Padre Michael Rodriguez: Todo Católico deve se opor a certas coisas.

El Paso Times – Pelo Rev. Michael Rodriguez \ Colunista convidado

Espero sinceramente e rezo para que os católicos de El Paso levem a sério os ensinamentos preciosos e infalíveis da Santa Madre Igreja no âmbito moral, particularmente, aqueles mais relevantes para a nossa cidade nesse momento crítico.

Lembrem-se: Todo católico, por fidelidade à caridade e à verdade, tem o dever absoluto de se opor (1) ao assassinato de bebês nascituros, e (2) toda e qualquer tentativa do governo de legalizar as uniões homossexuais.

Qualquer católico que apóia os atos homossexuais está, por definição, cometendo um pecado mortal, e colocando a si mesmo fora da comunhão com a Igreja Católica Romana.

Além disso, um católico seria culpado do pecado mais grave de omissão se ele/ela deixou de se opor ativamente à agenda homossexual, que prospera em enganar e esconder os seus chifres perversos à guisa de “direitos iguais”, “tolerância”, “quem sou eu para julgar?”, etc.

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos publicou uma carta pastoral sobre o matrimônio em novembro de 2009, a qual é endossada pelo nosso bispo local, sua Excelência Reverendíssima Dom Armando X. Ochoa.

Essa carta pastoral afirma o seguinte:

“As muitas bênçãos que Deus tem derramado sobre nós em Cristo inclui a benção do matrimônio, um presente conferido pelo Criador desde a criação da raça humana.

“A Igreja tem ensinado ao longo das épocas que o matrimônio é uma relação exclusiva entre um homem e uma mulher.

“Um dos acontecimentos mais problemáticos na cultura contemporânea é a proposição de que pessoas do mesmo sexo podem se ‘casar’. Essa proposta tenta redefinir a natureza do matrimônio e da família e, conseqüentemente, fere tanto a dignidade de cada pessoa humana quanto o bem comum da sociedade.

“Não é injusto opor-se ao reconhecimento legal das uniões do mesmo sexo, porque o matrimônio e as uniões do mesmo sexo são essencialmente realidades diferentes. A negação do status social e legal do matrimônio para formas de coabitação que não são e não podem ser conjugais não se opõe à justiça, pelo contrário, a justiça a requer.”

Rogo a todos os fiéis católicos que tratem os homossexuais com amor, compreensão e respeito. Ao mesmo tempo, nunca esqueçam que o amor genuíno exige que busquemos, acima de tudo, a salvação das almas. Os atos homossexuais levam à perdição de almas.

Recentemente, algumas pessoas escreveram cartas reclamando que em uma democracia cabe à maioria decidir entre o certo e o errado. Essa forma de raciocínio não é apenas falsa, é ridícula!

Embora seja verdade que a maioria dos cidadãos em uma democracia tem o poder político de impor a sua ‘moralidade’ à sociedade, essa realidade jurídica não tem nenhuma relação com o valor moral intrínseco de ações.

Aquilo que faz algo ser bom ou mal é a ordem moral objetiva estabelecida por Deus, que também pode ser entendida e apreciada através do uso da razão humana. Em filosofia, isso é conhecido como a lei natural.

Mesmo os gregos antigos tinham um respeito básico pelos princípios da lei natural.

Para simplificar: Alguém teria que ser moral e medonhamente decrépito para pensar que se 51% dos americanos achassem que o estupro é certo, então, o estupro, com efeito, se tornaria algo normal. Certamente, a maioria é politicamente capaz de tal voto, porém, isso nunca faria do estupro algo moralmente correto.

A democracia corrupta existe; vocês sabem disso!

Os atos homossexuais e o aborto são indubitavelmente males morais intrínsecos. E amigos, essa verdade objetiva não depende da opinião da maioria. Assustadoramente, se a maioria optar por negar a ordem moral objetiva, então, todos nós sofreremos as conseqüências perniciosas.

Pe. Michael Rodríguez é pároco da paróquia de San Juan Bautista.

* * *

Nota: Após a publicação do artigo acima, em 02/08/10, o jornal El Paso Times vem recebendo uma enxurrada de ofensas à pessoa do padre e à própria Igreja. Eis alguns exemplos:

Jane: Querido Padre Rodriquez, me desculpa. Perdi a missa hoje, mas é que eu estava ocupada praticando bruxaria e me tornando uma lésbica.

Two Faced: E o que dizer do padre que estupra garotinhos e garotinhas? Que idiota.

MR C: Eu não entendo porque os católicos adoram odiar os gays tanto assim. Com tanta coisa no mundo para se preocupar, deixem os gays em paz! Eles já são perseguidos o bastante. Redirecione o seu ódio gay para alguma coisa positiva como, por exemplo, ajudar os doentes, os marginalizados, os sem teto, os pobres, etc. você dá um nome ruim ao cristianismo amoroso!

San Francisco: O Rev. Michael Rodriguez deveria estar mais preocupado com os males que os padres católicos cometeram ao abusar sexualmente de crianças. O Rev. Rodriquez deveria seguir os ensinamentos de Cristo, que consistiam em amar todos os semelhantes. Rodriquez é  preconceituoso e detestável em suas convicções arcaicas. Há uma separação entre estado e igreja nesse país. A Igreja Católica e outras denominações deveriam ficar fora da política.

5 Comentários to “Padre Michael Rodriguez: Todo Católico deve se opor a certas coisas.”

  1. O padre é absolutamente claro, como todo católico deve ser, inclusive os Concílios Católicos.

    Mas varios americanos, intoxicados pelos séculos de seu liberalismo maçônico não conseguem ver a Verdade.

    Vamos comentar no jornal americano, encher de palavras favoráveis ao padre. Basta de americanos estúpidos, manipulados, liberais e “democráticos” pensando que sabem mais que Deus e Sua Igreja.

    Se aparecem várias pessoas favoráveis ao padre, quem sabe alguns desses Homer Simpsons se questionam sobre a veracidade do dogma democrático-liberal.

  2. Uma correção:

    Onde se lê “E amigos, essa verdade objetiva depende da opinião da maioria” deveria ser alterado por “E amigos, essa verdade objetiva INdepende da opinião da maioria”, não?

  3. Perdão! Acho que interpretei mal o que ele disse. Parece tratar-se, no fundo, de uma ironia. Peço, então, que ignorem os meus comentários e não os publiquem.

  4. Espero um dia ter o prazer de conhecer o Pe. Rodriguez. Amanhã (04/08) rezarei por ele e para que os Padres de todo o mundo tenham a coragem de combater o erro e defender a verdade.