Divulgado novo motu proprio que cria Conselho para a Promoção da Nova Evangelização.

Cidade do Vaticano, 12 out (RV) – “A Igreja tem o dever de anunciar, sempre e em todos os lugares, o Evangelho de Jesus Cristo.” Esse é o incipit da Carta apostólica em forma de Motu Proprio (Ibicumque et semper) com a qual Bento XVI cria o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, cujo dicastério foi apresentado esta manhã, na Sala da Imprensa da Santa Sé, por seu Presidente, o Arcebispo Rino Fisichella.

“Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos” (Mt 28, 19a): fiel a esse mandamento de Jesus, a Igreja “jamais se cansou de mostrar ao mundo inteiro a beleza do Evangelho”.

“Missão evangelizadora necessária e insubstituível” para a Igreja, “expressão de sua própria natureza e que “assumiu na história formas e modalidades sempre novas, segundo os lugares, as situações e os momentos históricos” – lê-se no documento.

Missão hoje chamada a tentar superar o “fenômeno do desapego à fé” em sociedades e culturas que há séculos se mostravam impregnadas pelo Evangelho. De fato, as transformações sociais nas últimas décadas “modificaram profundamente a percepção do nosso mundo” – observa Bento XVI.

“Tudo isso não se deu sem conseqüências também para a dimensão religiosa da vida do homem.” “E, se de um lado, a humanidade conheceu inegáveis benefícios” e a Igreja recebeu ulteriores estímulos para dar razão da esperança que porta consigo, de outro, verificou-se uma preocupante perda do sentido do sagrado, chegando até mesmo a colocar em discussão aqueles fundamentos que pareciam indiscutíveis, como a fé num Deus criador e providente, a revelação de Jesus Cristo único salvador, e a compreensão comum das experiências fundamentais do homem como o nascer, o morrer, o viver numa família, a referência a uma lei moral natural.”

À luz das preocupações já expressas a partir do Concílio Vaticano II, por Paulo VI e João Paulo II, pelo “contínuo difundir-se do indiferentismo, do secularismo e do ateísmo”, em particular nos países do chamado Primeiro Mundo, Bento XVI faz votos de um novo impulso missionário no mundo atual, que exige – recomenda o Pontífice – “um atento discernimento” em relação à “diversidade de situações”.

Efetivamente, nova evangelização não significa ter que elaborar uma única fórmula igual para todas as circunstâncias. O importante – conclui a Carta apostólica – é que, em primeiro lugar, “se faça profunda experiência de Deus”.

E entre os artigos institucionais do Pontifício Conselho, que atuará em colaboração com os outros dicastérios e organismos da Cúria Romana, indica-se “aprofundar o significado teológico e pastoral da nova evangelização”. (RL)

3 Comentários to “Divulgado novo motu proprio que cria Conselho para a Promoção da Nova Evangelização.”

  1. Pelo visto o Dom Fisichella vai continuar pendurado na cúria romana e desta vez sendo responsável por um conselho que tem por orientação missional “tentar superar o fenômeno do desapego da fé”. Justo ele que prefere a tangente da solução pró-aborto! Um relativista contumaz! Que tipo de fé ele poderá transmitir? Que testemunho?
    Mais uma bofetada sonora na cara de nós católicos!
    Sinceramente, cansei!!!

  2. Entrada da imagem de Nossa Sra em Aparecida com baianas e Ary Barroso para último dia da novena…

    cristaocomprometido.blogspot.com

  3. Bom… pelo recente passado portentoso do diretor de tão insigne Conselho, prevejo um futuro ruinoso; a menos que Vossa Excrescência peça demissão.
    Enfim, basta esperar pra ver no que dá.
    Rezemos e fiquemos vigilantes.