A imagem Aparecida.

Por Dom Antonio de Castro Mayer

No sábado, 16 de outubro de 1717, foi pescada no Rio Paraíba, uma Imagem de Nossa Senhora da Conceição. O fato causou agradável surpresa, que logo desdobrou-se em muita devoção, pois, foi ele acompanhado de uma pesca milagrosa. Trabalharam os pescadores a noite toda sem nada apanhar. E achada a imagem, o rio mudou por encanto. De sáfaro, fez-se generoso. Ficou piscoso a valer.

Tornou-se patente que a Virgem Mãe queria servir-se daquela imagem de si modesta, modestíssima até, embora de feitura bem cuidada, para distribuir seus favores às gentes daquela terra.

Assim compreendeu nosso povo, e acertou. O Santuário de Aparecida constitui-se num tesouro, onde todos encontram as riquezas das consolações para os males da alma e as aflições do corpo.

Infelizmente, um misterioso assalto resultou na quebra de imagem * , que ficou muito danificada. Cremos não errarem aqueles que vêem nesse acidente, uma advertência materna da Mãe de Deus a uma séria emenda de vida. Estaria neste sentido a frase que, consta, teria pronunciado o Sr. Arcebispo administrador da apostólico de Aparecida, d. Geraldo Penido: “a imagem partiu-se, porque já estava quebrada nos nossos corações.”

E chegamos ao ponto deste breve comentário. Todo culto às imagens é relativo. Termina no santo que elas apresentam, como o retrato de um ente querido. Vale pela relação que tem com a pessoa, objeto de nosso amor e veneração. Baseiam-se, neste, alguns comentários surgidos, aqui e acolá, a propósito do sacrilégio ocorrido em Aparecida. Assim dizem, o importante não é a imagem, e sim a Virgem Mãe de Deus.

Dito assim, sem mais, merece reservas. De fato a importância religiosa da imagem não está na obra de arte e si. Sua importância é ser a imagem de quem é. E ainda não é só. O importante nesta imagem é, sobretudo a de ter sido escolhida pela Santíssima Virgem, para manifestar aos filhos do Brasil seu carinho materno.

Há algum tempo, um tresloucado mutilou a “Pieta” de Michelangelo, que se venera na Basílica de S. Pedro, em Roma. Foi um crime sacrílego, sem dúvida. Mas não tem, para o povo italiano, o mesmo significado que , para o brasileiro, tem o acidente com uma imagem de Aparecida. Esta, além de ser a efígie da Conceição Imaculado, é como se fosse um sacramental que nos assegura as misericórdias de Maria.

Eis a razão porque há um santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. E eis porque todos nós lamentamos e ficamos apreensivos com a imagem quebrada. E pedimos e esperamos que a misericórdia de Deus nos concede em breve, novamente, a alegria de ser “redimida” a Virgem Sagrada do Rio tirada, partida, quebrada, dividida (Presciliana, 1756). “Em Pe. Machado, “Aparecida na História e na Literatura”. Caixa Postal, 267. — 13.000 Campinas (SP).”

(a) + Dom Antonio de Castro Mayer, Bispo de Campos

* No dia 16 de maio de 1978, o herege Rogério Marcos de Oliveira quebrou o vidro do nicho onde se encontrava a verdadeira Imagem de Nossa Senhora Aparecida, na Basílica velha e tentou levá-la consigo. Na fuga, caiu. Dessa forma, a Imagem partiu-se em pedaços. No exato momento em que a Imagem da Padroeira foi quebrada (20h10), a luz elétrica se apagou em todo o Vale do Paraíba! (Revista Catolicismo).


2 Comentários to “A imagem Aparecida.”

  1. Gostaria que voces divulgassem o novo video do Pe Leo recriminando o governo Lula por tentar implantar o aborto no Brasil..

    Pe Leo é claro no video: “Se for pra ser catolico como se diz catolico o senhor presidente da Republica, é melhor viver no quinto dos infernos. Lula està se tornando um instrumento do ‘encardido’ pra provar essas leis do aborto no Brasil.. e por isso nao tem meu respeito, minha admiracao nem minha oraçao”

    link: http://www.youtube.com/watch?v=vGG8IqJzyPU

  2. Encontrada nas águas de um rio brasileiro, no interior de São Paulo, quando o Brasil era uma colônia de Portugal, a pequena e simples imagem de Nossa Senhora da Conceição, sintetiza a nossa nacionalidade e a mestiçagem do nosso povo. No barro brasileiro de que é feita temos o povo indígena, habitantes destas terras antes da chegada dos portugueses. Na fisionomia e no estilo, temos a representação dos portugueses, que trouxeram para estas terras a luz da verdadeira fé. O anuncio do Evangelho de Cristo e amor filial pra com mãe de Jesus no mistério de sua imaculada conceição, sempre defendida pelos portugueses, antes de ser um dogma. E na cor negra está representada o escravo africano que veio para construir com seu trabalho e a dor da sua condição de cativo o nosso Brasil. A imagem da Senhora da Conceição é pois o símbolo da própria nação brasileira. É uma imagem da Virgem Maria, a mãe de Nosso Salvador Jesus Cristo. Por ela mesma nada vale. Não é estátua, em si mesma, que veneramos. Veneramos Maria, mãe de Deus e Senhora nossa, simbolizada naquela pequena e simples escultura dada pela própria mãe aos seus filhos Brasileiros.
    Ó Deus nosso Pai, que a amor à Imaculada Virgem,mãe do vosso filho faça o povo brasileiro ser fiel aos valores do Evangelho. Que a devoção do povo motivada pela imagem aparecida não termine na imagem ,mas realmente se dirija à pessoa que esta imagem representa.Nossa Senhora da Conceição, mãe de Nosso Senhor Jesus. Que por sua intercessão todos se prostrem aos pés do vosso Filho, verdadeiramente presente no sacrário. Que em Aparecida, cidade de São Paulo, todos procurem o sacrário e adorem o Verdadeiro e unico Senhor, Jesus Cristo. Intercedei pelo Brasil Nossa amada protetora, que fostes feita imaculada em vossa conceição, no ventre de Ana vossa Mãe.
    PS: Não existe uma imagem de Nossa Senhora aparecida. Existe sim, uma imagem APARECIDA de Nossa Senhora da Conceição. É bom frisar isto.