristo é descartável. Depois do Concílio, a fé tornou-se descartável, os sacramentos idem. Só não descartam o ódio que têm contra o sagrado.

  6. Off-Topic
    Sugiro ao Fratres reportagem das ordençãoes do IBP.
    http://www.newliturgicalmovement.org/

  7. Bem lembrado, Rodrigo!!!
    É o mais expressivo símbolo de deposição do poder outorgado!!!

    https://fratresinunum.com/2008/08/06/paulo-vi-e-a-tiara-papal/

  8. É a auto-demissão!!!

  9. Daí o resto ser consequência lógica e ontológica…

  10. Talvez seja verdade que a arquidiocese de Viena tenha proibido a venda do confessionário por virtude do papal puxão de orelhas.
    E eu fico todo contente em pensar isto.Seria a prova de que uma reprimenda severa pode ter efeitos muito benéficos. É a prova de que não devemos calar a verdade quando há necessidade de corrigir procedimentos ou palavras. Por vezes dizemos que não vale a pena, que “estamos a pregar no deserto”, mas a verdade é que alguma coisa sempre ficará na cabeça.

  11. O Papa João Paulo II escreveu uma Instrução intitulada Misericordia Dei, sobre a confissão, onde renovava as determinações do Concílio de Trento quanto à obrigatoriedade do Confessionário munido de grades e genuflexório e do estado de graça para comungar, consequentemente.

    O rito da Comunhão na Missa de Paulo VI é bem genérico:
    “P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.
    T. Cordeiro de Deus…
    P. Felizes os convidados para o Banquete nupcial do Cordeiro. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
    T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).”

    Não há menção alguma, como na Missa tradicional, quanto ao estado de graça necessário (por isso, a absolvição antes da distribuição da Comunhão). Sem falar nas três orações de preparaçao após o Agnus Dei, onde em uma delas, se enfatiza que a verdadeira Paz é aquela quando estamos longe do pecado (“Dou-vos a paz, deixo-vos a minha paz, [não como o mundo vo-la dá]” (Jo 14,27).

    As outras duas orações também deixam claro que a Santa Comunhão só pode ser feita em estado de graça.

    Diante disso, na minha opinião, a grande afluência de pessoas à Comunhão na Missa nova… e os confessionários vazios.

  12. Alvíssaras!!!
    Finalmente a autoridade se faz presente!!!

  13. O ato de venda deste confessionario é um símbolo da maldita falta de amor pelas coisas que outrora a Igreja amou! Quem ama cuida, conserva, preserva…

  14. E, no caso do confessionário, usa.